BrasileirasPeloMundo.com
Curiosidades Pelo Mundo Finlândia

Finlândia – 10 hábitos culturais que fazem parte de nosso dia a dia

  • Não usar sapatos dentro de casa

Se vier à Finlândia, esteja preparado para tirar os sapatos mesmo se o evento for uma festa ou algo mais formal na casa de alguém. Pode haver exceções, claro, mas normalmente é assim que funciona.

Assim que entrar na casa de seu primeiro conhecido finlandês você perceberá essa característica cultural. Há quem use chinelos ou pantufas, mas o mais comum é ficar com os pés descalços, mesmo, com meias.

Este hábito se estende a alguns ambientes como hospitais e clínicas infantis, escolas (todas as crianças têm seus “crocs” ou pantufas e não entram na sala de aula com o mesmo calçado que andam nas ruas ou em áreas comuns da escola), academias (sempre há um local para se deixar o sapato e deve-se ter um par de tênis somente para usar do lado de dentro). Isso é expresso até mesmo no vocabulário: ulkokengät (“sapatos de fora”) e sisäkengät (“sapatos de dentro).

  • Fazer sauna sem roupa

Não faz sentido para um finlandês ir à sauna usando roupas de banho por uma razão simples: o significado da sauna é a limpeza do corpo e da alma, um lugar para relaxar a mente e os músculos e limpar o corpo profundamente. Você não toma banho usando biquíni ou sunga, toma?

A sauna seca, da forma como conhecemos hoje em dia, foi inventada na Finlândia. Você pode ler mais sobre isso em outro texto meu aqui.

  • Beber leite durante as refeições

O leite é parte importantíssima da nutrição diária dos finlandeses. Não é difícil encontrar um (e incluo meu pai e meu marido nessa lista), que tome pelo menos um litro por dia. A bebida está sempre presente nas mesas finlandesas e em todos os eventos sociais em que se ofereça algum tipo de comida.

  • Mingau de aveia feito com água, sal e manteiga

Este é o café da manhã mais tradicional da Finlândia. Faz-se o mingau de aveia sem leite, mas com água. Ao invés de açúcar, adiciona-se uma pitada de sal e uma colher de chá de manteiga (quantidade para uma pessoa). Na hora de comer, pode-se adicionar um pouco de leite ou alguma geleia, frutas, o que quiser. Um café da manhã saudável que irá lhe sustentar por muitas horas.

2562-marjaisa_puurolautanensannapeurakoskidnc-jpg-700x378
Foto: Sanna Peurakoski/Finnish Dairy Nutrition Council

A aveia tem importância histórica para os finlandeses. Durante o tempo em que o país era pobre e os ingredientes escassos, e também durante os períodos de guerra, este era o alimento principal da população, junto ao pão de centeio.

  • Colocar rodelas de pepino cru no sanduíche de pão de centeio

O pão de centeio é outro ingrediente da culinária finlandesa que faz parte de sua identidade cultural. Você pode ler mais sobre isso aqui, em português.

Come-se pão de centeio como sanduíche, normalmente com manteiga, queijo, uma rodela de pepino cru e uma rodela de tomate, sendo o pepino mais popular do que o tomate para compor o sanduíche. Pode parecer estranho a princípio, mas realmente combina.

  • Salmiaki e Lakritsi

A relação com esses tradicionais “doces” finlandeses é sempre de muito amor ou de ódio profundo. Eu acho ambos horrorosos e conheço bem poucos “não-finlandeses” ou “meio-finlandeses” que gostam.

O Salmiaki é o mais popular. Trata-se de uma espécie de jujuba preta ou verde escura, cujo gosto remete ao anis, mas é salgado e ardido. O Lakritsi tem um sabor um pouco menos forte, mas também tem consistência meio que de jujuba, mas não é salgado (nem doce) e não arde. Eu não sei exemplificar o sabor do lakritsi, não me remete à nada. Ambos são muito populares por aqui e, claro, se você vier à Finlândia, deverá provar, quem sabe você não gostará?

p.s. Existe picolé de salmiaki e também um drinque, na verdade um “shot”, chamado salmari. O “shot” é até “bebível” mas o picolé…

  • Passar feriados em cabanas sem banheiro convencional

Ter uma mökki, a tradicional cabana de madeira, é um sonho de consumo para a maioria dos finlandeses. As tradicionais são casinhas de madeira bem pequenas, sem nenhum luxo, muitas vezes sem água corrente ou banheiro. Escrevi sobre isso em meu texto sobre o verão finlandês, que você pode ler aqui.

Não curto as tradicionais, pois sem banheiro convencional, temos que usar as “casinhas” construídas do lado de fora, com vasos ecológicos em que tudo fica concentrado para ser transformado em adubo. Há, normalmente, um saco cheio de serragem e, às vezes, um produto em pó que devemos jogar ao terminar os “afazeres”. Para mim, usar esse tipo de banheiro é uma tortura, pois não acho que a serragem remova os odores. Apesar de já ter passado diversas vezes pela experiência da “casinha”, não consigo me acostumar.

  • Banheiro sem box, lavabo sem ralo e apartamentos sem tanque

Não é comum que haja box nos banheiros finlandeses. Mais fácil do que explicar é mostrar uma foto:

13839789_817968571636724_72498148_o
Foto: arquivo pessoal

É normal que se coloque cortina ou porta blindex, mas não é comum haver uma separação no chão, pois, normalmente, só há um ralo no banheiro inteiro, localizado embaixo da pia.

Em muitas casas há um lavabo, pois o vaso sanitário não fica no mesmo lugar que o chuveiro. Nele é normal não ter ralo algum. Descobri isso após quase inundar meu apartamento e causar um vazamento no do vizinho de baixo, pois na hora da faxina, taquei um balde d’água no chão. Eu e meu marido começamos a secar tudo como loucos, usando todas as nossas toalhas. Ele, sem entender “por que raios eu fiz uma loucura dessas.”

Além da falta de ralo, outro “problema”, principalmente em apartamentos (em casas nem tanto, pois é normal haver uma lavanderia), é não ter um tanque. Usa-se a pia da cozinha e a do banheiro para tudo o que se precisa limpar ou lavar à mão. Isso me incomoda bastante, principalmente durante o inverno, quando chegamos com os sapatos bem sujos.

  • Smartphones são uma extensão da pessoa

Demorei muito a aceitar isso. Comprei meu primeiro smartphone somente em 2013, pois não queria ser dependente dele. Paguei com a língua.

O uso dos smartphones na Finlândia vai muito além do Facebook e do Instagram; eles são acessórios fundamentais, facilitadores em diversas situações. Este é o país mais conectado do mundo: usamos o telefone para fazer compras, pagar contas, para pagar por diversos serviços como, por exemplo, o bilhete do transporte público, para ver os horários dos transportes e as melhores conexões para se chegar na hora em nossos compromissos, como agenda, para alugar bicicletas, pagar estacionamento, comprar refrigerante pela máquina, ingressos para shows e cinema, bilhetes aéreos e cartões de embarque e, finalmente, para nos comunicarmos. Praticamente tudo relacionado a serviços pode ser feito por aplicativos pelo telefone.

  • Vestir-se de acordo com seu humor

Essa é uma das características culturais finlandesas que mais amo. Ninguém parece se importar com seu jeito de se vestir. Se gostam, podem te elogiar, mas não é comum ouvir críticas, afinal, não devemos nos meter na vida alheia, certo?

Lógico que há códigos de vestimenta para determinadas situações; é comum o uso do terno em funerais e casamentos, por exemplo, mas essa não é vestimenta comum para o dia a dia. Mulheres tendem a usar vestidos em casamentos e eventos sociais, no entanto, não existe a preocupação com o tipo de tecido ou com o modelo do vestido e a combinação dos acessórios.

Há exceções; há quem ligue e se preocupe com a imagem, claro! No entanto, isso é mais uma questão pessoal do que uma convenção social.

Tallenna

Related posts

Como Londres irá celebrar o aniversário da rainha

Nathália Braga Bannister

Mzungu e a desvantagem de ser branco no Quênia

Daniela Milani

Expressões irlandesas

Bárbara Hernandes

28 comentários

Luciane Setembro 1, 2016 at 5:05 pm

Olá Maila,

Adorei a matéria e para mim será mais um aprendizado pois pretendo muito em breve conhecer a Finlândia.

Obrigada

Luciane

Resposta
Maila-Kaarina Rantanen Setembro 2, 2016 at 7:19 pm

Fico muito feliz que tenha gostado. Espero que faça uma boa viagem! Abraço

Resposta
Ayla Huovi Setembro 1, 2016 at 6:18 pm

Sobre a lakritsi: Vou acrescentar que a mais gostosa e famosa da Finlândia é a de Kouvola! Fabrica fundada há 100 anos atrás e com a verdadeira lakritsi 🙂
I❤KOUVOLAZINHA

Resposta
Maila-Kaarina Rantanen Setembro 2, 2016 at 7:19 pm

Kouvolazinha tem seu valor, hehehe. Beijos!

Resposta
Lilian Hostyn Riippa Setembro 1, 2016 at 6:55 pm

Amei o texto novamente. Aliás, sou fã do seu modo de dizer as coisas escritas. Beijos.

Resposta
Maila-Kaarina Rantanen Setembro 2, 2016 at 7:36 pm

Muito obrigada!

Resposta
Dani Aurala Setembro 1, 2016 at 7:14 pm

Fiz a mesma coisa que você da primeira vez que fui lavar o lavabo. Só me dei conta que não tinha ralo quando a água começou a transbordar. Adoro seus textos! Bjs

Resposta
Maila-Kaarina Rantanen Setembro 2, 2016 at 7:36 pm

Obrigada Dani!
Conheço algumas brasileiras que fizeram a mesma coisa. Nossa mania positiva de querer realmente limpar tudo. Agora comprei aquele mop que funciona a base de vapor, sabe? Adoro! Substitui legal a lavagem do chão. Beijos

Resposta
Angelo A. Duarte Setembro 2, 2016 at 12:10 am

Vc escreve muito bem. Parabéns.
Tudo de bom!
Angelo

Resposta
Maila-Kaarina Rantanen Setembro 2, 2016 at 7:17 pm

Muito muito obrigada! Beijos

Resposta
Philippe Meier Setembro 2, 2016 at 3:52 am

Cara sensacional.

A questão do sapato dentro de casa, adorei. Na verdade é um habito meu e fico tentando fazer com que os outros façam o mesmo, mas é dificil. Eu tinha um chinelo para usar dentro de casa e um para usar fora;

O leite,claro que não é nesse nivel, mas tomo muito leite, acredito que só pela manha uns 600 ml, E já tomei leite acompanhado várias refeições diferentes, com certeza bem menos que por ai, mas enfim.. me identifiquei.

Preciso me filmar comendo desse salmiaki.

Se eu tenho uma cabana de madeira na finlandia, eu faço as necessidade até em um balde.

Adoraria ter um serviço eficiente de conectividade desse jeito enquanto não me preocupo com o que vou vestir…

Resposta
Maila-Kaarina Rantanen Setembro 2, 2016 at 7:17 pm

Bebe leite durante as refeições? Então você é quase um finlandês! Quanto ao salmiakki, acho difícil você gostar, mas levo para você provar da próxima vez que for ao Brasil. Um beijão!

Resposta
Vivian Setembro 2, 2016 at 4:59 am

Adorei o texto Maila! Parabéns!

Resposta
Maila-Kaarina Rantanen Setembro 2, 2016 at 7:14 pm

Muito obrigada, Vivian!

Resposta
José Maria de Figueiredo R, Neto Setembro 2, 2016 at 7:14 pm

Se eu morasse na Finlândia não teria problemas de adaptação, não ando calçado em meu apartamento, o meu pequeno almoço é constituído de muito leite, aveia e pão integral e, não gosto de café, eu entraria numa sauna finlandesa, só não mergulharia num lago no inverno por pura precaução – já tive pneumonia e não toparia arriscar, não gostaria de conhecer uma mökki uma vez que sou um caipira urbano e gosto do frenesi da cidade, não gosto de bebidas alcoólicas tampouco de doces, gosto de pepinos e cebolas, porém tenho horror à alho e pimentão, gosto de estar conectado, não dou à minima atenção para a minha roupa, fico pasmo em saber que na terra de Alvar Aalto, o fundamental ralo seja abstração mas, nenhum lugar do mundo pode ser perfeito.

Resposta
Maila-Kaarina Rantanen Setembro 2, 2016 at 7:31 pm

Muito obrigada pelo comentário, José Maria! Vou te dizer que Alvar Aalto ficaria chocado se visse os projetos de vários apartamentos. Mas sim, nenhum lugar é perfeito, mas a Finlândia é um caso de grande amor para mim, mesmo com todos os seus defeitos. Abraços

Resposta
Cristiane Leme Setembro 2, 2016 at 8:05 pm

E mais uma vez eu acho similaridades entre a Finlândia e a Dinamarca ao ler um texto seu! Aqui tem alcaçuz (que se chama lakrids em dinamarquês) doce e salgado, é o doce preferido de todos os nórdicos, hahaha! O pão preto de centeio com manteiga e coberturas, sendo pepino uma delas, é outra similaridade. É isso o que os dinamarqueses comem de almoço, por exemplo. O negócio dos sapatos também, mas achei curiosa essa coisa do sapato de dentro e sapato de fora. Embora existam as pantufas, Crocs e Uggs por aqui para uso dentro de casa, não existe essa nomenclatura que existe por aí. Achei bem curioso o fato do leite, será que tem algo a ver com o passado da Finlândia, alguma época de produção rural? Eu fiquei surpresa de saber sobre o mingau de aveia. É o que como no café da manhã e também faço com água e adiciono iogurte e frutas depois de pronto. Aprendi que a água cozinha melhor os flocos de aveia, mantendo os nutrientes. Não sabia que meu café da manhã era finlandês, hahaha!

No caso dos smartphones a realidade é a mesma por aqui. A gente faz tudo pelo celular. Eu tenho vários aplicativos no meu – até o eboks, que é a caixa de correio que o governo abre pra gente pra se comunicar conosco eu tenho no celular. Acho bem prático e sustentável, já que se minimiza o uso de papel impresso.

Gostei muito de ler seu texto e a cada texto novo a minha vontade de visitar a Finlândia aumenta… Eu já comprei papel térmico daí na minha época de compradora internacional…

Beijão e parabéns pelo sucesso 🙂

Resposta
Maila-Kaarina Rantanen Setembro 6, 2016 at 7:12 am

Olá Cristiane!
Eu sinto todas essas semelhanças quando leio seus textos. Alguns deles poderiam ser, inclusive, categorizados como Finlândia também. Há realmente muitas semelhanças entre os nórdicos.
Sobre o hábito de tomar muito leite, acredito que tenha a ver com o passado rural e muito pobre sim. As pessoas não tinham muitas opções de nutrientes; era leite, pão de centeio e mingau de aveia mesmo. Quanto aos sapatos, dentro de casa não se usa mesmo, mas a nomenclatura “sapatos de fora” e “sapatos de dentro” existe mais para lugares onde fica-se de sapatos mas não com os mesmos que andamos nas ruas. Normalmente locais de trabalho, pois alguns escritórios exigem que os funcionários troquem os sapatos, e academias de ginástica. Um beijão! 😉

Resposta
Kari Setembro 2, 2016 at 8:06 pm

Hyvä artikkeli. ????

Resposta
Maila-Kaarina Rantanen Setembro 5, 2016 at 6:00 pm

Kiitos!

Resposta
Rosa Vassimon Setembro 2, 2016 at 10:57 pm

*comentário bem brasileiro* AMEEEEEEIIIIIIIIII
Obrigada, Maila, por esse feed back tão importante. Para quem chega, de mala e cuia sem saber nada da cultura finlandesa, é fundamental aprender algumas regras básicas, tais como tirar os sapatos para entrar na casa de um finlandês.
Beijo grande.

Resposta
Maila-Kaarina Rantanen Setembro 5, 2016 at 5:59 pm

Fico muito feliz que você tenha gostado! Um beijão!!!

Resposta
Leandro Lefa Setembro 3, 2016 at 5:17 am

Legal a matéria. Tô indo morar em Helsinki em 10 dias e assim já vou sabendo algumas coisas!

Resposta
Maila-Kaarina Rantanen Setembro 5, 2016 at 5:58 pm

Que bom que gostou! Seja bem-vindo!

Resposta
Virgilio Pereira Junior Setembro 28, 2016 at 11:28 pm

Para tirar o Cheiro das “Casinhas” como você fala que sempre fica muito cheiro.
Experimente acender um palito de fósforo depois que fizer as necessidades.
O fogo e o cheiro do fósforo queima imediatamente o mal cheiro.
Só cuidado depois que queimar um pouco o palito apague o restante na torneira de água, para jogar.
Aprendi quando morei nos USA, onde é muito comum encontrar uma caixa de fósforo no banheiro.
Aqui em casa no Brasil utilizamos é excelente para eliminar o mal cheiro.

Resposta
Maila-Kaarina Rantanen Setembro 29, 2016 at 1:38 pm

Olá Virgilio!
Muito obrigada por seu comentário e por sua sugestão.
Dá próxima vez vou seguir sua dica com certeza!
Um abraço

Resposta
Angela Junho 13, 2017 at 1:48 am

Olá Maila!
Fia em 1983 uma viagem turística aos países nórdicos que amei de montão!!! Muitas lembranças!!!! Adorei seu texto!!!
Passei mal com essa balinha preta! Achei que estivesse comendo algo com alguma droga, tão mal me senti…
Porém, não me esqueço de umas balinhas tipo jujuba com sabores diversos como pera, maçã, frutas vermelhas,que ameiiii e vinham numa caixinha pequenina, e a textura era mais suave do que as nossas jujubas mas o sabor era inigualável… vc saberia me falar algo sobre elas???
Por muitos anos guardei a caixinha … vazia, para me lembrar do nome, caso tivesse novamente a oportunidade de comorá-las, mas já não as tenho mais…
Outra coisa inesquecível foi um tipo de sanduíche aberto que era uma pirâmide de camarão que até hj não sei se era cru ou cozido, servido no café da manhã do navio Silja Line que fez nossa travessia para Helsink…viagem maravilhosa de 12 horas sob o sol da meia noite, gaivotas nos acompanhando, milhares de ilhotas com casinhas de telhado vermelho, famílias navegando em seus barcos, o verão vicejando pelo ar…
Que vontade eu tenho de morar lá…

Resposta
Maila-Kaarina Rantanen Junho 13, 2017 at 4:55 pm

Olá Angela!
Fico muito feliz que tenha gostado de sua viagem à Finlândia. Quanto as jujubas, sei quais são e há várias marcas delas por aqui. São, na verdade, “balas de goma” e já vi no Brasil umas de sabor “coca-cola” que têm textura parecida. Não sei se hoje em dia há algo mais parecido no Brasil. O sanduíche aberto que você comeu durante o cruzeiro é muito tradicional aqui é o camarão é cozido sim. Camarão aqui é sempre cozido, mas muito comum em sanduíches e saladas, por isso come-se gelado.
Um grande abraço

Resposta

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação