BrasileirasPeloMundo.com
Empregos Pelo Mundo Ilhas Maldivas

Trabalhar no paraíso? Que tal as Ilhas Maldivas

Depois da publicação do artigo “Mordomias e privações” em janeiro, venho recebendo muitas mensagens de pessoas interessadas em obter mais informações de como conseguir uma vaga no paraíso chamado Ilhas Maldivas, pois bem, resolvi facilitar as coisas para mim e também para você leitor, e colocar algumas dicas aqui nesse texto.

Mas antes de começar com as dicas, tenho que ser sincera e dizer que é muito difícil contratarem brasileiros, e vou explicar o motivo. A empresa contratante é responsável pelo pagamento da passagem aérea de ida e também da passagem de retorno após o cumprimento do contrato, que geralmente é de um ano; nesse caso você já pode imaginar que para eles é muito mais interessante contratar alguém do sudeste asiático, ou até mesmo da Europa, do que do Brasil, ou qualquer outro país do continente americano.

Esclarecido esse ponto, vamos às dicas…

Onde procurar emprego
A maioria dos resorts e hotéis publica as vagas disponíveis no site www.jobs-maldives.com, inclusive foi lá que eu encontrei o meu primeiro emprego nas Maldivas, como bartender.
Agora, se você trabalha com mergulho (meu caso atualmente), o melhor é procurar em sites específicos, como PADI ou qualquer outra associação para mergulhadores.
Outra opção é enviar o seu currículo diretamente para os resorts; é só entrar no site e procurar pelo e-mail de contato, alguns até postam vagas no próprio site.
E claro, a boa e velha indicação continua sendo uma ótima opção.

O que é preciso
Inglês fluente é requisito básico, e se você fala uma terceira língua, melhor ainda.
É importante ressaltar que as Ilhas Maldivas, assim como a maioria dos países, dá preferência aos habitantes locais e só contratam estrangeiros quando tem carência de mão de obra especializada ou quando necessitam algo bem específico, por exemplo, uma hostess que fale japonês.

Uma boa carta de apresentação, com um objetivo claro é muito importante; colocar que topa qualquer emprego só diminui a chances de contratação, pois pode ter certeza que há milhares de pessoas na mesma situação.

Experiência na área desejada é fundamental. Eu sei, parece um pouco óbvio, mas você se surpreenderia com a quantidade de pessoas que se candidatam para determinada vaga sem ter nenhuma experiência anterior, achando que devem ser contratadas somente porque…humm….por que mesmo?

Não espere enviar o seu currículo para meia dúzia de resorts e ter uma resposta imediata. É preciso ser persistente e ter uma boa dose de paciência. Como mencionei no início do texto, encontrar emprego nas Maldivas não é tarefa fácil, mas também não é missão impossível, e cá estou eu como prova viva.

Profissões em alta
Alguns profissionais têm mais chances de encontrar a tão desejada vaga. São eles:
Bartenders
– Instrutores de mergulho
– Instrutores de yoga
– Massoterapeutas
– Biólogos marinhos
Guest relations (caso seja fluente em alguma outra língua além do inglês).
Para bartenders e massoterapeutas a concorrência é um pouco desleal; o mercado de trabalho é dominado por indianos e cingaleses, e indonésios e tailandeses, respectivamente; a mão de obra barata e a proximidade desses países facilitam muito a contratação.
Para outros profissionais da lista há uma abertura maior, mas é imprescindível ter um bom currículo para se destacar na multidão.

Encontrei minha vaga e agora?
Agora vem a parte mais fácil, você precisará de um passaporte válido por pelo menos mais um ano, e a empresa contratante cuida do processo para o pedido de visto de trabalho. A passagem aérea fica por conta do contratado, e será reembolsada, geralmente após o término do período de experiência (3 meses).

É necessário ser vacinado contra febre amarela e levar a carteira de vacinação internacional.

Ao chegar às Maldivas você terá que passar por um exame médico, HIV, hepatite e raio-x do pulmão, para completar o processo de visto.

Algumas empresas oferecem plano de saúde, mas a maioria dos resorts conta com um médico residente que cuida da saúde de todos os funcionários da ilha (serviço gratuito). De qualquer forma, é sempre recomendável ter um seguro de viagem, para situações mais graves, onde você precisa ser repatriado, por exemplo.

Desde 2016, não é possível receber o salário na conta de seu país de origem, portanto você terá que abrir uma conta bancária nas Maldivas, mas a empresa também cuida dessa parte burocrática.

O que esperar
Se você me acompanha aqui no blog, já tem uma ideia de como é o dia a dia por aqui, mas não custa nada dar mais alguns detalhes, certo?

Vale lembrar que as informações abaixo são em linhas gerais, e é necessário verificar com a empresa contratante quais as são as condições oferecidas.

A jornada de trabalho é de geralmente 10 horas por dia, podendo variar para mais ou para menos de acordo com a função. Aqui não existe final de semana, somente uma folga a cada 6 dias trabalhados e que pode variar de acordo com a necessidade da empresa.

São trinta dias de férias anuais e algumas empresas oferecem 15 dias de R&R (rest and recreation), umas miniférias. Além disso, existem 10 feriados nacionais, que podem ou não serem acumulados, de acordo com a política da empresa.

Os meses de janeiro a abril são considerados alta temporada, por isso a possibilidade de tirar férias durante esse período é mínimo. Esteja preparado para trabalhar durante o Natal, Ano Novo e Páscoa.

Corrida de caiaque entre os funcionários do hotel. Foto: arquivo pessoal

Se você já está se imaginando na praia, tomando uma água de coco, é melhor se certificar com a empresa (resort) onde você irá trabalhar/morar se existe uma praia para funcionários.

Existem hotéis, que oferecem uma ótima infraestrutura para os seus funcionários, como praia exclusiva, salão de jogos, academia, campo de futebol, e a possibilidade de participar de várias atividades, como mergulho, esportes aquáticos, etc. Em outros, a liberdade não é tão grande, e até já ouvi falar de hotéis que ficam em ilhas tão pequenas, que não há espaço físico para que os funcionários possam frequentar a praia sem incomodar os hóspedes.

Imagina morar nas Maldivas e não poder ir à praia!!! Não é bem isso que você tem em mente, certo?

Dividir o quarto com outras pessoas, de diferentes nacionalidades, pode ser necessário e nem sempre é fácil, especialmente quando se trabalha em turnos diferentes.

A boa notícia é que você será pago em dólares e, assim como para quem trabalha em cruzeiros, o que você recebe é seu, sem taxas e sem despesas, uma vez que acomodação e alimentação são providenciadas pelo hotel.

E aí, ainda animado com a ideia de trabalhar no paraíso? Pois bem, hora de colocar a mão na massa e começar a preparar a carta de apresentação e currículo. Boa sorte!

Related posts

O desafio de trabalhar como autônomo ou freelancer na Irlanda

Luciana Damasceno

Dicas para procurar emprego em Cambridge

Amanda Meneguetti

Vivendo no paraíso: Ilhas Maldivas

Marcela Ito

7 comentários

Julio Cruz Outubro 31, 2017 at 2:19 pm

Caraca, deve ser muito show morar aí ! Imagino que deva ser super sossegado. Não pegam em nada na área de tecnologia por aí ?

Muito obrigado pelas dicas!

Resposta
Liliane Oliveira Novembro 2, 2017 at 12:54 pm

Olá Julio!
A Marcela Ito parou de colaborar conosco e, infelizmente, não temos outra colunista morando no país.
Obrigada,
Edição BPM

Resposta
Ronaldo Watanabe Abril 7, 2018 at 9:08 pm

Boa tarde Sta Marcela.
Gostaria de saber como reservar transfer de hidroaviao e lancha para os resrts em Malé

Resposta
Liliane Oliveira Abril 9, 2018 at 12:45 pm

Olá Ronaldo,
A Marcela Ito parou de colaborar conosco e, infelizmente, não temos outra colunista morando no país.
Obrigada,
Edição BPM

Resposta
Luiz Otávio Fevereiro 19, 2019 at 10:34 am

Bom dia.. estou pensando em ir morar e trabalhar aí. Gostaria de trocar uma ideia sobre.

Resposta
Liliane Oliveira Fevereiro 20, 2019 at 3:45 pm

Olá Luiz Otavio
A Marcela Ito parou de colaborar conosco, mas temos outra colunista nas Ilhas Maldivas chamada Camila Nobre que talvez possa te ajudar
Você pode entrar em contato com ela deixando um comentário em um dos textos publicados mais recentemente no site.
Obrigada,
Edição BPM

Resposta
Railda Beatriz Bohrens Uberti Abril 5, 2019 at 1:43 pm

Não sei muito de profissões,,mas adoro trabalhar com crianças,pois já trabalhei em colégios e cuidava de alunos,bibliotecária e pré escola,,
Poderia ser contrata para cuidar de crianças, para pais que trabalham ou em escolinhas.
Tenho boa memória,,estou com 63 anos,mas intendo bem de cuidados.
Teria alguma oportunidade em ser contratada? Moro no Brasil,cidade litorânea,,e o emprego aqui esta
muito difícil. Moro no litoral do Sul do Brasil,,,
Obrigada,,

Resposta

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação