BrasileirasPeloMundo.com
Curiosidades Pelo Mundo Escócia

Laços culturais entre Brasil e Escócia

Laços culturais entre Brasil e Escócia.

Laços culturais entre Brasil e Escócia.

Depois de 2 anos morando aqui, sempre fico surpresa e feliz quando encontro algum laço cultural do Brasil com a Escócia. Eu sempre gostei de conhecer lugares e pessoas diferentes, mas confesso que pouco sabia sobre a Escócia antes de vir morar aqui. Tenho aproveitado ao máximo o meu tempo para explorar este belo país e sua cultura, e encontrar o Brasil por aqui faz com que esta descoberta seja mais rica porque aumenta também minha cultura sobre o meu país.

Abernessia, uma homenagem à Escócia em Campos do Jordão

Campos do Jordão é uma bela cidade paulista conhecida como a ‘Suíça Brasileira’ devido a sua arquitetura inspirada em construções europeias e ao clima mais frio que a média brasileira. Em 1907 o escocês Robert John Reid chegou a Campos do Jordão para fazer a demarcação e divisão judicial de uma grande fazenda que ocupava quase todo o território da cidade. Ele recebeu como pagamento uma grande quantidade de terras, onde passou a residir e fundou mais tarde a vila de Abernessia. Este nome estranho é uma homenagem à terra natal do seu fundador: ABER(de ABERdeen, cidade natal de Reid) + Ness(de InverNESS, cidade natal do pai de Reid) + IA(de EscocIA, seu país de origem). Mr. Reid faleceu em Campos de Jordão em 1937, e a Vila Abernessia é hoje o centro comercial movimentado de Campos do Jordão. Fonte : www.camposdojordaocultura.com.br 

Os escoceses influenciaram o futebol brasileiro

O futebol como é conhecido atualmente nasceu no Reino Unido com a fundação da primeira associação de futebol na Inglaterra em 1863, e a primeira partida oficial entre 2 países acontecendo em território escocês em 1872, entre a Inglaterra e a Escócia. Porém segundo fontes especializadas em futebol, o esporte jogado pelos ingleses era mais parecido com rugby, e os escoceses por serem mais baixos e mais fracos que os ingleses inventaram os dribles e passes para vencerem os ingleses. O estilo de jogo escocês influenciou o futebol mundial, e jogadores escoceses levaram o ‘futebol bonito’ para o mundo, inclusive América do Sul: Uruguai, Argentina e Brasil. No Brasil, o futebol foi introduzido pelo brasileiro Charles Miller, filho de um escocês e uma brasileira. Fonte : Trivela  e Independent

Leia também: Dez motivos para a Escócia ser o país mais bonito do mundo

O xote nasceu na Escócia 

O xote é um gênero musical muito popular no Nordeste, e foi introduzido no Brasil em 1851 pelo professor de dança José Maria Toussaint. A novidade foi trazida da Europa onde era apreciada nos salões da aristocracia. O nome original era schottische, a forma como os alemães chamavam a polca escocesa. No Brasil a dança se tornou popular também entre os escravos, e o nome schottische  se transformou em xote. Ao longo do tempo a dança foi adaptada com novos gingados, e no Brasil existem variações como xote nordestino e o xote gaúcho. Compare aqui : xote nordestino , xote gaúcho e schottische  .

Haggis, a buchada escocesa

Haggis, é um prato tradicional da cozinha escocesa feito de miúdos de carneiro, misturados com aveia e muitos temperos, e cozidos tradicionalmente dentro do estômago do carneiro. Atualmente a maioria dos haggis são cozidos em sacos sintéticos comestíveis como as linguiças. Apesar da aparência e da receita não muito atraentes, ele é muito apreciado pelos escoceses, e encontrado em vários pratos como : hambúrgueres, petiscos, tortas, e em pratos tradicionais como o haggis, neeps and tatties que é servido principalmente na Burns Night , uma festa anual que celebra o grande poeta escocês Robert Burns. Nesta noite o haggis é servido ao som de gaita de foles e cortado com uma espada. Apesar de toda a pompa e tradição na Escócia, ele é proibido nos EUA desde 1971.

O haggis lembra muito a buchada de bode típica do nordeste brasileiro, e acredito que ambos surgiram da necessidade de se aproveitar ao máximo os animais abatidos. Existem referências em várias culturas sobre este tipo de embutido, mas o país que transformou este prato polêmico em uma tradição é a Escócia. Existem também versões de haggis vegetariano.

Leia também: Dois anos na Escócia : expectativas x realidade

A Valsa da Despedida é escocesa

A primeira vez que ouvi esta música tocada na gaita de fole nas ruas da Escócia eu fiquei intrigada porque me lembrava alguma música conhecida. A música se chama Auld Lang Syne, foi composta pelo mais famoso poeta escocês Robert Burns em 1788, e estima-se que depois de Happy Birthday seja a música em língua inglesa mais famosa no mundo, e que tenha versões em mais de 40 línguas. Auld Lang Syne foi escrita em língua Escocesa da época que não era o Inglês, e significa ‘Há Muito Tempo Atrás’. No Brasil ela se tornou a Valsa da Despedida, que eu me lembro ter cantado em despedidas, e principalmente em muitas formaturas. Na Escócia esta música é a mais tocada e cantada na virada do Ano Novo, em apresentações de gaita de fole, e em grandes eventos como neste vídeo emocionante. A tradição manda que as pessoas cruzem os braços e segurem nas mãos de quem está próximo ao cantar a música. Veja aqui cantada por Rod Stewart .

Lord Cochrane, o marquês  do Maranhão, morava aqui

Ao visitar a pequena vila de Culross, a cerca de 60km de Glasgow, fiquei surpresa ao ler a calçada na frente da principal estátua da cidade, e descobrir que o homenageado é Lord Cochrane, marquês do Maranhão (na placa está escrito Maranham). Este lorde escocês é nome de muitas ruas e praças no Brasil, e foi o comandante dos navios brasileiros na Independência do Brasil. Ele passou sua juventude em Culross, e é considerado um herói nacional britânico devido a sua participação em várias batalhas importantes como na guerra contra Napoleão, e nas lutas pela independência do Brasil, Chile, Peru e Grécia. Conheça aqui um pouco sobre a participação de Lord Cochrane na nossa história.

Linhas Corrente, o fio que construiu uma cidade na Escócia

Esta marca de linhas fez parte da minha infância, quando minha mãe e minha tia me davam carreteis vazios para brincar, após usar a linha em costuras ou bordados. Mais tarde morei no bairro do Ipiranga, em São Paulo, próximo à fábrica da Linhas Corrente, e nunca imaginei que um dia moraria perto de Paisley, a cidade que foi construída por estes fios.

Um documentário sobre Paisley, a quinta maior cidade da Escócia em população e onde está localizado o aeroporto internacional de Glasgow, me mostrou que a minha conhecida Linhas Correntes nasceu aqui há mais de 250 anos atrás. O grupo Coats transformou a cidade de Paisley em uma das mais ricas do Reino Unido, e construiu grande parte da história e patrimônio da cidade.  A empresa se instalou no Brasil em 1907 com o nome Linhas Corrente, e atualmente tem 3 filiais brasileiras: a antiga fábrica do Ipiranga, e 2 outras no Rio Grande do Norte.

Kelburn Castle, um castelo grafitado por brasileiros

Kelburn Castle é um castelo do século 13 que fica na cidade de Largs, a cerca de 40 km de Glasgow.  É um dos castelos mais antigos da Escócia habitado pela mesma família Boyle desde a sua construção. Já passaram por ele 10 gerações de condes de Glasgow. Em 2007 a filha do conde atual sugeriu ao pai que convidasse 4 grafiteiros brasileiros para colorir a fachada cinza do castelo.  O colorido “The Graffiti Project” foi executado pelos mundialmente famosos Os Gêmeos, NUNCA e Nina Pandolfo. O projeto foi permitido pelo patrimônio histórico escocês com a condição de ser removido 3 anos depois. Devido ao sucesso da obra que atrai muitos turistas para o local até o momento nenhum grafite foi removido.

Related posts

Nove pontos negativos da vida na Armênia

Leticia Tostes Ortega

Raridades encontradas nas Maldivas

Camilla Nobre

Porque os indianos tem tantos empregados?

Bárbara Oliari

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação