BrasileirasPeloMundo.com
Divagações Escócia

O que eu perdi nestes três anos fora do Brasil

O que eu perdi nestes três anos fora do Brasil.

No dia 12 de junho fez 3 anos que deixei o Brasil. Para mim estas datas de aniversário são muito marcantes, e nostalgia e reflexão são inevitáveis. Eu já falei sobre o meu aprendizado quando completei 2 anos de estrada , e sobre o que eu sentia falta no meu primeiro ano de Escócia .

Quando escolhi sair do Brasil para morar em outro país, eu vim em busca de uma vida melhor para minha família e não tenho dúvida de que valeu a pena , mas sabia que teria que abrir mão de muita coisa também. O que eu perdi desde que deixei minha terra natal para morar na terra natal dos outros ?

 Momentos Especiais

Para quem como eu sempre morou perto da família, e manteve contato com amigos colecionados com muito carinho ao longo da vida, a mudança de país foi um parto doloroso.  Apesar da rede social me manter conectada e atualizada com fotos e mensagens, eu não estou mais no dia-a-dia, e não estou presente nos momentos especiais deles, nem eles nos meus, como sempre fizemos.

Perdi muitos almoços em família, aniversários, casamentos, formaturas, happy hour, Natais, viagens, e não pude estar em momentos difíceis como doença e morte. Quando você se muda, pensa que vai voltar com mais frequência, que eles te visitarão sempre, mas a realidade é que a vida continua cá e lá, e a distância torna nossas vidas incompatíveis em muitos momentos. Faz muita falta os papos, os abraços, as risadas, e as lembranças que construíamos juntos.

Rede de Confiança

Além da minha família e amigos sempre prontos para me ajudar quando precisasse, depois de mais de 50 anos morando no mesmo lugar, eu tinha minha rede de confiança. Mesmo médico há 30 anos, mesma dentista há 10 anos, mesmo pediatra desde que meus filhos nasceram, mesmo mecânico, cabelereira-amiga desde sempre, e muitos outros profissionais-amigos em quem eu confiava.

Além disso eu tinha referências sobre serviços, escolas, hospitais, profissionais, para ajudar nas minhas escolhas. Mudar de país implica em perder todo este conhecimento, e começar de novo muitas vezes sem ter nem a quem pedir referência. Montar esta rede de novo custa tempo, dinheiro, paciência, persistência, e muito desapego para aceitar as diferenças e limitações que vai encontrar.

Leia também: 28 anos morando na Europa 

 Conforto e Facilidades

Morar no Reino Unido é um privilégio que muita gente busca, e temos que agradecer e aproveitar a oportunidade com muito prazer. Porém para viver aqui temos que abrir mão de muitos confortos e facilidades que tínhamos no Brasil, e muitos brasileiros acabam desistindo porque não conseguem se adaptar.

Na hora de alugar uma casa você vai deparar com casas velhas com um único banheiro, sem área de serviço, e aluguel muito caro. Vai usar muito transporte público, que apesar de ser muito melhor que o nosso, reduz sua mobilidade e flexibilidade.

A carteira de motorista brasileira vale por um ano, e depois você tem que encarar uma maratona para obter uma habilitação britânica. Vai ter que se organizar para trabalhar e cuidar da casa porque aqui faxineira ou empregada doméstica é um luxo só para a Família Real. No meio de tantas mudanças, estas pequenas perdas podem dificultar a adaptação.

Histórico Profissional

Uma grande perda que causa muito impacto na vida dos brasileiros que mudam de país, é na recolocação profissional. A grande maioria tem dificuldade para se recolocar na área em que atuava no Brasil, ou porque a função não existe aqui, ou porque tem muita oferta de profissionais, ou porque precisa se requalificar, ou porque tem dificuldade com a língua.

Muitas vezes estes profissionais aceitam trabalhar em empregos que não exigem qualificação e experiência como comércio, restaurantes, e empresas de limpeza, enquanto se habilitam para uma recolocação na sua área ou para uma nova profissão. Eu e meu marido temos grande experiência na área de TI, e tivemos mais facilidade para nos recolocar profissionalmente porque é uma área especializada, e com muita demanda. Porém, aceitamos voltar alguns passos na nossa carreira, e eu adiei meu retorno para dar apoio à minha família na adaptação.

Leia também: O que faz falta quando se vive do outro lado do mundo

 Cultura Brasileira

Eu procuro acompanhar as notícias e novidades do Brasil na Internet e nas redes sociais, mas eu tenho certeza que com o tempo vou ficar cada dia mais desatualizada. Isso não é ruim porque eu quero e gosto de aprender sobre o lugar onde moro, mas não quero perder o bonde do que acontece no Brasil.

Fico mais preocupada em manter meus filhos atualizados, e principalmente que eles não percam a fluência em Português. Além de ser uma grande vantagem cultural falar mais de uma língua, e um laço que vai mantê-los sempre conectados à terra natal.  Fazemos questão de continuar falando só Português entre nós, e estimulá-los a ler e escrever em Português. Mas já percebemos dificuldades de vocabulário, como quando meu filho fala em ‘mover de casa’ ao invés de ‘mudar de casa’.

Sinto muita falta da música brasileira, e da comida também. A música eu encontro nas redes sociais, mas só de vez em quando temos a oportunidade de ver algum artista brasileiro aqui em Glasgow como no show de Baby do Brasil e Roberta Sa em 2017. Quanto à comida  encontramos algumas opções nos poucos restaurantes de brasileiros, conseguimos comprar quase todos os ingrediente para cozinhar a nossa comida, mas sinto muita falta da variedade e da qualidade da nossa gastronomia.

“…A gente não pode ter tudo
Qual seria a graça do mundo se fosse assim?
Por isso, eu prefiro sorrisos
E os presentes que a vida trouxe
Pra perto de mim…”  

Trecho da música Trem Bala, de Ana Vilela

Related posts

Escócia – Estudar em uma universidade: Parte 1

Daniela Madureira

De volta à minha terra

Bruna Cely Silva

Elogios no relacionamento

Cecília Bailey

1 comentário

LUCIANA MEIRELES MACKEVICIUS Dezembro 28, 2018 at 3:58 pm

Que texto lindo! Me emocionou de vdd.

Resposta

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação