BrasileirasPeloMundo.com
Clube do Bolinha Empregos Pelo Mundo Portugal

Mercado de trabalho em Portugal por Rodolfo Valente

Mercado de trabalho em Portugal por Rodolfo Valente.

Portugal é um dos destinos no exterior mais procurados por brasileiros que querem emigrar. Para entender melhor como funciona o mercado de trabalho no país e para a Coluna do Clube do Bolinha, entrevistamos o brasileiro Rodolfo Valente, que atua há dois anos como executivo de Recursos Humanos em Portugal. Após deixar o Brasil em 2014 com sua família, Rodolfo também trabalhou por três anos em Londres, no Reino Unido.

BPM: Como podemos descrever o mercado de trabalho em Portugal ?

Rodolfo: Portugal é um país com 11 milhões de habitantes e uma economia fortemente alavancada pelo turismo. A maioria dos jovens em Portugal busca oportunidades de carreira fora do país, na busca de diferenciação ou aperfeiçoamento de competências/língua estrangeira. Os que ficam, investem em mestrados e PhDs.

O mercado de trabalho português não gera um turnover (percentagem de substituições de funcionários antigos por novos) de grandes vagas ou posições em comparação com economias de maior escala. Temos um mercado que no último ano viu o PIB do país crescer quase 2%, mas em contrapartida, teve um apagão de mão de obra para poder acompanhar o crescimento, principalmente nas áreas de tecnologia, comunicação e infraestrutura.

Não espere de Portugal um mercado dinâmico e agressivo no que tange ofertas para empregos. Aqui as pessoas ficam em média de 6 a 8 anos em funções gerenciais. Funcionários ficam em média de 7 a 10 anos na mesma empresa.

Leia também: David Motta, a estrela do Teatro Bolshoi

A maioria das multinacionais têm o que chamamos de estrutura ibérica, na qual o comando fica sob a responsabilidade da filial baseada na Espanha, e em Portugal o foco é ser lean e gerenciar o resultado.

Não ter um passaporte europeu/dupla cidadania é uma grande desvantagem para brasileiros que almejam trabalhar em Portugal, pois os processos de imigração são demorados e isso tira a atratividade das empresas para investir em processos de vistos de trabalho, salvo casos onde as empresas já esgotaram as possibilidades locais e estão abertas a patrocinar um NON EU citizen (cidadão não-europeu).

Para os executivos, Portugal é visto como um país chave no desenvolvimento de futuros diretores e presidentes de mercados com maior representatividade, por isso temos um número considerável de não portugueses a ocupar cargos de direção de empresas multinacionais, mas não a sua totalidade.

BPM: Quais são os pontos fortes e oportunidades de desenvolvimento no mercado de trabalho em Portugal?

Rodolfo: O país possui uma excelente safra de jovens talentos portugueses, o que é muito acima da realidade dos outros países do sul da Europa. Destaco o profissionalismo, a formação acadêmica e a fluência da língua inglesa, espanhola e muitos casos francesa ou alemã.

Portugal irá colher muito bom resultado desta geração de Milleniums multiculturais e as empresas multinacionais estão a valorizar isto.

Estar em Portugal e conseguir um trabalho na sua área de maior interesse pode ser uma grande porta para alavancar sua carreira no mercado europeu.

Oportunidades de desenvolvimento são imensas pois em estruturas mais enxutas os profissionais acabam por muitas vezes a serem expostos a outras atividades. Disto surge a capacidade de aprender algo novo como parte do seu dia a dia.

Um segmento do mercado que está em plena ascensão tem a ver com Tecnologia e Infraestrutura, isso porque o país está a modernizar-se cada vez mais, e o número de startups está a crescer, a área da saúde e profissionais em comunicação estão em demanda.

Leia também: Custo de vida em Lisboa e arredores

BPM: Como os brasileiros são vistos do ponto de vista profissional?

Rodolfo: Portugal está a viver um novo fluxo de brasileiros no mercado de trabalho. O brasileiro que hoje busca Portugal vem muito mais qualificado profissionalmente do que os brasileiros que vieram no passado. Ocupam atualmente posições de alto conhecimento técnico, nível gerencial ou diretoria.

Se você está no Brasil infeliz com a sua função e pensa que Portugal pode ser uma saída pelo fato de falarmos a mesma língua, tenha cuidado, esse não deve ser o principal fator para a sua decisão.

BPM: Quais dicas você dá aos brasileiros que almejam trabalhar aqui?

Rodolfo: Portugal não tem uma capacidade de absorver muitas funções, o mercado é enxuto e os cargos mais atrativos são disputados por pessoas com alto grau de experiência e formação, além de um fator relevante que é o conhecimento do mercado europeu.

Por vezes, pessoas me procuram para iniciar suas carreiras em funções menores e crescer aos poucos, isso pode ser uma saída mas ao mesmo tempo uma armadilha pois como disse, não existem muitas posições que possam surgir depois, e é muito comum você acabar fazendo mais do que estava no escopo.

Leia também: tudo que você precisa saber para morar em Portugal

Os brasileiros sempre serão bem vistos, pois temos um país com uma economia muito dinâmica, mindset de crescimento e noção de escala. Porém, estas também podem ser as frustações de alguns que aqui chegam e veem que o mercado não está preparado para o mesmo dinamismo. É comum eu ouvir de brasileiros que iniciaram suas carreiras em Portugal que, por mais que tenham uma função no mesmo nível que tinham no Brasil, sentem-se menos autônomos ou empoderados para fazer mudanças.

Eu convido a todos para fazerem uma pesquisa sobre o mercado de trabalho no qual atuam no Brasil, procurando ao máximo se informar como e em que ponto de maturidade está o mesmo mercado em Portugal. Isso é fundamental para ajudar a gerenciar expectativas.

Preparem-se para competir com excelentes jovens e profissionais com uma rica experiência e formação acadêmica.

Foto: pixabay.com

BPM: Como migrar a sua carreira do Brasil para Portugal?

Rodolfo: Migrar a sua carreira primeiro irá depender de como você encara e absorve a cultura deste maravilhoso país em si. Nós brasileiros, por muito que já passamos e vimos, sempre iremos nos focar em assegurar que o “win-win só para mim” possa acontecer, não é bem assim.

As promoções podem demorar mais para acontecer, em alguns, o que até então era sucesso no Brasil aqui não passa de uma forma normal de trabalhar.

Portanto, é fundamental que você reflita se Portugal será o mercado que você irá investir a sua carreira ou um país de passagem para outras oportunidades.

Reveja as suas prioridades, por muito escuto de colegas brasileiros que pedem auxílio de carreira o seguinte comentário: “Mas na Europa quando dá 5 da tarde todo mundo vai embora.” Não é o caso aqui, pessoas trabalham no mesmo ritmo que no Brasil. Lógico que isso pode variar dependendo do seguimento que você atua, mas uma coisa é importante saber: na Europa os profissionais são mais produtivos, usam o tempo de trabalho para trabalhar.

Se você acredita que pode aprender ou ensinar na sua área de atuação em Portugal e este mercado está em ascensão ou consolidado, isso pode ser um ótimo ponto de partida.

Migrar sua carreira para fora do Brasil é também migrar a sua preconcepção sobre o quê você considera sucesso na sua carreira. Vale a pena pesquisar e refletir suas prioridades.

Related posts

Como procurar emprego na Holanda

Fernanda Campestrini

Alguns certificados necessários para trabalhar na Austrália

Lívia Campos

Processo inicial para fazer Doutorado em Nutrição no Porto

Thais Borba

1 comentário

Fabio Frasson Setembro 20, 2018 at 2:50 am

Olá, ótima noite. Qual a demanda por treinamentos e palestras em Portugal, voltadas ao atendimento ao cliente, liderança, alta performance e motivação? E quanto ao coach? O que me diz sobre esse mercado?

Resposta

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação