BrasileirasPeloMundo.com
EUA Europa

Diferenças entre morar nos EUA e na Europa

Escrever este título me custou um pouco, pois acho muito abrangente comparar esses dois continentes somente com minha modesta experiência. Morei quase cinco anos na Europa (Inglaterra e Portugal) e estou há pouco mais de 7 meses na Pensilvânia, nos EUA.  Escrevo aqui algumas diferenças culturais que notei nesta minha minúscula jornada. Baseado totalmente na minha opinião, portanto, não levem tudo tão a sério. Gostos pessoais e viés de interpretação devem ser fortemente considerados.

Passado este aviso, acho que podemos continuar.

Sempre me perguntam se morar nos EUA é igual morar na Europa e vice-versa. Já respondo logo: não, não é. É diferente.

A primeira coisa que me vem à mente é a variedade de produtos. Aqui nos EUA se você vai escolher um iogurte ou uma bolsa, tem tantas opções que você até se cansa e vai embora sem comprar nada. Os shoppings são gigantes, as lojas são imensas e cheias de opções, tudo com muito espaço e estrutura para receber milhares de pessoas sem que você se sinta num lugar lotado. Não à toa os americanos são mesmo muito consumistas, aqui dificilmente você entra numa loja e sai sem nada nas mãos. Geralmente compra algum item que nem imaginava que fosse precisar. Já na Europa, também existem, é claro, grandes lojas mas não é a regra. Os pequenos e médios comércios são maioria.

A comida no supermercado. Nos EUA é muito caro comer comida de verdade. Os empacotados e industrializados são bem mais baratos do que frutas e legumes. Isso também acontece na Inglaterra, onde a produção agrícola é quase toda importada. Mas não é assim no restante da Europa onde produtores locais oferecem seus produtos frescos e com melhores preços se comparados aos americanos. Nos EUA costumo pagar entre US$2-4 uma cabeça de brócolis, sendo que em Portugal era €1.

Na televisão nos EUA tem muita propaganda de comida barata e pouco nutritiva (fast food). Nos programas esportivos que os americanos adoram, 6 entre 10 propagandas são de comida pronta, rápida, prática e nada saudável. Não por acaso as taxas de obesidade nos EUA beiram níveis epidêmicos.

Leia também: A epidemia de obesidade nos EUA

Outras propagandas também muito comuns nos EUA são as de medicamentos, inclusive os de prescrição. Pessoas felizes e bem resolvidas porque tomam determinado remédio. Cenas de famílias bonitas na praia, idosos andando de bicicleta e pessoas fazendo ioga com seu cão são as preferidas das empresas de medicamentos para propagar o nome de seus produtos. Sim, o marketing nos EUA pode fazer você acreditar que a Terra é plana, se quiser. Na Europa, as propagandas também existem mas na minha opinião, são bem menos apelativas.

Nos EUA 100 km é pouco e 100 anos é muito. Na Europa 100 anos é pouco e 100km é muito. Não é à toa que a Europa é conhecida como velho continente, tanto que brincávamos que se você fizer um buraco numa rua qualquer na Inglaterra possivelmente será uma experiência arqueológica, pode encontrar vestígios de civilizações que ali viveram há milhares de anos. Isso é até um problema para obras e reformas, pois qualquer prato ou osso encontrado pode atrasar tudo, se aquele item tem valor histórico. Já até encontraram um Rei enterrado num estacionamento na Inglaterra.

Foto: Pixabay.com

Sobre a distância, os EUA é um país com dimensões continentais. Dirigindo por 100km muitas vezes você nem sai do Estado em que se encontra. Já na Europa, pode ser que dirigindo 100km você chegue em outro país ou até cruze mais de duas fronteiras. Isso também faz com que o europeu seja mais aberto a diferentes culturas, pois está mais em contato com pessoas que não falam a mesma língua e não compartilham a mesma pátria. Vejo que muitos americanos nunca saíram dos EUA. Pouco já vivenciaram experiências internacionais, falam geralmente somente inglês e um pouco de espanhol.  Na Europa, pela facilidade geográfica, fica mais fácil de conhecer vários países.

Os museus de história nos EUA contam muito da história americana, tudo recriado em detalhes, principalmente sobre a independência americana, os grandes personagens da história, reconstroem grande parte da história nacional. Os museus da Europa contam a história do mundo, sobre guerras, civilizações, conquistas, sendo mais abrangente sobre outras culturas. Obviamente porque a Europa, muito mais velha, tem mais tempo de história. É como comparar uma senhora de 80 anos com uma garotinha de 8 anos: quem tem mais história para contar afinal?

Leia também: Tudo que você precisa saber para morar nos EUA

Não existem castelos medievais nos EUA.  Não existem shopping centers tão grandes na Europa. Dependendo do seu gosto estas informações podem ser relevantes. Na ausência de castelos, as casas dos americanos são muito maiores do que as casas na Europa. Americano gosta de espaço, conforto e um porão do tamanho da casa para guardar tudo o que não se usa no dia-a-dia. Americanos gostam de comprar coisas em grande quantidade para estocar. Europeu, acho que por falta de espaço ou de vontade não faz muito isso não.

EUA é o país das oportunidades, muito mais do que na Europa, existe oportunidade de se fazer absolutamente tudo que você quiser. Desde estudar diversas áreas quanto trabalhar com robótica ou engenharia de foguetes. A América traz muitas oportunidades para que você possa se dedicar ao que quiser. Na Europa, o mercado de trabalho coorporativo tem menos oportunidades, por outro lado é muito mais aberto à diversidade do que nos EUA.

Os americanos amam esportes e incentivam muito sua prática. Existem muitas ligas escolares, universitárias e diversas possibilidades de práticas esportivas mesmo em pequenas cidades. Coisa que na Europa já fica mais restrita às cidades maiores.

O patriotismo americano é muito presente e pode-se notar em todo o país, em todos os eventos, nas bandeiras nos quintais das casas, na emoção e respeito que se canta o hino nacional. Na Europa, se vê mais patriotismo nos dias de jogos da seleção. Os europeus são mais críticos em relação ao próprio país e governantes.

Para mim, que sou brasileira, viver em ambos os continentes é um convite ao que é novo. É possível aprender muito em relação a respeito e civilidade em ambos. Em muitas coisas é com tristeza que percebo o atraso do Brasil em questões já tão bem resolvidas nesses continentes, como educação e saneamento  básico por exemplo. Seguimos comparando.

Related posts

Vida americana para iniciantes

Renata Salas Collazo

O Primeiro Natal longe de casa a gente nunca esquece

Mariana Carvalho

Como estudar para o TOEFL e GRE

Paula Dalcin Martins

8 comentários

Laila Hansen Abril 17, 2019 at 2:52 pm

Por outro lado é muito mais aberto à diversidade do que nos EUA? Eu moro na Dinamarca vim para ca depois morar nos Eua. Acho os Eua bem mais diverso e tolerante a diversidade. Mas talvez seja peculiridade da Dinamarca. Otimo texto!

Resposta
Analu Tavela Abril 17, 2019 at 5:01 pm

Oi Laila! Obrigada por comentar o texto 🙂 Acredito que os países nórdicos são um mundo à parte do restante da Europa. Adoraria ter experiência e vivência pra poder comparar também. Os EUA é muito grande e a aceitação da diversidade varia muito, depende mesmo de cada lugar. Beijos 😉

Resposta
Gisele martins Abril 18, 2019 at 11:26 am

Adorei!!! Seu texto mostra o exato retrato destes dois mundos.
Eu acrescentaria nesta comparação o Brasil que na verdade é “America” também.
Apesar de estarmos atrasados…vejo claramente uma tendência ao consumo assim como EUA.
Somos bombardeados pelo marketing de tudo e inclusive do “sonho” americano. Todos querem ir pra Disney e comprar em algum outlet…
Na Europa não…nao se vai para consumir e sim sentir…

Parabéns pelo texto! Tantas vezes tentei explicar esta diferença e vc foi precisa!
Beijo,

Gisele Martins, arquiteta, mãe da Isadora e da Maitê e mora na África 😉

Resposta
Analu Tavela Abril 18, 2019 at 12:44 pm

Obrigada pelo comentário, Gisele! Caberia com certeza uma comparação também com nosso Brasil! Beijos!

Resposta
Ana Karina Sturm Abril 18, 2019 at 4:58 pm

Olá, adorei seu texto. Gostaria de saber mais sobre sua experiência em Portugal..

Resposta
Analu Tavela Abril 19, 2019 at 7:57 pm

Olá Ana Karina, obrigada por comentar, fico feliz que gostou do texto. Sobre minha experiência de morar em Portugal, escrevi alguns textos aqui no BPM, mas se tiver dúvidas pode me escrever. Beijos, Ana

Resposta
Larissa Rinaldi Maio 1, 2019 at 7:41 pm

É uma diferença muito louca, né?
Morei em Londres e agora to em NY.
Cheguei aqui sem realizar direito a dimensão das coisas nos EUA. Tudo é superlativo por aqui.

Sou sua colega de BPM também.
Bjs.

Resposta
Analu Tavela Maio 1, 2019 at 8:13 pm

Oi Larissa, obrigada por comentar! A diferença é tanta que fica difícil até comparar. Faz um post comprando Londres e NY! Eu ia adorar saber sua opinião e sua visão também 🙂 Beijos

Resposta

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação