BrasileirasPeloMundo.com
Curiosidades Pelo Mundo Rússia

Mitos e verdades sobre a Rússia – Parte 1

Mitos e verdades sobre a Rússia.

A primeira pergunta que me fazem quando eu digo que estou morando aqui é “porque a Rússia?”, minha resposta é sempre a mesma: porque não?

Eu sei, todos provavelmente já leram inúmeros “fatos” estranhos sobre o país. A internet está inundada de histórias malucas, vídeos impressionantes e memes hilários.
A primeira impressão que as pessoas tem é que eu vivo em um lugar perigoso, que é governado por um regime autoritário, sujo, cheio de bêbados ou mafiosos, preconceito, invernos frios e mortais, economia decaída e pessoas deprimidas..

Concordo que é difícil mesmo saber separar o que é mito e o que é verdade quando temos tantos exemplos por aí. Mas estando aqui e convivendo com locais consigo ver o quanto essas informações são exageradas e muitas vezes até mesmo ofensivas.

O ponto é que esses estereótipos sobre a Rússia são apenas isso – estereótipos, mitos, ou uma verdade muito exagerada. Em relação aos tópicos que vou compartilhar, tudo que encontrei na internet é raso e não explica o porque de ser mito ou verdade, então minhas explicações acabaram ficando um pouco extensas e por isso dividi em duas partes. Espero que gostem!

1. Todos bebem muita vodca: Mito!

Confesso que cheguei aqui com sede de experimentar uma verdadeira vodca russa, e uma das primeiras coisas que meus amigos me perguntam é se realmente todos bebem, até mesmo crianças quando doentes. Para introduzir o assunto com bom humor eu geralmente faço a seguinte observação: Água em Russo se diz voda (вода), claramente você percebe que a única letra que diferencia para palavra vodca é o ‘k’ – водка então é fácil trocar a água pela vodca em situações comuns.
Agora falando sério, já conversei com muitos russos sobre o assunto, e a verdade é que isso não passa de um mito e estereótipo. A vodca já deixou há tempos de ser preferência nacional.

Os russos bebem muito, não há argumentos contra isso. Mas, felizmente, eles estão bebendo até a morte com muito menos frequência do que eles faziam no passado. O índice de mortes com causas relacionadas ao álcool diminuiu rapidamente na última década, e agora é mais baixo do que era até mesmo durante o auge da campanha anti-álcool de Mikhail Gorbachev nos anos 80. Essa foi a maior campanha anti-álcool da história na URSS, quando o governo soviético determinou reduções pesadas na produção e venda do álcool, como aumento de preços, queima de estoques e aplicação de medidas contra a produção caseira.

O alcoolismo ainda é um grande problema na Rússia, especialmente entre as pessoas mais idosas. Conversando com locais descobri que realmente eles começam a beber muito cedo, ainda existe a cultura de curar gripes e doenças em geral com vodca e a bebida é considerada entre as melhores formas de se aquecer no inverno. Ocasionalmente vejo pessoas bêbadas perambulando pelas ruas e metrô, mas nada chocante ou diferente que qualquer outro país.

As gerações mais novas, mais informadas e preocupadas com a saúde, já tem uma postura diferente com álcool em geral. Há cerca de alguns anos foi implementada uma “lei seca” onde proíbe a venda em lojas e mercados de bebidas alcoólicas após as 23h em cidades como São Petersburgo e Moscou, em outras cidades interioranas o período pode ir das 21h até as 11h da manhã do dia seguinte. Por mais que a regra se aplique apenas para bebidas que contém mais de 15% de teor alcoólico, a ideia é que o ato de beber deve vir de uma decisão consciente e não algo que você faz porque está entediado as 3h da manhã.

Martin Godwin
Foto: Martin Godwin

Mas então o que eles bebem? Sinto muito lhes decepcionar, mas nada atípico, muito vinho e cerveja, esta principalmente no verão (sim o verão existe aqui!). A vodca não é algo comum de se beber nos centros urbanos, mas nas cidades menores ou em momentos de celebrações como degustação e também como aperitivo junto de caviar, pepinos ou peixe.

Com muitas opções boas de produções locais o consumo de vinho e cerveja tem aumentado e agradado cada vez mais aos jovens, que preferem uma alternativa mais leve comparada ao destilado.

Por todos estes motivos, bebi vodca pouquíssimas vezes durante meu período aqui, e geralmente é quando recebo visitas de outros países. Preciso mencionar que os locais que frequento e as amizades podem alterar muito essa experiência, mas por enquanto não conheci nenhum russo que beba vodca frequentemente, e olha que faço questão de perguntar a todos!

2. Na Rússia não tem verão: Mito!

Você já viu o tamanho da Rússia? Te convido a dar uma olhada no mapa! A Rússia é o maior país do mundo, com 17.075.400 quilômetros quadrados, o país abrange onze fusos horários diferentes, então imagina se em todo esse território fosse inverno o ano todo?

Esse mito estabelecido entre os estrangeiros, de que o inverno é eterno, vem daquilo que eu comentei no meu post anterior (veja aqui), o chamado de “Inverno Russo”. Mas não é tão simples assim, a Rússia é um país muito vasto e o clima em diferentes áreas pode ser completamente diferente.

Óbvio que se estamos falando do norte da Rússia e Sibéria onde prevalece um clima subártico, o inverno dura muito mais tempo, em média de 10 meses, e a temperatura dos curtos verões não passa a média de 17°C.

Quanto mais perto você chega do sul mais quente o clima. Na parte central do país o verão fica quente – de verdade – mesmo em lugares onde os invernos são muito frios. A mudança das estações é dramática, por exemplo, em Vladivostok, os invernos chegam a -30 em Janeiro, já em Julho a temperatura pode chegar a 33°C.

Foto: Giulianna Louis

Em Moscou, onde eu moro, não começa esquentar até meados de abril. E só no final de maio, quando a neve já derreteu por inteira, é que tudo começa a florescer. Em maio as árvores estão verdes, a cidade começa a ficar colorida com as primeiras flores e as pessoas já saem de casa sem roupas quentes.

Entre junho, julho e agosto a temperatura gira em torno de 23°C, durante as ondas de calor, o que pode ocorrer a qualquer momento entre maio e setembro, temperaturas chegam a passar dos 30°C. Mas confesso, a alta umidade faz com que o verão pareça ser ainda mais quente. Então sim! Existe verão na Rússia e ele é bem gostoso, diga-se de passagem.

No próximo mês vem a segunda parte!

Related posts

O mate e a roda no Uruguai

Rafaella Manfrenatti

14 curiosidades sobre a Hungria

Yeda Maria

Aplicativos para usar na Nova Zelândia

Gabriela Nunes

1 comentário

Bia Junho 20, 2016 at 9:03 pm

É necessario validade minima no passaporte para a russia?

Resposta

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação