BrasileirasPeloMundo.com
Nova Zelândia

Por que morar na Nova Zelândia?

Por que morar na Nova Zelândia?

Muito se têm disseminado acerca da Nova Zelândia, esse país tão distante, muitas experiências aqui vividas estão sendo descritas e divulgadas e muitos atrativos tem chamado a atenção. Realmente num cenário mundial o país tem dado o que falar, já que tem se destacado em diversos aspectos, e hoje é alvo de desejo, tanto para um perfeito lugar para férias, diversão e aventuras quanto para se fixar raízes. Certo, mas será que esse lugar é ideal para você? Por que morar na Nova Zelândia então?

O que você está buscando quando pensa em sair do Brasil? Quais características são necessárias para atender suas demandas, suas necessidades? Concordo plenamente com a importância da pesquisa e do planejamento financeiro, sobre as regras de imigração, não discordamos disso, essa é a parte fundamental, afinal sem esse enquadre o sonho pode virar um pesadelo! Agora pensemos para além desse enquadre… O que você está buscando para a sua vida? Já se imaginou aqui em 5 ou 10 anos?

Essas perguntas são feitas com o intuito de provocar a seguinte reflexão: Você conhece, ou melhor, entende a cultura e o funcionamento dessa sociedade a ponto de pensar em viver aqui? Existem aspectos intrínsecos da cultura que são subjetivos, ou seja, cada pessoa irá vivenciar de uma maneira e principalmente sentir-se ou não feliz com isso. Não necessariamente todos esses pontos de destaque do país podem se encaixar naquilo que te fará feliz, ou talvez sim, pode ser exatamente aquilo que você sonhou!

Se você, assim como eu, valoriza imensamente a segurança, um local com baixa criminalidade, prioriza esse aspecto até mesmo acima de sua carreira? Se a sua resposta for Sim, então somos muito parecidos. Além disso, a integridade, a confiança no governo e na administração pública também é algo extremamente importante, essencial? Então talvez aqui seja o lugar para você!
A Nova Zelândia hoje ocupa o 13º lugar no índice de Desenvolvimento Humano (IDH). Lembrando que estão sendo avaliados 188 países nos aspectos mais importantes da vida, em se tratando do bem estar de sua população, essencialmente o bem estar infantil. Você tem filhos? Então saber que o bem estar dos pequenos é algo sério aqui, pode vir a chamar sua atenção.

Outro índice importante e que impressiona nesse país é o CPI (índice de percepção da corrupção). Desde que esse programa foi lançado a nível mundial, em 1995, a Nova Zelândia tem ocupado os primeiros lugares no que se refere à transparência e integridade de suas instituições governamentais e funcionários públicos. Essa é outra característica que muito bem simboliza a cultura por aqui e que se torna muito importante para muitos que priorizam esse aspecto na busca de um lugar para viver. Além de melhor uso dos recursos públicos, a baixíssima percepção de corrupção significa a credibilidade que a sociedade tem em seus governantes e o modelo o qual seguir, refletindo nas relações em geral. Na prática o que significa? As pessoas confiam umas nas outras.

Problemas acontecem? Sim, mas como bom fruto do meio que somos, pode-se dizer que o mais palpável é sim esse clima de confiança. Em resumo, esses aspectos de segurança e confiança descrevem a base do projeto de vida de muitas pessoas, pois no dia-dia é isso que elas esperam. Digo com a propriedade de quem abandonou a carreira e veio viver em lugar onde as casas tem cerquinhas brancas por mera decoração, pois elas praticamente não são necessárias. Clichê? Pode ser, mas o principal é ter esse desejo muito bem claro antes de um passo tão grande quanto sair de seu país.

Não tem muito a perder em sua opinião? Bom, se você está em um momento onde ter uma experiência fora do país te trará a jornada da experiência, sem a preocupação milimétrica do que está por vir, dos riscos e perdas, então o mundo é o limite! E por que não aqui na Nova Zelândia? Multiculturalidade, infraestrutura para receber turistas, lindas paisagens, vinhos de excelente qualidade bem acessíveis no supermercado, dentre muitos outros atrativos, isso você vai encontrar! Convenhamos, que experiência incrível explorar o mundo sem saber exatamente o que encontrar e nem o que está procurando!
Aterrissando na realidade da grande maioria, se esse passo é decisivo, a ponto de mudar completamente o rumo de sua vida, bom então precisamos tomar todo cuidado para não errar!

Fonte: www.pixabay.com

Primeiramente, pensemos no clima. Como você lida com frio intenso e consecutivos dias chuvosos? Essa é a realidade por aqui. Têm-se estações bem definidas? Sim, mas muitos nativos da Nova Zelândia, Ilha Norte, por exemplo, que é o local com clima mais quente, comentam que o próprio verão não foi lá essas coisas, esperavam mais dessa estação. Ilha Sul? Bastante gelada, principalmente no inverno!

O tão discutido custo de vida, como é isso afinal? A Nova Zelândia se encontra isolada, digamos assim, de outros países exceto da Oceania, ou seja, os produtos chegam aqui a um preço um pouco maior por esse motivo. O superaquecimento do mercado imobiliário tem gerado um aumento significativo nos valores das moradias, no que se refere à compra de imóveis principalmente. Essa realidade vem causando certo desapontamento e tornado o “Sonho Kiwi (Kiwi: Pássaro nativo, em extinção e como são descritos Neo Zelandezes aqui)” bastante caro.

Acostumado com a agitação, vida noturna e grandes eventos culturais de grandes centros? Bom, sua adaptação aqui vai depender muito das suas exigências. Aqui existem constantes pequenos eventos, excelentes cafés e atividades envolvendo a comunidade e família. Os diversos parques são excelentes, você pode encontrar atividades culturais e esportivas acontecendo em diversos locais com frequência. Fazer um piquenique, assistir a uma peça de teatro ou um filme ao ar livre, alguma feira gastronômica, ou com temas típicos das diferentes nacionalidades. Esse é o movimento que supre, digamos assim, as necessidades comunitárias do ponto de vista cultural, é o que está em movimento e que de forma geral é um reflexo do envolvimento dos grupos comunitários. Isso se adapta ao seu gosto? Pense bem nisso.

Confesso que a inter-relação existente nesse tipo de movimento cultural é algo muito atrativo para mim. A comunidade próxima e ativa dá uma sensação gostosa de fazer parte do local o qual você vive, acredito que esse é um dos pontos fortes da cultura por aqui. O que talvez mais se assemelhe seja a inter-relação das cidades menores no Brasil, porém com o forte mix cultural e life style (estilo de vida) inconfundíveis da Nova Zelândia!

A intenção de forma nenhuma é o convencimento de que esse é o lugar ideal para se viver, talvez não para todos. Aqui mesmo nesse site você encontra muitas outras informações importantes sobre imigração para Nova Zelândia, oportunidades e aspectos que não foram mencionados nesse texto, pois a ideia central é justamente a provocação e reflexão:

                        Por que você quer morar na Nova Zelândia? Vamos refletir?

Related posts

Como levar dinheiro para a Nova Zelândia

Rosana Melo

Vida de estudante na Nova Zelândia

Natália Souza

Escolas Intermediárias na Nova Zelândia

Gabriela Nunes

7 comentários

Sandra Machado Junho 12, 2017 at 12:07 am

Ótimo texto

Resposta
Vanessa Coelho Junho 22, 2017 at 10:59 pm

Obrigada Sandra! Abração!

Resposta
Francisco Nobre Junho 12, 2017 at 2:16 pm

Essa vivência comunitária muito forte, ao estilo de cidades interioranas do Brasil, em que a pessoa, ao mesmo tempo que se sente acolhida por seu entorno, também é sufocada, com obrigações de proteger e ser protegida e vigiar e ser vigiada, realmente não me apetece. Mas, a questão da segurança e da confiança, tanto nas pessoas como nas autoridades, isso sim! É um atrativo e tanto. Pergunto se em uma cidade relativamente grande como Auckland é possível ter uma vida um pouco mais anônima, sem tantos compromissos comunitários?

Resposta
Vanessa Coelho Junho 22, 2017 at 10:59 pm

Olá Francisco! Entendo bem o que você diz, mas acredito que aqui em Auckland é possível escapar dessa pressão, já que essa inter-relação se dá de forma leve, tranquila, sem essa conotação de obrigação… No meu caso circulo muito mais em eventos e ambientes voltados ao público familiar e infantil, não posso te garantir, pois pode ser uma percepção bem pessoal! Vale a pena vir e sentir isso na pele! Grande abraço!

Resposta
Bianca Junho 13, 2017 at 4:12 pm

Voce imigrou pelo skilled imigration como psicologa? Tbm sou psicologa e estou pensabdo em me mudar para nova zelandia ou australia ano que vem. Toda informaçao eh bem vinda

Resposta
Vanessa Coelho Junho 22, 2017 at 10:54 pm

Olá Bianca! Atualmente trabalho na área da saúde, mas não fiz a validação do meu diploma. Nesse site http://www.nzqa.govt.nz/ você consegue informações sobre o processo de avaliação das suas qualificações. Pelo conhecimento que tenho, possivelmente é necessário continuar a graduação de psicologia aqui, a fim de adequar disciplinas próprias da Nova Zelândia e particularidades da cultura aqui. Boa sorte e pesquise bastante!

Resposta
Roberto Alves Salazar Junho 11, 2018 at 9:57 pm

Excelente texto. Pesquisei muito antes de sair do Brasil e foi um movimento planejado há cerca de 2 anos. Com duas crianças 5 e 14, não se pode mais fazer aventuras. Ainda mais uma delas adolescente. Fui para Melbourne em 2017, por questões familiares, percebi
ainda que seja uma ótima cidade, que o modelo de vida é muito semelhante as “grandes” cidades. Sei que aqui não é a “Nova Disneylandia”, mas você foi muito feliz ao descrever o ambiente. O que me chateia é que muitos querem sair da sua zona de conforto e encontrar outra. E quando isto não acontece sempre é o lugar o motivo ruim ou da frustração. Certo que as crianças sofreram no início, mas ambos vem se adaptando. Nós como um núcleo familiar equilibrado, buscamos nos ajudar e apoiar mutuamente. Mas, sempre tem a “segunda feira” gosto desta brincadeira para evitar ufanismos. Após vir para cá (6 meses morando), afirmo com convicção, que é a vida que planejei para nós, especialmente para o futuro dos nossos filhos. O acolhimento aqui tem sido fantástico, mas temos consciência que não é nosso país, nem nossas raízes. Seremos eternamente imigrantes. Acho que este ponto é fundamental para dar uma dimensão. Vice precisará dar 3 ou 4 passos para trás. Terá que ter consciência se nunca passou por esta experiência, que a saudade é imensa. Que da vontade de trazer todas as pessoas de bem, da sua família e do seu convívio para cá. Mas, descobrirá que não é possível…Assim, conecte-se com a comunidade (virei coach de futebol na escola da minha filha (ela esta na selecao junior da escola agora); o menor passou a ajudar as crianças da outra sala c0m dificuldades; minha esposa passou a dar aulas particulares de inglês e até Português para 2 kiwis. O bem estar e o sentir -se bem acompanham aqueles que assim se sentem em qualquer lugar. Não é preciso abandonar o seu país para sentir isto!

Resposta

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação