BrasileirasPeloMundo.com
5 Motivos EUA

Cinco motivos para morar nos Estados Unidos

Conforme o prometido, hoje eu vou falar de cinco motivos que nos motivam a morar nos Estados Unidos.

1 – Segurança

Acho que este item fala muito alto para nós brasileiros. É cansativo viver, respirar e caminhar pelas ruas sempre policiando o que vai acontecer a nossa volta para evitar um encontro surpresa com um bandido. Aqui é raro ouvir que uma casa ou um carro foi roubado; ainda há lugares que as pessoas deixam suas portas destrancadas. Claro, não vamos crer que estamos na quinta dimensão e que o “ato” de roubar desapareceu. Há lugares mais propícios ao roubo, e isto vale para qualquer lugar no mundo. Sugiro ficar mais atento em áreas tomadas por um comércio de rua intenso, bares, uma vizinhança decadente, etc. Caso precise chamar a polícia, é só ligar para o 911. Geralmente, a polícia aparece rapidinho.

2 – Mulher imigrante também tem direitos

Nos meus primeiros anos morando aqui, ainda pensava bastante se realmente iria me estabelecer definitivamente. Havia sempre um certo desconforto e parecia que precisava de algo para me convencer. Ao ingressar como voluntária numa ONG que defende mulheres imigrantes vítimas de qualquer tipo de violência, aprendi que muitas destas vítimas buscaram ajuda e a encontraram. Elas também recebiam apoio psicológico e jurídico. Aqui ninguém vai julgar o que a vítima tem a dizer. A ajuda se acha em qualquer lugar, a mulher pode ligar a um hospital e a equipe do hospital vai ajudá-la ou conectá-la a organizações locais ou nacionais. Para essas mulheres o caminho da cura é longo, mas aqui elas são ouvidas e acolhidas. Se você se interessar em saber mais sobre vítimas de violência doméstica leia o artigo aqui.

A medida que me envolvia mais nas atividades da ONG, entendia melhor que um acolhimento dessa dimensão ainda não existe em meu muitos outros países da América Latina. Aos poucos, as diferenças entre ser mulher aqui e no Brasil foram ficando bem evidentes. Você também pode ler outro artigo que escrevi sobre as diferenças na vida doméstica nos EUA e no Brasil aqui. Ok, ao comparar os Estados Unidos a países como Suécia ou Canadá, percebemos que ainda temos que percorrer muito na igualdade de gêneros, mas já houve um grande avanço.

3. Privacidade e Individualidade

Eu demorei a entender que é saudável estabelecer alguma distância (em tudo, não apenas nos relacionamentos), para que possamos sentir uma brisa, ter um encontro consigo mesmo. Assim, os relacionamentos duram mais, vão mais longe. Outro dia, minha amiga saiu para jantar numa terça-feira com suas amigas e seu marido ficou em casa, numa boa. Na quinta-feira foi a vez dele. Isto quer dizer que, não é preciso ficar juntos 100%! Assim são as amizades também, ou seja, não precisamos saber tudo sobre a vida do meu amigo, ou encontrar este amigo todos os dias ou ainda, dividir tudo de nossa vida para ser bons amigos.

4 – Praticidade

Abrir uma conta bancária ou uma empresa, tirar a carteira de motorista no dia, divorciar-se e casar-se de novo sem burocracia, facilita muito a nossa vida. O senso de praticidade é algo muito presente na cultura norte-americana. Quando vamos a um restaurante, o atendimento normalmente é rápido, pena que, muitas vezes, nos sentimos “expelidos”, porque a conta também vem logo depois que terminamos a refeição.

5 – Diversidade

O que isto quer dizer neste contexto norte-americano? Diversidade é a variedade de etnias presentes em todos os lugares neste país. A diversidade é integrada e percebida de uma maneira diferente de nós no Brasil. Em cada local de trabalho acabamos por estabelecer contatos com pessoas de diversos lugares do mundo. Acho isso super benéfico, pois nos ajuda a fazer uma releitura de nossos próprios costumes e o que consideremos correto. Por favor, que os italianos e descendentes de italianos me corrijam, mas um amigo meu italiano me disse que eles comem pizza na Itália com as mãos, mas, no Brasil, está tudo certo comê-la de garfo e faca.

Leia também: 5 motivos para não morar nos EUA

Novamente, eu volto a lembrar que as razões acima são baseadas no sistema existente, nas minhas observações e certos valores que considero importantes para uma vida produtiva e saudável.

Gostaria de deixar claro que este país não é perfeito como qualquer outro lugar não é. Quando falamos de morar nos Estados Unidos, logo nos remete a ideia de ter acesso fácil a um universo imenso de bens de consumo: casas, eletrônicos, etc. Porém, essas “coisas” perdem sua importância porque a vidinha aqui oferece alguns tesouros que não podem ser calculados em moeda. O consumo cai para um plano inferior. A aventura de deixar nosso país é empolgante, mas a experiência e interação com a cultura alheia são os resultados menos palpáveis, porém transformadores.

Esta experiência também traz à tona características que desconhecíamos de nós mesmos e, de repente, nos tornamos mais criativos e mais fortes para lidar com problemas cotidianos e tomar decisões importantes.

Abraços e até a próxima!

Related posts

Um passeio pelos museus em Washington DC

Gabriela Albuquerque

O furacão Harvey e eu – Parte II

Renata Salas Collazo

O lugar de torturas que virou bairro em NY

Michelle Marinho

1 comentário

Felipe Onofre Setembro 15, 2018 at 8:19 pm

Quem sabe um dia eu vá passear aí. outra coisa boa que tem aí é justiça e isso é primordial pra qualquer nação decente.

Resposta

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação