Não leve golpe ao alugar apartamento na França

0
72
Foto: Pixabay.com
Advertisement

Não leve golpe ao alugar apartamento na França.

Escolher onde morar nunca é uma tarefa fácil. A situação é ainda mais complicada quando você está em um país cuja língua não conhece direito, não sabe como funcionam as leis e nem onde tirar suas dúvidas. O mercado imobiliário francês, sobretudo o parisiense, anda forte e apresenta cada vez mais exigências ao futuro locatário. O principal é não se desesperar querendo logo assegurar um apartamento, pois os golpes (em francês, arnaques) são muitos.

Golpe nos anúncios

É o que mais acontece quando a pessoa que quer alugar ainda não mora na cidade. Ela entra em um site famoso, legal e encontra um anúncio que parece sério, de alguém que se diz profissional. O futuro locatário entra em contato com o dono do anúncio, marcam uma data para visitar o imóvel, se sente reassegurado quanto à veracidade da oferta.

Está tudo indo bem até que o tal profissional pede um depósito de garantia para examinar seu dossiê e manter sua visita. Uma vez que o depósito foi pago, nunca mais se vê o dinheiro ou o dono do anúncio. Arnaque!

Um proprietário sério sabe que a demanda é alta e só contatará quem depositou o dossiê uma vez. Proprietário que corre demais atrás do locatário é arnaque. Se, por outro lado, ele é ocupado demais para tratar com você, ele delegará essa função a uma imobiliária. Proprietário que delega a terceiros é arnaque. O dono do imóvel te pede dinheiro para garantir que você receberá o contrato daquele imóvel: arnaque.

Preço do imóvel muito abaixo do mercado: pode ou não ser golpe. Se for legítimo, vai ter um porém. Apartamento no oitavo andar sem elevador; WC sur le palier (vaso sanitário fora do apartamento, a ser compartilhado com os vizinhos de andar); menos de 10 metros quadrados; apartamento virado para a rua numa área barulhenta; longe dos transportes públicos; pouco isolamento acústico; sem entrada isolada (no caso de aluguel de quarto separado da casa mas com entrada comum); janelas pequenas… Todos esses alojamentos ainda são considerados decentes pela lei, mas não são agradáveis.

Leia também: tudo que você precisa saber para morar na França

Os vendedores de contatos

Os marchands de listes, ou vendedores de contatos, fazem parte de uma profissão regulamentada na França. Eles são intermediários entre quem tem um imóvel para alugar e quem quer quer um cantinho pra chamar de seu, fornecendo uma lista de contatos para esses últimos.

Apesar de inicialmente parecer uma boa ideia – os marchands podem te dar sugestões de localidades que nem te ocorreriam, por exemplo – existem inúmeros abusos: listas desatualizadas, locações fantasiosas, entre outros.

Imobiliárias com taxas exorbitantes

As imobiliárias tem direito a cobrar pelos frais de dossier (taxa de dossiê, para analisar seus documentos) e frais d’état des lieux (taxa de vistoria do imóvel). O que poucos sabem é que a lei ALUR de 24 março de 2014 estabelece um teto para essas cobranças. Resumi algumas dessas taxas na tabela abaixo.

Taxa de agênciaCritério
12,00 €/m² habitávelEm zone très tendue (Paris e municípios limítrofes)
10,00 €/m² habitávelEm zone tendue (municípios que praticam taxa anual sobre alojamentos vazios)
8,00 €/m² habitávelOutros municípios
3,00 €/m²Vistoria feita por um agente imobiliário

 

Lembrando que o locatário nunca pagará mais que o proprietário pelo mesmo serviço, seja taxa de agência, de dossiê ou de vistoria. O pagamento equivalente a um mês de aluguel sem taxas como frais de dossier é uma prática proibida por lei.

Nem o proprietário nem a imobiliária podem exigir pagamento do aluguel adiantado por trimestre nem débito automático em conta corrente (prélèvement automatique).

Leia também: Imposto de Renda na França

O que fazer e o que não fazer

  1. NÃO dar dinheiro antes de ter visitado o imóvel, e, principalmente, antes de ter assinado o contrato.
  2. NÃO aceitar pagamentos em mandat cash. Essa é uma forma de pagamento que permite enviar dinheiro a alguém de forma que ela o receba em espécie sem necessidade de uma conta bancária.
  3. NÃO aceitar um depósito de garantia superior a um mês de aluguel para locações não mobiliadas/a dois meses de aluguel para locações mobiliadas.
  4. NÃO enviar documentos pessoais no seu dossiê tais como extrato bancário e carteira de assegurado social (Carte Vitale e similares)Os documentos que podem ser pedidos estão listados nesse decreto.
  5. Preparar seu dossiê com cópia de documento de identidade, visto, carteira de estudante/certificado de escolaridade (se estudante), contrato de trabalho e os três últimos contracheques (se assalariado), última declaração de imposto de renda, documento atestando que você está em dia com seu aluguel.
  6. Procurar sites imobiliários conhecidos como Logic-Immo, Se LogerPap, Le Bon Coin, Adele. Sempre estar atento aos golpes citados no começo do texto.
  7. Ler o contrato de locação antes de assinar. Se você recebeu um contrato quando da visita do imóvel e outro na hora da assinatura definitiva, tenha certeza que cada linha é absolutamente idêntica. Importante de saber: caso as cláusulas do contrato sejam abusivas, elas serão não serão consideradas válidas, mesmo que você o tenha assinado.

Enfim, usar do bom senso sempre vem a calhar, ainda mais na hora de alugar um imóvel. Você já passou por algum golpe? Conhece alguém que já sofreu com isso?

Deixe um comentário

Por favor inclua o seu comentário
Por favor escreve o seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.