BrasileirasPeloMundo.com
Cursos Pelo Mundo França

Como pagar por seus estudos na França

Depois de muito esforço, correria, papelada, exame de nível de francês, espera, entrevista no Campus France, entrevista na embaixada, espera, conversas com o coordenador do curso, ansiedade, mais espera… Parabéns! Finalmente você conseguiu a tão sonhada vaga para estudar na França! Você surta, comemora, alegra-se. Até que finalmente a poeira baixa e você se pergunta: “- Como vou pagar pelos meus estudos na França?”

Leia também: Quanto custa morar na França como estudante

Antes de fazer um empréstimo com juros altíssimos ou de chorar e querer desistir, leia até o final, há várias opções para realizar o tão sonhado intercâmbio. Você precisa levar em conta que, além de pagar pelo curso, você também vai ter o custo de vida – alojamento, alimentação e deslocamento, só para citar alguns. Então pode ser que você precise de dois ou mais meios de financiar essa aventura.

Bolsas de estudos

Obter uma bolsa é, sem dúvida, o jeito mais cômodo de estudar no exterior. O primeiro lugar para procurar é no departamento internacional da sua universidade. Muitas faculdades possuem convênios que isentam o aluno de pagar as taxas da universidade que os recebe, o que já é uma ajuda e tanto. Além disso, existem programas específicos para enviar estudantes brasileiros ao exterior com todas as despesas pagas, como o BRAFITEC e o BRAFAGRI.

O governo francês disponibiliza diversas bolsas com diferentes valores pagos. A Bolsa Eiffel é destinada aos alunos de pós, mestrado e doutorado, com mensalidades de mais de mil euros. Inclusive, cursos longos como medicina e engenharia, a partir do quarto ano, são considerados como mestrado na França.

A Erasmus Mundus e Erasmus + são bolsas da União Europeia que podem cobrir os custos total ou parcialmente. Já a bolsa Victor Hugo é destinada aos futuros estudantes da Université de Franche Comté.

Existem também fundações privadas que ofertam bolsas que vão de uma parte do valor até o pagamento integral dos custos. A bolsa Líderes Estudar financia de 20 a 80% dos custos. A Fundação Corporativa Francis Bouygues fornece até 8 mil euros ao ano àqueles que receberem a bolsa.

Por fim, existem diversos sites que sumarizam as várias bolsas disponíveis. Em português, indico o Partiu Intercâmbio, por ser bem atualizado e de fácil uso. Para as que já falam outro idioma, o CampusBourses é o mais completo, disponível em francês, inglês e espanhol.

Crowdfunding

Para quem não conhece, o crowdfunding (ou financiamento coletivo) é um meio de arrecadação de dinheiro cada vez mais em voga. Nele, você cria uma espécie de vaquinha em sites como GoFundMeHubbub e o brasileiro Vakinha, nos quais qualquer um pode fazer uma doação. Você delimita quanto quer conseguir, até quando, e explica o porquê, definindo “prêmios” para as pessoas que doarem determinadas quantias. Uma vez atingido o objetivo, o site libera o pagamento, menos a taxa de administração, que varia de site para site. Atenção: se a meta não for alcançada, todo o dinheiro é devolvido para os doadores.

O crowdfunding é particularmente uma boa ideia para estudantes com uma boa história pra contar (superou adversidades ou tem um projeto para mudar o mundo? Não seja tímido! Conte sua narrativa.), alunos de baixa renda e pessoas criativas que podem entregar uma amostra de seu trabalho para quem optar por dar mais dinheiro. Mas, mesmo se você não se encaixa nessas categorias, você ainda pode tentar!

Leia também: Tudo que você precisa saber para morar na França

Decidiu seguir em frente? Aqui vão algumas dicas. Não defina um valor alto demais ou além do que você precisa para pagar o curso a não ser que você consiga justificar o gasto, com passagens aéreas, por exemplo. Faça todas as contas, incluindo gastos com a plataforma de crowdfunding, e explique cada um dos itens. Mostre como e porque fazer aquele curso vai beneficiar não só você mas também sua comunidade. Deixe a vergonha de lado e se prepare para pedir a contribuição de todo mundo que você conhecer (ou não conhecer!). Não tenha medo de contar de onde você veio e para onde está tentando ir. Que tal montar um blog para que as pessoas acompanhem sua jornada?

Empréstimo estudantil

Correu atrás de tudo isso e ainda assim não conseguiu juntar toda a grana para financiar os estudos? Considere um empréstimo estudantil. Os juros são mais baixos e o prazo para pagar melhor que os empréstimos padrões. Portanto, passe no seu banco, pergunte e negocie. Não deixe de comparar com outros bancos, já que eles podem ter condições mais atrativas, mesmo que você não seja correntista.

Job étudiant

Agora você já está na França e decidiu estender seus estudos, ou teve outro gasto imprevisto e as contas não estão fechando? Saiba que, com um visto de longa duração estudantil, você tem direito a trabalhar legalmente por até 964 horas por ano, equivalente a aproximadamente 20 horas por semana. Lembrando que o valor mínimo bruto de uma hora de trabalho (SMIC horaire) é de 10,03 € em 2019.

Os empregos estudantis (também chamados de job étudiant) mais comuns são babá, garçom, tutor/professor particular, hostess, acompanhante de crianças em viagens, vendedora e andador de cachorros. Além dos sites já relacionados, também é possível encontrar empregos no Jobaviz e no JobEtudiant.

E aí, animada para começar seus estudos na França? Conseguiu pagar o intercâmbio de algum outro jeito? Conta aqui!

Related posts

O sistema educacional francês

Amy-Carole Diene

Lyon gastronômica

Jéssica Martins

Cinco curiosidades sobre o Natal na França

Ana Lozon

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação