BrasileirasPeloMundo.com
Criando Filhos Pelo Mundo Polônia Sistema Educacional Pelo Mundo

O Primeiro Ano na Escola Polonesa

Antes de qualquer coisa, explicarei para vocês como  – por enquanto – funciona o Ensino Fundamental na Polônia. Digo “por enquanto” porque mudanças estão previstas, mas ainda não entraram em vigor. O Ensino Fundamental dura seis anos e é dividido em duas fases:

  • Ensino Fundamental I e Ensino Fundamental II

O Ensino Fundamental I vai do 1° ao 3° ano e é integrado, ou seja, não existe uma divisão clara por matérias, a sala tem uma professora-coordenadora, que é quem vai ministrar a maioria das disciplinas e ela determina o que vai ensinar, podendo adaptar as aulas às necessidades da maioria. Matérias específicas como língua estrangeira, educação física, religião e ética são ministradas por professores diferentes.

O Ensino Fundamental II vai do 4° ao 6° ano, as matérias são divididas e as aulas ministradas por professores diferentes, sendo que um desses professores é também o coordenador de sala.
Desde que decidimos mudar pra cá, nunca cogitei a ideia de matricular minha filha em uma escolar particular, a ideia sempre foi que ela frequentaria a escola pública, assim como eu. O ensino público aqui é considerado muito bom e é frequentado pela maioria da população em idade escolar.

As escolas públicas são regionalizadas, ou seja, a criança vai estudar na escola da região onde mora. Uma região pode ter uma ou mais escolas, tudo depende da quantidade de pessoas naquela região.

Logo que nos mudamos, já fomos visitar a escola da nossa região para saber o que precisaríamos para efetuar a matrícula. A temporada de matrícula geralmente começa em abril. Como minha filha fez o 1° ano no Brasil, aqui ela foi matriculada no 2° ano. Tivemos que levar a tradução juramentada do histórico escolar e o documento dela.

Na semana antes do início das aulas, tive a primeira reunião de pais, onde pude conversar com a professora e explicar que, apesar da minha filha já entender muito, ela quase não falava polonês. Ela me tranquilizou dizendo para que eu não me preocupasse, pois tudo daria certo.

No dia 1° de setembro, lá fomos nós para o primeiro dia de aula. Todas as crianças junto com seus pais foram para suas respectivas salas, a professora recebeu todos, fez um pequeno discurso, apresentou os novos alunos: minha filha e um menino. Depois, fomos para a celebração do lado de fora da escola e, em seguida, foi celebrada uma missa para as crianças e famílias que quisessem participar. No dia seguinte é que as aulas começariam de verdade.

Os horários das aulas não são iguais durante a semana, eles variam. Por exemplo: há dias em que as aulas podem começar às 8 da manhã e outros em que podem ser às 10:45 da manhã. Em alguns dias a aula pode terminar ao meio-dia e, em outros, às 16:40! E ai você me pergunta: Como os pais que trabalham fazem? Existe perua escolar? Alguém vai buscar e levar as crianças? Eu respondo que em toda escola existe a Świetlica, que funciona geralmente das 7:30 até às 18:00 horas. Trata-se de uma sala com professora onde a criança pode ficar antes ou depois do horário de aula. Lá eles fazem os deveres de casa, brincam e fazem vários tipos de atividades. É destinada para alunos do 1° até o 3° ano, pois entende- se que a partir do 4° ano as crianças já são maiores e tem autonomia para ir e vir sozinhas para a escola. A Świetlica é uma opção para os pais, não sendo obrigatória, é um serviço gratuito, mas se você puder e quiser, pode fazer uma pequena contribuição mensal.

No começo, como eu não sabia como seria, não inscrevi minha filha na Świetlica, mas logo na primeira semana ela me pediu para ficar, pois todos os coleguinhas ficavam lá.

Depois de um tempo, a professora me disse que na primeira semana, minha filha observava muito, na semana seguinte, ela já sentiu que estava no seu espaço, perdeu a vergonha de tentar falar polonês e foi nessa segunda semana que ela chegou pra mim e disse: “Rozmawiamy po polsku?”, “Conversamos em polonês?” A partir daí, o polonês desenrolou, ela foi se virando e hoje quase não existe mais dificuldade com a língua.

Toda criança que não fala polonês tem o direito a ter duas aulas adicionais por semana após o horário de aula por um ano, então, toda semana ela tinha uma aula individual de polonês. Uma vez por semana ela também tinha atividade com a pedagoga, que me explicou que mesmo minha filha já sabendo ler e escrever, ela faria um trabalho ensinando a ler e escrever em polonês.

Como já disse, o ensino é integrado, então, língua polonesa, matemática, ciências, geografia e história andam juntos. Fora isso, tem aula de educação física, artes, língua inglesa, aula de informática, religião e/ou ética.

A partir do 2° ano, toda escola tem, uma vez na semana, aula de natação. Algumas escolas têm piscina, outras não. Quando não, as aulas acontecem na piscina mais próxima da escola.

A Polônia é um país onde 85% da população se considera católica, então, na escola a religião ensinada é a católica, mas a criança não é obrigada a frequentar as aulas de religião, caso ela não frequente, ela frequentará a aula de ética. Minha filha frequentou as duas: religião e ética.
Para facilitar ainda mais a vida dos pais, existem atividades extracurriculares gratuitas e pagas dentro da escola ou bem próximas dela. Para essas que não são na escola, existe uma pessoa que vai buscar as crianças e depois levá-las de volta à escola.

As aulas terminaram dia 23 de junho com apresentações de alunos para todos os pais e, depois, cada classe seguiu para sua sala para a entrega dos certificados. Esse sempre é um momento pelo qual todos esperam, pois no certificado tem um breve resumo sobre o desempenho e se a criança passou para o próximo ano.

Professora entregando o certificado. Foto: Arquivo Pessoal.

Vamos falar de custos? Bom, a escola é pública, ou seja, gratuita!
O material didático é doado pelo governo, apenas livros específicos são comprados pelos pais. Há materiais que devem ser comprados pelos pais, mas a lista é mínima comparando com algumas escolas no Brasil. Outro detalhe é que, dificilmente, você encontrará uma escola pública onde as crianças usem uniformes.

No início do ano, pagamos um seguro para a criança e há um O Conselho de Pais da escola que decide sobre festas, passeios, concursos, melhorias na escola, quem quiser pode fazer uma contribuição voluntária anual.

Há também o Conselho dos Pais da Sala, que geralmente é composto por três pais: presidente, vice-presidente e financeiro. Eles cuidam dos assuntos relacionados à sala e, conforme exista a necessidade de comprar ou pagar alguma coisa, o financeiro informa para o restante e nós depositamos a quantia na conta bancária da sala.

Todas as escolas servem almoço, que é pago pelos pais mensalmente. O valor varia de escola para escola, mas mesmo assim é um valor muito em conta, minha filha almoça lá diariamente e adora a comida.

Resumo do primeiro ano: Tudo foi muito mais tranquilo do que esperávamos, crianças se adaptam com muita facilidade. Alguns brasileiros chegaram a me falar que eu deveria avisar a minha filha que aqui ela não faria amizades como no Brasil, que não frequentaria a casa das amigas e as amigas não frequentariam a nossa casa, mas o que aconteceu foi exatamente o contrário. Desde o começo do ano ela foi muito bem recebida pelas crianças e seus pais e por todos da escola, desde a diretora até a tia da limpeza; nunca se sentiu excluída, fez muitas amizades e eu costumo dizer que administrar a agenda de compromissos dela não é fácil. Foi um ano cheio de descobertas e novidades que, com certeza, só acrescentaram coisas boas à vida dela.

Agora é curtir as férias e em setembro começar tudo de novo, agora no 3°ano.

Para saber sobre os resultados de 2015 do ensino na Polônia no Programa Internacional de Avaliação de Estudantes (Pisa), clique aqui.

A Valéria falou um pouco mais sobre o Sistema educacional da Polônia aqui.

Related posts

Festas infantis na França

Lilian Moritz

Tudo sobre as escolas públicas em Toronto

Flávia Bartholo

Custo de vida em Varsóvia

Gizelli Gliwic

5 comentários

Geraldo Maciel Setembro 28, 2017 at 1:49 am

Olá Gizelli!

Estou considerando me mudar para polônia com minha família, temos uma mocinha de 10 anos que fala muito pouco de inglês e nada de polonês. Como será que funcionaria nesse caso nas escolas públicas? será que ela pode frequentar?

Grato,

Geraldo Maciel

Resposta
Gizelli Gliwic Outubro 22, 2017 at 5:53 pm

Oi Geraldo!

Sim, ela pode frequentar a escola pública, mas o que pode acontecer é ela ter voltar e refazer algum ano, para assim não perder conteúdo,pois isso prejudicaria ela lá na frente.

Obrigada e continue seguindo nossos textos aqui da Polônia.

Gizelli

Resposta
Língua, herança cultural e identidade Janeiro 23, 2018 at 3:00 pm

[…] Gizelli já nos contou um pouco sobre sua preocupação inicial com relação ao processo de aprendizado do polonês de sua filha, hoje com 9 anos.. Mas como fica o aprendizado (alfabetização e/ou continuação) do português […]

Resposta
Gabriela Setembro 20, 2019 at 9:10 pm

Oi Gizelli, tudo bem? Tenho duas sobrinhas indo morar na Cracovia, uma com sete e outra com dez anos. As duas não falam inglês ou polonês.. estamos tentando entender como será o processo de matrícula delas na escola e como será feita a adaptação para que elas aprendam o idioma. elas irao chegar na cracovia em novembro, ou seja, metade do ano letivo. Obrigada desde já!

Resposta
Liliane Oliveira Setembro 21, 2019 at 3:08 pm

Olá Gabriela,
A Gizelli Gliwic, infelizmente, parou de colaborar conosco.
Obrigada,
Edição BPM

Resposta

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação