O que encontrar no supermercado em Amsterdã

4
514
Supermercado na Holanda - Foto: acervo pessoal
Advertisement

O que encontrar no supermercado em Amsterdã.

Eu só percebi o quanto minha vida girava em torno de comida quando comecei a pensar quais seriam os produtos que mais me fariam falta no supermercado. Afinal, eu sou viciada em brigadeiro e todo mundo sabe que achar leite condensado no exterior é quase impossível, certo? Errado, eu acho leite condensado fácil, fácil no supermercado aqui perto de casa. Ah, mas ele não é igual, o do Brasil é bem mais doce, né? Na verdade, vou te falar que a marca que eu compro tem um gosto bem parecido, viu.

Antes de começar, só quero deixar claro que aqui tem várias lojas de produtos brasileiros como a Finalmente Brasil e tem muita gente que encomenda comidas, como pão de queijo e coxinha, mas nesse texto eu vou falar sobre os produtos que você acha no supermercado holandês normal.

Então vamos desmistificar o que você acha e o que não acha pra comprar no supermercado em Amsterdã (falo de Amsterdã especificamente, porque foi aqui que eu chequei, mas a maioria deles você encontra em qualquer cidade da Holanda):

Leite Condensado (gecondenseerd melk)

O nosso querido leite condensado pode ser encontrado, geralmente, perto dos produtos para café. Na Holanda, tem praticamente um corredor inteiro só de coisas relacionadas a café, são cremes diversos, xaropes (o de caramelo é o atual vício aqui de casa, eu ando botando até no leite) e leite condensado.

No Albert Heijn e no Jumbo eu costumo encontrar a marca Friesche Vlag e nem é tão caro, eu pago 1,35 € por uma lata de 395g, igualzinho no Brasil.

Não achou? Não se desespere, já ouvi algumas pessoas dizendo que tem supermercado que coloca na área de produtos asiáticos (vai entender).

Leia também: O fantástico mundo dos supermercados em Abu Dhabi

Chocolate Granulado (hagelslag)

Bom, aí você fez o seu super brigadeiro e quer enrolar pra se sentir em festa de criança, mas, como achar chocolate granulado?

Olha, deixa eu te contar uma coisa, eu acho que o chocolate granulado foi invenção dos holandeses. Aqui eles passam manteiga no pão e grudam chocolate granulado por cima, então não se preocupe que opção de granulado não vai faltar. Tem ao leite, amargo, orgânico, colorido, de tudo quanto é jeito.

Um pacote de 380g de chocolate granulado ao leite da marca De Ruijter custa 1,99 € .

Creme de Leite (room culinair ou slagroom)

O creme de leite não é exatamente igual ao do Brasil, ele é mais líquido, quase um leite encorpado, então pra algumas receitas eu gosto de comprar um produto que chama slagroom e a minha marca preferida é a Campina (0,79 € por 200ml). Ele vem numa caixinha Tetrapak e é super fácil de achar, mas tome cuidado, porque slagroom também é chantilly (holandês adora botar chantilly em tudo), então é importante olhar na composição se tem ou não açúcar (zuiker). Pra ficar na consistência do nosso creme de leite, precisa deixar na geladeira um tempo, mas ele já é um pouco mais denso que a outra opção, o room culinair.

Confesso que eu não curto muito o room culinair, acho líquido demais e ainda é ligeiramente (quase nada) mais caro que o slagroom (0,82 € por 200ml), mas pra botar numa sopa ele funciona bem.

Feijão (bonen)

No supermercado que eu frequento tem uma variedade imensa de feijões, branco, preto, vermelho, o que seria o nosso carioca, eu não passo vontade de feijão aqui não. E não é só de lata, tá? Eu compro feijão igual no Brasil, em saquinho.

O preço não é dos melhores, mas nada que te impeça de comer um feijãozinho caseiro de vez em quando (em casa tem toda semana!). Por 900g de feijão carioca (kievitsbonen) eu pago 2,39 € e por 350g de feijão preto (zwarte bonen) pago 0,99 € .

Arroz (rijst)

Seis meses de Holanda e ainda não resolvi fazer um arrozinho pra acompanhar o feijão semanal, mas tem um monte de tipos de arroz, branco, arbóreo, basmati, pandan, pra sushi e por aí vai. O truque é descobrir qual se parece mais com o nosso clássico arroz brasileiro, mais soltinho, pra fritar junto com a cebola e o alho, hummmm, deu água na boca agora.

Mas, apesar de eu nunca ter experimentado, me disseram que o arroz do Suriname (surinaamse rijst) é o que mais se parece com o nosso. E ele pode ser seu pela bagatela de 0,89 € o kg. Tá bom, né?

Tapioca (tapioca)

Essa foi a minha maior surpresa, achei que só fosse achar tapioca em loja de produtos brasileiros, mas achei numa loja de produtos orgânicos chamada Biolicius.

Mas foi a farinha de tapioca, aquela que a gente usa mais pra cozinhar (que é o que eu queria quando comprei), e não a tapioca granulada que dá pra fazer tapioca recheada mesmo. Mas já foi um começo!

Não me lembro quanto paguei, mas acho que foram uns 2,50 € por um pacote de 250g.

Banana (banaan)

Não é super barata e não tem o mesmo rol de opções que a gente tem no Brasil, mas pago 0,99 € por um pacote com 5 bananas, ou 1,89 € o kg. O engraçado é que, muitas vezes, eles botam pra vender a banana super verde, não é sempre que ela está pronta pra consumir, então é quase um investimento, você compra pra comer só dali alguns dias.

Quando minha mãe e minha avó vieram, elas estranharam o gosto, acharam meio aguada, mas eu confesso que nem percebo mais a diferença.

Óleo de Coco (kokosolie)

O herói da fritura (quase) saudável e da hidratação capilar é facilmente encontrado e tem diversas marcas a sua disposição! O daqui de casa é da marca Bio Today e paguei 3,99 € por 400g. Fica na área de produtos orgânicos, junto com chia, linhaça, semente de girassol etc.

Agora, sabe o que me faz muita falta? Pão de queijo e requeijão (ou seria pão de queijo COM requeijão?)! São dois itens que você não acha fácil e que eu morro de comer quando vou pro Brasil. O pão de queijo até tem por encomenda ou em lojas de produtos brasileiros, mas o requeijão é bem chatinho de achar (nunca vi), tanto que peguei uma receita no Sal de Flor e ando tentando aperfeiçoar pra poder ter requeijão em casa.

E aí? Tem algum outro produto que você ama no Brasil e não sabe se é fácil de achar na Holanda?

PS: Os preços mostrados no texto são do Albert Heijn, exceto quando especificada a loja.

4 Comentários

  1. Acho que pior do que se adequar a língua é adequar a barriga e os olhos porque a gente já acorda pensando em café com leite, pão frances e aquele queijinho minas.Comer banana sem problemas porque se não tiver pé em casa em qualquer esquina no brasil tem alguém vendendo.Já to me preparando pra perder essas mordomias a partir do ano que vem.Sobre o pão de queijo, tendo polvilho(acho que esse deve ser o problema maior ) da pra fazer em casa.Vi num outro post de uma menina que também vive na Holanda que era mais fácil achar em lojas turcas algumas coisas que ela sentia falta no dia a dia.

  2. Olá, quando estive em Amsterdam, visitei a Waterlooplein Market e lá encontrei um senhor brasileiro numa kombi vendendo pão de queijo, guaraná antártica e espetinhos. Quem sabe você consegue encontrar ele lá ainda, eu lembro que ele me disse que faz o pão de queijo com tapioca e fica muito bom quanto o de polvilho.

Deixe um comentário

Por favor inclua o seu comentário
Por favor escreve o seu nome aqui