BrasileirasPeloMundo.com
Suíça

Trabalho em Versão Helvética

Comecemos pelas oportunidades que a Suíça oferece. Como vocês podem bem ver neste índice de salários, a Suíça só perde para a Noruega e fica bem próxima da Dinamarca, quando o assunto é o maior valor bruto de salários europeus. Por outro lado, na Suíça, ao contrário dos países escandinavos, temos impostos bem mais baixos, o que, no valor neto, acaba colocando a Suíça como um dos mercados de trabalho mais bem pagos do mundo, diga-se de passagem.

Mas isto significa que nós, que moramos na Suíça, somos todos ricos? Com certeza a minha família, amigos e parceiros de negócios, pensam assim! E agora vendo o índex acima, vão pensar que estão certos rs. Mas como sempre, nem tudo que brilha é ouro! O custo de vida na Suíça, também acompanha o nível dos salários de forma que eu, na verdade, me sinto a prima pobre no Brasil.

Eu e meu marido fazemos parte de uma categoria fiscal bem sucedida financeiramente na Suíça e no mundo, afinal somos um casal, onde ambos são bem qualificados, bem sucedidos em nossas carreiras profissionais, trabalham e não tem filhos. Sendo assim temos o direito de pagar a porcentagem mais alta de impostos sobre salário, mas, com certeza, não reclamamos já que vemos onde o nosso dinheiro é investido, em cada centímetro da infraestrutura oferecida pelo país.

A Suíça, como um país desenvolvido,  vive principalmente dos setores terciário e quaternário da economia: serviços como o setor bancário, pelo que somos bem conhecidos internacionalmente, hospitalidade, incluindo a área de turismo, empresas prestadoras de serviços, agências, hotelaria, gastronomia, eventos internacionais culturais, políticos e corporativos são muito fortes.

As áreas de saúde e educação são reconhecidas mundialmente e, por tabela, o comércio se torna outro setor de importante impacto na economia. Sobre o comércio, é preciso dizer que a Suíça tem uma mentalidade bem protecionista do Mercado, mas sobre este assunto iremos tratar no próximo post, quando falaremos da mentalidade em relação ao trabalho do Suíço.

No setor quaternário da economia, devido ao alto nível de ensino em suas universidades, aos recursos e infraestrutura de ponta, a Suíça é um país que se destaca mundialmente em inovação e em registro de patentes.

Devido aos incentivos fiscais, muitas multinacionais optam por registrar suas sedes aqui na Suíça, assim como também estabelecem aqui suas áreas estratégicas de finanças.

A taxa de desemprego é uma das mais baixas do mundo e da Europa: 3.1%. No setor primário, somos, naturalmente, um país pequeno e, portanto, não temos muitas riquezas naturais e nem volumes.

No setor secundário da indústria, o país é ativo em áreas de produtos de precisão, uma vez que qualidade é uma palavra definitivamente suíça. Em termos de custos, vivemos em um país onde o metro quadrado é um dos mais caros do mundo, seguido da mão de obra, como vimos na tabela de índex de salários.

Sendo assim, a Suíça também é um país onde a importação e a exportação são definitivamente uma balança equilibrada, exportando produtos de alta precisão e importando produtos de base.

É preciso ter qualificações para se trabalhar em qualquer área aqui, desde empregos como padeiros, garçons, cozinheiros, eletricistas, pedreiros, lixeiros até pra trabalhar em banco, no correio ou como secretaria.

Os empregos não qualificados são, em geral, feitos por estrangeiros, principalmente portugueses, espanhóis e italianos que imigraram para trabalhar aqui principalmente durante os anos 80. Mais tarde, a Suíça recebeu muitas pessoas do leste europeu e outras minorias de países em desenvolvimento e emergentes.

Também nas áreas de alta qualificação, temos muitos estrangeiros, pois falta mão de obra qualificada e pra isto as multinacionais se ocupam de trazer seus expatriados.

Expatriados são contratos, na maioria, com duração de 2 anos e, em geral, após este período, as empresas escolhem trocar o contrato de expatriados por um contrato local, uma vez que, naturalmente, os expatriados saem caro, devido aos custos colaterais, não só de salários, mas viagens, moradia, seguros, família, entre outros. Além das dificuldades com renovação de vistos de trabalho e residência.

Temos uma barreira difícil na integração profissional do estrangeiro que é a língua. A Suíça é dividida em 4 regioes linguísticas, aproximadamente 60% alemã, 25% francesa e 10% italiana”, total de 95% e os outros 5% se encaixam como em uma língua morta chamada Romansh , que é uma especie de latim com alemão e é utilizada no Canton de Grisons.

O inglês aqui, como centro das organizações mundiais e com os bancos e multinacionais, é com certeza importante, mas integração total só falando a língua local também. A maior dificuldade que vejo é, principalmente, na parte alemã, onde se encontram a maior parte dos empregos. O alemão aqui é um dialeto, e que muda de acordo com os cantões, que seriam equivalentes a estados suíços.

O reconhecimento de diplomas também pode ser um problema em algumas áreas aqui, uma vez que os requisitos para reconhecimento são altos.

No próximo post falarei da cultura, mentalidade em termos de trabalho e dinâmica do mercado de trabalho suíço .

Até o próximo post: Achando e Mantendo um Emprego na Suíça.

Leia mais sobre a Suíça!

Related posts

A dimensão da pobreza na Suíça

Selma Poncini

México e Suíça – Do Xocoatl ao Chocolate

Fernanda Moura

A Suíça que eu não imaginava

Fabi Mesquita

21 comentários

Fernanda Março 10, 2014 at 9:57 pm

Como sempre, arrasando com seus textos Ana! Muito esclarecedor e com otimas dicas para quem pensa em se aventurar por esses lados! Bjs

Resposta
Ana Cristina Kolb Março 11, 2014 at 12:44 pm

Obrigada linda pelo comentario, sempre importante sentirmos o termometro pra termos certeza que estamos na boa direção! rsrs Bjus linda! 🙂

Resposta
Emilia Hanashiro Março 12, 2014 at 12:22 am

Oi Cris , legal saber mais sobre mercado de trabalho na Suíça e como manter se sempre bem atualizado, inclusive sobre idiomas. Enfim muito informativo, parabéns! bjs.

Resposta
Ana Cristina Kolb Março 12, 2014 at 7:54 pm

Obrigada Emilia querida pelos comentarios, o próximo post seda também nesta área, e dando continuidade a mentalidade e percepção na hora de procurar emprego, o que esperar, interpretando as entre linhas rsrsrrs e muito mais! Bjus querida e obrigada pelo feed back sempre tao importante pra nos que escrevemos! Namasté 🙂

Resposta
Sandra Março 12, 2014 at 12:10 pm

Olá Ana Cristina! Que excelente texto, super esclarecedor e bem fundamentado! Eu bem sei como é a batalha para um estrangeiro conseguir um trabalho na Suíça. Como você bem citou, até para vender flores é preciso ter feito um curso, rs…. Muita gente chega aqui achando que vai conseguir um trabalho da noite para o dia, mas a realidade é bem diferente. Mas vamos que vamos!!! Temos mesmo é que nos capacitar (mais ainda) para uma colocação no mercado suíço. Um abraço!

Resposta
Ana Cristina Kolb Março 12, 2014 at 8:01 pm

Oi Sandra querida, obrigado pelo comentário tao pertinente, acho que ïntegracao profissional é a “fundação” pra uma integração dos estrangeiros, levanto e trabalho muito com esta bandeira por aqui. Criamos o Brazilian Business Group Europe, http://www.brazilianbusinessgroupeurope.com/index.html, com o intuito de apoiar neste processo. Este ano farei vários seminários online e presenciais em varias cidades pra comunidade brasileira assim como organizaremos palestras, encontros de Business Networking entre outros eventos! E é isto ai querida, vamo que vamo! rs Bjus!

Resposta
Cristiane Leme Março 14, 2014 at 2:30 am

Oi Ana! Na semana passada vi um documentário sobre a Suíça na TV5 Monde e que falava exatamente sobre isso: a eficiência do sistema, a questão dos empregos e o modo de vida e de trabalho na Suíça, que funciona atualmente como um grande atrativo para profissionais altamente qualificados, os quais têm buscado o país para realização pessoal e profissional. Seu texto foi um complemento muito bem-vindo ao documentário. Namasté, linda!

Resposta
ackolb Junho 9, 2014 at 2:06 pm

Oi amada, vi que não tenha respondido seu comentário e aqui estou, atrasadíssima! rsrsrs mas AQUI estou, estive procurando o documentário na TV5 Monde, pra tentar colocar o links aqui, mas não achei nada, mas muito bom saber que voce assistiu. Bjus no coração! 🙂 Namasté !

Resposta
Eliana Carvalho Março 14, 2014 at 5:29 pm

Adorei o post! informações precisas e muito importantes! Parabéns!

Resposta
Ana Cristina Kolb Janeiro 7, 2015 at 12:36 pm

Desculpa pelo demora, mas parece que passou batido as minhas vistas seu comentario, mesmo assim gostaria de agradecer posteriormente, te agradecendo por ter nos deixado seu comentario! Obrigada! fico feliz que as informaçoes tenham contribuido de alguma forma! Namasté 🙂

Resposta
Ana Março 17, 2014 at 12:27 am

Olá Ana! Meu nome é Ana e, assim como você, também sou de Belo Horizonte. Sempre acompanho seus artigos neste site e lhe parabenizo pelas informações cedidas aos seus leitores. Gostaria de manter contato com você! Seria possível me passar seu e-mail? Forte abraço e Namastê! _/\_

Resposta
Ana Cristina Kolb Março 22, 2014 at 11:27 am

Oi minha charah, querida Äna”, obrigada por seguir meus artigos, me sinto lisonjeada! Sera um prazer mantermos contato, meu email: [email protected]. Bjus linda e aguardo seu contato. Namasté e inté breve sob ! 🙂

Resposta
Felipe Abril 24, 2014 at 5:16 am

Bom dia ana,
Vc poderia me dizer em quais areas sao mais dificeis p validacao de diplomas?
Sou formado em biomedicina (analises clinicas) no Brasil e estou indo morar na Suiça em julho. Ja enviei email pra croix rouge e ja sei o que devo enviar.. Mas meu medo é q eu tenha que estudar mais uns 2 anos pra validar meu diploma. Vc validou seu diploma e poderia me explicar alguma coisa?
Obg

Resposta
Ana Cristina Kolb Abril 24, 2014 at 9:01 am

Oi Felipe,
Aqui voce tem um links com informações sobre o assunto, espero que possa te ajudar.
http://www.eda.admin.ch/eda/pt/home/reps/sameri/vbra/embbra/brasci/edusao.html
Boa sorte e caso possa te ajudar com alguma outra informação, me coloco a sua disposição.
Abracos e desejo tudo de bom pra sua mudança!

Resposta
Ana Cristina Kolb Abril 24, 2014 at 9:10 am

Oi Felipe
aqui outros links que podem ser interessantes, pelo que parece através da cruz vermelha voce esta no bom caminho.
https://www.redcross.ch/fr/organisation/reconnaissance-des-titres-professionnels-etrangers/reconnaissance-des-titres
http://www.crus.ch/information-programme/recognition-swiss-enic/regulated-professions/health-care.html?L=2
outra dica seria entrar em contato com a embaixada ou consulado da Suica no Brasil, eles com certeza podem também te dar a informacao especifica do seu caso assim como te ajudar no processo.

Resposta
Luis Dezembro 3, 2015 at 7:11 pm

Felipe, conseguiu resolver o seu problema? Estou na mesma situacao e gostaria de saber o caminho! Abs

Resposta
Déborah Maio 5, 2014 at 5:23 pm

Excelentes informações Ana Kolb. Moro na Suíça há cinco anos. Dei início aos meus estudos no Brasil na área da Educação e uma vez que decidimos imigrar, recomecei meus estudos pela UNIGRAN EAD que possui um pólo em Zürich (Pólo central da Europa em Lisboa). Comecei minha carreira aqui em uma creche como educadora substituta. Logo fui convidada para participar da abertura de uma creche privada. Lá já estou há três anos. Agora minha luta começou… Com o diploma na mão dei entrada junto ao SEFRI, este não me respondeu positivamente alegando que minha profissão não é regulamentada na Suíça e me encaminhou para o CRUS. Decepção total uma vez que o CRUS não possibilita o reconhecimento de diploma, mas somente recomenda o reconhecimento, o que não garante a entrada no mercado de trabalho… Encaminhei minha papelada e estou na expectativa de uma decisão por parte da confederação… Cruzando os dedos! Boa sorte à todos!

Resposta
ackolb Junho 10, 2014 at 11:35 am

Oi Déborah querida, é complicado esta parte de fazer reconhecimento de formação aqui mesmo, mas parabens pelas iniciativas, paciência, e tenho CERTEZA que voce achara o bom caminho, fico torcendo por voce, queria te passar um contato da Fernanda Pontes, http://www.conselhodecidadania.ch/setores/setor_jurdico/index.html, não sei se ela pode te ajudar, mas quem sabe né? Nos mantenha informada sobre o caminhar das coisas, pois queremos festejar com voce esta vitoria aqui no BPM! 🙂 Voce ja conhece o grupo do http://www.brazilianinternationalbusinessgroup.com, Bjus no coração e tenho certeza que o universo conspira a seu favor! Namasté 🙂

Resposta
Suíça – Procurando Emprego? Dez Aspectos Importantes – Parte 1 Junho 8, 2014 at 11:55 pm

[…] texto é continuação do meu último post “Trabalho em Versão Helvética”,  onde falo da estrutura do mercado de trabalho suíço e suas oportunidades. Neste texto […]

Resposta
Kleberson Almeida Julho 23, 2015 at 8:45 pm

Boa noite,

Estou bastante interessado em mudar para Suíça e lendo sobre seus poste só aumenta a cada dia a vontade, parabéns pelo trabalho.

Resposta
Oscar Forell Julho 15, 2016 at 8:34 pm

Parabéns, belo comentário.
Sinto-me privilegiado por tê-lo lido. Obrigado.
Pelo nome da minha família parece que um dos meus antepassados, partiu da Suíça para nunca mais voltar, em busca de uma vida melhor, na Serra do Rio Grande do Sul, meu estado natal.
Coisa que eu lamento muitíssimo. (hehehehehe) pois acho o Povo suíço um dos mais civilizados do mundo. Só não lamento o fato deste tataravô ter escolhido o Brasil.. Poderia ter sido um lugar pior, se existirem políticos piores em algum outro lugar do Universo, claro..
“No más” o nosso amado Brasil poderia ser bem melhor, afinal temos tudo para dar certo: Do clima, às nossas dimensões continentais e quase plano..
Talvez pudesse nos informar mais, sobre como é viver num pais sem dirigentes políticos tão desonestos, como são todos os nossos
Penso que as noticias diárias dos tele-jornais devem ser bem mais agradáveis….. Ou sobre como é viver sob tanto frio, num país tão montanhoso e sem mar ou sem horizontes desobstruídos, sem fim..
Sucesso eterno à ti e à todos que te cercam e são queridos..

Resposta

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação