BrasileirasPeloMundo.com
Polônia Veganismo & Vegetarianismo Pelo Mundo

Ser vegetariana ou vegana na Polônia

Ser vegetariana ou vegana na Polônia

Como acontece em muitas culturas europeias, a Polônia possui uma cozinha baseada em proteína animal, especialmente em carne bovina e suína. Regionalmente, muitos pratos são preparados também com aves, peixes e outros tipos de animais, como cordeiro.

À primeira vista, podemos pensar que uma pessoa vegetariana, usualmente alguém que consome proteína animal de forma restrita, sem ingerir carnes de qualquer tipo, mas que pode consumir leite, derivados de leite e ovos – podendo ou não consumir peixes e frutos do mar-, ou uma pessoa vegan/vegana, que não consome qualquer tipo de proteína de origem animal, poderiam ter poucas opções de alimentação em um país como a Polônia. Na realidade, não é esse o caso.

Cultura polonesa

A culinária polonesa possui diversos pratos típicos que são ou vegetarianos ou veganos em sua origem, sem precisarem serem adaptados para pessoas que não consomem qualquer tipo de carne. Isso faz com que poloneses, ou estrangeiros, que sejam vegetarianos possam também frequentar restaurantes típicos ou regionais na Polônia, sem medo de ficarem sem opção no menu.

Entre esses pratos, podemos citar os pierogi, um tipo de dumpling ou prato de massa, que pode ser recheado de batata e queijo cottage (pierogi ruskie), de cogumelos com chucrute (pierogi z kapustą i grzybami), ou de queijo com cebola (ser z cebulką), łazanki, uma massa cortada em quadrados, com chucrute e cogumelos, ou ainda o chłodnik, uma sopa de verão à base de beterraba e creme de leite.

Nos churrascos poloneses feitos ao ar livre, os grilly, não são raros os espetos de legumes, com pimentão, cebola, cogumelos e abobrinha. Em polonês wegetariańskie szaszłyki.

Datas comemorativas religiosas

Por mais que existam diversas outras culturas e religiões na Polônia, a religião predominante no país é a católica. E os poloneses católicos costumam respeitar, mesmo que apenas como expressão cultural sem a parte religiosa, os feriados e dias de observação de tradições católicas sem carne. Nessas datas, as famílias polonesas não levam à mesa diversos itens, como por exemplo carne bovina e suína.

É o que ocorre na Wielki post, ou Quaresma, os quarentas dias que antecedem a páscoa cristã, nos quais os poloneses católicos mais religiosos se abstém de consumir carnes, e principalmente na Wielki Piątek, a Sexta-Feira Santa, na qual os poloneses católicos seguem estritamente a tradição de consumir pratos com peixes, frutos do mar, vegetarianos ou veganos.

Mas, o feriado em que os poloneses e polonesas mais consomem pratos vegetarianos ou veganos é a Wigilia, véspera de natal polonesa, na qual são tradicionalmente consumidos 12 pratos sem carne.

Veja também: A véspera de Natal na Polônia

Onda vegetariana e vegana

A onda global de vegetarianismo e veganismo também se faz presente na Polônia, e diversos produtos vegetarianos e veganos podem ser encontrados, fazendo com que a alimentação natural possa também contar com produtos que substituem a carne de pratos do dia a dia.

Longe de serem as opções vegetarianas sem sabor e sem graça, na Polônia podemos encontrar opções reais, acessíveis e deliciosas em diversos supermercados.

É o caso da marca mais queridinha de todas, a holandesa Vivera. A marca oferece uma gama inclusiva de produtos, consumidos inclusive por não vegetarianos, como hamburger vegetariano, falafel, almôndegas vegetarianas, schnitzel de proteína de milho, entre tantos outros.

Veja também: Imigrar e viver legalmente na Polônia

Também vários restaurantes completamente vegetarianos e veganos surgiram na Polônia nos últimos anos, entre os mais famosos podemos citar o Krowarzywa, que conta com cinco unidades na capital Varsóvia e outras unidades em pelo menos sete cidades polonesas, incluindo a turística Toruń, o Youmiko Vegan Sushi, em Varsóvia, e o Manna 68 em Gdańsk.

Em uma pesquisa realizada pela empresa Mintel, a respeito de alimentação na Polônia, em que foram coletados dados a respeito de vegetarianismo e veganismo no país, 8% dos poloneses e polonesas se declararam vegetarianos, enquanto 7% dos poloneses e polonesas se declararam veganos. Ou seja, já em 2016, quando a pesquisa foi realizada, mais de 6 milhões de poloneses e polonesa se declararam vegetarianos ou veganos.

Em uma pesquisa realizada pela publicação Happy Cow em 2018, Varsóvia ficou com o título de sétima capital vegana do mundo, atrás apenas das mundialmente reconhecidas Londres, Berlin, Nova Iorque, Portland, Tel Aviv e Los Angeles. São Paulo, por exemplo, apenas recebeu uma menção honrosa pela publicação, mas não entrou para o ranking.

Respeito com restrições alimentares

Vale a pena ressaltar também que a Polônia segue estritamente a Regulação da União Europeia n° 1169/2011 e atualizações, a respeito de informações obrigatórias de ingredientes e insumos que determinado alimento pode conter, sendo em embalagens de alimentos industrializados ou não, e também em restaurantes, cantinas, voos, entre outros. Entre as informações obrigatórias, estão as que revelam se o produto ou prato possam conter, mesmo que traços ou resquícios, de carne, peixes, crustáceos, frutos do mar, leite, ovos, queijos, ou outros insumos de origem animal.

Em qualquer caso, e mesmo não dominando o idioma, é possível se guiar pela folhinha verde ou o “V” verde adicionados ao lado de pratos vegetarianos nos menus de restaurantes poloneses.

Na Polônia, é  comum que quando uma pessoa informa que é vegetariana, vegana ou que simplesmente não come determinado tipo de alimento, não apareçam questionamentos da razão pela qual essa restrição alimentar existe, como acontece no Brasil, por exemplo. Esse tipo de respeito, ou como dizem alguns, desinteresse em impor a própria opinião ao outro, também ocorre em diversos outros países europeus, como na Alemanha, Holanda ou Dinamarca.

Porém, uma coisa que se faz presente mais na Polônia do que nesses outros países é o esforço extra que um anfitrião, ou quem tem controle sobre a cozinha de um local, tem em se adaptar às restrições alimentares de um convidado ou cliente. Essa gentileza pode ser comparada ao capricho brasileiro de querer que todos se sintam à vontade em um determinado ambiente.

Related posts

Portugal para vegetarianos

Priscila Maranhão

JMJ/Cracóvia 2016

Valéria Oliveira Szewczyk

A facilidade de ser vegetariana na Alemanha

Maíra Nogueira

2 comentários

Ingrid Julho 27, 2019 at 9:16 pm

Muito bom saber que existem diversas opções. A Polônia é um dos países que me interessam passar uma temporada para estudar, e sou vegetariana 🙂 uma amiga também está em processo de mudança para Gdánsk.

Resposta
Raisa Rechter Julho 29, 2019 at 8:30 am

Sera muito bem-vinda!

Resposta

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação