BrasileirasPeloMundo.com
Casamento Pelo Mundo EUA

Tradições de casamento nos Estados Unidos

Tradições de casamento nos Estados Unidos.

Antes do casório

Aqui nos EUA, há uma grande expectativa com o pedido de casamento e anel de noivado. A tradição é um dos noivos fazer surpresa. A curiosidade é que muitos casais conversam antes e até procuram o anel de noivado juntos para não correr o risco de comprar algo que o/a parceirx não goste. Ainda assim, o pedido é feito de surpresa.

O pedido pode ser durante o jantar, uma viagem, ou algo que seja especial para o casal. Um dos dois coloca um joelho no chão e faz o pedido enquanto segura o anel. Diferente do Brasil, não há aliança de noivado para o noivo. Já a noiva recebe um anel de ouro, prata ou ouro branco com diamantes, ou outra pedra preciosa. Existe ainda a tradição de usar o anel de noivado de algum membro da família como avó ou mãe, mas a grande maioria das pessoas compra o anel na joalheira. Os mais românticos mandam fazer o anel sob medida.

Leia também: Casamento em Las Vegas

Estou noiva e agora?

Após o noivado, começa uma verdadeira maratona. Primeiro, todos querem ver o anel de noivado e ouvir a história do pedido. Depois, querem saber a data do casamento, se você ja escolheu o vestido e quem está na sua wedding party que seriam os padrinhos no Brasil. Aqui temos Bridesmaid e Maid of Honor para a noiva e Best Man e Groosman para o noivo, diferente de termos casais, como no Brasil. Essa escolha do wedding party é bem especial, podendo ser apenas uma pessoa de cada lado. A Maid of Honor e o Best Man são muito importantes porque assinam a documentação como testemunhas do casamento.

Durante a preparação para o casamento, também perguntam qual o tema do casório. Oi? Sim, casamento temático!  Por exemplo, você pode ter um destination wedding e fazer todo mundo viajar para algum lugar. Ou ter o casamento das princesas da Disney, ou mesmo se casar na Disney! Essas tradições começaram nos EUA, mas já chegaram ao Brasil.

Mesmo com casamentos temáticos, algumas tradições são seguidas à risca. Por exemplo, a lista de convidados é bem pequena se comparada ao Brasil (menos de 100 pessoas). Crianças, a não ser daminhas ou pajem, ficam de fora da festa. Isso foi um choque para mim!

Além disso, não basta ter um convite de casamento: é preciso ter o cartão de confirmação de presença e opção do menu. Isso porque na maioria dos casamentos o jantar é por prato, já que buffet e open bar são mais caros. Então, ao confirmar a presença você também escolhe o que comerá na festa. Se você escolheu carne e no dia da festa viu frango no prato de alguém, vai ter que comer carne mesmo, ou convencer alguém a trocar de prato com você!

Não posso deixar de falar de uma parte estressante do casamento: o seating chart. Aqui nos EUA, os lugares são sempre marcados. Isso evita que uma mesa tenha mais gente que a outra (nada de arrastar a cadeira para bater papo com o coleguinha antes do jantar). Também evita que aquela tia chata sente com alguém que não gosta dela. Fazer esse mapa dá muito trabalho!

Despedida de Solteiro

A despedida de solteiro é diferente do Brasil. Aqui não tem chá – bar  e sim Bridal Shower e Bachelorette Party  para a noiva e Bachelor Party para o noivo. O Bridal Shower é nosso chá de panelas, aonde a noiva não dá muito pitaco, cuidando apenas da lista de presentes. Tudo é organizado pela família ou pelas Maid of Honor e Bridesmaids. Essa tradição americana para as noivas está se tornando comum no Brasil. Para o noivo, a despedida de solteiro é normalmente num bar, ou fazendo alguma atividade como jogar golfe. Algumas pessoas optam por viagem com os amigos para a praia, ou vão Las Vegas, ou Nova Orleans. A intenção é se divertir e, não necessariamente, “aproveitar a solteirice” se é que você me entende.

Leia também: Tudo que você precisa saber para morar nos EUA

O casamento

O casamento aqui parece uma micareta com vários dias de festa. Na véspera, ou dois dias antes, temos o reherseal dinner. Esse jantar é um ensaio do grande dia para definir a ordem de entrada na igreja, aonde cada um vai sentar, a música para entrada de cada um, etc.

Os casais que seguem a tradição de cerimônia religiosa e festa, podem ter igreja pela manhã, ou à tarde, e festa à tarde, ou à noite. Parece novidade para nós, brasileiros, mas aqui é comum ter a cerimônia religiosa às 11 da manhã e a festa às 17 horas. Nesse intervalo os convidados vão para casa (alguns até trocam de roupa) e voltam para a festa depois. Enquanto isso, a wedding party tira fotos e descansa. Os casais mais modernos fazem tudo no mesmo lugar.

Na festa a tradição é: primeiro, cocktail hour com drinks e aperitivos. Depois, o DJ anuncia a entrada dos noivos e da wedding party (a gente entra no salão de festas com uma música especial). Em seguida, temos os discursos da Maid of Honor e do Best Man contando como os noivos se conheceram, um brinde e o jantar é servido. Após o jantar, acontece a primeira dança como casados, dança com os pais e irmãos, e em seguida a pista de dança é aberta para os convidados. Percebo que esse formato de festa tem sido incorporado no Brasil, principalmente, a parte da dança com coreografia e tudo.

Uma curiosidade fofa: durante a festa, os noivos se beijam sempre que um convidado bate na taça de champanhe fazendo aquele barulhinho, sabe? Depois de curtir bastante, a noiva joga o buquê e o noivo joga a cinta-liga da noiva para os solteiros. Por fim, é hora de cortar o bolo e a festa acaba. Hora de curtir a lua de mel!

Free Photo by Andre on Unsplash

Nosso casamento

No nosso casamento, tentamos misturar ao máximo as tradições. O noivado foi surpresa. Depois, cuidei dos detalhes da cerimônia e festa com um app do Wedding Wire. Para a cerimônia, os americanos têm a tradição de escrever os votos, mas seguimos a tradição brasileira dos versos bíblicos. Na festa,  tivemos bem-casados como no Brasil e bolo na cara como os americanos. Por fim, segui a tradição americana do something old, something new, something borrowed and something blue. Espero que você tenha gostado de saber mais sobre as curiosidades do casamento americano.

Related posts

Jackson Heights: um dos bairros com mais diversidade cultural no mundo

Michelle Marinho

EUA – Mudanças

Lorrane Sengheiser

Dicas de passeio no Central Park em Nova Iorque

Michelle Marinho

2 comentários

Mariana Tissi Junho 30, 2019 at 2:01 am

Carle, amei o texto!! E realmente da pra ver que dá trabalho! E, eu assisto “Say yes to the dress” , e acho curioso tbm que aqui no Brasil é tão comum o aluguel dos vestidos, tem quem compre sim, mas a grande maioria aluga, e aí parece que é mais comum comprar né! Já a parte de fazer o mapa dos convidados para os convidados é ótimo porque ficam perto os que já são íntimos!

Resposta
Carleara Weiss Junho 30, 2019 at 4:43 pm

Oi Mari, obrigada por ler o texto!
Amo “Say yes to the Dress”, assisti muito quando estava escolhendo meu vestido. Realmente aqui é mais comum comprar e depois a gente guarda com o maior cuidado. Vira uma relíquia!
O mapa dos convidados deu muito trabalho, mas foi legal pra juntar as pessoas amigas também. E ajudou a colocar pessoas que falam a mesma língua perto, para traduzir tudo que estava acontecendo. Valeu a pena!
Grande abraço!

Resposta

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação