BrasileirasPeloMundo.com
Israel Transporte Público Pelo Mundo

Transporte público em Israel

Transporte público em Israel.

Nasci em Porto Alegre, capital gaúcha, uma cidade que ainda tem muito a se desenvolver no quesito mobilidade urbana. Esta é a realidade de muitas cidades brasileiras, esquecidas quando o assunto é planejamento, infraestrutura e investimento em opções que promovam mais qualidade para os usuários dos diferentes modais de transporte: pedestres, ciclistas e motoristas. Neste texto, conto sobre mobilidade urbana em Israel e as particularidades do transporte no Shabat (nome dado ao dia de descanso semanal no judaísmo).

Transporte público

Transporte público é a forma preferida de muitos israelenses para deslocamentos diários. Nesta decisão, entram fatores relacionados com problemas de estacionamento, trânsito (principalmente nas grandes cidades), questão econômica, entre outros fatores. Estacionar em Tel Aviv, por exemplo, é quase uma perseguição de gato e rato e a forma como os carros ficam estacionados faz parte da experiência cultural da cidade. Para quem opta por ônibus municipal diariamente, a dica é fazer o plano mensal do Rav-Kav, cartão de descontos que pode ser utilizado em todas as integrações de transporte, e usar o aplicativo “Moovit” para informações sobre horários, trajetos e atrasos de ônibus. Em sua maioria, os ônibus são modernos, confortáveis, possuem entrada USB e ar-condicionado.

O trem é uma opção bastante usada para deslocamento entre cidades e são operados pela Israel Railways. O sistema ferroviário é integrado quase de ponta a ponta do país, possuindo integração desde Neharya, no extremo norte, passando por cidades importantes, como Haifa, Tel Aviv, e chegando ao sul, em Ber Sheva e Ashkelon. Alguns pontos de destaque são as quatro estações em Tel Aviv e o aeroporto Ben Gurion. Quem visitar Israel em 2018 poderá disfrutar de uma novidade muito esperada no país, um trem de alta velocidade que fará o deslocamento entre as maiores cidades, Tel Aviv e Jerusalém, em menos de 30 minutos (incluindo uma parada no aeroporto Ben Gurion). O projeto é um dos maiores investimentos no sistema ferroviário dos últimos tempos.

Leia também: Como é morar em Israel

Além de ônibus e trem, Israel possui um transporte bem típico e particular: o sherut. Ele nada mais é do que uma minivan, muito semelhante ao que temos no Brasil, com valor um pouco mais elevado que ônibus e flexibilidade nos pontos de parada. O particular desse transporte é a forma de pagar: após sentar no assento, o passageiro passa o dinheiro da passagem de mão em mão até o cobrador, que devolve o troco da mesma forma. O sistema de sherut tem três linhas: de uma cidade para outra, dentro da cidade em uma linha semelhante ao ônibus e do aeroporto para Jerusalém e Haifa.

 Ciclovias e caminhadas

Israel é um pequeno país e as noções de distância são bem distintas das que temos no Brasil. Moro tem Tel Aviv e, a maioria das minhas atividades, faço a pé ou, quando realmente necessário, de ônibus e bicicleta. Logo que cheguei, quando o google maps mental falhava, perguntava bastante pelas ruas: “onde fica tal lugar? ”, e muitas vezes a resposta era “é longe, o ônibus tal deixa perto”. O longe, nesses casos, significavam caminhadas de 15/20 minutos. Para nós brasileiros, isto seria considerado perto. Toda esta introdução para dizer: caminhe! As cidades israelenses são pequenas para o nosso padrão de Brasil e muitas coisas podem ser feitas a pé.

Em cidades planas como Tel Aviv, as bicicletas (motorizadas ou não) são extremamente comuns. Tel Aviv possui ótimas ciclovias que unem quase toda a cidade, além de ser muito agradável pedalar no calçadão frente à praia ou no parque Hayarcon, as bicicletas são usadas por um número considerável da população como transporte para ir ao trabalho. Para turistas ou moradores que não querem preocupação com onde deixar a bicicleta, há um sistema da prefeitura de aluguel chamado “Tel-o-fun”. Os pontos de aluguel são espalhados por toda a cidade e, após o uso, basta retornar a bicicleta ao ponto mais perto. Existe a possibilidade de fazer o plano anual, que fica bastante econômico.

Leia também: dez curiosidades sobre Israel

No Shabat

Shabat é o nome dado ao dia de descanso semanal no judaísmo. Neste período, o transporte é reduzido ao ponto de, em sua maioria, ônibus e trens não operarem do final da tarde de sexta-feira até o final da tarde de sábado. Durante este período, as opções de transporte público são poucas, com destaque para o sherut. Em Israel há leis que proíbem a maioria dos transportes públicos de operarem durante o Shabat e, como é de se esperar, uma parcela considerável da população contesta esta decisão por sua natureza ser baseada em um preceito religioso pouco aplicado para a atualidade. Este debate está no topo das discussões políticas em Israel e, nos últimos meses, algumas iniciativas ganharam destaque com operações de transporte que vão contra a esta decisão. Empresas como a Shabus  e Nua Tanua atuam com transporte público no Shabat. As linhas são limitadas, mas estas iniciativas são o retrato que há mudanças acontecendo no setor.

De carro, ônibus, trem, bicicleta ou a pé, uma coisa é certa, Israel é uma país que vale ser visitado!

Related posts

Licença maternidade pelo mundo

Ann Moeller

Transporte público em Sofia

Monique Borges

Supermercados em Israel – Dicas para gastar menos

Aline Rod

4 comentários

Luiza Novembro 1, 2017 at 12:34 am

Que legal! Eu espero visitar um dia. Beijos!

Resposta
[email protected] Agosto 17, 2018 at 8:38 pm

gostaria de saber se tem onibus do aeroporto ben gurion para eilate e tb o preço, por favor, alguem pode me passar essa informação?

Resposta
Liliane Oliveira Agosto 18, 2018 at 4:02 pm

Olá,
A Marianne Swirski parou de colaborar conosco e, infelizmente, não temos outra colunista morando no país.
Obrigada,
Edição BPM

Resposta
RODRIGO DA SILVA MELO Dezembro 31, 2018 at 4:22 pm

Na prática as coisas não são nada fáceis em Tel Aviv. Se entrar no ônibus. Não há como pagar direto ao motorista.
O cartão rav cav vc tem que andar de conveniência em conveniência até achar uma que venda. As pessoas não falam inglês. O cara me vendeu o cartão por 50 shekels e não soube explicar quantas viagens (trechos) estavam inclusos.
Os ônibus não tem nada em inglês.
Muito difícil a locomoção.
O táxi caríssimo.. nenhum trecho sai menos que 50 reais (pq o taxímetro continua rodando parado e congestionamento é a regra).
Bem decepcionado nesse sentido em Israel

Resposta

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação