BrasileirasPeloMundo.com
Itália Transporte Público Pelo Mundo

Transporte público em Roma

Transporte público

Transporte público em Roma.

A maioria das pessoas, ao  chegar em outro país, utiliza inicialmente o transporte público. E por mais que não seja tão diferente do que estamos acostumados, fazer algo pela primeira vez é sempre um desafio. Hoje vou explicar um pouco de como as coisas funcionam em Roma, espero facilitar a vida tanto do turista, como do futuro morador.

A primeira coisa que você precisa saber é como funcionam os bilhetes. Eles são vendidos nas máquinas em todas as estações, e você paga por tempo. Os valores são: 1,50 euros por 100 minutos; 7 euros por 24 horas; 12,50 por 48 horas e 18 por 72 horas.

A validade começa a contar à partir da primeira validação, e o bilhete pode ser usado em todos os meios públicos, ou seja, o mesmo tíquete é válido para metrô, ônibus e trem metropolitano. Mas lembre-se: todas as catracas ”engolem” o bilhete e, em seguida, o devolvem, nunca deixe o seu bilhete para trás durante o percurso.

Para quem precisa do transporte diariamente, a melhor opção é o bilhete único, conhecido como: abbonamento. O valor do bilhete mensal é 35 euros, e o anual custa 250 euros. O abbonamento é feito e entregue na hora, no guichê de algumas estações de metrô. Não tem taxa, somente o valor da recarga é pago, e é necessário levar uma foto 3×4 para ser anexada ao cartão. Existe a opção de fazer com o documento de identidade ou somente com o passaporte.

Leia também: Dez fatos sobre Roma

Metrô

Em Roma, temos as linhas A, B e C . As estações não são tão novas como estamos acostumados no Brasil, porém, o trem é grande, espaçoso e bem limpo. A segurança do metrô é feita pelo exército italiano, então, não se assuste ao ver os militares armados dando uma volta por ali. Em todas as estações de metrô você encontra as máquinas para comprar os tíquetes.

Uma coisa legal é que nas plataformas existem placas eletrônicas avisando em quantos minutos o metrô vai chegar, isso em todas as estações, inclusive nas dos trens e até em alguns pontos de ônibus.

Ônibus

Existem dois tipos: o municipal (de Roma) e o regional (Lazio).

Atac é o nome da empresa dos ônibus que circulam dentro de Roma. Os ônibus são limpos, novos e espaçosos. Circulam com frequência, inclusive alguns à noite, e o Google Maps fornece os horários atualizados e mostra todos os pontos. Você pode entrar e sair por qualquer uma das portas, e sempre deve passar seu bilhete ou validar seu tíquete na máquina. Não tem controle para saber quem paga ou não, e por este motivo muitas pessoas usam sem pagar. Mas não vamos fazer isso, certo?!

Cotral é a linha dos ônibus da região do Lazio, que levam os passageiros para os entornos de Roma. Também têm ótimo estado de uso, porém o controle é rigoroso. Você entra pela frente e só passa pelo motorista se tiver bilhete único ou tíquete. O valor é cobrado por quilômetro percorrido – eu pago 2,20 euros por um trajeto de 25 quilômetros.

Trens municipais

Os trens são antigos, pichados, porém, limpos e quase não dão problemas no percurso. Em um ano, nunca vi quebrar ou não passar. Se você não precisar pegar o metrô ou o ônibus depois do trem, existe a opção de pagar 0,80 euros somente para a viagem do trem.

Trens de viagem

Os trens para sair de Roma e ir a outras partes da Itália são: Trenitalia, Italo treno e Frecciarossa.

Os preços variam por quilômetros percorridos, ou seja, quanto mais longe, mais caro. Esse bilhete você pode comprar nos guichês das estações ou nas máquinas. As máquinas aceitam cartão e têm vários idiomas, é bem simples realizar a compra, além de seguro. Quando pegar o seu bilhete e for para a plataforma, lembre-se que deve validá-lo antes de entrar no trem. Sim, é possível em algumas estações entrar no trem sem pagar, porém o controle é rígido, e se você for pego deverá pagar na hora o valor da passagem, mais uma multa, que é praticamente o valor de outra passagem. Você pode fazer a compra antecipada do bilhete pelos aplicativos: trenitalia, italotreni, omio, frecciarossa e outros apps de viagem.

Ao chegar no aeroporto a melhor opção é, sem dúvidas, o trem. Você vai procurar pelo trem ”Leonardo Express”, que com o custo de 17 euros te levará à estação Termini, que é a estação central, a principal de Roma, em 30 minutos. Os trens são contínuos e têm saídas a cada 20 minutos. Esse bilhete não é o mesmo que se usa para o metrô, esse tíquete é bem grande e contém as informações do seu trem, como plataforma e horário.

Leia também: Curso de italiano gratuito em Roma

Táxi

Nunca peguei táxi em um ano morando na Itália, nem Uber, nem qualquer outro tipo de carro particular. Primeiro porque não tive a necessidade, e segundo porque sei que é caro. Uma vez, logo quando cheguei, informei-me de quanto seria uma corrida de onde eu moro até a estação de trem, uns 20 quilômetros. O preço era 100 euros, trajeto que de ônibus pago 2,20 euros. Ou seja, o táxi é apenas para super emergências, pois acaba sendo uma viagem de luxo.

FlixBus

Já viajei de FlixBus muitas vezes, indico e acho a melhor opção. A viagem é, sim, mais longa comparada com o trem, porém o preço é muito melhor. A empresa tem ônibus para toda a Itália, com preços bons, ônibus novos, com Wi-Fi, USB, tomadas e banheiros. Uma viagem, com pelo menos uma semana de antecedência, de Roma a Milão custa 20 euros, já de Roma a Pompeia custa 10 euros. Se puder, compre com antecedência, pois os ônibus vão cheios e você corre o risco de não achar bilhete para o horário que estava planejando. Uma dica: os bilhetes do FlixBus não são reembolsáveis, mas você pode trocar a data ou o destino se precisar – o site faz um voucher e ”guarda” o valor do seu bilhete para uma próxima compra (não é o valor total, tem um pequeno desconto).

Além desses meios de transporte, também existe a opção de aluguéis de carro, bicicletas e até mesmo patinetes, porém eu não sei como funciona, nunca aluguei, mas sei que tem pontos para alugar por toda a cidade.

Bom, acredito que com essas informações já fica um pouco mais fácil chegar à Itália e poder se locomover. Eu usei o Google Maps por muito tempo até me familiarizar com todos os caminhos, e sugiro a você usá-lo também. Como já citei, o Google tem todos os horários, nomes dos pontos e percursos atualizados, para você não se perder na sua viagem.

Se ficou alguma dúvida pode escrever-me! E uma boa viagem!

Related posts

Um tour gastronômico pela culinária napolitana – parte 2

Daisy Salles

Guia completo sobre o sistema educacional Italiano

Gisela Ude

Dicas de turismo pelas regiões italianas

Raquel Gonçalves

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação