BrasileirasPeloMundo.com
Quênia Turismo Pelo Mundo

Turismo no Quênia- Parte 1

Turismo no Quênia.

Muita gente me pregunta como é a África e quais são os requisitos para entrarmos no Quênia. Se você busca conhecer o continente africano mas tem medo por pensar ser um lugar não amigável e inóspito, sugiro começar pelas bandas de cá. Aqui você irá conhecer um pouco da África e todas as maravilhosas coisas que o continente oferece de forma agradável e relativamente segura e, caso fale inglês, não terá problema algum para se comunicar uma vez que é um dos idiomas oficiais.

Preparei este texto em duas partes. Na primeira parte falo de como entrar aqui, o visto, hospedagem e documentação necessária. No próximo texto falarei sobre os passeios e os locais mais interessantes a serem visitados aqui.

1 – Planejando a viagem:

  1. –  Vacinas: Primeiramente, antes de pensar em sair do Brasil, tome sua vacina de febre amarela e faça a sua carteirinha internacional de vacinação nos postos da ANVISA nos aeroportos (deverá ser agendado previamente em Viajante. Cheque o aeroporto mais próximo de você e compareça ao posto da ANVISA com a carteirinha de vacinação aonde conste que a vacina foi tomada há, pelo menos, 10 dias. Desde 2017 a OMS considera que a vacina da febre amarela tem validade para o resto da vida, portanto, mesmo que você tenha tomado a vacina há mais de dez anos, não é preciso tomar novamente. Compareça com a carteirinha ao aeroporto e faça a carteira internacional normalmente.

O Quênia é extremamente rigoroso com a vacina tanto na hora de embarcar no Brasil quanto no desembarque, portanto, se não quiser ficar em quarentena ou ser impedido de embarcar, não se esqueça da vacina.

– Visto de entrada: O Quênia é um país tranquilo para entrar, mas exige visto prévio para brasileiros. O visto pode ser tirado na entrada do país no momento do desembarque e tem o custo de 50 dólares americanos (pagos em espécie na hora da entrada), mas, para evitar inconvenientes e ter problemas com a língua, principalmente se você não fala inglês ou Swahilli, sugiro que tire o visto com antecedência no site Evisa e apresente o visto tanto na hora do embarque no Brasil quanto no desembarque no Quênia.

Passagem de volta: Este é um item que creio que a maioria sabe que é o fato de que muitos países não admitirem a entrada de uma pessoa se ela não tem a passagem de volta comprada no ato do embarque. No Quênia ninguém na realidade irá te perguntar se você tem a passagem de volta ou não, mas no Brasil no momento do embarque sim, irão perguntar e não te deixarão embarcar se você não apresentar a passagem que comprove a data de saída do Quênia. Portanto, imprima e leve sempre consigo a passagem de volta.

Passaporte: tanto faz se você utiliza o passaporte europeu, americano ou brasileiro, para entrar no Quênia, salvo que você seja cidadão queniano, a exigência do visto é a mesma.

Leia também: Turismo em Bali, na Indonésia

2- Chegando no Quênia:

  • Aeroporto: Na aduana, muitas vezes irão te pedir para revistar as bagagens e não é raro que os agentes aduaneiros comecem a perguntar se trouxeram presentes para familiares ou se tem artigos proibidos. A aduana aqui não é muito diferente de muitos países. É proibido a entrada de espécies vegetais, sementes, laticínios e embutidos (apesar de que conheço muita gente que entrou com estes itens nas malas). Muitas vezes os agentes aduaneiros começam a fazer exigências absurdas com relação às bagagens, mas na verdade é um pretexto para te pedir propina. Se isso acontecer com você aconselho a ser firme e a falar que não irá pagar nada extra caso não tenha levado nada fora do comum. É muito normal aqui eles pedirem propina por qualquer coisa, portanto, fique esperto.

 

  • Moeda: Se não houver trazido a moeda local em espécie (Kenya Shillings) aconselho trocar um pouco logo na chegada no aeroporto pois ninguém aqui usa dólares no dia a dia, portanto, troque um pouco para pagar seu taxi e eventuais gorjetas. A taxa cobrada no aeroporto, como sempre é mais alta, mas nada absurdo. Cada dólar compra, em média, 102 Kenya shilllings. Não traga real. Aqui ninguém irá trocá-los para você.

 

  • Transporte: Há taxis nos aeroportos que cobram em torno de 20 dólares para fazer o transporte para o hotel. São seguros e eu prefiro pegar eles do que um Uber, pela praticidade e, porque nestes casos, o preço não varia muito.

 

  • Hospedagem: Nairóbi é uma cidade grande, com um transito caótico. Salvo que você fique na casa de algum amigo, aconselho a ficar em um hotel próximo a região central, como, por exemplo, Westlands, Upper Hill, ou Kilimani. O primeiro bairro é bem bacana pois, se você é amante da vida noturna é onde se localizam as baladas mais interessantes da cidade, existem bons restaurantes e um cassino com um bar bastante badalado, ao estilo africano. Acredito que boa parte do seu tempo no Quênia será fazendo safáris e passeios, portanto, ficar no centro da cidade não é uma boa opção pois sempre há protestos, fecham as ruas, o trânsito é difícil e, às vezes, tudo pode ficar perigoso.  De qualquer forma, prepare-se para usar muito Uber por aqui, além de ter um preço acessível, funciona bem.

 

  • Comida e restaurantes: Há muita opção de restaurantes e diferentes tipos de comida que vão desde as italianas até as mais picantes comidas indianas. Caso goste de tomar uns drinks as opções aqui são bem variadas e não é difícil encontrar promoções de 2×1 no happy hour oferecendo as locais cervejas Tusker ou caipirinhas e mojitos. Sugiro cautela com relação aos restaurantes. Peça tudo que for bem cozido e conhecido. Lembre-se que Nairóbi está a 500 Km do mar, então nem sempre camarões são a melhor opção. Você não irá querer arruinar sua viagem por ter pego uma infecção intestinal, algo bastante comum por esses nossos lados.

 

  • Segurança: Não é o lugar mais seguro do mundo, mas já havia comentado aqui que é muito mais seguro andar nas ruas do Quênia do que nas ruas do Brasil. De qualquer forma, recomenda-se que não se ande a pé durante à noite, cuide de seus pertences e não ande com nada de muito valor pelas ruas do centro. Ande de preferência com uma cópia simples de seu passaporte e do visto de entrada (pode-se tirar cópias em qualquer shopping da cidade) e guarde o original no cofre.

Caso estiver visitando algum bairro, favela ou no centro e der de encontro com alguma manifestação, tente se afastar o máximo possível. Em alguns casos como já relatei aqui as manifestações podem ficar violentas e a polícia não utiliza balas de borracha.

Existe Embaixada do Brasil em Nairóbi. Em caso de algum acidente ou emergência envolvendo cidadãos brasileiros anote o telefone de contato que é o +254 733 702 272.

No próximo texto, falarei sobre os melhores passeios, safáris, praias e pontos turísticos.

Até o próximo!

Kwa heri!

Related posts

Brooklyn: uma feliz extensão de Manhattan, em Nova Iorque

Debora L. Juneck

AIDS, o assassino que o Quênia finge não existir

Daniela Milani

Observatório de Carmen Alto em Arequipa

Jéssica Soares

1 comentário

Henrique Agosto 10, 2018 at 1:09 pm

Daniela , bom dia !
Tudo bem ? Você está me ajudando bastante com as dicas , no meu caso eu sou estudante de Ed física e o Quênia é uma maternidade de bons corredores , rsrs.
Quero ir em julho de 2019 passar um mês com eles e estudando o dia a dia do treino dos atletas . Você poderia me dá alguma dica nesse caso específico.
Grato

Resposta

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação