BrasileirasPeloMundo.com
Polônia Turismo Pelo Mundo

Viagem à Malbork e Gdańsk, na Polônia

Este mês recebemos nossa primeira visita desde a mudança; minha tia veio passar 15 dias com a gente. Não víamos a hora dela chegar! Minha filha era a mais ansiosa, queria mostrar nossa casa nova, as coisas que ela já consegue falar em polonês, mostrar o que já conhece da cidade. E nesses 15 dias de “férias” decidimos visitar Malbork e Gdańsk.

Na Polônia praticamente todo mundo viaja de trem; temos trens para todos os lugares, todos os dias e horários, além de uma variedade de tipos de trens, em que basicamente o que muda de um para outro é o valor da passagem, a duração da viagem e o conforto oferecido. Fora isso, todos oferecem a passagem familiar, que pode ser para um adulto + uma criança ou dois adultos + uma criança. No meu caso, pegamos pela passagem familiar dois adultos + uma criança e tivemos um desconto de 30% no valor total. Para procurar passagens de trem, ver preços ou comprar, clique aqui.

Nossa primeira parada foi na cidade de Malbork, onde visitamos seu famoso castelo. Desembarcamos na estação 3 horas depois de sairmos de Varsóvia, e fomos caminhando por 15 minutos até o castelo. Lá também compramos o bilhete familiar que sempre sai mais em conta, já estando incluso no valor a visita com um guia (polonês, inglês ou russo) ou um áudio-guia (polonês, inglês, alemão, russo, francês, espanhol ou italiano).

A cidade fica localizada ao norte da Polônia e nasceu ao redor do Castelo de Malbork, que começou a ser construído em 1274 pela Ordem dos Cavaleiros Teutônicos. O Castelo é o maior do mundo em área e a maior construção de tijolos em toda a Europa, além de ser Patrimônio Cultural da UNESCO. A visita leva em torno de 4 horas e nos conta um pouco da história dos Cavaleiros Teutônicos, da Polônia e de como era a vida dentro do complexo medieval. Como estávamos com crianças, fiquei apreensiva de ser um passeio entediante para elas. Mas foi o contrário, pois elas adoraram e se interessaram por tudo o que vimos. Passamos por dormitórios, cozinha, refeitórios, banheiros, sala de reuniões, hospital, correio. Vimos todas as transformações que o complexo sofreu com o passar dos séculos, como ficou após a Segunda Guerra Mundial e todo o processo de restauração. Lá dentro existem 3 restaurantes, então, almoçamos em um deles, todo em estilo medieval, com lareira, mesas e bancos de madeira. A comida era uma delícia e o preço justo.

Cavaleiros Teutônicos
Cavaleiros Teutônicos

Depois de visitar todo o castelo, voltamos para a estação e pegamos um trem que, depois de 40 minutos de viagem, nos deixou em Gdańsk.
Gdańsk é uma cidade na costa do Mar Báltico e é o principal porto da Polônia. A história da cidade é bem complexa e conta com períodos de domínio polonês, alemão e períodos autônomos, mas desde 1945, faz parte outra vez da Polônia. A arquitetura da Cidade Velha de Gdańsk é muito peculiar, pois mescla os estilos barroco, gótico e renascentista. Quase toda a Cidade Velha foi reconstruída após a Segunda Guerra Mundial com base em fotos, quadros e pinturas.

No dia seguinte, acordamos e fomos direto conhecer as principais atrações. A Cidade Velha em si é bem pequena. Com um bom planejamento é possível visitar os principais pontos turísticos. Como tínhamos pouco tempo, nosso principal foco foi o centro histórico.

Orla do Rio Motława
Orla do Rio Motława

Nossa primeira visita foi ao Żuraw, que junto à Fonte de Netuno é o símbolo da cidade. Trata-se de um portão/guindaste, feito totalmente de madeira, que foi construído no século XIV e fica na orla do rio Motława. Saindo de lá passamos pelo Portão Verde (Brama Zielona) e chegamos na Praça do Mercado e Ulica Długa (Rua Comprida ou Principal), que vão até o Portão Dourado (Złota Brama). Essas são as ruas mais famosas da cidade, suas casas pertenciam somente aos moradores mais ricos.

É aqui também onde fica a Fonte de Netuno. A imagem de bronze do Deus dos Mares foi desmontada e escondida durante a Segunda Guerra Mundial e só voltou para o seu lugar em 1954. É, sem dúvida nenhuma, o lugar mais fotografado da cidade. Bem atrás da fonte fica a Corte de Artur (Dwór Artusa), que era a Câmara do Comércio inspirada na lenda do Rei Artur, construída em meados do século XIV, lugar onde os comerciantes mais ricos da cidade se encontravam. Vale a pena entrar, ver a requintada decoração e a enorme fornalha de quase 11 metros, localizada em um dos cantos do salão principal.

Na Ulica Długa fica a Prefeitura, num dos prédios mais bonitos da cidade, construído em 1379. Depois do almoço fomos até a Igreja da Santíssima Virgem Maria, que é o maior templo de tijolos da Europa, construída entre 1343 e 1502. Lá, subimos 410 degraus em uma altura de 82 metros e chegamos até o mirante, onde conseguimos ver Gdańsk inteira de cima. A subida é cansativa, mas a vista vale muito a pena. Quando descemos já estava na hora de ir para a estação de trem para voltar pra Varsóvia.

Gdańsk de cima
Gdańsk de cima

A viagem foi rapidinha, não conseguimos visitar tudo, mas mesmo assim valeu muito a pena e só deixou a vontade de voltar para conhecer mais Gdańsk.
Até mais.

Para saber mais:
Cidade de Malbork em inglês
Castelo de Malbork em inglês
Cidade de Gdańsk em inglês
Principais atrações em Gdańsk em inglês
Apartamentos em Gdańsk em inglês

Related posts

Dicas de turismo em Glasgow

Daniela Madureira

Fim de semana em Rouen

Rosana Alcântara

Turismo perto de Barcelona: mar e montanha

Clara Nascimento Silva

4 comentários

Renata Salas Collazo Junho 13, 2016 at 1:12 am

Gizelli,
Lindo texto adorei… Morei 7 meses em Wroclaw e foram inesquecivies….Definitivamente a Polonia mora no meu coracao!!!!

Resposta
Gizelli Gliwic Junho 15, 2016 at 12:07 pm

Oi Reanata!

Fico feliz que tenha gostado!
A Polônia marca a gente de um jeito inesquecível mesmo!
Continue acompanhando os textos das colunistas daqui para matar um pouquinho a saudade!

Abraços,
Gizelli

Resposta
Maurício Estrada(Floripa) Agosto 23, 2016 at 1:58 pm

Meu sonho é conhecer Gdansk,um dia do nada no google maps,peguei o bonequinho e arrastei até qualquer lugar da Europa e ele caiu bem em Gdansk.Dái pra frente sempre voltei a andar por Gdansk no google maps,pelas estradas e hoje em dia quando eu for conhecer de verdade a cidade(Se Deus quiser ainda vou…,sei andar por tudo como se fosse praticamente Florianópolis,cidade onde sou nascido e moro até hoje.
Parabéns pelo Blog.
bj

Resposta
Gizelli Gliwic Agosto 27, 2016 at 12:46 am

Oi Maurício!!!

Obrigada, fico feliz que tenha gostado e torço para que logo você conheça Gdansk ao vivo! Com certeza, você ficará mais encantado!

Abraços,
Gizelli

Resposta

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação