BrasileirasPeloMundo.com
Moçambique Trabalho Voluntário Pelo Mundo

Voluntariado na África

Voluntariado na África.

Confesso que viver na África tem sido uma grata surpresa, tanto pela receptividade que tivemos, como a facilidade de adaptação à nova vida. Li um pouco de tudo sobre esse lugar, tão distante da nossa realidade, conhecido por sua extrema pobreza, mas também pela grandeza de generosidade das pessoas. E foi assim que conheci a dona Laura.

Após alguns meses de nossa mudança e o turbilhão de sentimentos e afazeres que um novo lar exige, conheci um grupo de pessoas que se unem pela solidariedade. Pessoas que acreditam que toda boa ação é muito bem vinda num lugar onde se sobrevive com muito pouco e a vida por si só é muito difícil. Por isso, todo final de semana essa turma se reúne e visita a casa da dona Laura para levar um lanchinho, bater um papo, levar aconchego e esperança de tempos melhores para algumas crianças que lá vivem.

Dona Laura é uma senhora moçambicana que acolhe crianças sem lar e lhes oferece cuidado, um bocado de comida e muito amor. Mesmo com pouquíssimos recursos provenientes em sua maioria de doações, esta senhora com sua bondade e abrigo tem se tornado uma referência de acolhimento para as crianças que a cada dia só aumentam ao seu redor.

Leia também: Trabalho voluntário com crianças carentes na África do Sul

Na primeira vez que fomos até lá, levei a minha filha para brincar com as crianças e também nos ajudar. Tenho a percepção que para uma criança na idade dela ainda é complicado explicar algumas coisas como a solidariedade. Por isso, achamos que mostrar através do exemplo seria a melhor forma de despertar nela o sentimento de generosidade e afeto. Uma oportunidade de aprender a ajudar e se importar pelo outro sem receber algo em troca. E olha que no final do dia, nós não tínhamos ideia do quanto aquela experiência iria nos agregar e nos tornar pessoas melhores.

Fizemos literalmente uma festa para as crianças. Levamos bolo, suco, leite, doces, pula-pula, decoramos a casa e fizemos diversas atividades. Coisas tão simples para o nosso cotidiano, mas tão especiais para os pequenos. E nessa hora todo mundo vira criança. Também procuramos orientar as crianças quanto à importância de irem à escola, cuidados básicos de higiene e também ajudarem a dona Laura com tarefas simples como retirar a mesa e lavar seus próprios pratos e copos após as refeições. Mais uma vez todos se guiando por um bom exemplo de que, com um pequeno esforço de cada um, podemos melhorar a convivência de todos.

Foto IG @seebeautifulafrica
Foto IG @seebeautifulafrica

Leia também: Vistos para morar em Moçambique

A minha filha brincou, ajudou, lanchou com todos e foi embora feliz. Era mais uma criança brincando em meio a tantas outras. O olhar de uma criança é tão inocente e cego às diferenças que me faz refletir que a maior cegueira está em nós. Crescemos, formamos nossos valores, nos tornamos cidadãos de bem, mas algumas vezes deixamos o olhar da pureza esquecido. Para ela foi mais um dia de brincadeiras e de fazer novos amigos. Para nós, uma grande lição de como podemos ser melhores a cada dia.

A África muda a nossa perspectiva sobre a vida. Faz-nos olhar para o outro com mais atenção. Mostra-nos o real sentido da desigualdade, a intensidade da falta, o significado de se viver com o que tem e mesmo assim ter um sorriso para dar.

Related posts

A minha experiência na Cruz Vermelha Francesa

Fernanda Libardi

Trabalho voluntário em Glasgow

Débora Farias

10 dicas para viajar o mundo como voluntária

Vanessa Tenório

2 comentários

Marcela Sato Prieto Fevereiro 18, 2019 at 12:21 pm

Olá Beatriz, como vai?

Gostaria de conversar com vc sobre Moçambique, poderia me passar contato? Ou me chamar no e-mail para eu enviar contato mais direto, por favor?!
Obrigada até aqui!

Resposta
Liliane Oliveira Fevereiro 18, 2019 at 5:17 pm

Olá Marcela,
A Beatriz Miura parou de colaborar conosco e, infelizmente, não temos outra colunista morando no país.
Obrigada,
Edição BPM

Resposta

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação