Alemanha – Doulas na Alemanha

2
420
Advertisement

Tem doulas na Alemanha? Tradicionalmente a gestante e a parturiente tinham ao seu lado mulheres experientes que lhes ofereciam tanto ajuda com os afazeres domésticos como apoio emocional durante as últimas semanas da gestação, durante o parto e no pós-parto. Com o passar dos tempos, e por diversas razões, a experiência do parto foi sendo direcionada por uma equipe médica e transferida para os hospitais, ao invés de continuar sendo vivida praticamente por mulheres num ambiente familiar e confiável.

É claro que a medicina trouxe muitos avanços consigo, esta não é minha questão, mas este cenário é também de muita impessoalidade, não se pode  negar. O desejo latente em muitas mulheres por um acompanhamento mais íntimo, pessoal e direto é legítimo e compreensível, seja na Alemanha, no Brasil ou em quaisquer países ocidentais.

É sonho de toda mulher dar à luz ao seu bebê de maneira segura, com acolhimento e amor. Mas nem sempre é o que acaba acontecendo. Cada vez mais são frequentes as histórias de mulheres onde o clima na sala de parto era de pressão, brutalidade e às vezes até violência, tendo-se em vista a alta incidência de violência obstétrica.

No fim, em muitos casos, devido a todo este cenário nada favorável para um nascimento natural, muitos bebês acabam vindo ao mundo através de uma cirurgia cesária. Sem falar das marcas emocionais que uma mulher leva consigo quando não é tratada com atenção, cuidado, amorosidade e incentivo num momento de tanta vulnerabilidade. “Gostaria de ter tido alguém do meu lado, que me apoiasse de um jeito que meu marido não soube fazer. Alguém com empatia e experiência que me dissesse: Vai, você consegue! E com a correria do hospital, não tive nenhuma parteira ao meu lado como imaginava. Acabei ficando sozinha e desamparada”, relatou-me uma amiga alemã.

Ter um acompanhamento profissional de uma doula ao lado da parturiente durante o parto, – essa experiência de muitos extremos, tanto físicos como emocionais – , pode favorecer o desenrolar natural do parto, sendo positivo para a mulher e para o bebê, pois a doula estará com dedicação exclusiva para a futura mãe.  Nem sempre o parceiro tem condições de oferecer o apoio que ela necessita, pois ele não está “na pele” da mulher e/ou nunca viveu algo parecido, e à equipe médica e parteiras, cabe o atendimento de diversas parturientes ao mesmo tempo, o que inviabiliza a dedicação exclusiva merecida.

Mesmo ainda não sendo muito conhecidas na Alemanha, nós doulas vamos pouco à pouco aumentando nossa rede, podendo oferecer nosso acompanhamento de forma profissional e amorosa para as gestantes.

Mas o que faz uma doula afinal?

Doula vem do grego e significa “mulher que serve”. Seu papel é de oferecer apoio emocional e psicológico nas diferentes fases que envolvem a chegada de um bebê: no pré-natal, durante o parto e às vezes pós-parto. A amplitude do serviço varia de doula para doula, assim como da necessidade de cada gestante.

No pré-natal a doula irá informar o casal sobre o que lhes espera no parto e puerpério. Como se preparar física e emocionalmente? Quais são os medos que podem estar rondando a gestante e lhe impedindo de viver o parto na sua naturalidade? Qual é a escolha da família: parto hospitalar, casa de parto ou domiciliar? É recomendável pelo menos 2 encontros entre doula e gestante no pré-natal, para que elas possam se conhecer e sentir de que maneira poderão trabalhar juntas.

Durante o parto, não importando se for em hospital, casa de parto ou na casa da parturiente, a doula estará presente durante todo o trabalho de parto até horas depois do nascimento, até que mãe e bebê estejam bem. Seu foco de atenção não são as questões biológicas do nascimento – estas são de responsabilidade da equipe de atendimento, dos médicos, parteiras e enfermeiras. Seu espectro de atuação está na mulher, em lhe oferecer acolhimento, sugerir uma melhor posição para diminuir os possíveis desconfortos das contrações, orientar para uma respiração adequada, lhe oferecer uma massagem, dar espaço para ficar sozinha (se a mãe desejar), relembrar que ela é capaz de dar à luz a seu bebê, etc.

Já no pós-parto as visitas da doula servem para orientar sobre as  dúvidas ligadas à amamentação, aos cuidados com o bebê ou outras questões que estejam se movendo internamente no universo da mamãe-recém-nascida. Isso pode variar com a especialização da doula.

 O que dizem as estatísticas?

Algumas pesquisas mostram os vários benefícios para a parturiente, e consequentemente para o bebê, quando esta é acompanhada por uma doula durante o parto. Segundo um estudo de 1995 (KLAUS), a presença de uma doula durante o parto pode:

– reduzir o tempo (de horas) do trabalho de parto;

– diminuir a necessidade e com isso, a quantidade de anestésicos (como a peridural) ou indução do parto através de meios fármacos (como a ocitocina sintética);

– diminuir o uso de intervenções como fórceps (40% a menos) e cesária (50% a menos);

– auxiliar para o sucesso da amamentação;

– diminuir a probabilidade de uma depressão pós-parto;

– aumentar o vínculo mãe-bebê.

 Gestantes pelo mundo

É direito de toda mulher ter acesso a assistência durante gestação, nascimento e pós-parto, porém devido algumas barreiras socioculturais e econômicas, a grande maioria de mulheres imigrantes costuma estar muito distante destas informações e benefícios.

Este capítulo tão especial – mas também muito vulnerável e íntimo de suas vidas – acaba ficando com sinais de estresse e isolamento, o que se reflete diretamente na saúde física e emocional tanto delas quanto de seus bebês. No caso de muitas brasileiras que vivem fora do Brasil, o cenário é muito parecido. O papel da doula, servindo como ponte entre estes dois mundos, pode contribuir enormemente na melhoria do cuidado da mulher estrangeira.

Em outro estudo (KAZIK 2016) pode-se comprovar os benefícios que doulas oferecem para gestantes imigrantes em um hospital nos Estados Unidos. Segundo o estudo, as “doulas são o serviço perfeito para mulheres estrangeiras, pois elas não apenas apoiam, advogam,  instruem e guiam suas clientes para um caminho do empoderamento, como elas também melhoram a comunicação e aumentam o conhecimento dos médicos sobre crenças e práticas culturais”.  A doula oferece um novo tipo de acompanhamento, com uma visão mais holística, colaborativa e integrativa.

Não é papel da doula

Assim como no Brasil, também na Alemanha a uma doula não cabe realizar qualquer tipo de procedimento médico, dar diagnóstico ou substituir o trabalho da parteira ou médico. Uma doula também não discute ou questiona decisões médicas – este é o papel do casal, ou da parturiente. Por estar à serviço da parturiente, a doula acolhe qualquer decisão desta.

Em média, qual é o valor cobrado por uma doula na Alemanha?

O valor do acompanhamento pode variar entre 450 € e 750€, o qual não é coberto pelo seguro de saúde alemão. Este serviço inclui no mínimo 2 encontros durante a gestação, o parto (não importando a duração do mesmo) e 2 visitas no pós-parto. Além disso, algumas doulas possuem especializações em terapias holísticas, florais, massagem, e ainda oferecem preparo individual para o parto, além de consultoria em aleitamento materno, etc. Um relato do parto escrito pela doula costuma ser oferecido para a nova mamãe.

Mais informações:

Doulas in Deutschland 

Doulas 

2 Comentários

    • Oi Camila, que bom que tu gostou! Tu podes trabalhar como doula aqui também, sim. Se quiseres fazer parte da rede das doulas da Alemanha, tens que entrar em contato com elas e passar por alguns pré-requisitos, já que tu realizou tua formação em outro lugar.
      Acessa minha página e escreve pra mim. Seria uma alegria trocar algumas figurinhas contigo!! E te digo uma coisa: se tu vais morar em alguma cidade grande, tens boas chances de encontrar brasileiras que necessitem do teu trabalho. Já eu moro no interior, longe da maiora das brasileiras e com isso meu trabalho direto com gestantes acaba sendo com as alemãs. Beijos

Deixe um comentário

Por favor inclua o seu comentário
Por favor escreve o seu nome aqui