BrasileirasPeloMundo.com
China Entrevistas

China – Especial entrevista com Chefs – Camilla Cademartori

Camilla nasceu em Curitiba, mas cresceu em Cuiabá. Depois morou em Goiânia, Manaus, Belo Horizonte, São Paulo e Rio de Janeiro. Uma coisa não dá para negar, ela conhece muito ‘in loco’ da culinária brasileira.

Como a maioria das mulheres que vem para China, a mudança foi para acompanhar o marido expatriado pela empresa em que trabalha (e que já havia proporcionado tantas outras mudanças dentro do Brasil).

Aceitar ou não o desafio de se reinventar é uma decisão pessoal, mas que ela mostra não ser impossível. Mesmo num lugar de cultura e hábitos tão diferentes dos nossos, há espaço para determinação e empreendedorismo.

Como foi sua trajetória profissional?

Após 2 anos sem trabalhar devido a maternidade, estava prestes a voltar ao mercado numa grande Instituição financeira em São Paulo. Minha formação inicial é de Administração de Empresas com especialização em Gestão de Varejo e Planejamento Estratégico.

Foi quando meu marido chegou em casa e disse: ‘Acho que vamos nos mudar novamente!’. Era a quinta mudança em seis anos!

Não podia acreditar… acho que eu fui um dos poucos casos de pedido de demissão antes do primeiro dia de trabalho! E lá fomos nós para o Rio de Janeiro.

Eu refletia muito sobre o futuro, família e maternidade e tinha certeza que aquele modelo de trabalho coorporativo de metas e viagens não se aplicava mais a minha vida. Meu momento era outro, tinha que me reinventar e assim, resolvi como muitos da minha geração “chutar o balde” e embarquei no maravilhoso mundo da gastronomia.

Voltei a estudar, me formei Chef de Cozinha e Sommelier de Cerveja pelo Senac Rio e Doemens Academy da Alemanha. Além de ser Cervejeira Artesanal pela Acerva Carioca. Trabalhei muito!

No Rio de Janeiro, fui sócia da Gourmetmania, empresa especializada em aulas de gastronomia e eventos para crianças e também no Senac, onde atuei como instrutora, coordenadora e especialista em Gastronomia.

camilla
Camilla com Cilene Saorin, ainda trabalhando pelo Senac durante o Rio gastronomia 2013 no Rio, antes de embarcar para a China.

Foram anos desenvolvendo cursos de capacitação profissional nas áreas de Gestão, Bebidas e Serviços, além do planejamento e atuação em grandes festivais gastronômicos, como Rio Gastronomia, Fashion Business e outros.

E como você chegou na China?

Em setembro de 2013, meu marido recebeu um email da empresa em que trabalha, com o título: Você gosta de comida chinesa?

A empresa estava sondando qual a possibilidade dele aceitar uma posição na China.

Minha resposta imediata foi: ‘Você está louco, China? Shanghai? O Idioma? A comida?’.

Pra mim a ideia de morar na China era assustadora, como viver sem feijão, carne, mandioca ou goiabada?

Bem, recebemos a proposta oficial em dezembro de 2013 e no final de fevereiro de 2014,  já estávamos morando em Shanghai (para ver se gostávamos da comida chinesa de fato).

Deixei a Cidade Maravilhosa, amigos, família e o trabalho que tanto amava.

Foi difícil, mas o tempo foi passando e a curiosidade sobre a cultura, a gastronomia e o idioma me faziam dedicar horas do meu dia na busca, e aprendizado, dos ingredientes locais ou importados para a produção de pratos da cozinha brasileira, que é meu foco sempre.

Em três meses, já possuia uma lista de fornecedores para comprar insumos e começar a trabalhar. Já sabia onde encontrar mandioca, polvilho, caqui, quiabo, feijão, goiabada, maracujá, carne, queijos, suco de cajú, açaí, requeijão…

Enfim naquele momento não havia mais desculpas em relação ao material, ingredientes. Faltava coragem.

Estava insegura em começar a trabalhar falando somente o básico em mandarim e ciente que o maior desafio seria encontrar profissionais como garçons ou auxiliares de cozinha que falassem inglês. Mas essa era a desculpa perfeita para ficar numa inquietante ‘zona de conforto’.

No meio disso tudo, conversando, trocando ideias e expectativas com a Mariana Teixeira, uma amiga que mora em Shanghai há muitos anos, e que vivia os mesmos dilemas de um recomeço profissional, nasceu a 8Gourmet.

Hoje, como sócias, oferecemos aulas de gastronomia para crianças e adultos, além da realização de festas e eventos com ‘comidinhas’ brasileiras.

Um dos maiores objetivos da 8Gourmet é divulgar a cozinha brasileira na China, desmistificando aquela coisa de que brasileiro só come arroz e feijão ou churrasco.

E como ficam seus projetos para o futuro?

A 8Gourmet é meu projeto atual, pois aqui estou e preciso continuar minha trajetória na gastronomia. E esse é o caminho hoje. Daqui um ano, dois… não sei.

Mas para preservar todas essas experiências, desafios, conquistas diárias da minha vida meio ‘cigana’, comecei a escrever um livro que retrata memórias gastronômicas  vividas nas cidades em que morei. Nele conto sobre as comidas e os ingredientes regionais, além de histórias e experiências pessoais.

Resumindo, será um livro de receitas brasileiras com impressões pessoais, o meu olhar sobre cada local que passei…

camillE seu recado para os leitores do BPM?

Acreditem que é possível recomeçar e se reinventar em qualquer parte do mundo, basta coragem, dedicação e muita paixão pelo que se faz.

As vezes estamos tão apegados ao passado ou aos problemas do dia a dia, que não nos permitimos viver novas experiências na vida. Arrisque, mude de cidade, recomece, reinvente, faça seu prato favorito de uma maneira diferente.

A vida será muito mais prazerosa e divertida!

Related posts

Entrevista com Karen Roosileht, criadora do Tutor.id

Ana Carolina Poli

Entrevista com Cintia Coelho, empresária na DW no Chile

Isabela Vargas

China – Vou te mandar para a China!

Christine Marote

6 comentários

Juraci Pike Setembro 30, 2014 at 1:34 pm

Garotas, ambas, entrevistadora e entrevistada, com um dinamismo invejavel, me envolveram na viagem, na comida e agora fico no aguardo do livro da versatil chef Camila. Sucesso em dose dupla! abracos xxx

Resposta
Christine Marote Outubro 8, 2014 at 2:09 am

Obrigada Juraci.
Eu também estou ansiosa pelo livro da Camilla…rs
Abraço.

Resposta
Camilla Outubro 10, 2014 at 11:40 am

Ola Juraci, muito obrigada pela torcida e incentivo! Estou muito feliz em compartilhar um pouquinho da minha historia com tantas brasileiras que como eu precisam se reiventar e seguir a vida! Estou sempre por aqui! Muito Obrigada! bjs

Resposta
Julia Misk Redmond Setembro 30, 2014 at 5:33 pm

Adorei e estava precisando ler isso!! Trabalhei com o Leo, seu marido, na Coca.
Me mudei recentemente para Londres tambem por amor. Nao esta tao fail entrar no mercado daqui com pensei e preciso me reinventar!! Parabens, sucesso e que a vida lhe traga de volta todo o sabor dos temperos que voce coloca nela! Beijo pra voces! 😀

Resposta
Christine Marote Outubro 8, 2014 at 2:11 am

Obrigada Julia,
E com certeza você encontrará seu caminho também. A vida à vezes nos coloca em situações para aprendermos a sair do ‘quadrado’, da zona de conforto. Essas fases são de muito aprendizado e luta. Mas te garanto que compensa. Olhar para trás e perceber todos os limites vencidos é o maior prêmio que podemos receber. Vá em frente! Abraço.

Resposta
Camilla Outubro 10, 2014 at 1:02 pm

Oi Julia, me lembro de você ! Em BH, certo? Que bom ter noticias suas e poder compartilhar esta experiencia mostrando que tudo na vida ‘e possivel! Tenho certeza que encontrara seu caminho e fara uma linda trajetoria! Confie! Nao se preocupe em se recolocar na mesma posicao que ocupava no Brasil, permita-se fazer coisas diferentes, procure por coisas que te apaixonam, fotografia, gastronomia, artes, musica, sei la…. dedique-se a ser feliz, permita-se repensar a sua carreira, mesmo que para isso nao esteja momentaneamente trabalhando, nao ha nada de errado nisso! O passo mais dificil voce ja deu! Confie em voce e voe!!!! Ah e se precisar estou por aqui!!! Forca!! Grande beijo!

Resposta

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação