Seguro de saúde na Alemanha

A escolha consciente do seguro de saúde é fundamental.

18
5426
(Fonte: Pixabay.com)
Advertisement

Seguro de saúde na Alemanha

O seguro de saúde (Krankenversicherung) é obrigatório na Alemanha, seja para cidadãos, imigrantes ou turistas. Há duas formas de seguros: o privado (private Krankenversicherung – PKV) e o legal (gesetzliche Krankenversicherung – GKV).

GKV – todo trabalhador que recebe até EUR 57.600 por ano ou EUR 4.800 por mês (valores de 2017), deve se registrar em um seguro de saúde legal. Há diferentes planos de GKV como o Techniker Krankenkasse (TK), Allgemeine Ostkrankenkasse (AOK), Betriebskrankenkassen (BKK), Innungskrankenkassen (IKK), Landwirtschaftliche Krankenkasse (LKK) entre outros. Não há muita diferença entre eles, mas é sempre válido fazer uma comparação na hora da escolha. O trabalhador que escolhe seu plano e informa à empresa onde trabalhará. O valor do GKV é dividido entre o empregador e o empregado. É descontado diretamente da folha, do total bruto do salário. A contribuição é de 14,6%, sendo 7,3% pagos pelo empregador e 7,3% pelo empregado.

O seguro de saúde legal é solidário, isso é, ele é pago com base no salário (em percentual). Sendo assim, o valor em euros é menor quando o segurado tem menor salário. Mas todos os segurados têm o mesmo serviço e tratamentos disponíveis. Não podem ser escolhidos serviços adicionais especiais para um ou outro. Todos têm o mesmo direito e os mesmos tratamentos. Por exemplo, quando um doente segurado por um plano GKV vai ao hospital, ficará em um quarto dividido com outros enfermos. Não é possível solicitar que o plano pague um quarto apenas para ele. Adicionar serviços especiais é apenas possível com o seguro de saúde privado (PKV).

Cartão do plano de saúde (Fonte: pixabay.com)

A maior vantagem de um seguro de saúde legal é colocar filhos e cônjuge sem trabalho como dependentes sem custo algum adicional. O trabalhador continua pagando sua contribuição descontada direto na folha para apenas uma pessoa e sua família está também incluída. O cartão do plano GKV escolhido indicará um número que identifica se a pessoa é dependente ou titular.

PKV – a partir do salário de EUR 57.600 anual ou EUR 4.800 mensal, o trabalhador pode optar pelo seguro de saúde privado. Entretanto, nem sempre é o melhor trocar o GKV pelo PKV apenas porque o salário ficou maior do que este limite. O PKV é um investimento bem mais alto e nem sempre vale a pena. Nem todos podem simplesmente trocar para o privado, mas podem:

– o funcionário público tem a escolha entre o seguro de saúde legal e privado
– autônomos podem escolher entre se segurar pelo legal ou privado
– trabalhadores podem decidir entre seguro de saúde legal e privado (quando passar o limite de renda de EUR 57.600 anual)
– estudantes universitários podem escolher entre o seguro de saúde legal e privado (mas este ficaria ligado ao tempo de formação na universidade. Ao se graduar, teria que optar novamente)

Leia também: como obter o Cartão Azul/ Blue Card para morar na Alemanha

O PKV garante um atendimento personalizado. O paciente quase não espera na recepção do médico por exemplo. Os segurados recebem melhores atendimentos e produtos médicos. Diferentemente do seguro de saúde legal (GKV), o privado não tem seu valor mensal baseado no salário. Ele é baseado nos serviços que o segurado inclui. Quanto maior a cobertura, mais caro é o plano. Um maneira de reduzir o custo mensal do PKV é se o segurado aumentar a participação nas despesas, mas esse procedimento é indicado para pacientes que quase não visitam o médico. Senão, terá muitas despesas extras. No PKV as tarifas também aumentam de acordo com a idade e histórico médico, ao contrário do GKV, que tem tarifa fixa ao percentual do salário.

Entre os planos de saúde privados estão: Allianz, ARAG, AXA, BBKK, DEVK, ERGO, HUK-Coburg, Signal e etc. Como as tarifas e serviços podem variar bastante, quem optar e puder escolher um plano de saúde privado, a sugestão é de que contate algumas destas empresas e compare os preços.

Atenção: No país ainda existem por volta de 137 mil pessoas sem seguro de saúde, apesar de ser uma obrigação. Isso pode se tornar muito caro. Quando estas pessoas quiserem ingressar em um plano de saúde, terão que pagar retroativo por cada mês que ficaram sem (até o máximo de 14 meses).

Como pagam pelo plano os desempregados que não são dependentes (solteiros)? Bem, neste caso a responsável é a Agência de Trabalho (Arbeitsagentur). Se o desempregado for registrado no plano de saúde legal, a Agência de Trabalho pagará o valor integral. Se ele estiver registrado no plano privado (por uma condição melhor que tinha anteriormente), a agência paga apenas uma contribuição não integral de EUR 117. Caso a pessoa se torne desempregada mas é casada, ela pode entrar como dependente do cônjuge. Neste caso, a agência não ajudará.

Na Alemanha não recebemos nenhum catálogo com os nomes dos médicos de cada plano. Os médicos atendem todos. Isso é válidos para os hospitais também. Quando uma pessoa ou família se muda para o país, é recomendado que ela procure em sua região pelo chamado médico de família (Hausarzt), que é um clínico geral. O sistema utilizado aqui é o de triagem. Primeiro, o paciente se consulta com o clínico. Se ele preferir lhe encaminhar para um especialista, lhe indicará um médico e imprimirá uma nota de transferência (Überweisung), que deve ser levada na primeira consulta com este. Este papel é válido pelo trimestre (Quartal).

Leia também: salários na Alemanha

O cartão do plano também é apresentado ao médico apenas uma vez no trimestre. Se você precisar ir ao clínico em abril e maio, só precisará apresentar normalmente seu cartão na primeira consulta de abril. No Brasil, quando vamos ao médico, damos para a secretária o cartão. Se voltamos no dia seguinte para outra consulta, damos novamente. Aqui só é feito na primeira vez no trimestre.

É importante saber que se você ficar doente, tem que se dirigir ao seu clínico. Ligue anteriormente para o consultório e apareça por lá no horário que a secretária informar. Você será atendido em um encaixe de horário, normalmente no dia da ligação ou no seguinte. O hospital não atende pequenas emergências durante a semana. Isso me lembra quando eu tive uma enxaqueca muito forte ano passado. Eu passei na médica e ela estava na pausa do almoço. Como não aguentei de dor, fui ao hospital. A recepcionista não queria me atender. Disse que era dia de semana e eu teria que ir ao médico e não ao hospital. Comentei que ela estava de férias, para ver se agilizava o atendimento. A secretária pegou o telefone e ligou para o consultório da minha médica para confirmar. Então me disse “ela está só na hora do almoço”. Depois de pedir várias vezes, eles me atenderam na emergência. Emergência de hospital na Alemanha não é para qualquer coisinha. Visite sempre seu médico!

18 Comentários

  1. Olá Karina, tudo bem?
    Muito obrigada pelo seu post, está sendo muito útil para mim!
    Gostaria de tirar uma dúvida com você, a empresa do meu noivo, sugeriu para ele utilizar o TK (Techniker Krankenkasse), você já utilizou ele? Tem alguma indicação?

    Obrigada!

    • Olá Ynajara! Que bom que gostou do texto, fico muito feliz em ter ajudado.
      Segundo uma pesquisa de maio/2017, os seguros preferidos dos alemães foram o SBK (Siemens-Betriebskrankenkasse) e o TK, que foi indicado ao seu noivo.
      O meu é o BKK (que mudou de nome para Viactiv). Nunca tive problema nenhum, mas conheci pessoas com o TK que também estavam super satisfeitas.
      Acho que com o TK seu noivo estará bem segurado.
      Um abraço

    • Hallo Luiza,
      O valor dos seguros depende do salário daquele que trabalha na família. Os outros integrantes dela (esposa, filhos, marido) que não trabalharem entram como dependente e não há adicional no valor. Isso é, o valor é de aprox. 15% do salário bruto, como informado aí acima no texto. No caso de seguros privados/particulares, é necessário verificar com a seguradora, porque o cliente estabelecerá a configuração da cobertura e colocando uma coisa ou tirando outra, muda o preço. É importante saber que não se pode viver e nem fazer turismo na Alemanha sem um seguro de saúde. No caso de turismo, ele é possível ser feito por uma seguradora do Brasil mesmo com cobertura durante o período de viagem.
      Aquele que trabalha, deve comunicar ao empregador qual o seguro de saúde escolheu, porque o valor dele será descontado direto da folha de pagamento. Se for um cidadão alemão desempregado, deve entrar em contato com a Arbeitsagentur mais próxima.

  2. Olá, Karina
    Gostaria de saber, se é possível adquirir o seguro estatal, enquanto estou procurando trabalho, mas não pelo Job Center, eu mesmo pagando?
    Muito Obrigada

    • Olá Patricia,
      O seguro estatal só é possível para quem está registrado como desempregado ou para quem trabalha (+ dependentes como filhos ou cônjuge que não tem emprego).
      No caso de procurar trabalho sem estar registrado como desempregado, deve-se pagar um dos seguros privados. É muito importante ter seguro, então não pode deixar de fazer.
      Boa sorte!! Obrigada pelo comentário!

  3. Servus, moin, moin, Hoi, Karina Finke! Teu blog é super recheado de informações e detalhes, parabéns pelo excelente trabalho, não deixa a desejar em nada. Bis bald! Tot gauw!

  4. Olá Karina,
    Tenho 32 ano e dupla cidadania (brasileira e Alemã). Pretendo ir morar com minha esposa na Alemanha quando completar meus 55 a 60 anos. Morar 6 meses lá e 6 meses aqui no Brasil. No entanto uma das minhas preocupações será nossa saúde.
    De que forma posso conseguir assistência médica lá caso venha a precisar uma vez que nunca contribuirei com o seguro de saúde Legal ?
    Ou somente pelo seguro particular?

    Obrigado!

    • Hallo Jean!
      Fico feliz em saber que tem interesse em viver por aqui com sua esposa!
      Como não houve contribuição, tem que ser por seguro particular.
      Existe também o cartão de saúde europeu EHIC – European Health Insurance Card, que poderia ser feito. Entretanto, este plano é apenas para casos de emergências ou acidentes e certas doenças. Mas para consultas e exames, teria que ser utilizado o seguro privado mesmo. A mesma situação é válida para aposentados no exterior, de um país que não é da UE.
      Caso diferente é dos aposentados de um país da UE. É possível conseguir um seguro de saúde público na Alemanha, mas há uma burocracia (tem que ser preenchido um formulário E121 e enviado para o plano escolhido).
      Espero ter respondido sua pergunta.
      Eu que agradeço pela visita e comentário! Boa sorte nos planos!

  5. Ola Karina!!
    Gostei muito dos seus posts.
    Moro na Alemanha ha 1 ano ( meu marido foi transferido pra ca ).Minha sobrinha de 18 anos vira pra cá e ficará de 6 meses a 1 ano e pouco morando comigo.Depois pretende morar na Espanha.Ela tem cidadania italiana, podendo ficar por aqui.
    Minga duvida:Devo registra la na minha cidade?
    E devemos fazer um seguro saude do Brasil , ou posso fazer aqui?Voce sugere algum?
    Ela poderá trabalhar aqui?
    Obrigada!!!!

    • Hallo Aline!
      Obrigada pelo comentário e visita! Espero que você e seu marido estejam gostando de viver na Alemanha!
      Sobre a sua sobrinha, ela precisa ser registrada na sua cidade. Não só isso, se vocês viverem em um apartamento alugado, o dono tem que ser informado também, porque os contratos de aluguel colocam um limite de tempo para visitas dormirem no apartamento normalmente. Algum custo pode ser aumentado devido à nova moradora também. Isso é importante. Esclareça primeiro com o dono.
      Acredito que como italiana, ela possa trabalhar na Alemanha normalmente.
      Seu marido deve ter algum seguro de saúde público com o trabalho (imagino eu) e você deve ser a dependente dele. Acho que vocês podem entrar em contato com o seguro de vocês e perguntar se ela pode ser adicionada, pois será como dependente de vocês. Mas eu acho que não será possível (tentar não custa nada), porque pelo que sei, isso é válido para filhos.
      Ela tem a opção de um seguro privado alemão ou o EHIC – European Health Insurance Card / Cartão de seguro de saúde europeu. Esse segundo é válido na União Europeia e é usado por pessoas que fazem intercâmbio. Dá uma procurada no Google sobre como fazer.
      Espero ter ajudado!! Boa sorte e tudo de bom para vcs três!

  6. Oi Karina Fink, parabéns pela ótima e muito bem explicada matéria. Sou gestor de risco e corretor de seguros aqui no Brasil. Estou confeccionado um TCC sobre promoção e gestão de risco em saúde suplementar. O objetivo e verificar se os beneficiários de planos de saúde suplementar aceitam promover a sua saúde com orientação de profissionais da operadora e serem emponderados para utilizar de forma correta o plano. A exemplo citado por você, quanto aos atendimentos emergências, deixam claro o controle do uso cociente do sistema. Gostaria de saber se os alemães são cocientes na utilização sustentável, e são emponderados a gerirem seus riscos se antecipando a fatos antes do risco. Agradeço desde já se puder me ajudar.

    • Olá Josafá,
      Obrigada pelo comentário, visita e elogio ao texto.
      Os alemães têm a cultura de se antecipar aos fatos. Há diversos tipos de seguro (de vida, de casa, de carro, de quebrar coisas dos outros, de saúde, de dentista, de advogados -caso venha a precisar de um- etc.)
      Os planos de saúde, por exemplo, têm oferecido reembolso caso o paciente faça todos os check ups, caso visite academia de ginástica com frequência, caso vá ao dentista uma vez ao ano para controle.
      Enfim, vale a pena para os alemães e para os planos, que investem em saúde, se prevenindo de futuros gastos com doenças (como obesidade, colesterol etc.)
      Espero que tenha lhe respondido satisfatoriamente. 🙂
      Boa sorte no seu TCC!
      Um abraço

  7. Olá Karina,
    Texto muito bom. Notei que mencionou que Estudantes Universitários podem optar pelo GKV. Perguntas: Qual valor deverá ser pago, visto que não existe salário? É possível colocar dependentes, filhos e esposa? É válido para estudantes de Mestrado? e no caso de ser estudante de idioma alemão?
    Outra questão, no caso de ter optado por um PKV e depois querer migrar para o GKV (ao preencher os pré requisitos), vi em outros posts na internet pessoas falando que isso é “complicado”, mas ninguém especifica o problema. É mesmo difícil? Porque?

    • Hallo Guilherme!
      No caso dos estudantes universitários que mencionei, são aqueles que têm pais que trabalham aqui. Esses sim podem escolher ficar no GKV e PKV.
      Pelo que eu saiba, as pessoas que não trabalham precisam de um PKV. Há a opção do EHIC – European Health Insurance Card / Cartão de seguro de saúde europeu. O link para o texto sobre isso está aqui: https://www.brasileiraspelomundo.com/cartao-europeu-de-seguro-de-saude-ehic-na-alemanha-100885565
      Realmente, migrar do PKV para o GKV é cheio de complicações. É difícil explicar porque cada caso é um caso. Por exemplo, para pessoas com mais de 55 anos será quase impossível fazer essa transição.
      Tudo isso porque os PKVs querem evitar que os segurados se beneficiem enquanto a saúde é boa e depois mudem para o GKV quando a saúde piora, a fim de evitar pagar as taxas para o PKV. Cada caso é diferente e muitas pessoas descobrem a dificuldade só na hora. Falar especificamente sobre os problemas, não conseguirei. Essas são as informações que tenho também.
      Pesquise sobre o EHIC, é a dica que posso dar.
      Obrigada pela visita e comentário!

  8. Ola Karina, muito bom texto. Serei breve: vou morar seis meses na Alemanha, sou cidadão italiano, moro no brasil, pretendo me manter na Alemanha com o que tenho e quem sabe trabalhar. Enfim, vou precisar de um seguro privado né? Existe algum tipo de lista com os que sejam aceitos pelo governo alemão ou qualquer seguro privado está valendo?
    valeuuu

    • Lucas, obrigada pela visita e elogio ao texto!
      Bem, primeiro, como cidadão italiano não haverá muitas dificuldades em conseguir permissão para trabalhar.
      Sobre o seguro, quando se vem sem trabalho, é como na viagem. Você vai precisar sim de um seguro particular pelo tempo de seis meses. Qualquer empresa seguradora faz, pode ser organizado até pelas indicadas como públicas. Verifique com elas. Quando começar a trabalhar, terá a obrigação de seguro. Então, você entrará com o público. Dependendo do salário, pode escolher o particular, se valer a pena. Mas uma vez no particular (nessas circunstâncias), dificilmente consegue trocar para o público.
      Boa sorte na vida na Alemanha e boa mudança!

Deixe um comentário

Por favor inclua o seu comentário
Por favor escreve o seu nome aqui

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.