BrasileirasPeloMundo.com
Bélgica

15 motivos que fazem da Bélgica um país terrível, mas incrível de se viver (Parte 1)

15 motivos que fazem da Bélgica um país terrível, mas incrível de se viver

Muitas pessoas que vivem fora da Europa, pouco sabem sobre a Bélgica além do tradicional combo chocolate/cerveja. Já perdi as contas de quantas vezes me perguntaram se realmente gosto daqui ou se só me mudei porque meu marido é belga. E sim, adoro , mas como todo lugar no mundo, não é perfeito. Então para você que está de mudança para esse pequeno país cercado por vizinhos mais famosos como França e Holanda, deixo aqui 10 razões que fazem a Bélgica ser ao mesmo tempo uma delícia e um tormento de se viver:

  1. Engarrafamentos quilométricos: você pode atravessar todo o país em cerca de três horas, desde que não haja tráfego. Caso contrário, pode demorar até duas semanas para chegar ao outro lado se você decidir fazer isso durante a hora do rush. Adicione mais uma semana para isso se está nevando. Aí é o caos geral. Em 2014, Bruxelas e Antuérpia foram consideradas as duas cidades mais congestionadas de toda a Europa e América do Norte em um ranking da Inrix, uma organização sobre informações de tráfego global. E é engraçado como muitas pessoas aqui tratam pequenas distâncias como algo extremamente longe. Você pode passar de uma cidade grande para a outra em aproximadamente uma hora ou menos. Mas se você mora em Bruxelas, por exemplo, e precisa ir a Hasselt, no nordeste do país, é praticamente viajar para a longínqua Sibéria, certo? Ou seja, aproximadamente 80 km.
  2. Preferem viajar distâncias para trabalhar a ir morar perto de onde trabalham: a Bélgica é um país densamente povoado. Você pode dirigir pelo país e acabar em uma cidadezinha a cada dez minutos. No entanto, muitas empresas multinacionais que empregam centenas de pessoas tendem a estar nas grandes cidades ou na periferia delas. Algumas empresas com grandes instalações de fabricação ou centros de distribuição tendem a estar no meio do nada, o que significa que muitas pessoas viajam mais para trabalhar. Mas porque a maioria dos belgas adora ficar perto de suas origens, preferem viajar 2 horas de ida e volta entre casa e trabalho a mudar para um local mais próximo, e ainda assim reclamarão sobre visitar amigos que vivem a partir de 30 km de suas casas. E isso só aumenta o problema do engarrafamento diário no país, como se vê nesta reportagem do The Guardian.
  3. Trabalho e vida em perfeito equilíbrio: como uma nação desenvolvida com amplos recursos, é interessante ver como é um desses poucos lugares do mundo, onde você consegue manter uma carreira bem sucedida enquanto mantém uma família. Talvez porque as organizações têm de acomodar o desejo dos funcionários de ficar perto de casa ou não teriam força de trabalho de outra forma. Também ajuda o fato de você ter um sistema de seguridade social muito bom e benefícios que  realmente atendem suas necessidades. As pessoas aqui podem obter pelo menos 20 dias de férias pagas, o que é uma ótima vantagem que muitos outros países da Europa não oferecem. Você pode chegar em casa a uma hora razoável, passar tempo com seu parceiro, crianças, animais de estimação, talvez assistir a um filme ou simplesmente ir dormir cedo. Os belgas presam tanto qualidade de vida que muitos preferem uma casa com jardim nas vizinhanças calmas das cidades onde nasceram a se mudar para os pequenos apartamentos dos grandes centros urbanos.
  4. Sua chance de encontrar estabelecimento comercial aberto após as 19:00 é mínima: Digamos que você é um funcionário de uma dessas empresas multinacionais e que, como eu disse acima, precisa se locomover por 1 hora até chegar ao trabalho: você começa a trabalhar por volta das 8:00 da manhã e, por isso, sai de casa às 5:40 e chega às 18:00. Uma noite após o trabalho, você decide comprar um presente para um amigo que o convidou para a festa de aniversário na sexta-feira. Boa sorte, viu! A maioria das lojas fecha entre as 18: 00h e as 19: 00h então, sua única opção será levar chocolate ou bebida, já que apenas supermercados e IKEA estão abertos até as 20:00. O único dia em que você pode fazer compras adequadas é sábado, ou se você tiver sorte, você pode viver perto de uma dessas áreas de compras ao ar livre, que fica aberta aos domingos (uma ocorrência extremamente rara nas grandes cidades). Como você pode imaginar, a maioria das lojas fica bastante cheia durante o fim de semana. Piora durante os períodos de vendas de janeiro e julho.
  5. Os belgas não têm vergonha de trabalhar: Diferente de muitos jovens de classe média e alta no Brasil, aqui, arrumar um emprego (qualquer emprego) durante a faculdade ou as férias é bastante apreciado e valorizado. Claro que essa característica não é exclusiva dos belgas, em muitos outros países da Europa a pessoa “self made” também é extremamente valorizada. Trabalhando desde cedo, os belgas desenvolvem um pensamento estratégico para os negócios e aprendem muito bem a aplicar o próprio dinheiro em coisas que trarão retorno no futuro.
  6. Inevitavelmente, seu filho falará várias línguas: Existem três idiomas oficiais na Bélgica, como explicou a Bruna em outro texto AQUI no BPM: neerlandês, francês e alemão, este último apenas nativo de uma parte muito pequena da população. A maioria da população belga fala neerlandês, nativo da região da Flandres. Os falantes franceses vivem em uma região chamada Valônia. A região da capital Bruxelas é oficialmente bilingue, neerlandês e francês mas, na prática, o francês é mais utilizado. O que isso significa para os pessoas da Bélgica, não importa em que região você é criado: sua escola irá lhe ensinar a outra língua. Além disso, a partir de certa idade as escolas também ensinam outro idioma, como inglês ou espanhol, e porque a Bélgica (mais especificamente Bruxelas) é a sede da União Européia e da OTAN, há grandes chances de você usar todos esses idiomas algum dia. Até as legendas dos filmes nos cinemas vêm em dose dupla: holandês e francês, sempre.
  7. Seguridade social justa e serviços públicos de alta qualidade: Praticamente metade do seu salário vai para impostos do governo, mas em troca, saúde e educação são de extrema qualidade aqui e todos que pagam impostos têm, realmente, direito a usufruir dessa qualidade. Todo residente legal deve se afiliar a uma “mutualiteit” ou “ziekenfond”, em neerlandês, que nada mais são que os fundos de seguro de saúde daqui. São instituições que prestam o reembolso parcial, de 70 a 80% dos custos de saúde (a maioria inclui serviços odontológicos também). Você pode escolher qualquer médico em que deseja ir e, no geral, são bastante qualificados e com instalações de primeira.

No próximo texto continuamos…

Related posts

Como abrir conta bancária na Bélgica

Ana Laura Visentini

Kindergeld: o dinheiro da criança

Tábata Senna

As Duas Bélgicas

Bia Noronha

3 comentários

renata de bene Fevereiro 20, 2018 at 12:05 pm

Oi Elisa! Sou casada com um Belga flamenco e moramos na Brasil, mas estamos nos preparando para mudar para a Bélgica. Apesar de saber que a infraestrutura geral ai é melhor do que a nossa, sempre rola uma insegurança de deixar nossas raízes, emprego, estabilidade…As suas dicas me animaram,vou continuar te acompanhando, obrigada!

Resposta
Alexandre Silva Julho 10, 2018 at 1:32 pm

Deixar nossas raízes?
Você vai é se arrepender se não vir 😛

Resposta
Sonia da mata Março 17, 2019 at 9:34 pm

Olá Boa noite então meu namorado e belga gostaria de saber um pouco respeito do país fiquei muito satifeta com a informações obrigada só que ainda tenho dúvidas entre Bélgica e Austrália

Resposta

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação