BrasileirasPeloMundo.com
Suécia

Cinco atrações imperdíveis em Estocolmo no mês de dezembro

Cinco atrações imperdíveis em Estocolmo no mês de dezembro.

Uau, a temporada de festas está quase virando a esquina, mas ainda dá tempo de saber o que rola em uma das épocas preferidas dos suecos na capital da Escandinávia.

É bom deixar claro que se você estiver visitando Estocolmo bem no dia de Natal, saiba que turistar pela cidade não é a melhor data. Para quem é viajante pode se tornar meio sem graça, pois essa data é dedicada à família, ao descanso e à comilança. Muitos locais turísticos, lojas e restaurantes – com exceção dos restaurantes de hotel – estarão fechados entre os dias 24 e 26 de dezembro.

IMG_4104

Mas calma, porque nem tudo está perdido. Há outras atrações imperdíveis para fazer antes do Natal. Além de poder ver as luzes e a decoração espalhadas em mais de 30 ruas, praças e pontes por toda a cidade, você também pode conferir de perto:

1) O tradicional mercado de Natal em Gamla Stan. Esse é o mercado mais antigo e famoso não só de Estocolmo, como de toda a Suécia. Além de estar bem no coração de Gamla Stan, na praça Stortoget – a poucos metros do Palácio Real –, ainda oferece uma variedade de produtos natalinos. Os quiosques inspirados nas tradicionais casas vermelhas vendem docinhos, geleias, pães de açafrão, iguarias de natal como salsichas e carne de alce defumadas, artesanato e muitos, mas muitos objetos decorativos. Mas sabe o que eu acho mais interessante? As bebidas! Portanto, não deixe de experimentar o glögg, uma bebida típica feita à base de vinho quente e especiarias, acompanhado de um biscoitinho chamado pepparkaka. Não gosta? Sem problemas! Você ainda pode aproveitar um delicioso chocolate quente ou uma xícara de café nas cafeterias localizadas ao redor da praça.

IMG_4102

2) Concerto de Santa Lucia no Skansen. Além de poder aproveitar mais um mercado de Natal, esse museu a céu aberto ainda conta com uma apresentação de tirar o fôlego, o concerto de Santa Lucia, realizado todos os anos no dia 13 de dezembro. Santa Lucia, na tradição sueca, lidera um coral de duendes, bonecos de gengibre e outras figuras folclóricas, cantando canções de Natal e sem ligação alguma com a religião. O coral, as velas, as vestimentas e toda a magia que a comemoração envolve, realmente é de se encantar.

3) Patinação no gelo em Kungsträdgården. Um dos pontos turísticos mais cativantes no inverno é essa pista pública de patinação no centro de Estocolmo. O espaço é pequeno, mas o suficiente para muita diversão. É possível alugar os patins no próprio local por um preço bem camarada. Se você nunca patinou, aqui está uma ótima opção, mesmo que no fim das contas seja para rir de si mesmo.

Leia também: custo de vida na Suécia

4) Jantar de Natal em um cruzeiro. Esse é um passeio muito bacana para se fazer a bordo de um barco no maior estilo vintage, comendo o tradicional jantar de Natal, chamado de julbord e aproveitando a linda vista do arquipélago. Se nevar melhor ainda, pois a paisagem será única.

5) “A Christmas Carol”, teatro em inglês. É uma peça de teatro que acontece anualmente em Estocolmo no teatro Maxim e uma das poucas apresentadas em inglês. Basicamente é a história de um velho avarento e os fantasmas do Natal. É uma peça interessante, principalmente para quem gosta de histórias que envolve essa época do ano.

Essa é uma visão geral para te ajudar a entender o que acontece pela cidade. E se mesmo assim nada disso te interessar, você pode aproveitar os mais de 87 museus espalhados por toda a cidade ou simplesmente curtir a arquitetura que Estocolmo tem.

IMG_4103

Ah, mas não esqueça de se agasalhar, porque o inverno já estará por essas bandas, hein?

Related posts

A minha família sueca

Helen Galan

Aprender o idioma local é essencial

Vânia Romão

Como os suecos lidam com a morte

Verônica Ferreira Iwarson

8 comentários

Elias Janeiro 4, 2016 at 11:10 pm

Olá Vânia! Eu li uma notícia hoje falando que na Suécia, o tal dinheiro vivo não está sendo mais utilizado no país, e nem os bancos trabalham mais com dinheiro vivo. É uma ideia moderna demais… mas como fica a situação dos turistas que não tem conta bancária e cartão de débito em coroa sueca (pois se for de outra moeda paga taxa a cada compra realizada)? E se alguém recusar pagamento em dinheiro, ou não ter troco, como o turista deve proceder? Poderia fazer um post falando desse assunto? Obrigado. As fotos dos seus posts são lindas, parabéns pelo trabalho!

Deixo o link da notícia a seguir: http://noticias.uol.com.br/internacional/ultimas-noticias/the-new-york-times/2016/01/04/na-suecia-nem-os-bancos-aceitam-mais-dinheiro.htm

Resposta
Vânia Romão Janeiro 8, 2016 at 8:53 am

Olá Elias!
Eu vi essa notícia também e inclusive a compartilhei nas minhas redes sociais. Não é que o dinheiro não está sendo mais utilizado, porque ele ainda continua em circulação mas em um volume bem menor. Na verdade isso só afeta quem mora no país e não quem vem a turismo. E os estabelecimentos que não aceitam dinheiro deixam um aviso “bem grande” sobre isso ou o responsável já te sinaliza no ato da compra. Quanto a isso você não precisa se preocupar, ok? Gostei da sua ideia e já está anotado para futuros textos. Talvez para março, tá? 😉 Muito obrigada pelo carinho e pelo incentivo. É um prazer te ter como leitor aqui no BPM quanto lá no meu blog.

Resposta
Elias Janeiro 8, 2016 at 4:34 pm

Obrigado Vânia! Foi por meio do seu blog que eu conheci o BPM. Conhecer a cultura de outros países é incrível. Já fui uma vez para a Europa e fiquei encantado com as belezas e contrastes, e não vejo a hora de visitá-lo novamente. Só que nunca fui para a Suécia, mas gosto da cultura, da música e da língua sueca (tem um sotaque diferente, rs). É o meu país escandinavo preferido. É um prazer conhecer o país pelos seus posts!

Tusen tack! 🙂

Resposta
Vânia Romão Janeiro 12, 2016 at 3:02 pm

Elias!
Poxa, que legal saber que você chegou ao BPM através do meu blog. Fico bem contente de saber que o conteúdo te agrade, até porque conhecimento nunca é demais, né?!
Muito obrigada pelo carinho e pelo seu comentário. Puss, puss! 😉

Resposta
João Figueiredo Abril 26, 2017 at 2:30 pm

Vânia, boa tarde. Muito legal e útil seus textos. Somos de São Paulo (eu, esposa e nosso filho de 4 anos, que todo ano nos acompanha em nossas viagens e adora tudo, aviões, trens, frio, neve, etc.) e estaremos em viagem de 27 dias pelo Norte da Europa entre dezembro de 2017 e janeiro de 2018. Nosso roteiro iniciará em Amsterdam (pelo custo das passagens) em 17 de dezembro, seguindo para Helsinque, Estocolmo (chegando dia 23 e saindo dia 26), Oslo, Reykjavic (chegando dia 29 e saindo dia 02), Copenhague, Londres e Bruxelas. Como você disse aqui, lojas e restaurantes em Estocolmo estarão fechadas de 24 a 26, exatamente na época que estaremos por aí. Você tem alguma sugestão? Poderemos inverter as cidades, se for o caso. Agradecemos sua resposta. Obrigado. João, Silma e Felipe.

Resposta
Cristiane Leme Abril 26, 2017 at 9:11 pm

João, a Vânia parou de colaborar mas como moro na Dinamarca, já adianto: na Escandinávia inteira tudo está fechado durante o Natal. Pode ser que vocês achem algum restaurante mas via de regra, lojas e comércio em geral estão fechados. O Natal é um dos feriados mais importantes do calendário nórdico e escandinavo. Aviso porque como vocês querem ver várias cidades na Escandinávia, é bom estarem preparados. Na Dinamarca, em Copenhague use o http://www.aok.dk para ver os eventos e o que está aberto nessa época.
Boa viagem!

Resposta
Alírio Luís Pereira da Silva Dezembro 31, 2017 at 4:15 pm

Estou aposentado da Função Pública Portuguesa , tenho 68 anos de idade e trabalhei cerca de 2 anos numa empresa que tinha uma representação sueca de Fargsta, de “rock tools” tivemos alguma formação em Portugal, dada por engenheiros e técnicos suecos. Nessa altura era a SECORO depois passei-me para a Função Pública. Sei que depois essa empresa passou-se para o grupo UNIROCK, representado em Portugal pela Atlas Copco.
Durante o tempo em que estive ao serviço desse distribuidor ou representante em Portugal do material sueco até ingressar as fileiras de funcionário do Estado em que nada progredi, apesar de ter habilitações académicas superiores. Foi Técnico de Vendas da Duromin, que naquela altura era representante ou distribuidor de material sueco marca SECOROC. Encontrei-me e convivi algumas vezes com técnicos suecos, mas ao contrário de alguns funcionários e engenheiros nunca me foi dada a oportunidade de visitar a Suécia, mas todos os anos as entidades patronais, alguns deles meus familiares foram à Suécia. Nunca me deram a oportunidade de visitar esse país que pelo conhecimento que tenho admiro.
Sou licenciado em História de Arte pela Universidade de Coimbra e pós graduado pela em direito da Comunicação, pela Faculdade de Direito da mesma Universidade, mas tenho um senão não domino o inglês, mas sei alguma coisa. Ora Estocolmo, segundo julgo saber é uma cidade onde há muitos museus e a arte prolifera.
Passei antigamente por uma empresa de Celulose (pasta de papel) fundada por uma família anglo-sueca, os Bergqvist, mais tarde após uma operação na bolsa de Londres foi adquirida pela multinacional anglo-americana Ibstock Johson Breaks e posteriormente passou para a financeira portuguesa Cofina e depois Altri.
No fundo gostava que me desse umas dicas para um dia visitar Estocolmo – a terra dos vikings e como proceder de uma forma mais económica para essa visita. Conheço um engenheiro sueco casado com uma brasileira que entretanto se aposentou da SECOROC, mas não tenho quaisquer contactos.

Resposta
Alírio Luís Pereira da Silva Dezembro 31, 2017 at 4:19 pm

Os brasileiros (as) são pessoas admiráveis e por isso mesmo não sei se por ligações à família real sueca são grandes conhecedores dessa civilização, tal como você.

Resposta

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação