BrasileirasPeloMundo.com
Coaching EUA

5 dicas para transformar estagnação em ação no exterior

Photo by Austin Schimid from Unsplash

5 dicas para transformar estagnação em ação no exterior.

Como buscar equilíbrio, quando tudo em volta parece caótico ou estagnado?

“- Às vezes vocês sentem um desânimo, como se a vida tivesse estagnada depois de muito esforço e aí dá uma vontade de voltar correndo pro Brasil?”- pergunta uma das participantes de um grupo no Facebook que participo.

“- Parece que precisa-se ter o dobro de paciência e que algumas situações no Brasil seriam mais fáceis” – ela continua. E não estava errada, concordo inteiramente, mas o que pode ser um problema de verdade é o que fazer com essa constatação.

Morando fora, alguma vez esse pensamento já passou pela sua cabeça também? Já deu vontade de jogar tudo pro alto e voltar pra “casa”?

Se sim, você não está sozinha. É comum sentir isso diante de qualquer nova experiência, especialmente quando estamos vivenciando uma cultura diferente, em ambientes novos onde não controlamos boa parte dos fatores envolvidos. Mas, antes de alimentar pensamentos que não favorecem a sua situação e de criar estórias que a depreciem, lembre-se que, por mais difícil que seja a situação atual, a interpretação do que essa realidade significa pra você agora e no futuro, tem a ver com sua percepção mental.

A percepção tem a ver com a estória que você cria para interpretar a situação, e logicamente isso está atrelado menos ao fato em si e mais às suas experiências anteriores, traumas, medos, comandos subconscientes e expectativas.

Além do mais, a qualidade do ambiente em que vive e dos relacionamentos à sua volta também definem a forma como você se vê em relação às novas situações e como projeta sentimentos e expectativas no que está lhe acontecendo. Lembra daquela máxima: “diz-me com quem andas e eu te direi quem és”? Isso é muito verdade e pode definir o seu sucesso (ou falta dele) principalmente no exterior, pois suas companhias podem estar interferindo na sua percepção, qualidade de decisões, reforçando preconceitos (em relação à cultura local) e minando sua visão e planejamentos a longo prazo.

Leia também: Dicas para mudança nos EUA

E o resultado, pode ser uma visão distorcida da realidade. Ou seja, o que seria um processo normal de adaptação pode estar sendo (erroneamente) interpretado como algo estagnado ou caótico, sem se dar uma oportunidade de aprendizado e crescimento.

Então antes de ficar desmotivada, sugiro que analise em detalhe a situação que você considera como caos ou estagnação, para fazer um “diagnóstico” honesto (consigo) e assim não apenas criar metas para mudar o que você considera fora de alinhamento, como também para se colocar em um posicionamento mental e emocional que vão lhe dar mais condições de sucesso.

Lembra que essa avaliação diminuirá seu stress, por trazer uma perspectiva mais real e possível de ser realizada sem se perder em pensamentos de que esteja estagnada, pois isso pode disparar gatilhos mentais de sensação de desespero e fracasso que a colocam no “modo de sobrevivência”.

E o problema de começar a operar sob a premissa de “ter que sobreviver” em vez da ideia de estar criando uma vida nova, é que sua mente (e por consequência o comando fisiológico para o corpo inteiro) começa a interpretar todas as dificuldades como um empecilho maior do que a realidade se apresenta, criando uma percepção de hostilidade. E com o tempo, sua capacidade criativa, intuitiva e de curiosidade pela nova cultura e pela vida, se transformam em infelicidade, negativismo e consequentemente “fecham” seu olhar para possibilidades.

Esse é um fenômeno explicado pela neurociência, em que o stress perpetua o funcionamento do seu cérebro, caracterizado por um padrão elétrico (ondas betas) adequado para respostas rápidas, repetitivas e urgentes, mas que a longo prazo, não apenas cria um blueprint (um “molde”) subconsciente de medo e perda com diminuição por exemplo da criatividade, memória e soluções intuitivas, como também pode predispor seu corpo e sua mente à doenças de toda natureza.

Se quiser mais informações sobre esse assunto, acrescido de instrumentos para lidar com isso, clique aqui para receber meu livro digital gratuito

Portanto, se o estado de permanente stress for um padrão usual seu de comportamento e mindset, o seu cérebro irá funcionar em um estado de alerta constante que é muito deletério a longo prazo. E como consequência, seus pensamentos e percepção da sua realidade estarão distorcidos e podem então estar boicotando o seu futuro.

Leia também: Situações engraçadas durante a adaptação nos Estados Unidos

Como proceder então? Abaixo eu sugiro algumas dicas para se colocar em um estado mental e emocional mais alinhado com o sucesso que quer obter, enquanto busca as soluções para mudar qualquer impasse ou dificuldade.

Dicas práticas para ajudá-la a sair da percepção mental de estagnação:

1) Escreva qual a situação que a está frustrando, e não vale dizer: “tudo na minha vida”. Seja específica, e escreva qual situação você considera como estagnada, desde quando, e qual era sua expectativa de progresso.

2) Identifique dois fatores principais (seus) em que você possa estar contribuindo para essa situação acontecer, e dois fatores externos, fora do seu controle, que estão perpetuando essa situação.

Pense também em fatores como: as diferenças de suas crenças em relação aos hábitos locais, seu comportamento diante da saudade do Brasil e consequente (auto) alienação do momento presente, resistência em se aprofundar na cultura e conhecer pessoas (principalmente fora da comunidade brasileira), preconceitos seus em relação aos outros, problemas ambientais (exemplo: clima, comida, desconforto com hospedagem) e assim por diante.

Seja honesta consigo mesma pra não se deixar levar pelas “histórinhas” que cria em sua mente antes de se dar a chance de ser feliz em seu novo país.

É muito importante analisar o seu lado na questão, antes de generalizar e achar que todo o ambiente lhe é hostil. Lembre que mesmo que já tenha feito turismo em seu novo país, as nuances da nova cultura só são aprendidas quando moramos no lugar. E para serem entendidas exigem tempo, paciência, respeito para com a nova terra e gratidão. Isso tudo é um bom começo para construir uma nova vida no exterior.

3) Correlacione 2 hábitos ou atitudes aos 2 fatores (pessoais) que você identificou como sendo sua contribuição para a persistência dessa situação frustrante.

4) Faça um planejamento diário, semanal, de um ciclo de 90 dias para a mudança desse hábito ou ação que precisa ser feita para que você saia do que percebe como estagnação ou caos.

5) Medite intencionalmente – todas as formas de meditar são efetivas para aquietar sua mente e lhe trazer tranquilidade. Isso também ajuda muito com sua intuição e com a saúde mental e emocional que tanto precisa para adaptar-se à nova vida.

Essas 5 sugestões criam uma fundação para que possa navegar com mais tranquilidade entre os desafios da vida e assim poder tomar decisões e atitudes mais eficazes para obter o que você busca. Se  quiser ver o vídeo no qual desenvolvo com mais detalhes esse assunto, assista aqui.

Tudo de melhor na sua jornada, você não está sozinha, suas dificuldades, de uma forma ou de outra, têm sido a de todas nós em terras estrangeiras. Tenha uma atitude confiante, analise bem as situações e busque o apoio necessário. Eu tenho certeza que você terá muita chance de ser mais feliz do que imagina nesse novo mundo.

Related posts

Costumes americanos estranhos para os brasileiros: Parte II

Alessandra Ferreira

Sobreviva em ambientes de trabalho predominantemente masculinos

Letícia Cavalcante

EUA – A vida na capital americana

Lorrane Sengheiser

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação