BrasileirasPeloMundo.com
Curiosidades Pelo Mundo Rússia

7 curiosidades sobre a Sibéria

7 curiosidades sobre a Sibéria

Todo mundo sabe que, em termos territoriais, a Rússia é o maior país do mundo e que a vodca é a paixão nacional. E sobre o local mais “gelado” do país, o que você sabe além do husky siberiano?

Além de ser a maior região da Rússia (57% do seu território), a Sibéria é um lugar cheio de fatos inusitados e contrastantes, como inverno abaixo de -50ºC e calor de 30ºC no verão. Quer saber mais? Leia abaixo uma lista com 7 curiosidades sobre a Sibéria que a tornam única.

1. Visão da aurora boreal no sul da Sibéria

A aurora boreal é um fenômeno que geralmente só pode ser visto nas áreas mais setentrionais do planeta. A região da Sibéria é muito grande e, ao norte, se estende até o oceano Ártico, local privilegiado para observar esse fenômeno tão maravilhoso.

Porém, em certos períodos, a aurora boreal pode ser contemplada, inclusive, no sul da Sibéria, em cidades como Novosibirsk e Omsk. Essa rara aparição só é possível quando a atividade solar é tão intensa, que as luzes provenientes do Norte são claramente visíveis nessa parte da Rússia. A última vez que o fenômeno aconteceu por aqui foi em 2017.

Curiosidade, Sibéria
Estação de trem da Transiberiana. Foto: Pixabay.com

2. A maior ferrovia do mundo

Quem nunca ouviu falar da Ferrovia Transiberiana? Ela é considerada a linha férrea mais longa do planeta. Os números impressionam. No total, são 9.289 km de extensão que ligam Moscou ao porto de Vladivostok, no Pacífico (sul da Sibéria), tem linhas de conexão com outros países (Trans-Manchuriano – China e a Trans-Mongol – Mongólia), sendo que o percurso da linha principal dura 8 dias de viagem e passa por 8 diferentes fusos horários.

E não é tudo! É também considerada um dos feitos de engenharia mais incríveis da era moderna. Sua construção ocorreu entre 1891 e 1916 e nunca parou de se expandir. A última extensão foi concluída em 2011, com a inauguração de uma linha até Rajin, na Coreia do Norte.

Sem dúvida, a Transiberiana foi de grande importância para o desenvolvimento da Sibéria, tanto sob o ponto de vista comercial, quanto populacional (e turístico), por proporcionar uma ligação com o Extremo Oriente da Rússia. A viagem pela transiberiana, ao contrário do que muitos pensam, é feita por trens comuns e a maior parte de seu uso é doméstico, feita por moradores.

3. Lago Rosa

Um dos “tesouros” da Sibéria é o Lago Burlinskoye, um lago de sal localizado na região de Altai, onde a água adquire a cor rosa no verão.

Com água mais densa que o do Mar Morto, o Lago Burlinskoye é o maior depósito de sal do oeste da Sibéria, com 32 km² e apenas 1 metro de profundidade. O tom mais forte de rosa ocorre entre os meses de julho e agosto, atraindo uma enxurrada de turistas. Segundo os moradores da região, as águas têm propriedades medicinais e podem curar inúmeras doenças de pele, além de proporcionar um bronzeado rápido eduradouro.

Mas por que é rosa?

A cor rosa é devida à presença de microrganismos na água, chamados artemia salina, uma espécie muito antiga de camarão de água salgada, com 3 olhos, 11 pernas e mais de 100 milhões de anos de existência.

Apesar da atividade de extração do sal ser ativa, a entrada de visitantes no lago é livre e gratuita, permitindo observar de perto as colheitadeiras em ação.

Leia também: Como é o verão na Sibéria?

4. Maldivas Siberiana?

Um outro lago na Sibéria também ficou muito famoso pela incrível cor da sua água, a tal ponto de ser chamado de “Maldivas Siberiana”, e gerando milhões de posts nas redes sociais na Rússia. Mas essa fama é muito perigosa, ou melhor dizendo, tóxica!

A deslumbrante cor azul-turquesa das águas está muito longe de ser um fenômeno natural, sendo, na verdade, o resultado de uma reação química provocada pelo carvão queimado e outros componentes, que causam problemas na pele, no nariz e na garganta, além do risco das pessoas ficarem presas na lama presente no fundo do reservatório.

Localizado em Novosibirsk, esse lago é um depósito de materiais tóxicos de uma usina de carvão local, a Siberian Generating Company (SGK), que fez um alerta em sua página da rede social russa VKontkte: “na busca de um ‘selfie’ não entre no descarte de cinzas.” (tradução livre).

Infelizmente, as advertências parecem não ter servido para afastar os curiosos, já que a popularidade do lago vem aumentando constantemente nas mídias sociais, sendo até descrito como um local “must see”.

5. O vilarejo mais frio do mundo!

Com pouco menos de 500 habitantes, o pequeno vilarejo de Oymyakon, localizado na República de Sakha (Iacútia), no leste da Sibéria, é conhecido como o local habitado mais frio do mundo. Tão frio que nem os termômetros suportam a baixíssima temperatura.

Em janeiro de 2018 foi registrada a temperatura de -62ºC. Inimaginável! Oficialmente, Oymyakon atingiu a temperatura de -67,7ºC em fevereiro de 1933, considerada a temperatura mais baixa já registada fora da Antártida.

Curiosamente, apesar do extremo frio, a água nessa vila não congela. Isso porque, existem termas e fontes naturais de água na região, o que deu à vila o nome Oymyakon, que no dialeto local significa “água não congelada”. Porém, o solo é sempre congelado, uma outra curiosidade da Sibéria.

Leia também: Do fofo ao exótico, 9 costumes russos interessantes

6. Solo eternamente congelado

Na Rússia ocorre um fenômeno chamado “permafrost”, que significa que a terra nunca se descongela.

É um tipo de solo encontrado principalmente no Ártico, formado por terra, rochas e gelo. Mais de 60% da Rússia tem esse tipo de solo, principalmente no norte e leste da Sibéria, onde se encontra o vilarejo de Oymyakon falado acima. As temperaturas negativas penetram na crosta terrestre até uma profundidade de 1300 a 1500 metros e seus valores médios mínimos chegam a – 16ºC.

O aquecimento climático está reduzindo o tamanho do permafrost na Sibéria e liberando gases de efeito estufa na atmosfera (metano e dióxido de carbono). A liberação desses gases aumenta o aquecimento e, consequentemente, acelera o descongelamento do permafrost, num ciclo sem fim.

7. Baikal, o lago de números recordistas

Lago Baikal congelado. Foto: Pixabay.com

Mais um lago russo que é destaque em qualquer lista de curiosidades. Mas esse supera qualquer outro do seu gênero.

O Lago Baikal está no sul da Sibéria, perto de Irkutsk, e possui características únicas:

  •  é o único lago na Sibéria;
  •  com superfície de 31.722 km², é o maior lago de água doce do mundo;
  •  é o lago mais antigo, com 25 milhões de anos;
  •  é o lago mais profundo da Terra, com 1.680 metros de profundidade;
  •  possui a água doce mais transparente e limpa de todos os lagos;
  •  está localizado a 455,5 metros acima do nível do mar.

Tudo nele impressiona. O Baikal detém cerca de 22% de toda a água doce do planeta. Mais de 300 rios desaguam nele e é rico em biodiversidade, local perfeito para mais de 1.500 espécies de plantas e animais, incluindo peixes encontrados somente no lago, como o Baikal cisco.

Todos esses números são dignos do Guinness Book. Em 1999, o Lago Baikal entrou para o livro dos recordes como o lago de água doce com maior volume no mundo (23.615.390 km³), além de ser Patrimônio da UNESCO.

Related posts

Mitos e verdades sobre a China

Christine Marote

8 suposições errôneas sobre a Turquia

Anna Carvalho

Cidadania se aprende desde pequeno e em casa, na Áustria

Kely Martins

2 comentários

Agostinha Ambrósia Ferreira de Sousa Outubro 8, 2019 at 3:08 am

Parabéns pela ideia e pela inspiração, querida Vanessa!
Foi estimulante ler esse artigo, objetivo e repleto de curiosidades interessantes.
Obrigada pela deliciosa leitura, nos apresentando lindos lugares e singularidades desse país tão distante, levando seus leitores a uma viagem agradável e diferenciada.
Ansiosos, aguardamos os próximos artigos.
Sucesso!!!

Resposta
Vanessa Sousa Outubro 9, 2019 at 3:55 am

Muito obrigada! Realmente aqui existem muitas coisas interessantes a serem descobertas.

Resposta

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação