BrasileirasPeloMundo.com
China

A China real e as ‘bolhas’ internacionais

A China real e as ‘bolhas’ internacionais.

Sempre escrevo nos posts do ‘China Na Minha Vida’ que existe uma diferença bem grande entre a China e o que muitos estrangeiros conhecem como China. Por isso uso as expressões ‘China Real’ e ‘Bolhas Internacionais’.

E o que é isso no final das contas?

Bom, existem algumas cidades na China, como Shanghai, Beijing, Guangzhou, Nanjing e Shenzhen, por exemplo, que oferecem aos estrangeiros muitas facilidades no dia a dia e na adaptação nesse país. Supermercados com produtos importados, restaurantes internacionais, lojas focadas para estrangeiros e muita gente falando inglês, o que facilita demais a vida de quem chega.

Claro que Shanghai é a campeã em comodidades. Por isso digo que vivemos numa ‘bolha’ internacional. Aqui até alguns motoristas de taxi tiveram curso básico de inglês e por ser o coração financeiro da China, parece que tudo flui um pouco menos complicado para nós. Já Beijing que é a capital, apesar de internacional, é muito mais chinesa, tradicional, onde os hábitos do chinês são mais latentes. Costumo dizer que Shanghai é São Paulo e Beijing é Brasília, para que o leitor consiga entender a comparação.

Como São Paulo, Shanghai é mais pulsante, cosmopolita, acelerada e até antenada.  Já Beijing é a capital oficial, como Brasília, um marco político e turístico do país.

Mas por conta disso é muito difícil saber o que realmente é a China se só se visita Shanghai. Costumo levar quem vem me visitar para locais mais afastadas das grandes avenidas e corredores comerciais internacionais, no sentido de mostrar o que é a China de verdade. Quando alguém chega aqui e começa a reclamar muito dos hábitos chineses, de que as pessoas não entendem inglês, ou que o cheiro é ruim (para o nosso olfato ocidental), sempre falo: calma, que poderia ser pior! =] Shanghai é o paraíso chinês.

Leia também: dez cidades para conhecer na China

Aqui, continuamos sendo estrangeiros, laowais, mas dificilmente alguém vai me parar para tirar uma foto, já que sou morena, de olhos castanhos e, apesar de não ter olhos puxados, não tenho nada tão chamativo no meu biotipo que desperte a atenção do shanghainês.

Mas se andar cerca de 50 minutos de carro, para o subúrbio de Shanghai ou mesmo para algumas cidades próximas como Hangzhou ou Suzhou, viramos atração, com direito a rodinha em volta para ver quem vai conseguir fazer uma foto e mostrar aos amigos que conheceu de perto um laowai. A foto é a prova de que eles realmente viveram isso, por isso todo chinês tem uma câmera ou um celular sempre à mão.

E olha que essas cidades nem são tão difíceis de vivermos assim; em escala bem menor, elas oferecem alguns itens de conforto para a vida do estrangeiro, mas ainda causamos o ‘estranhamento’. Num feriado chinês há alguns anos atrás, fomos passar o dia em Hangzhou com um casal dinamarquês, que levou a filha (uma boneca) loira de olhos azuis,  não preciso dizer que a menina entrou em desespero e começou a chorar, e praticamente tivemos que voltar mais cedo, tamanho o assédio dos chineses em volta dela. Meu marido é… como direi…, barrigudinho =) e tem os cabelos grisalhos, quase todo branco.  É outra atração! Eles param, apontam e vão sacando as câmeras, sem nenhum tipo de embaraço ou discrição. Esse tipo de experiência, quase não temos em Shanghai.

E alguém pode estar perguntando: mas e Hong Kong?

Esclarecimento importantíssimo: Hong Kong NÃO é China. Se um dia alguém te disser que conhece a China, que passou uma semana em HK, você pode responder com completa tranquilidade: ‘desculpa, mas você não conhece a China!’. Eu garanto! =]

Até a próxima!

Related posts

Bem-vindos a Qingdao na China

Fernanda Gueiros

Licença maternidade pelo mundo

Ann Moeller

Ainda matam meninas na China?

Ludmila Lima

12 comentários

Tati Sato Março 22, 2013 at 11:28 am

Eu AMEI o seu post… Concordo com voce: HK nao eh China. Talvez, geograficamente (ou algum “mente”), seja parte do territorio chines, mas tudo eh muito diferete… HK eh super ocidentalizado!!! =)
Meu tio (que eh um alemao de quase 2m de altura) foi com a minha tia (que eh uma descendente de japas da minha altura) para a China e ele foi atracao turistica!
Acho interessantissimo esse ponto de vista da Asia… Alias, acho que a nossa experiencia nesse continente tao longinquo e tao estranho (parece outro planeta) muito… Interessante, para dizer o minimo. Porque, algumas vezes, eh engracado e outras eh desesperador… HEHE!
Beijos!

Resposta
Christine Marote Março 22, 2013 at 11:50 am

É Tati, e sempre digo que só quem está aqui para entender… e vc sabe exatamente do que estou falando! rs.
E acho que é sempre desesperador a principio… depois… bem, depois que passa a gente ri! =]
Beijo.

Resposta
Ann Março 22, 2013 at 11:32 am

Acho muito engracado esta curiosidade deles por nos, ocidentais, mas, na verdade nao e so na China nao, ha 13 anos vou para o interior da Polonia todos os veroes na casa dos meus sogros, e ate hoje, sempre tem alguem que para na rua, quando estou na cidade, para me olhar, me sinto um ET rsrs..no meio daqueles loiros de olhos azuis rs. :). Quanto a HK, apesar de nao conhecer, tenho varios conhecidos que ja moraram la e os comentarios sao os mesmos, uma especie de Londres e NY na Asia, esta na minha lista de “one day” depois que perder o medo de aviao rsrsr 🙂

Resposta
Christine Marote Março 22, 2013 at 11:54 am

Eu imagino Ann, pq essa mesma amiga dinamarquesa loira de olhos azuis, olho para mim um dia e, do nada, disse: ‘como eu queria ter uns olhos assim lindos como os seus’ Imagina a minha cara de ‘como assim???? hehehe. Ela me explicou que quem tem olhos castanhos faz o maior sucesso, as pessoas todas comentam… Ai expliquei a ela que no Brasil era exatamente ao contrário. Rimos muito, no final.
Beijo.

Resposta
bruna brasil Março 22, 2013 at 12:21 pm

Amo seus posts Chris!
Obrigada por compartilhar seu ponto de vista e suas experiencias!

Resposta
Christine Marote Março 23, 2013 at 4:26 pm

Obrigada Bruna! Adoro seus coments…rs

Resposta
Lyria Março 22, 2013 at 12:39 pm

Christine, este seu post é bom para lembrar, a todas as pessoas, que o mundo é muito diverso, diferente e nem por isso é melhor ou pior do que o nosso mundo. É só mesmo diferente… (E que bom que somos assim… :))

Resposta
Christine Marote Março 23, 2013 at 4:23 pm

Isso mesmo Lyria, ainda bem que temos as diferenças para que possamos aprender uns com os outros! Beijo grande.

Resposta
Ana Cristina Kolb Abril 20, 2013 at 1:27 pm

Adorei o texto Christine, e queria saber como é a abertura com internet e midia ai na China? pois me pergunto se na televisao ou na internet, devido a globalizaçao, as pessoas nao teem mais acesso ao mundo fora da China? A gente sabe das restriçoes, governamentais, mas como é no dia a dia, e com tanta multinacional no pais, imagino que a cultura chinesa, com tanta tradiçao e tao antiga, deve estar passando por um momento de ebuliçao! Otimo texto!!!! Adorei!!!!!

Resposta
Christine Marote Junho 2, 2013 at 1:05 pm

Oi Ana, desculpa a demora em te responder…Mas só agora vi sua pergunta.
Bom, realmente a questão da internet e tv é bem complicada. Estrangeiro e alguns chineses com experiencia internacional, usam VPN. Esse é um gasto que faz parte do nosso orçamento, tipo agua, luz e gás. Não adianta querer usar os free, pq eles são derrubados em horas. Na TV, antigamente (2005/2006) era pior. Vc estava assistindo um noticiário da CNN e do nada, sua tela ficava preta. Como assim? Bom, existe um gap pelo satélite que manda o sinal entre passar pela censura e chegar na nossa tela. É engraçado quando assistimo corrida pela net com o VPN, e deixamos a TV ligada. Na TV tudo acontece 30 segundos depois. rs. Mas tem mais coisas estranhas e tenho que admitir que hoje está muito mais aberto do que na época que cheguei. Vou escrever um post sobre isso…rs.
Beijo.

Resposta
Gabriela Nishimura Outubro 10, 2014 at 6:38 am

Olá Christine, já vi alguns dos seus posts e sempre super interessantes!
Moro na cidade de Hangzhou na China, e como você disse ser um “laowai” por aqui é realmente bem especial, meu marido sempre diz que se sente no zoológico e que ele parece o bicho, já que por onde passa os olhares estão sempre voltados para nós.
No meu caso é um pouco mais peculiar, sou mestiça, filha de brasileira e japonês, ás vezes fica a dúvida no ar se tenho alguma decência chinesa, mas pelas roupas e pelo jeito de andar eles logo reparam que não sou local…
No começo a sensação era de desconforto, hoje em dia até acho engraçado tirar fotos com os desconhecidos chineses, que na maioria das vezes são gentis conosco…Beijos!

Resposta
Christine Marote Outubro 10, 2014 at 7:08 am

Olá Gabriela.
Somos vizinhas então (rs).
Pois é, mas os estarngeiros que tem descendência oriental sofrem muito aqui também… os chineses se diregem e falam como se os ohos puxados garantissem o dominio do idioma. Tenho uma amiga de familia chinesa, mas que não sabia falar uma palavra de mandarim, e quando saíamos todos se dirigiam a ela para questionar o que a laowai (eu) queria… Ai eles caiam para trás qdo eu traduzia para ela o que eles haviam dito…hehehe. Histórias da China. Beijo grande.

Resposta

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação