BrasileirasPeloMundo.com
Alemanha

Como trabalhar com as alemãs

Trabalho na Alemanha é um tema que tem chamado a atenção recentemente. E algumas pessoas têm me perguntado como é para uma mulher morar e trabalhar aqui. E a minha resposta é sempre a mesma: depende. Depende muito da região que você mora, do que você faz, qual foi sua especialização, sua fluência no idioma, sua experiência profissional (…) enfim! Muitos são os pontos que fazem com que cada um tenha uma experiência diferente.

Eu comecei trabalhando em um departamento de uma universidade, ou seja, a realidade acadêmica é um pouco diferente dos escritórios (assim como no Brasil).

Em primeiro lugar o que observei das alemãs foi a “vaidade”. No escritório que trabalhei, tínhamos colegas de meio horário e de horário integral. Além disso, também haviam as colegas que eram contratadas por projetos (como eu por exemplo) e as com cargo fixo (concursadas). Em geral, aquelas que tinham mais estabilidade, cargo e salários mais altos, se produzem mais para trabalhar enquanto que as colegas que tinham cargos auxiliares, não se preocupavam tanto. E esta não era uma realidade apenas no meu departamento.

As minhas colegas de projetos acham que se produzir para trabalhar é perda de tempo. É muito melhor ir trabalhar com roupas e sapatos confortáveis e deixar a vaidade para o Happy Hour.

As reações eram sempre engraçadas quando eu ia trabalhar com meu scarpin e camisa social enquanto elas iam de tênis e calça jeans, até que eu resolvi abandonar meu estilo brasileiro.

Mas já observei que em serviços de atendimento, independentemente da idade, a realidade é outra. Conheço também algumas profissionais que trabalham em escritórios de engenharia e posso equiparar com a realidade brasileira. Há sempre algumas que se produzem demais e outras que nem tanto (ou até mesmo nada).

 

Outro ponto que achei interessante é sobre a conversa no escritório. Sempre surgia momentos em que, sem querer e sem perceber, começávamos a conversar sobre algum assunto pessoal. E se éramos interrompidos por uma terceira pessoa, ela era totalmente inteirada do que havia sido falado em particular anteriormente. No início confesso que achei isso muito estranho (!), mas depois conversando com outras pessoas notei que é algum em comum entre os alemães. Minha dica é, ao conversar com alguém, diga que aquele é um assunto pessoal e que você não deseja que ele seja compartilhado.

Contudo, o ponto mais relevante da minha observação de como é trabalhar com uma alemã, foi que, assim como no Brasil, as mulheres são extremamente compromissadas e responsáveis com o trabalho. A extrema organização também merece destaque. Todas andam com um caderno ou bloco de anotação e tudo o que foi discutido é apontado com data, local, envolvidos e etc.

Tenho algumas amigas alemãs que prezam muito pela qualidade do serviço que elas prestam. Algumas chegam a ser muito detalhistas, o que, na minha opinião, é um ponto positivo para muitas posições.

Eu deduzo que, como a Alemanha incentiva a independência do indivíduo, em especial da mulher, o gênero feminino está sempre colocando e mostrando que somos sim iguais aos homens no mercado de trabalho.

Quanto ao salário, geralmente, as mulheres ganham o mesmo que os homens. Contudo, infelizmente, ainda existem algumas poucas empresas que fazem separação de gênero.

Mesmo aqui na Alemanha, considerada tão evoluída, ainda existem pessoas que tem o pensamento que homens merecem ganhar mais. E ainda falando sobre o salário, aqui a diferença salarial entre um operário e uma pessoa formada não é tão discrepante como no Brasil. Com um trabalho em uma grande empresa ou em uma pequena, grande cargo, pequeno ou médio, todos conseguem ter uma vida digna com, inclusive, direito a lazer.

Sobre o mercado de trabalho, aqui na minha região há sempre a procura por profissionais com grande qualificação. Já notei que os setores de engenharia e tecnologia parecem que nunca entraram e (na minha opinião) nunca entrarão em crise aqui. As grandes empresas estão sempre à procura de bons profissionais qualificados. Existe também uma grande procura por profissionais sem qualificação para prestação de serviços e trabalhos que exigem força bruta.

Em ambos os casos, o grande problema para o preenchimento de tantas vagas é um só: a fluência no idioma alemão.

Então, se você se interessou em concorrer a um trabalho por aqui, eu indico! Mas se dedique ao idioma alemão e se prepare para trabalhar de verdade!

Bis dann!

 

Related posts

5 dicas para grávidas na Alemanha

Karina Finke

Política não se discute, certo?

Sarah Oliveira

De Munique para o interior da Alemanha

Monique Abbehusen

16 comentários

Regina Rezende Março 4, 2016 at 2:22 am

Gostei muito do seu texto , pois já fiz curso de alemão em Hamburg , e gostei muito da organização do povo alemão. Gostaria de saber , se pra trabalhar , é necessário ter cidadania europeia , ou uma pessoa pode ser contratada pra alguma vaga , mesmo sem ter a cidadania europeia.
Muito bom ter dicas e aprender com quem vive fora.
Um abraço
Regina Rezende

Resposta
Sarah Oliveira Março 9, 2016 at 6:34 pm

Oi Regina. Obrigada pela sua mensagem.
Se você já tiver cidadania Alemã e/ou Europeia será muito mais fácil. Senão, vou responder sua pergunta com três tópicos:
Primeiro: você pode conseguir um trabalho temporário ou por projetos, e, para isso, você precisa apenas do visto de trabalho e de seu passaporte brasileiro. Contudo uma posição irá depender muito da sua formação e experiência. Segundo: se você quer se tornar realmente uma imigrante, você precisa primeiro fazer o processo junto à Embaixada Alemã (http://www.brasil.diplo.de/Vertretung/brasilien/pt/Startseite.html). Para ser uma imigrante, a embaixada irá solicitar inúmeros documentos (todos juramentados e traduzidos por tradutores oficiais). Este processo se torna um pouco caro mas é bem rápido. Existem pessoas que tentam primeiro vir para cá e depois tentar um trabalho e aí vem o terceiro ponto: cuidado pois nem sempre as expectativas se cumprem. E por último, o quarto ponto: Se você já trabalha em uma empresa no Brasil mas uma empresa alemã se interessou por você, a empresa alemã faz uma carta-convite para que você venha trabalhar na Alemanha. Com esta carta você tem o contrato de trabalho garantido além do visto pelo tempo que você a empresa chegarem a um acordo.
Espero tê-la ajudado!

Resposta
Sarah Oliveira Abril 7, 2016 at 3:05 pm

Oi Regina. Obrigada pela sua mensagem.
Se você já tiver cidadania Alemã e/ou Europeia será muito mais fácil. Senão, vou responder sua pergunta com três tópicos:
Primeiro: você pode conseguir um trabalho temporário ou por projetos, e, para isso, você precisa apenas do visto de trabalho e de seu passaporte brasileiro. Contudo uma posição irá depender muito da sua formação e experiência. Segundo: se você quer se tornar realmente uma imigrante, você precisa primeiro fazer o processo junto à Embaixada Alemã (http://www.brasil.diplo.de/Vertretung/brasilien/pt/Startseite.html). Para ser uma imigrante, a embaixada irá solicitar inúmeros documentos (todos juramentados e traduzidos por tradutores oficiais). Este processo se torna um pouco caro mas é bem rápido. Existem pessoas que tentam primeiro vir para cá e depois tentar um trabalho e aí vem o terceiro ponto: cuidado pois nem sempre as expectativas se cumprem. E por último, o quarto ponto: Se você já trabalha em uma empresa no Brasil mas uma empresa alemã se interessou por você, a empresa alemã faz uma carta-convite para que você venha trabalhar na Alemanha. Com esta carta você tem o contrato de trabalho garantido além do visto pelo tempo que você a empresa chegarem a um acordo.
Espero tê-la ajudado!

Resposta
Alvaro Neto Março 4, 2016 at 2:22 am

Que orgulhoso que estou independente de ser ligado à você por parentes e sim o meu orgulho é um sentimento natural por conhecer e ser um admirador dos seus pais muita paz minha nora

Resposta
Sarah Oliveira Abril 7, 2016 at 3:06 pm

Obrigada pelo carinho e pela força. Continue lendo hein?

Resposta
silvia helenice nitschke Março 4, 2016 at 11:19 am

Sarah,

muito boas suas colocacoes, em especial, sobre a necessidade do conhecimento da língua alema, para qualquer espécie de emprego. Apenas esqueceu de dizer, que mesmo numa boa posicao hierárquica numa empresa, é capaz de se ter que fazer “servicinhos” de menor importancia, como buscar café para toda equipe, limpar seu espaco de trabalho e coisinhas que tais (que nao tiram nenhuma pérola da coroa de quem quer que seja) e ajudar os demais em seus afazeres sem perguntar ou ser instado a faze-lo, como demonstracao de cooperativismo(teamvoll) e eficiencia…

Resposta
Sarah Oliveira Abril 7, 2016 at 3:06 pm

Oi Silvia. Obrigada por sua contribuição!

Resposta
Maria Jacinta Março 4, 2016 at 4:31 pm

Boa tarde! Eu,particularmente,Admiro muito a Alemanha… Tenho pensado muito em como conseguir uma bolsa de estudos…Gostaria de saber ,onde posso conseguir informaçoes a esse respeito.Posso me afastar do trabalho para Estudos,pois sou Funicionária Pública! Grata,Mariia Jacinta

Resposta
Sarah Oliveira Abril 7, 2016 at 3:08 pm

Olá Maria Jacinta.
Minha dica é olhar no site da embaixada e também na própria CAPES. Quando surgem bolsas, as informações geralmente aparecem lá.
Abraços!

Resposta
Andre Stein Março 18, 2016 at 5:51 pm

Boa tarde (aqui), boa noite (aí), Sarah. Imagino que receba centenas de mensagens semelhantes a esta…tentarei ser objetivo. Sou brasileiro, filho de alemão (tenho passaporte alemão válido, “renovando” há 15 anos). Casado, 41 anos, filha fará 4 anos em maio (aguardando passaporte dela). Depois de 14 meses no processo, os planos de “fugir” pro Canadá subiram no telhado, pois não conseguiríamos levar meus pais. Surgiu a opção “óbvia” de aproveitar a nossa cidadania (meu pai, eu e filha) de irmos para a Alemanha. Sou profissional de Marketing, Inglês 100% (Turismo) e 70% (Business), Alemão ZERO. Somente meu pai domina. Minha mulher é profissional de RH, Inglês 30% (Turismo) e Alemão ZERO. Não pretendom necessariamente, trabalhar em minha área. Por onde começo? Alguém? Algum site? Embaixada?

Resposta
Sarah Oliveira Abril 7, 2016 at 3:10 pm

Olá André. Obrigada por seu comentário. Leia a resposta que escrevi para Regina Rezende pois é bem similar sua pergunta.
Quanto ao idioma, nunca podemos dizer que é sempre assim mas, pelo que já observei, 90% das empresas exigem conhecimento do idioma.
Mas ainda assim sugiro uma entrevista na Embaixada para se informar melhor.
Abraços e boa sorte para sua família!

Resposta
Thiago Abril 10, 2016 at 3:04 am

Tudo bem Sarah ^^)

Bem antes de mais nada gostaria de parabenizar pelo blog que orienta e ajuda a todos nós com grande cordialidade …
Bom, a minha dúvida é a seguinte: Sou professor de matemática formado e pós graduado e gostaria muito de ir à Alemanha fazer meu Mestrado ou mesmo uma nova graduação/especialização em Estatística, porém antes irei à Itália efetivar minha cidadania italiana, (ficarei uns 3 meses por lá) para depois ir à Alemanha penso em ir para Munique pois sei das grandes universidades na área que anseio. Então gostaria de perguntar duas coisas: Primeiro, como são as escolas secundárias aí? Você sabe me dizer se elas contratam professores estrangeiros para lecionar? E em média quanto ganha um professor? Segundo: Sou solteiro e mochileiro, então não ligo para conforto e regalias quanto a moradia, gosto de coisas simples e baratas!! Lógico que organizadas né? Se é que me entende??? (risos!!!), Saberia me dizer se existem, para estudantes universitários aquelas moradias gratuitas, como existem no Brasil? Ou mesmo se existem pensões, albergues ou Kit-Net’s para moradia com custo baixo?
Obrigado pela atenção e aguardo contatos ^^)

Resposta
Sarah Oliveira Abril 11, 2016 at 9:38 am

Olá Thiago.
Obrigada pelo seu comentário!
As escolas alemãs tem um sistema diferente das escolas brasileiras, por exemplo, cada estado tem autonomia para definir seu currículo. Por isso eu lhe digo que se você deseja morar em Munique, precisa e informar sobre as definições de lá. Eu não posso te ajudar pois moro em outro estado, ao norte.
Em geral, já ouvi falar que existe uma grande procura por professores de matemática nas escolas em todo o país mas para isso, você precisa falar bem o alemão. Então minha dica é: aprenda alemão na cidade aonde pretende trabalhar pois o sotaque de cada região pode mudar muito – o que é um fator muito importante para um professor. Minha outra dica é se informar junto à embaixada e também na CAPES se existe algum projeto ou programa na sua área em específico. Se você deseja fazer uma pós ou um mestrado, de novo você precisa ter no mínimo o nível B1 de alemão (que demora em média 8 meses em um curso intensivo).
Quanto ao salário, eu não se dizer pois pode variar muito em cada estado. Praticamente todas as universidades tem moradias estudantis, mas se são de graça eu não sei dizer. Quanto à custo de vida em Munique, eu também não se informar pois, de novo, moro no norte.
Espero ter respondido suas dúvidas e desejo boa sorte e sucesso!

Resposta
Camila Abril 26, 2016 at 2:30 pm

Olá Sarah!

Meu nome é Camila, tenho 25 anos e sou estudante do 2 semestre de Arquitetura e sou do Rio Grande do Sul. Falo pouco alemão, dialeto, mas entendo tudo. Sou bisneta de alemães, como faço para conseguir a cidadania alemã?

E tenho vontade de fazer um intercâmbio de um ano de estudos/trabalho na Alemanha. Você tem contato de alguma empresa ou onde eu poderia me informar?

Obrigada!

Resposta
Sarah Oliveira Abril 27, 2016 at 8:08 am

Oi Camila. Agradeço sua leitura!
Sobre a cidadania, você precisa procurar a embaixada e providenciar a extensa lista de documentos que eles pedem, normalmente todos juramentados e traduzidos. Já te adianto que este processo pode ser demorado e caro. O link direto para o site em Porto Alegre é: http://www.brasil.diplo.de/Vertretung/brasilien/pt/03__Porto__Alegre/0Porto__Alegre.html
Se sua intenção é apenas um intercâmbio, você pode tentar primeiro o visto de estudante e depois, se gostar, você pede a cidadania. Sobre o Intercâmbio, eu sugiro conferir junto à embaixada e também na CAPES se existe algum projeto ou programa na sua área de atuação. Como você já fala o idioma, você precisará apenas fazer o teste para comprovar sua proficiência e obter o certificado – que é item obrigatório. Procure universidades que tem parcerias com o Brasil – talvez a universidade que você estuda já tenha esta parceria. O processo de intercâmbio normalmente é feito pela própria universidade, ok?
Desejo muito sucesso para você!
Sarah

Resposta
Gustavo Biedermann Janeiro 24, 2017 at 4:38 am

Oi Sarah, pode me ajudar com 2 dúvidas… Tirei o passaporte alemão agora e pretendo ir para a Alemanha em breve com minha noiva. Sabe me dizer se é melhor casar aqui no Brasil ou na Alemanha? Outra dúvida é se pintar oportunidade de trabalho em outro país da UE, por exemplo, França, eu posso trabalhar lá normalmente? E minha futura esposa, também poderá trabalhar na França?
Muito obrigado.

Resposta

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação