BrasileirasPeloMundo.com
Alemanha Curiosidades Pelo Mundo Europa

Alemanha e a cultura do faça você mesmo

Alemanha e a cultura do faça você mesmo.

Na Alemanha, assim como em muitos países da Europa, a mão de obra é bastante cara porque o trabalho das pessoas é extremamente valorizado. Isso faz com que a sociedade alemã seja muito mais auto-suficiente do que a brasileira. Aqui não tem muito essa de contratar outras pessoas pra fazer um trabalho que você mesmo pode realizar. O negócio é botar a mão na massa e aprender.

Quando mudamos de Munique pra Düsseldorf, cotamos uma transportadora pra trazer os poucos móveis que tínhamos. Como tudo aconteceu muito rápido, achamos que faria mais sentido carregá-los com a gente, até porque não daria tempo de colocar as coisas à venda. Sem contar que custaria uma fortuna pra comprar tudo novamente. Orçamos com 3 empresas e a mais barata que achamos, iria nos cobrar 1500 euros pelo percurso. Na hora me bateu um desespero, mas respiramos fundo e decidimos fazer a mudança sozinhos.

Alugamos uma van, desmontamos todos os móveis e colocamos o pé na estrada porque gastar 1500 euros assim não estava nos nossos planos. O aluguel da van com seguro e gasolina custou 400 euros. Valeu muito à pena!

Leia também: Dicas para alugar casa na Alemanha

Quando chegamos em Düsseldorf, montamos todos os móveis de novo, o que aliás é bem comum aqui. O manual costumar vir bem detalhado, tipo brinquedo da Lego, então é algo bem possível até pros mais desajeitados.

Inclusive, na maior loja de móveis da região, ao efetuar uma compra, você precisa pedir uma lista para os vendedores, com o lugar onde cada peça esta estocada. Com a lista em mãos, você vai ao depósito e recolhe as peças sozinho.  Os vendedores não pegam as peças pra você, nem ficam do seu lado pra te ajudar. É cada um por si e tem funcionado muito bem assim até hoje. A loja oferece serviço de entrega, que custa, em média, 13% do valor da compra até 1200 euros. A partir disso, o valor de 175 euros é fixo. Só pra comparar, o aluguel de uma van pela própria loja custa 14,90 euros a hora, independente do valor da compra.

Aqui na Alemanha, as pessoas faxinam a própria casa, cozinham a própria comida, trocam o pneu da própria bicicleta, colocam gasolina no próprio carro e por aí vai. Uma vez eu precisava tirar uma cópia pra renovar o passaporte e fui numa loja do lado do consulado brasileiro. O moço da loja me deu o número da impressora e praticamente disse “se vira querida”. Quando fui procurar a minha impressora, eu vi 3 brasileiros perdidos sem saber o que fazer pra máquina funcionar. Confesso que também fiquei um pouco perdida nos primeiros 2 minutos, mas depois entendi.

Aqui é comum cuidar do próprio jardim, embalar as próprias compras no supermercado (sem sacola plástica), comprar o próprio ticket no metrô ou no bonde e cuidar do próprio edifício em que se vive. Na Alemanha, cada prédio possui sua coleta seletiva. Em Düsseldorf, o lixo é separado em embalagem, papel e todo o resto, exceto por vidro, que deve ser descartado em lugares específicos espalhados pela cidade. Em Munique, além de todas essas possibilidades, ainda há a opção do lixo orgânico.

No prédio onde eu moro, existe um calendário para os moradores, onde cada um é responsável por colocar as latas de lixo do prédio do lado de fora nos determinados dias de coleta. E trazê-las para dentro novamente. Quando mudamos, recebemos uma carta com o nossos dias e assim seguimos com esse compromisso. Se o responsável daquela semana não estiver na cidade por algum motivo, basta colocar um bilhete na porta do prédio pedindo para trocar de dia com algum vizinho e todo mundo se ajuda. Dá problema às vezes? Sim. As pessoas esquecem? Sim. Mas no geral dá tudo certo, cada um faz a sua parte tudo flui numa boa.

Geralmente nas piscinas públicas ao ar livre, quando está chegando o fim do dia, os funcionários convocam todas as crianças pra ajudarem a recolher o lixo que foi esquecido pelas pessoas. Eles dão um saco e luvas pra cada criança e elas saem felizes recolhendo os papéis de sorvete e garrafas que foram deixados pra trás. É legal porque elas encaram isso como algo divertido e ao mesmo tempo aprendem na prática a ter responsabilidade. No Brasil sei que muita gente acharia isso um completo absurdo.

Leia também: Tudo que você precisa saber para morar na Alemanha

É legal porque essa cultura do faça você mesmo é implementada na sociedade alemã desde cedo. A criança aprende na escola a ser mais independente e se torna um adulto mais consciente. Sensacional!

Related posts

10 curiosidades sobre as Olimpíadas de Tóquio

Cristina Ando

Sobrevivendo no trânsito em Tbilisi na Geórgia

Maíra Moscardini

Da cerveja ao Lassi

Marcela Vieira

4 comentários

Dalva Julho 17, 2019 at 1:36 am

Adorei seu texto .Muito bom saber dessas possibilidades e vivenciá-las pela sua ótica realista e animadora .Tomara que venham logo novas matérias .

Resposta
Maíra Nogueira Julho 17, 2019 at 6:43 am

Obrigada!😊

Resposta
Juliana Ribeiro Agosto 19, 2019 at 12:40 pm

Hallo Maira! Também sou carioca e estudo o idioma alemão, por conta de intermediar aluguel por temporada. Gostaria muito de expandir para o público alemão, poderia me sugerir algum site onde nessa cultura do “faça você mesmo”as pessoas busquem seus destinos de férias. Muito obrigada!

Resposta
Maíra Nogueira Agosto 26, 2019 at 6:05 pm

Oi Juliana,
No quesito viagens, após escolherem seus destinos, os alemães geralmente pesquisam passagens no google flights ou no site da deutsche bahn para viagens de trem e usam o Airbnb e booking para escolherem a hospedagem. Quando precisam alugar um carro, eles pesquisam em sites como check24.

Resposta

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação