BrasileirasPeloMundo.com
Argentina

Argentina– “Estamos no Forno”

“O ano termina e começa outra vez”…Pois é. Acabou o período das festas, da comilança e agora é hora da dieta e de começar a se planejar para mais um ano e de deixar a preguiça de lado e continuar escrevendo. Vou falar aqui de algo que incomoda a todos nesta época do ano: o clima.

No hemisfério norte o pessoal sofre com o frio e aqui no hemisfério sul com o calor. Ouvi dizer que o inverno europeu no início de 2014 será o mais frio dos últimos 100 anos. Já aqui pelo Brasil e Argentina estamos batendo recordes de calor.

O inverno na Argentina é longo, pois o outono já é frio. Assim começamos a usar sapatos e casacos a partir de março e voltamos a sentir um calorzinho lá pela metade de outubro, mas em 2013 chegamos na primeira semana de dezembro com a temperatura entre fresca e fria (para se ter uma idéia teve dias que fez 17 graus de máxima e pela noite tínhamos 6 graus!). A primavera passou com dois dias de calor e depois muito frio e chuva todas as semanas. Sinceramente, em 2013 a primavera passou longe.

Basicamente passamos 7 a 8 meses no frio com alguns dias quentes ou muito quentes de vez em quando. Mas, como saindo do Brasil, de frio o povo entende, vou falar do verão em Buenos Aires. Aqui tem uma frase que todo argentino conhece: “En Argentina existen los extremos: el invierno y el infierno!” e é exatamente assim.

Da segunda metade de dezembro até o início de fevereiro é um calor, uma coisa pegajosa e insuportável! Mosquitos por todos os lados. Eles te atacam, picam pra valer e vão atrás de você onde estiver. O problema da cidade é a umidade que provoca a sensação térmica: a temperatura que realmente sentimos e não aquela marcada no termômetro. No inverno são 2 a 3 graus menos e no verão são 2 a 3 graus a mais, assim quando o termômetro está marcando 28 graus, estamos sentindo na pele 30 ou 31 graus. Sempre!

Só que em B.As saímos de tantos meses frios (temperaturas negativas com máxima de 11 graus no final do inverno) e passamos dezembro e janeiro com temperaturas por volta dos 37 graus! Agora joga os 2 ou 3 grauzinhos da sensação térmica para sentir o drama! E como o clima é mais frio que quente a cidade não está preparada para este calor e por isso tudo vira um inferno. Literalmente! Na véspera de Natal de 2012 a temperatura às 16h era de 42 graus e com a ST bateu 45. O povo literalmente derreteu, imagina as pobres mulheres que passam o dia na cozinha nesta data? Cruel!

Há duas semanas as temperaturas estavam entre 36 e 40 graus. Todos os dias. Todos os lugares têm calefação o que faz com que fiquemos sempre quentinhos no inverno, mas no verão desligam a calefação e ponto. Na maioria dos lugares não têm ar-condicionado nem ventiladores. Entrar no metrô de dezembro a fevereiro é uma tortura. Na hora do rush basta descer as escadas para achar que a calefação está ligada de tão quente que está o ar lá embaixo.

Argentina_03_04

Por isso no verão a cidade de BAs é praticamente uma cidade fantasma. É isso mesmo. No meu primeiro janeiro aqui fiquei perplexa de como a cidade fica deserta e para tudo. Sem brincadeira, de 60 a 70% da população sai da cidade para passar as férias no litoral ou viajando para lugares de praia como o Caribe, Brasil, etc. Muitos comércios, lojas, restaurantes simplesmente fecham as portas no início de janeiro e reabrem apenas em março ou final de fevereiro.

O bom é que você tem a cidade inteira para você. Sem trânsito, sem tantos carrinhos de crianças pelas ruas, etc. Eu adoro nestes meses de verão deixar umas garrafas de Sidra bem geladas e sentar com amigos comendo queijos e presunto. Outra boa opção para o verão também é o Clericó: é como a sangria, mas preparada com espumante ou champagne e salada de frutas. Nesta época é possível encontrar essa bebida em praticamente todos os restaurantes da cidade e como a jarra é de 1l dá pra se refrescar bastante e ainda se esbaldar com as frutas depois. Eu adoro Clericó!

Argentina_03_01

A maioria dos teatros estão fechados, a programação do cinema é super fraca, a única coisa que dá pra salvar quem fica na cidade é ter uma piscina (um amigo que tenha piscina também vale) ou ir nas praias artificiais ou se jogar de biquíni numa das inúmeras praças da cidade para pegar um bronze. Pensou que só tinha isso na Europa??? Nanananan, Buenos Aires por ser uma cidade com olhos voltados à Europa também adotou esta prática e todos os anos de janeiro até a última semana de fevereiro são preparadas e disponibilizadas ao público de forma completamente gratuita duas praias artificiais. Uma no sul e outra no norte da cidade. Basta levar um biquíni, sunga, comida e bebida e ficar por lá. Em uma parte eles colocam areia, cadeiras e guarda-sol e no outro lado ficam os chuveiros e áreas de lazer para as crianças.

Argentina_03_02

Na cidade, por sorte, nos últimos anos colocaram grandes ventiladores nas plataformas do metrô e muitos comércios e casas adotaram o Split, famoso ar-condicionado que solta ar frio e quente e assim torna-se útil nestas estações do ano. No entanto, o drama não acaba com isso porque com a onda de calor ficamos todos doidos ligando os ventiladores, os splits, toda hora abrindo a geladeira para pegar algo frio e o que acontece? Uso excessivo de energia elétrica e bum. Falta luz. Agora mesmo no dia 30 de dezembro tinha uma aluna que estava muito brava porque, como ela mesma postou no face, já eram 21h sem luz e ninguém dava notícia e eles sem saber o que fariam para o Reveillon. Um outro amigo, uma semana antes, mais desesperado escreveu: “Um calor de 40 graus e falta luz! Ou me abano ou durmo…os dois é impossível!”.

É assim. Todos os anos é a mesma coisa: no inverno reclamamos do frio intenso. Quando eu tinha que sair para trabalhar às 7h da matina com 0 graus e às 9h alcançava os 5 só imaginava o calor, o verão e aí quando ele chega tão desesperador e acompanhado de falta de luz, mosquitos e etc. queremos o frio.

É isso aí, não tem para onde correr. O jeito é usar outra famosa frase: “Estamos en el horno”!

 

 

Related posts

Lendas urbanas argentinas

Fabi Lima

Filmes Argentinos

Fabi Lima

Argentina – Transporte Público

Ina de Oliveira

7 comentários

Ana Cristina Kolb Janeiro 20, 2014 at 7:51 pm

Oi Ina querida, m,uito engracado as expressoes, adorei e vou aprender, este extremo é sempre complicado né, e a humidade é realmente um grande problema, eu vivendo na Suica, posso ter as mesmas temperaturas mas como é seco, não é desagradavael, imagino também que outro efeito contribuidor seja o de cidade grande, onde o niveis de gás carbono, prédios altos (o que impede a vento de passar entre eles), concreto e asfalto, menores áreas verdes influenciam também as temperaturas, seria o caso de BAs? Adorei o Clerico! bem adoro tudo que é feito com vinho e champagne, e frutas entao nem me fale, vou incluir no meu cardápio de aperitivo neste verão aqui na Suica, quanto as praias, são so areia, bancos e chuveiros ou eles constroem também uns lagos artificiais? Bjus adorei o post! Parabens

Resposta
Ina de Oliveira Janeiro 22, 2014 at 8:47 pm

Sim Ana, o fato de ser cidade grande e longe do litoral complica ainda mais a sensaçao térmica. O Clericó é otimo e refrescante e fácil de fazer 🙂 Basta fazer uma salada de frutas e deixá-la umas horinhas na geladeira e na hora de servir vc pode colocar a sidra ou espumante ou vinho branco. Mexa bem quando estiver tudo na jarra e é só se deliciar 🙂
Em relaçao as praias artificiais elas sao montadas junto ao rio, que nao pode entrar por causa da poluiçao e nao tem lagos. Para se refrescar é apenas nos chuveiros mesmo, o que é um pouco incomodo porque você nao pode ficar o tempo que quiser pois logo formam filas. Mas no ano passado num dos parques, na área das crianças eles colocaram brinquedos que ficam cheios de água e alguns chafarizes. Eu e todos os adultos queríamos ir pra lá, mas tinha até segurança pra deixar o lugar só pras crianças mesmo. Super sem graça. jajajajaja
Quando eu for na Suíça vou te visitar hein! Estarei começando meu mochilao pela Europa agora em fevereiro e pretendo passar uns dias na Suíça. 🙂
beijos e obrigada pelos comentários.

Resposta
Ana Cristina Kolb Janeiro 27, 2014 at 5:06 pm

Ina querida, sera super bem vinda, sera um prazer recebe-la! Obrigada pelas dicas pro Clerico e pela info sobre as praias artificiais! Bjus no coração linda!

Resposta
NATALIA Janeiro 31, 2014 at 1:28 pm

É VERDADE, E NAO PODE SE ESQUECER Q PESSOAS PASSARAM MAIS DE 20 DIAS COM CORTES DE LUZ DEVIDO AO CALOR, É MUITO QUENTE, EU FIQUEI BEGE COM A TEMPERATURA MAS, VAMOS VER NO INVERNO POIS É A MINHA 1ª VEZ AO PAIS E MORANDO

Resposta
Ina de Oliveira Janeiro 31, 2014 at 4:00 pm

Natalia,
Desejo sorte, pois em geral este será um ano muito, mas muito difícil para a Argentina. Todas as medidas economicas do governo estao afundando o país. Independente disso Buenos Aires combina com o frio. As semanas de ola polar com máxima de 5 graus sao frias, mas defitinivamente a cidade fica mais bonita e mais animada, já que para as pessoas nao ficarem em casa hibernando é a estaçao com alta temporada de eventos. Aproveite e espero que goste tanto quanto eu!

Resposta
Ricardo Outubro 1, 2014 at 5:54 pm

Interessante o seu comentário, Ina. Suponho que você seja de uma região quente do Brasil, não é? Para mim, que sou de Porto Alegre, o clima de Buenos Aires não é “frio” e sim basicamente o mesmo clima do sul do Brasil. Conheço curitibanos que acham a cidade quente demais e com um inverno “fraquinho” justamente por ter subidas bruscas de temperatura (coisa que na capital paranaense não ocorre). Por isso discordo quando vc diz que Bs As tem um outono e primavera frios. Para mim são amenos. Agora, o verão eu concordo, é infernal!!! Um abraço

Resposta
Argentina – Meios de Transporte & Argentinos Fevereiro 27, 2014 at 6:32 pm

[…] Leia mais sobre a Argentina! […]

Resposta

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação