BrasileirasPeloMundo.com
Bélgica Entrevistas Profissões Pelo Mundo

Assistente Pessoal na União Europeia em Bruxelas

Um dia como: Assistente Pessoal na União Europeia em Bruxelas.

O BPM hoje entrevista a Ana Luiza, de Aracaju, que mora na Bélgica há 6 anos e meio. A Ana Luiza, antes de se aventurar pela Europa, estudou direito na Universidade Federal de Sergipe. Ao fim dos estudos, resolveu aprimorar seus conhecimentos de línguas e veio para a Bélgica, onde começou trabalhando como au pair. Quando decidiu ficar em definitivo no país, se deparou com muitas dificuldades, principalmente em relação ao mercado de trabalho. Durante 4 anos batalhou para se aprimorar em 3 novas línguas, fez um curso de mestrado, e trabalhou em diversas áreas até conseguir seu emprego atual. Ela compartilha sua trajetória conosco.

BPM – Como tem sido a sua trajetória profissional? 

O começo aqui na Bélgica foi muito difícil. Mesmo tendo um diploma em Direito, mesmo falando inglês e francês fluentemente, foi muito difícil conseguir meu primeiro emprego. Eu não tinha muita escolha. Tinha que aplicar pra qualquer trabalho que eu achasse que podia fazer (pra ter ao menos uma primeira experiência profissional no país e assim tornar meu CV mais interessante pra futuras oportunidades de trabalho). Na Bélgica eu já trabalhei em call centers, já trabalhei como recepcionista da Renewable Energy House (experiência essa que apesar de breve, ajudou muito pra que eu conseguisse meu emprego hoje), já trabalhei como assistente administrativo numa agência bancária e de seguros (aprendi muita coisa, era muito trabalho, mas foi ótimo pro meu CV). O banco fechou e então passei mais um ano procurando emprego. Parece que o mercado de trabalho está cada vez mais difícil e competitivo. Nesse um ano eu cheguei a trabalhar em um navio cruzeiro como fotógrafa. Sim, também sou fotografa e isso é o que realmente me dá prazer! Passei um mês no navio e foi maravilhoso. Quando voltei, essa proposta de emprego na Representação de Malta apareceu e eu aceitei, claro.

 BPM – Você fez faculdade ou algum outro curso específico na Bélgica?

Ana Luiza -Fiz cursos de línguas (inglês, francês e holandês) e também um mestrado de relações internacionais na ULB (Université Libre de Bruxelles).

BPM – Como é a sua rotina. A que horas começa a trabalhar e qual é a sua carga horária?

Ana Luiza -Minha rotina tem sido muito puxada atualmente. Como assistente pessoal da embaixadora de Malta pra União Europeia, eu não tenho muito tempo pra mim durante a semana. Chego no trabalho às 9h da manhã mas muito frequentemente saio do trabalho por volta das 19h ou até mesmo depois das 20h.

Às vezes, quando me sobra energia, vou pra academia. é bom pra saúde física e mental! Na verdade, Malta está se preparando para assumir a presidência do Conselho da União Europeia no próximo ano, então está uma loucura! Mas com certeza, isso é uma oportunidade única para o meu currículo e abrirá muitas portas no futuro.
 BPM – Quais as diferenças da sua profissão, se houver, entre o Brasil e a Bélgica?

Ana Luiza -Sinceramente, com relação ao que estou exercendo agora eu não sei. Nunca fui assistente no Brasil. Mas, como advogada, com certeza eu sei que aqui a advocacia de qualidade é pra poucos. É muito caro contratar advogado na Bélgica.

BPM – Que cursos você recomendaria para as brasileiras que queiram ingressar na mesma profissão e seguirem carreira, na Bélgica? 

Ana Luiza -Eu recomendo antes de tudo aprender os idiomas. Eu sofri muito até encontrar algo porque não falo holandês. A maioria das oportunidades de trabalho em Bruxelas exigem nível fluente de inglês, francês e holandês. Uma vez tendo isso, tudo fica bem mais fácil, de verdade. O Governo oferece vários cursos profissionalizantes, entre eles o curso de assistante administrative. Eu não cheguei a cursar, mas com certeza deve abrir as portas pra conseguir um emprego.

BPM – Qual a média de salários, para uma pessoa iniciante e já no topo da carreira?

Ana Luiza -Depende do trabalho, claro. Depende da cidade também. O custo de vida em Bruxelas é mais alto do que em qualquer outro lugar do país. Eu diria que um salário de 1.400 Euros seria um salário de iniciante, iniciante mesmo. Já alguém com certa experiência pode conseguir salários de 2.000 Euros a 3.500 bruto (na área de assistente pessoal, administrative, etc).
Ana Luiza, arquivo pessoal da Ana Luiza.
BPM – Qual seria o aspecto mais positivo e o negativo (se houver) de ser profissional na sua área, na Bélgica? E você acha que teria as mesmas chances na carreira se estivesse no Brasil, ou o fato de estar na Bélgica lhe proporciona mais opções profissionais?

Ana Luiza -Aqui com certeza eu tenho mais possibilidades de encontrar coisas interessantes. Por ser um país pequeno mas o coração da Europa, existem muitas empresas grandes aqui, fora toda a comunidade europeia e todas as instituições. Pra quem estudou Direito e Relações Internacionais como eu, é um paraíso! Em Aracaju, eu nunca teria essa chance. Teria de ir pra alguma grande capital, como São Paulo, por exemplo. Acho que o fator da distância conta muito também.

BPM – Como é trabalhar nesta área, em outra língua, sendo mulher? Você sente alguma espécie de discriminação?

Ana Luiza – Não sinto discriminação não por ser mulher, mas por ser secretária. A questão do poder seduz muito a cabeça das pessoas, mas isso é em todo canto do mundo.
A Ana Luiza faz fotos maravilhosas, de todos os tipos: retrato, eventos, paisagens, natureza, etc. Ela começou como amadora, tirando fotos para si e familiares, nos últimos anos estudou sobre técnicas de fotografia, trocou seu equipamento e aprendeu a mexer em softwares de imagem, o resultado é surpreendente.  Para quem quiser verificar, entre no site dela Ortus Photography.
Aurora Boreal na Islândia. Arquivo pessoal da Ana Luiza: Ortus Photography.
Arquivo Pessoal Ana Luiza, Ortus Photography.

Related posts

Profissões Pelo Mundo – Nutricionista

Ann Moeller

Entrevista com Kátia Moraes, cantora e compositora em Los Angeles

Natália Baldochi

Problemas de ficar indocumentado na Bélgica

Bruna Cely Silva

13 comentários

Raquel Junho 29, 2016 at 8:39 am

Fico muito feliz em ver uma brasileira conseguir um bom emprego aqui na Bélgica e mais feliz ainda por ser uma conterrânea, também sou de Aracaju. Isso me impulsiona a estudar e a me esforçar ainda mais.

Resposta
Tábata Senna Junho 30, 2016 at 12:24 pm

Olá Raquel! Obrigada por nos acompanhar aqui no blog.
Fico feliz que o exemplo da Ana tenha te inspirado, também me inspirou e foi por isso que quis entrevistá-la.

Resposta
Renata Julho 12, 2016 at 7:17 am

Eu também sou de Aracaju, fico muito feliz por esta notícia também! Sem dúvidas uma motivacao.

Resposta
Tábata Senna Julho 15, 2016 at 6:34 am

Olá Renata! Sem dúvida, muito motivação!
Obrigada pela leitura e continue nos acompanhando por aqui.

Resposta
Camila Pires Julho 13, 2016 at 1:32 am

Olá Tábata !

Muito boa a ideia de entrevistar a Ana Luiza. Serve de inspiração, principalmente para quem quer traçar caminhos parecidos, como eu.
Também sou formada em direito e queria saber muitas coisas da Ana, como por ex., se ela conseguiu validar seu diploma…
teria alguma forma de eu entrar em contato com ela ?

Grande abraço !

Resposta
Tábata Senna Julho 15, 2016 at 6:32 am

Ola Camila. Sim, a Ana também foi uma inspiração para mim, vivemos coisas parecidas…
Imagino que ela tenha sim tido que validar o diploma para fazer o curso na universidade.
A Alice já escreveu sobre esse processo aqui no blog, deixo o link para você:
http://www.brasileiraspelomundo.com/psicologas-pelo-mundo-comecando-do-zero-101310746
E deixo também o link do órgão oficial daqui que faz reconhecimento de diploma:
http://www.ond.vlaanderen.be/naric/nl/gelijkwaardigheid-aanvragen/

Resposta
Camila Pires Julho 19, 2016 at 3:46 pm

Muito obrigada pela atenção, Tábata !!

Resposta
Tábata Senna Agosto 25, 2016 at 7:32 am

De nada. Fico feliz em poder ajudar.

Resposta
EMMERSON DELMIRO Julho 27, 2016 at 4:26 pm

Achei que interessante a trajetória da minha conterrânea nordestina, Sou de Pernambuco e gostaria de saber como faço pra ingressar na policia desses paises europeus visto que aqui no Brasil sou policial civl?

Resposta
Tábata Senna Agosto 1, 2016 at 10:18 pm

Olá Emmerson,

Não conheço o processo para entrar para a polícia. A única coisa que sei a respeito sobre a Bélgica é que o candidato deve fazer uma prova de línguas, dessas que fazem para ingressar na universidade. E aqui exigem conhecimento em francês e holandês fluente. Deixo aqui o site da polícia de Bruxelas:
http://www.polbru.be/

Boa sorte.

Resposta
Tayenne Assunção Fevereiro 25, 2017 at 1:59 pm

Olá meninas estou muito ansiosa para conhecer a bélgica, sou de bem longe sou de caldas novas goias cidade das águas quentes, eu e meu noivo estamos planejando ir para a europa em julho mas estou tao confusa pois nunca viajei pra fora e queremos ir para conhecer e tentar a vida se der certo queremos muito ficar definitivamente mas não conhecemos ninguém que mora ai, atualmente eu trabalho de auxiliar administrativo em uma construtora a 2 anos e poucos meses, se vocês puderem me orientar ou entrar em contato comigo me dar algumas dicas eu ficarei imensamente agradecida! fiquem com Deus

Resposta
Euza Ribeiro Colen Março 18, 2017 at 2:41 am

Sou descendente de Belga mas perdi a cidadania aos 28 anos. (bisneta) Sou brasileira e gostaria de saber se a profissão de Enfermagem ai na Bélgica em nivel superior e Técnico tem facilidade de encontrar vagas mesmo em trabalho domiciliar. Pretendo conhecer o País futuramente, e se gostar quem sabe um dia morar uns tempos por ai.

Resposta

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação