BrasileirasPeloMundo.com
Bélgica

Inburgering: curso de integração social na Bélgica

Inburgering: curso de integração social na Bélgica.

Mudar de país é sem dúvida uma tarefa difícil. Se adaptar a uma cultura nova, novos sabores e costumes é a parte mais divertida. Mas e falar outra língua? Achar emprego, fazer equivalência de diploma, entender o sistema de saúde, se regularizar no país, entender os impostos… Mudar de país é literalmente repensar uma vida nova. Imagine que ao se mudar você não saberá nem onde comprar um prego se precisar, aliás, provavelmente não saberá nem dizer a palavra “prego” na língua local.

Felizmente, aqui na Bélgica existe um programa do governo voltado exatamente para este problema: o curso de integração. Antes de mais nada, ressalto que este programa é bem estruturado na região de Flandres (que fala holandês) e é obrigatório na maioria dos casos. Existe na região da Valônia mas não é tão organizado. E na região de Bruxelas aplica-se o mesmo modelo da região de Flandres (visto que a capital faz parte desta região), porém o curso não é obrigatório.

Brochura distribuída durante o curso de integração social, Governo de Flandres Oriental, Oost-Vlaanderen Overheid.

Como funciona

O programa é dividido em três etapas: curso de integração social, curso de línguas e orientação profissional. Cada imigrante recebe um “mentor”, uma pessoa que é responsável por sua trajetória durante este processo de integração. O meu guia se chama Kris e é para ele que devo telefonar quando tenho dúvidas. Ele cuida pessoalmente do meu caso, me dá ideias e me ajuda a “me virar”. Foi ele, por exemplo, que me orientou sobre o processo para a retirada da habilitação européia.

Curso de Integração Social

O curso é oferecido em diversas línguas, até em português. É uma boa oportunidade para conhecer pessoas novas que falam o nosso idioma, não é mesmo? Eles oferecem até intérpretes quando não há um número suficiente de participantes para formar uma turma em determinada língua, o tagalo por exemplo.

O objetivo deste curso é ensinar como funciona a sociedade belga. Explicar algumas leis, como funciona o sistema de saúde, de educação, a arrecadação de impostos, alguns direitos e deveres (como separar o lixo corretamente, por exemplo), tipos de vistos, como obter a cidadania, ensina sobre os órgãos governamentais e onde procurar informações e ajuda, como alugar um imóvel, comprar, etc.

A ideia é dar autonomia e conhecimento sobre a Bélgica. São informações que o belga adquire durante a vida, coisas que você saberia se estivesse no seu país.

Aonde você gostaria de estar daqui a 5 anos?

Durante o curso de orientação, o imigrante também é obrigado a pensar em um “plano de ação” para o futuro. A partir daí, o professor + o mentor + o imigrante traçarão as metas e passos a seguir para alcançar o objetivo. Interessante, não? Você chega no país meio desorientado e é obrigado a pensar no futuro, pesquisar e ir seguindo as etapas, e é o governo paga por tudo isso.

Curso de línguas

A língua local é fundamental para o processo de integração. Assim o programa oferece aulas de holandês, até 6 níveis, na escola social CVO, de graça. Mas o aluno só é obrigado a fazer até pelo menos o nível 2.

Orientação profissional

A orientação profissional é dada em parceria com o órgão governamental VDAB (Vlaamse Dienst voor Arbeidsbemiddeling en Beroepsopleiding – Serviço Flamengo de Emprego e Formação Profissional). O VDAB oferece cursos profissionalizantes, analisa a situação profissional do imigrante, ajuda a elaborar um currículo, indica quais as melhores áreas e de que cursos precisará para alcançar os objetivos etc. Esta orientação não é obrigatória, depende do que cada um busca.

Esta também é uma boa hora para o imigrante fazer a equivalência do diploma, pois o serviço é oferecido gratuitamente.

O curso de integração é 100% gratuito. Isso quer dizer que é o governo quem está pagando por profissionais. Antes de iniciar esse processo, o estrangeiro é obrigado a assinar um contrato de comprometimento, e este contrato estipula multas. Se o imigrante não aparecer nos cursos, por exemplo, pode receber uma multa inicial de 50 euros. Caso continue não aparecendo sem uma justificativa concreta, as multas vão aumentando, sendo a pena máxima de 5 mil euros. E não basta pagar a multa e acabou, não não, a pessoa terá que ir até o fim e enquanto isso, dá-lhe multa. Mas não se assuste, a multa é o último recurso; antes disso o mentor pessoal irá entrar em contato e tentar ajudar o seu orientando.

Certificado

O processo todo pode levar de um mês a mais de um ano, dependendo de cada caso. Se o estrangeiro já tiver um emprego e já dominar a língua, por exemplo, basta cumprir o curso de orientação social. Quando este é concluído, tanto o estrangeiro quanto seu mentor decidem juntos se o processo terminou, só então é dado o certificado de integração.

Este certificado de integração pode ser um dos documentos exigidos pelo governo na hora de pedir a cidadania belga, mas este é assunto para outro texto.

A experiência pode ser interessante ou ser apenas mais uma obrigação a cumprir. Isso vai depender do olhar e da situação de cada um. Meu conselho é: aproveite este benefício. Imigrar é uma tarefa árdua, confusa, longa e muitas vezes cara. Então, por que não aceitar uma ajuda?

Related posts

Casamento civil na Bélgica

Bruna Cely Silva

A comunidade brasileira na Bélgica

Marcela Bueno

Lucas Melgaço – Geógrafo, Pós Doutorando e Professor na Bélgica

Ann Moeller

34 comentários

Renata Salas Collazo Fevereiro 7, 2016 at 11:16 pm

Tabata, post maravilhoso, qualquer pessoa com intenção de mudar para Bélgica precisa ler o seu texto. Parabéns!!!

Resposta
Tábata Senna Fevereiro 8, 2016 at 9:30 am

Muito obrigada Renata! Fico feliz em escrever e ajudar quem vem para cá. Melhor ainda com essa ajudinha do governo.

Resposta
Ana Elisa Fevereiro 8, 2016 at 8:33 am

Ótimo texto, Tábata!

Pra mim o curso de integração social foi mais uma obrigação a cumprir. Só pude começar o curso depois que obtive minha identidade, o que levou um ano. Nesse meio tempo já tinha aprendido muita coisa sozinha, como muitos outros na minha turma.

Mas reconheço os pontos positivos: o curso de holandês gratuito e o reconhecimento do diploma (que levou um ano e meio, mas deu certo!)

No fim das contas, acho que quem tem tempo deve fazer uso desse processo sim, nem que seja pensando na cidadania mais adiante.

Resposta
Tábata Senna Fevereiro 8, 2016 at 9:41 am

Obrigada Ana!

Eu também só pude começar o curso depois de obter meu visto, o que levou quase 10 meses, já sabia muita coisa sobre a Bélgica, coisas práticas como estados, rios, história. Mas confesso que não sabia da força dos sindicatos, como funcionava o sistema de seguridade social, os impostos, coisas que a gente aprende com a vida mesmo. Eu gostei muito do curso, mas como disse, depende muito da visão e interesse de cada um, meus colegas que já estão aqui há mais de 5 anos achavam perda de tempo, e com razão, coitados, estavam lá só pela cidadania.

Mas acho muito boa essa ideia do governo, me senti também mais acolhida. E no final, acho que informação nunca é demais.

Resposta
Ana Elisa Fevereiro 8, 2016 at 11:33 am

É realmente uma ótima iniciativa e ajuda muita gente a se orientar aqui.

Resposta
Tábata Senna Fevereiro 8, 2016 at 6:34 pm

Com certeza!

Resposta
Regina Barbosa Fevereiro 8, 2016 at 12:00 pm

Eu estou aqui a 11 anos .Fiz o curso dois anos apos ter chegado por acaso.pois como cc mesmi disse depende da regiao. Em Bruxelas ele nao e obrigatorio, e opcional. O nivel de neerlandes gratis e bem menor ia ate o nivel 2 ,pode ter mudado. E quanto a equivalencia depende tb da profissao A minha. Sou medica disseram que era muito complicado. Me ofereceram alternativas tipo auxiliar de “enfermagem” ou claramente cuidar de velhinhos em asilos. Donde o curso e valido sim. Importante sim mas tb existe racismos la dentro e depende e muito, como tudo de onde vc esta nesse mosaico triplo que se chama Belgica

Resposta
Tábata Senna Fevereiro 8, 2016 at 6:47 pm

Olá Regina.

No curso continua sendo obrigatório ter pelo menos até o nível 2 de holandês. Mas se a pessoa quiser continuar aprendendo, pode estudar até o nível 6 de graça.

Quanto à obrigatoriedade, de fato, depende da região. Eu, quando morava em Bruxelas não fiz, mas agora em Gent fiquei super interessada. Na Valônia não é nenhum pouco estruturado, são ainda iniciativas voluntárias, o curso de línguas se tornou obrigatório só agora, a coisa está começando a mudar por lá. Como você mesma disse, é difícil se situar nesse mosaico triplo que é a Bélgica.

Quanto à equivalência de diploma, acredito que seja de fato complicado para a área médica, sou formada em jornalismo e já estou achando o processo complicado,mas só pelo fato de ser gratuito já ajuda muito, se eu fosse fazer por conta pagaria uma nota.

Quanto à ajuda profissão, bom, vai depender de cada um, o acompanhamento profissional não é obrigatório, mas como é difícil entrar no mercado de trabalho, achei ótimo. Meus colegas, por exemplo, já estavam quase todos empregados, então eliminaram essa parte.

Resposta
elisa costa Outubro 19, 2016 at 11:11 am

Ola. Eu vou iniciar o curso de nerlandes agora em novembro. Mas tive que pagar 87.00 euros para fazer a inscrição. Conheço pessoas que pagaram muito menos. Mas pelo que sei,depende se fazemos o curso de dia ou á noite, e tambem onde tiramos o curso. Quando fui fazer o teste a escola mais barata ja estava cheia e entao fui para o CVO que tem cursos á noite

Resposta
Tábata Senna Outubro 21, 2016 at 11:38 am

Olá Elisa.
87.000 euros ou 8.700 euros ou 870? Você se inscreveu onde? Os valores dependem de instituição para instituição. CVO é financiada pelo governo, por isso é mais barata, mas mesmo assim há diferença de preços entre os cursos da CVO, quem opta por um curso com menos horas/aula paga menos… Cursos em universidades são muito mais caros, mas você tem muito mais hora/aula. Eu paguei 375 euros por módulo. Mas para o mesmo curso, mesmas horas, tem gente que paga a menos dependendo de alguns critérios explicado no próprio site da instituição. Por exemplo, para moradores da cidade fica mais barato, se a renda familiar foi menor que 4 mil euros, então tem mais outro desconto, etc… Depende de cada caso. Eu por não morar na cidade, acabei pagando o preço mais alto. Conheço uma pessoa que, pelo mesmo curso que eu, pagou 99 euros. Atenção, estou falando apenas da UGENT. Lembrando que cada instituição aplica um valor diferente.

Resposta
nara Março 20, 2018 at 9:43 pm

Olá
Neste acolhimento eles ajudam imigrantes a arrumar emprego?

Resposta
Liliane Oliveira Março 21, 2018 at 12:33 pm

Olá Nara,
A Tábata Senna parou de colaborar conosco, mas temos outras colunistas na Bélgica.
Você pode entrar em contato com elas deixando um comentário em um dos textos publicados mais recentemente no site.
Obrigada,
Edição BPM

Resposta
Vivian Kulpa Fevereiro 8, 2016 at 5:06 pm

Adorei seu texto, Tábata. Sinto falta de algo assim aqui na Polônia, pois, como você disse, para sentir esse acolhimento, é importante aprender mais sobre a cultura, história e leis do país que estamos morando. Tive que (e estou aprendendo sempre) no dia-dia. Um forte abraço de outra filha da PUC. 🙂

Resposta
Tábata Senna Fevereiro 8, 2016 at 6:54 pm

Obrigada Vivian!

De fato esse curso foi ótimo. Agora quando escuto o noticiário e falam algumas siglas eu entendo. Me sinto muito mais parte da Bélgica. Tem muita coisa que aprendi por conta que no curso não foram muito úteis, porque eu já sabia, como os estados, capitais, a estrutura das línguas, regiões, transportes, história, nome de rios… Eu não queria chegar alienada. Mas coisas como seguridade social, onde é que eu ia aprender? Para ser honesta, nem sei como funciona a seguridade social no Brasil, não sei quantos impostos pagamos e para onde vão, não conheço todos os sindicatos… Acho que informar o estrangeiro que vem residir aqui é a melhor coisa que o governo faz, para a própria população.

Resposta
Carlos Moisés Fevereiro 22, 2016 at 10:17 pm

Tábata, excelente seu texto. Atualmente moro no Brasil, mas ainda esse ano pretendo morar na Bélgica e o blog tem me ajudado e muito a tirar muitas dúvidas sobre o país. Tenho certeza absoluta que vou precisar desse curso de Integração Social.
Fiquei com uma dúvida, mesmo o curso sendo de graça, existe alguma ajuda de custo durante a duração do curso?

Resposta
Tábata Senna Fevereiro 23, 2016 at 7:11 am

Obrigada Carlos.
Não não existe ajuda nenhuma. Você pode perguntar para o seu mentor, no geral eles analisam a situação financeira e dependendo da renda podem ajudar no transporte. Depende muito do seu visto também, no geral o governo não quer dar ajuda de custo de forma alguma aos estrangeiros, só aos que vem com pedido de asilo, se esse não for seu caso, e você entrar com um pedido de ajuda financeira, tem grande chances deles cancelarem o seu visto. No fundo vai depender muito da situação de cada um, minha dica é, pergunte ao seu mentor, mas não venha para cá contando com isso.

Resposta
Marini Mirelli Camargo Teixeira Fevereiro 28, 2016 at 3:47 am

Oi Tábata! Esse curso só é possível ser feito depois de obter cidadania?

Resposta
Tábata Senna Fevereiro 29, 2016 at 1:43 pm

Olá Marini. Não, este curso é obrigatório, na maioria das vezes, depois de obter o visto, a cidadania vem depois, e para obtê-la pode ser que seja obrigatório ter o certificado deste curso.

Resposta
Priscilla Semencio Março 26, 2016 at 2:48 am

Tábata, enviei um correio no contato do Blog! Parabéns! Texto bem escrito, possui todas as etapas, bem didático. Fiquei feliz ao ler seu texto, pois, ao participar de grupos de Brasileiros que estão no Face percebi que muitas pessoas falavam mal do país e ao que tudo indica foram apenas para “se dar bem” não para compreender que toda relação social é troca. O governo parece de fato se importar com as pessoas e fazer com que se sintam um pouco mais acolhidas. 🙂

Resposta
Tábata Senna Abril 28, 2016 at 5:22 pm

Olá Priscilla, obrigada por acompanhar o blog.

Acredito que a opinião das pessoas sobre o país onde moram depende da situação e vivência de cada um. Eu achei o curso interessante pois queria aprender mais sobre o país, então digamos, veio a calhar. Mas tem gente que não acha o curso interessante pois já vive aqui há anos e já conhece todas essas informações. Programas de integração social não são exclusividade da Bélgica, muitos países aqui na Europa tem.

Não se esqueça de que este curso é somente para pessoas que estão legalizadas no país. Ou seja, quem não está, continua ao leo…

Sobre a minha impressão deste país, posso dizer que é como se a Bélgica tivesse dois lados, dependendo da situação de cada um, pode ser um país muito atraente, acolhedor, interessante, assim como pode ser um inferno. Isso na Bélgica mas em qualquer outro lugar também.

Resposta
Gislene Junho 3, 2016 at 7:12 am

Oi Tábata, muito legal sua disposição em ajudar as pessoas e bem esclarecedor seus textos. Ainda moro no Brasil, mas estou pensando em ir coabitar com meu namorado belga na região da Valônia. Adorei saber desse curso. Como é feita a ‘matrícula’? É preciso ir até a comuna solicitar? Se vc pudespr esclarecer um pouco mais como funciona esse contato inicial ficarei agradecida.

Resposta
Tábata Senna Junho 6, 2016 at 7:17 am

Olá Gislene! Fico feliz em poder ajudar, afinal migrar não é fácil.
Mas olha, esse curso acontece na região de Flandres, e em Bruxelas, na Valônia ainda não existe, estão pensando ainda em um projeto… Acredito que morando na Valônia você não poderá se matricular nesse curso, pois é o governo de Flandres que paga e eles não tem interesse em patrocinar ninguém da Valônia.
A matrícula funciona assim: quando recebemos o visto aprovado, recebemos uma carta nos convidando a ir em um endereço para uma “conversa”, dai lá eles explicam tudo e dizem que é obrigatório. Você pode entrar em contato com o órgão Huis van het Nederlands, cujo link está no texto, e perguntar, mas morando em Valônia eles não vão ajudar muito. Procure se informar sobre algo do gênero junto a sua commune.
E te aconselho a já começar a estudar francês aí no Brasil mesmo antes de vir para cá, vai ajudar bastante.
Boa sorte.

Resposta
Saionara Junho 7, 2016 at 5:39 am

Tabata vc sabe me explicar como Que eu faco pra mim me escrever nesse curso de integracao social???eu ja tenho a residencia com validade de 5 anos e nunca ouvi falar desse curso e fiquei super interessada, Se vc puder me orientar como devo proceder eu te agradeco…

Resposta
Tábata Senna Junho 7, 2016 at 8:15 am

Olá! Na verdade eu fui ‘intimada a participar’. Quer dizer, quando recebi meu visto, logo em seguida recebi uma carta me convocando a ir até o endereço deles para uma “conversa” (gesprek), e lá fui informada de que era obrigada a fazer o curso se não pagaria multa. Você pode procurar se informar junto a uma das unidades do Het Huis van Het Nederlands (a casa do holandês), normalmente o departamento do inburgering fica no mesmo prédio. Mas lembrando que esse curso é só para quem mora na região de Flandres. Se você mora na Valônia não vai achar, se mora na Valônia pergunte na sua Commune.
Boa sorte.

Resposta
cleudeni Setembro 12, 2016 at 7:14 pm

olá tudo bem.
Gostei muita das informações deste blog. Principalmente por ser informações verdadeira, pois infelizmente tem muitos brasileiro com má vontade de ajudar outros,
Tenho interesse em morar e trabalhar em Bruxelas, pois tenho amigos que se ofereceram a mim ajudar nesse processo. Uma pergunta.
Estou tirando o passaporte ainda, mas provavelmente vou tirar o visto para visitante, eu consigo fazer este curso ou não?

Resposta
Tábata Senna Setembro 13, 2016 at 7:36 am

Olá Cleudeni,
Fico feliz de saber que o blog ajude. Então vou tentar te ajudar mais um pouco.
Antes de vir para cá, leia este post que escrevi sobre o mercado de trabalho:

http://www.brasileiraspelomundo.com/belgica-os-desafios-para-entrar-no-mercado-de-trabalho-582023523

Este curso de integração só é oferecido a quem tem visto de status permanente ou de longa duração. Para quem vem, em teoria, a visita, não precisa deste curso. Em outras palavras, o governo só quer gastar dinheiro com quem de fato vem para ficar e de forma legal.

Cuidado com o que te prometem, não venha nunca de forma ilegal, sempre tenha um dinheiro extra para o retorno. Entre em contato com o consulado belga no Brasil para tirar dúvidas. E lembre-se, a vida no exterior não são flores. Por mais difícil que seja a vida no Brasil, no exterior as dificuldades estão em outra dimensão, é muito mais difícil do que só a falta de emprego… Não quero desencorajar ninguém, só informe-se bem antes de vir.

E por último, leia o post que te indiquei, tem informações importantes.

Resposta
Mariana Lemos Outubro 3, 2016 at 12:21 pm

Oi Tábata,

Como escrito em muitos comentários, parabéns pelos textos! Realmente muito didáticos e explicativos.
Se puderes, me tira uma dúvida: Estou pensando em morar em Bruxelas, tenho dupla cidadania (brasileira e portuguesa). Pelo que andei lendo não é necessário visto para europeus que queiram morar na Bélgica, apenas comunicar residência. Certo?Tenho algumas outras dúvidas e gostaria de saber de ti se tens algum contato direto que, caso não seja nenhum problema, eu possa te contactar. Agradeço desde já e mais uma vez parabéns!

Resposta
Tábata Senna Outubro 5, 2016 at 3:25 pm

Obrigada Mariana, fico contente de saber que meus textos são úteis.
Infelizmente não sei te responder. Não sei como funciona o processo para cidadão europeu. Informe-se junto ao consulado, é mais seguro. Eu também já ouvi dizer que europeus só precisam registrar residência, assim como também já ouvi dizer que existe um certo tipo de visto, um tipo de permissão que o europeu precisa pedir junto à comune (prefeitura), não sei como funciona a questão de impostos por exemplo. Então o melhor é se informar mesmo junto ao consulado.
Deixo aqui o link para meu texto sobre tipos de vistos. Seu caso não está lá mas você pode encontrar links úteis como o do consulado.
http://www.brasileiraspelomundo.com/belgica-tipos-de-vistos-091924432
Espero ter ajudado. Boa sorte com a papelada.

Resposta
Camila Maio 24, 2017 at 5:50 pm

Muito legal o post!!!
Tenho uma dúvida!!!! Sou nascida em Bruxelas, mas em menos de um ano foi pra Portugal e depois vim para o Brasil.
Atualmente no meu RG tenho nacionalidade BELGA mas queria meu passaporte belga. Como faço?

Resposta
Diego Junho 6, 2017 at 11:26 am

Ola, Tabata não posso deixar de lhe parabenizar por escrever de forma tão clara sobre este processo. Muito obrigado.
Tive uma dúvida em relação ao tempo que vocês comentaram um pouco logo acima, você só pode começar o curso após conseguir o visto, este visto eu só consigo ele no Brasil, correto?
cheguei em Bruxelas no dia 03 e tenho grande interesse em fazer esta integração.

Resposta
Brunno Quintão Dezembro 13, 2017 at 5:14 pm

Olá, como como posso conseguir fazer esse curso para ingressar em uma universidade na Bélgica? Ou tenho q ingressar na universidade primeiro para conseguir fazer esse curso de integração?

Resposta
Liliane Oliveira Dezembro 13, 2017 at 7:09 pm

Olá Brunno,
A Tábata Senna parou de colaborar conosco, mas temos outras colunistas na Bélgica.
Você pode entrar em contato com elas deixando um comentário em um dos textos publicados mais recentemente no site.
Obrigada,
Edição BPM

Resposta
Jussara Março 10, 2019 at 10:59 pm

Ola Tabata, hj que conheci seu blog. Gostaria de saber se existe idade limite para a ajuda do governo. Sou tecnica de enfermagem no Brasil, mas estou morando em Portugal. Tenho 48 anos . Ha possibilidade de q eu consiga esses beneficios ou só pra quem tem cidadania? Obrigada

Resposta
Liliane Oliveira Março 11, 2019 at 10:38 pm

Olá Jussara,
A Tábata Senna parou de colaborar conosco, mas temos outras colunistas na Bélgica que talvez possam te ajudar.
Você pode entrar em contato com elas deixando um comentário em um dos textos publicados mais recentemente no site.
Obrigada,
Edição BPM

Resposta

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação