BrasileirasPeloMundo.com
EUA

Bairros de São Francisco: Fisherman’s’ Wharf

Bairros de São Francisco: Fisherman’s’ Wharf

No mês passado, dividi com vocês minha experiência no bairro de Haight-Ashbury e a história do movimento hippie em São Francisco. Decidi dar sequência ao texto e criar a série “bairros de São Francisco”, começando pelo Fisherman’s Wharf.

Imagino que muitos de vocês já tiveram ou terão a chance de visitar São Francisco como turistas. Por essa razão, vou começar abordando os bairros turísticos e dar dicas locais do que fazer em apenas um dia nesses bairros. Vou tentar fazer o possível para sair do óbvio, identificar armadilhas para turistas e dar dicas úteis que vocês não irão encontrar por aí.

Apenas para dar uma rápida explicação, mais de 75% dos guias de turismo de São Francisco incluem um dia no Fisherman’s Wharf como itinerário. O bairro é uma comunidade portuária, ao lado da praia de North Beach. Caminhando pela beira-mar, você irá encontrar uma sequência de piers e cada um deles terá restaurantes e outras atrações interessantes. Não se sinta sobrecarregado pelas incontáveis lojas de souvenir e barracas de rua na região. O melhor de Fisherman’s Wharf está em seus museus e nas vistas maravilhosas que ele irá te proporcionar.

Visitar o Fisherman’s Wharf significa aprender sobre a história de pesca na região: barcos de pescadores atracados no porto, leões marinhos tomando sol, caldeirões de caranguejo cozinhado no meio da calçada, restaurantes de frutos do mar e o famoso pão sourdough (especialidade da cidade).

Duas linhas do famoso cable car (bondinho) também terminam por aí, completando o sentimento de estar em São Francisco. Enquanto caminha pelas ruas do bairro, você também terá a vista interessante da ilha e prisão de Alcatraz. Deu vontade de visitar? Então, vamos ter certeza que você não irá errar por lá.

O que vestir?

Porto na Califórnia, sol, praia, surf, céu azul o ano todo. Correto? Aqui não. A cidade inteira de São Francisco apresenta um microclima na região. Muitas vezes se nota a diferença de até dez graus a mais quando se atravessam as pontes para sair da cidade. A temperatura média na cidade, de janeiro a janeiro, não passa de 15 graus Celsius.

A neblina e o cinza tomam conta da cidade quase o ano todo. Aqui ocorre o encontro entre as correntes oceânicas geladas com o calor desértico da região central da Califórnia. O resultado da interação dos dois é a neblina ou o que aqui chamamos de fog.

A neblina aparece geralmente entre duas e três da tarde e, como você pode imaginar, as correntes de ar gelado são ainda mais fortes no porto.

Falei tudo isso para dizer que os vendedores de souvenir adoram turistas desinformados que vêm ao bairro só de camiseta e, portanto, vendem um montão de agasalho de baixa qualidade a altos preços.

Evite a armadilha e se vista em camadas: uma jaqueta ou blusa de lã com um capuz é o ideal. No meio da tarde, o vento gelado e forte vem com a neblina, mas apenas uma hora depois o sol está de volta. Portanto, esteja sempre com uma camiseta ou algo leve por debaixo da jaqueta.

O que comer?

Como uma típica brasileira, sempre gostei de churrasco. Mas, após me mudar para São Francisco, virei fã número um de frutos do mar. Vou mencionar aqui três coisas que você deve experimentar nesse bairro:

  • Caranguejo (dungeness-crab): quando estiver chegando à área central do bairro, você terá muitas opções e pode até ficar confuso. No Brasil se come muito pernas de caranguejo, mas você irá notar aqui que o caranguejo é gigantesco. O caranguejo-rei do Alasca pode ser encontrado em diversas partes dos EUA, mas o Dungeness Crab é a especialidade daqui. Comer caranguejo por aqui será um prato completo (e delicioso). Mas se você quiser experimentar várias coisas, eu recomendo pedir nas barracas na calçada um dungeness crab roll,  um sanduíche delicioso recheado com carne de caranguejo. O caranguejo  dungeness é mais doce e fácil de comer que o caranguejo que estamos acostumados.

 

Dungeness Crab Crédito: Reddit
  • Sopa de mariscos  ou de caranguejo (clam and crab chowder): ainda não cansou de caranguejo? Que tal uma sopinha? O bom daqui é que você poderá pedir em copo (porção menor) ou tigela. De novo, se quiser experimentar de tudo recomendo o copinho. A sopa é servida quente, feita com batatas, creme branco e caranguejo ou mariscos. A de mariscos você poderá encontrar em outros lugares nos EUA, mais tradicionais como em New England, por isso recomendo novamente a de caranguejo. Se quiser consolidar essa dica com a próxima, procure a sopa no pão sourdough. Dois pelo preço de um!

Leia também: Tudo o que você precisa saber para morar nos EUA

  • Pão de massa azeda (sourdough bread). Agora a dica é para o café da tarde. São Francisco é famosa pelo pão de massa azeda. Uma casca dura e crocante, similar ao pão italiano, com uma massa de sabor molhado e especial por dentro. A rede de padarias mais famosa de São Francisco (com uma unidade no meio do bairro) é a Boudin. Perfeita para um cafézinho no fim do dia.   
Foto: Pixabay

 

Agora se a ideia é ter uma refeição de rei, num restaurante fine-dining, a chance de cair em armadilhas é  enorme. Eu visitei mais de dez restaurantes na região e apenas um realmente me impressionou, em termos de sabor e experiência. O restaurante que mais gostei se chama Scoma. Ele fica bem escondido, mas existem placas indicando o caminho. O restaurante é dentro de um barco e a comida muitíssimo fresca e bem preparada.

O que visitar?

A última dica que quero dar aqui é o que visitar nesse bairro. Você verá mais de quinze opções de museus e galerias de arte espalhados pelo bairro. Dos genéricos, como o de cera Madame Tussauds, até específico como os de história marítima. Como tempo de turista é curto recomendo dois que são imperdíveis: 

  1. Musee Mecanique:  com mais de duas mil e seiscentas reviews no Yelp avaliando esse museu como fantástico, você entenderá os motivos quando entrar. Primeiramente, a entrada é franca. Nesse museu você encontrará uma coletânea de jogos e brinquedos desde o começo do século XX. Você irá encontrar fliperamas, artefatos e máquinas muito comuns em circos antigos e parques de diversões, que funcionam com o uso de moedas. O museu conta com uma coleção de mais de 300 máquinas e é uma das maiores coleções privadas do mundo.
  2. San Francisco Maritime National Historical Park: esse museu é pago (US$15 dólares é a entrada no momento). Parte do parque a céu aberto pode ser visitado gratuitamente, mas com a entrada você poderá ver muito mais da história marítima de São Francisco e terá acesso a área de biblioteca e pesquisa.

Espero que essas dicas ajudem e que vocês possam aproveitar o melhor de São Francisco.

Related posts

Atendimento médico gratuito para mulheres em Los Angeles

Andrea Yagui

Vida doméstica: porque nem sempre é fácil

Gabriela Albuquerque

Me redesenhando

Gabriela Albuquerque

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação