Cheguei em Braga, e agora?

0
870
Jardins de Santa Bárbara, Braga. Arquivo Pessoal.
Advertisement

Cheguei em Braga, e agora?

Cheguei em Braga, Portugal,  depois de um tempo na Espanha, de algo que não era exatamente para ser, mas acabou sendo meu ano sabático, e volto a botar os pés no chão e retomar os rumos da vida. Quando meu marido veio para a Europa, fomos viver na Catalunha, e eu tinha muitos planos de trabalhar, viajar, fazer contatos, escrever, cozinhar, enfim, gosto de um planejamento com opções A, B, C, D… Z, e sonho alto.

A realidade, entretanto, nem sempre acompanha. A burocracia pode ser mais lenta do que os sonhos esperavam, e o dia a dia em um novo país demanda mais do que eu imaginava. Entre altos e baixos, meus altos incluíram muitas trilhas a mais de 2500m de altitude, muita montanha, neve, sol, lagos e mais lago, e os baixos foram lindos, com praias, cachoeiras, passeios na beira do rio, e por fim eu relaxei. Aceitei meu ano sabático, apertei os cintos e vivi de forma frugal e minimalista e deu tudo certo.

Agora viemos para Portugal. Cheguei em Braga, e agora? O primeiro passo foi tentar encontrar moradia, ou morada, como os portugueses costumam chamar. Desde o ano passado estava em contato com imobiliárias, checando os sites diariamente, mas sem nada em vista. Ao chegar percebi que meu drama seria um pouco maior do que o esperado. Uma verdadeira enxurrada de brasileiros tomou conta de Portugal, além e outros migrantes. Portugal é a “bola da vez”, e até os famosos têm buscado casas aqui. Não sei se a liberação do FGTS estimulou os brasileiros, as vantagens de acordos bilaterais, a situação política e econômica ou tudo junto, mas simplesmente não há imóveis disponíveis!

E isso porque estou em Braga, Lisboa e Porto então nem se fala. Bateu aquele desespero no início. Eu olhava para o nosso pequeno Ford Ka, duas portas, lotado com tudo o que possuíamos na vida, e me desesperava. Consegui estender uns dias no airbnb já reservado, depois percebi que seria demorado e fomos para outro airbnb por mais 10 dias. Na chegada à cidade, na mesma noite, comprei um chip de celular pré-pago local e já comecei a marcar para visitar imóveis. Nosso sonho era arrendar (alugar) um já mobiliado, na faixa de preço baixa, enfim, o sonho perfeito, daquele de só pegar as chaves e entrar, para poder resolver o restante. Sonho meu!

Passei a ver todo tipo de imóvel, casa ou piso (apartamento), em Braga ou vilas vizinhas, mobiliado ou vazio, novo ou precisando de reformas, em todas as faixas de preço. Já estava bem cansada quando por fim optamos pela compra de um piso. Apesar de razoavelmente reformado, precisamos fazer algumas pequenas obras, e outras ainda estão à vista, mas assim que estava habitável viemos correndo. O pobre do meu cão (aqui cachorro é o sanduíche de salsicha, e aliás, os sanduíches aqui são sandes) estava tão estressado que até desenvolveu toque temporário e perdeu pelo nas patas. Mas depois de cerca de 20 dias, o quesito morada estava resolvido.

Leia também: tudo que você precisa saber para morar em Portugal

Aí começou nossa saga real, do cheguei, e agora? Caso você já tenha morada, comece a leitura daqui! O primeiro passo é o registro na Junta de Freguesia local (prefeitura do bairro), e para isso você precisa ter em mãos o contrato de arrendamento ou compra. Tendo uma morada você conseguirá fazer conta no banco, alguns são mais exigentes quanto a outros documentos, mas uma boa alternativa é o Activo, que facilita esse processo. Para saber mais sobre como abrir uma conta em banco em Portugal, leia aqui.

Tendo sua morada em mãos, vá a Loja do Cidadão mais próxima, local onde se concentram diversos serviços governamentais, parecido com o Na Hora (Brasília) ou Poupatempo (São Paulo), e faça os contratos de água e energia em seu nome. Com isso você também consegue um comprovante de residência aceito em demais locais, a primeira fatura de água ou luz. A Loja do Cidadão será seu destino inevitável nesse processo de chegada. Acostume-se a ela. No início tudo parece muito desesperador, cheio (evite ir aos sábados pela manhã se puder), mas eu garanto que com um pouco de persistência tudo se resolve. Se estiver perdido use o site ou baixe o app do Mapa Cidadão, lá você encontrará os endereços mais recentes de todos os órgãos onde precisará ir.

O número mais importante para você correr e tirar na Loja do Cidadão é o NIF, ou número fiscal português. Esse número será seu novo melhor amigo, e você precisará dele para tudo. Às vezes ajuda conversar com quem faz um aluguel temporário e pegar com eles uma carta indicando que aquela é sua morada para conseguir com isso fazer o NIF e a conta bancária e depois o aluguel definitivo. Uma coisa geralmente depende da outra e você vai depender de quem aceita fazer o primeiro com menos documentos (varia de pessoa pra pessoa) para então conseguir os demais.

O passo seguinte é o registro no Serviço de Saúde, para seu número de utente. Esse registro vai depender da sua morada, pois é por endereço. Caso venha diretamente do Brasil já traga seu formulário PB4, que deve ser adquirido no Ministério da Saúde brasileiro, e te dará direito a usufruir do sistema público de saúde aqui. Leia mais aqui. Caso seja cidadão português, porte sempre seu Cartão Cidadão, ou então tenha sempre em mãos sua Permanência. Caso ainda não possua sua permanência, agende na SEF (Serviço de Emigração e Fronteiras), que também possui agência na Loja do Cidadão, um horário e peça seu visto, agrupamento familiar, ou o que for seu caso. Convém sempre checar isso antes de vir para Portugal, pois alguns vistos, como o D7, precisam ser tramitados antes da chegada. Você pode ler mais sobre isso aqui.

Pronto, com morada, registro na junta de freguesia, água e luz funcionando, conta no banco, NIF e permanência em dia, você já pode começar sua nova vida em Portugal. Sim, começar, porque tudo isso foi só o preâmbulo. Mês que vem te conto mais sobre como transferir um automóvel entre países da União Europeia e a saga dessa burocracia.

Por fim, caso esteja em Braga, aproveite quando o sol sair, e vá passear em Bom Jesus do Monte, o Santuário do Sameiro e outros passeios deliciosos que depois eu te conto mais sobre. E se tiver curiosidade sobre como é morar em Portugal acompanhe aqui mais sobre: 5 dicas de ouro, custo de vida em Lisboa, e informações práticas, como transferir a carteira de motorista, comprar um carro e coisas assim.

E você? Já veio morar em outro país? Me conta como foi essa chegada? Aqui temos alguns exemplos de experiências similares, o susto com a mudança de país, com o marido expatriado, com chegadas na Áustria, França, Peru, Eslováquia, Canadá, e Itália.

Deixe um comentário

Por favor inclua o seu comentário
Por favor escreve o seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.