BrasileirasPeloMundo.com
Alugar/Comprar Imóvel Pelo Mundo Suíça

Como alugar imóvel na Suíça

Como alugar imóvel na Suíça.

Ao planejar uma mudança de país, uma das principais preocupações é em relação à moradia. Um novo país traz muitas novidades e desafios e, ter um lar agradável, onde possamos sentir conforto e tranquilidade, certamente contribui positivamente para o nosso dia a dia.

A seguir, conto um pouco dos passos para alugar um imóvel na Suíça, baseando-me tanto em informações de sites oficiais, como na nossa experiência e de conhecidos, nesta busca pelo “lar, doce lar”.

A procura

Ainda na Espanha, procuramos através dos principais sites e tentamos agendar por e-mail as visitas, mas não tivemos nenhuma resposta – provavelmente por sermos estrangeiros e termos escrito em inglês, pois ainda não falávamos alemão. O que nos salvou foi a assessoria oferecida pela empresa na qual meu marido vinha trabalhar.

Para quem vem de outro país com um contrato de trabalho, algumas empresas disponibilizam o relocation package – um pacote de benefícios (que variam de acordo com a empresa) para auxiliar no processo de mudança. Nele, a assessoria de relocação, ajuda na busca de um imóvel, registro na Gemeinde, escola para crianças, abertura de conta em banco, etc. Para nós, facilitou bastante, além da assessora ter sido muito atenciosa esclarecendo várias questões sobre a vida na Suíça. Quem não dispuser deste auxílio, caso se interesse, pode contratá-lo à parte. Deixo aqui o contato para os Cantões de St. Gallen, Appenzell Ausserrhoden e Innerrhoden, e regiões suíças do Lago de Constança.

Inicialmente, enviamos por e-mail à assessora todas as nossas preferências e exigências em relação ao imóvel que gostaríamos de alugar. Enviamos também os links dos apartamentos que tínhamos gostado, tanto para ela saber o nosso estilo, como para tentar organizar uma visita. Chegando aqui, ela nos acompanhou em todas as visitas pré-agendadas por ela.

Quanto à localização, usualmente se leva em consideração a distância do trabalho, meios de transporte e despesas, além da distância de escolas, caso tenha filhos, pois na Suíça as crianças vão sozinhas à escola.

Leia também: 5 motivos para morar na Suíça

Sites

Os sites mais usados são: comparis, home, homegate e ImmoScout24. Sendo que o primeiro recolhe os anúncios que aparecem nos principais portais imobiliários suíços.

A maioria dos anúncios contêm fotos, valor e descrição do imóvel (metragem, número de cômodos, se possui garagem, distâncias, etc).

Atenção ao número de quartos! Exemplo: 3.5 Zimmer equivale a 3 cômodos e meio, ou seja, uma sala, dois dormitórios e o 0.5 refere-se ao espaço para refeição (sala de jantar).

Como são os imóveis

  • Os imóveis possuem a cozinha equipada, com geladeira, fogão (cooktop à indução nos mais novos ou reformados), forno e muitas vezes máquina de lavar louças.
  • Nem todos os apartamentos possuem local para instalar máquina de lavar roupas, sendo muito comum a lavanderia comunitária, onde os moradores usam a máquina do prédio, mediante horários agendados, conforme as regras de cada edifício.
  • Atualmente os apartamentos mais novos e modernos têm máquinas de lavar roupas, geralmente instaladas no banheiro, pois não é comum ter área de lavanderia dentro dos apartamentos.
  • Raramente tem tanque de lavar nos apartamentos, este muitas vezes se encontra na área de serviço do edifício.
  • Vários apartamentos possuem um keller – pequeno espaço de depósito – na área inferior do edifício.
  • Os banheiros não possuem ralo para escorrer água fora do box ou banheira, portanto não se lavam os banheiros como no Brasil, a limpeza é feita de outra forma, com produtos específicos.
  • É comum a instalação de lustres ficar a encargo do inquilino.
  • Os apartamentos não possuem número, apenas o edifício. Logo, são colocados os sobrenomes dos residentes no interfone, campainha e caixa de correio.
Cozinha equipada com geladeira e lava-louças dentro dos armários – Arquivo pessoal.

Gostei e agora?

Feita a visita, caso queira alugar o imóvel, é necessário preencher um formulário de candidatura, com os dados de todas as pessoas que irão habitá-lo (incluindo profissão, e salário), além de informar se possui animais de estimação. Alguns exigem, em anexo, uma cópia de documentos como: visto de residência, contrato de trabalho/comprovante de renda e certificado atualizado de ações pendentes e processos criminais.

Assim, será escolhido, por ordem de chegada, o pedido do interessado que mais se encaixa nos requisitos estipulados pelo locador. Aquela velha história de “quem indica”, também vale, aumentando as chances de quem é recomendado por algum conhecido.

Algumas pessoas relatam ter se interessado por imóveis que tinham listas enormes de candidatos. Isso pode acontecer em cidades como Zurique, por exemplo. Portanto, assim que gostar de um imóvel, é aconselhável ser ágil, bem como ter mais opções e candidatar-se a outros imóveis, já que é possível recusar caso seja aceito e não tenha mais interesse.

Nós não tivemos dificuldade neste sentido, conseguimos alugar o apartamento que mais gostamos (no Cantão de St. Gallen).

Leia também: Dificuldades de adaptação na Suíça

Aluguel e taxas adicionais

Inicialmente é necessário pagar um mês de aluguel adiantado mais a caução – depósito de garantia no valor do aluguel –, que pode variar de 1 a 3 aluguéis. Esta caução é devolvida quando o contrato termina, se estiver tudo em ordem no imóvel. Caso contrário, são descontados os valores para cobrir os gastos de reparação. Uma coisa interessante é que, conosco, a caução foi depositada em uma conta com rendimento mensal. Claro, rende pouquíssimo, mas ao menos não fica totalmente parada.

Geralmente o valor do aluguel é composto de custo líquido e despesas acessórias, que normalmente compreendem: condomínio, taxas de esgoto e, às vezes, aquecimento e água.

Li uma vez na internet, um brasileiro afirmando que em toda a Suíça não se paga pela água, mas esta informação é incorreta, acontece o que citei acima, em alguns lugares ela está inclusa no aluguel, a pessoa não paga separadamente como é feito com a energia elétrica. No meu edifício a princípio era assim, mas após alguns anos passamos a pagar separadamente e esta conta chega uma vez por ano.

Os valores dos imóveis variam muito de cidade para cidade, bem como dependendo da localização, tamanho, tipo e ano de construção ou reestruturação, etc. Então, não citarei valores, os interessados podem buscar diretamente nos sites o tipo de imóvel específico.

Um fato interessante é que, para alguns, é possível requerer a redução do aluguel quando os juros hipotecários diminuem. Isto já aconteceu conosco duas vezes nos últimos 2 anos. Informações aqui.

Consideração importante

Os aluguéis são bem altos na Suíça. Como regra geral para calcular o orçamento, o aluguel (incluindo encargos adicionais como condomínio e garagem) não deve exceder um terço do rendimento mensal (renda líquida).

Contrato

Obviamente, é de suma importância ler atentamente todas as cláusulas do contrato e tirar dúvidas antes de assiná-lo. Se estiver em uma língua que você não domine, não deixe de traduzir ou pedir ajuda a alguém se necessário.

Caso alugue um apartamento, atenção às leis do condomínio como, por exemplo, em relação ao barulho, para não perturbar os vizinhos.

Atenção também ao período de aviso prévio em caso de cancelamento do contrato, bem como se existem períodos nos quais não se pode cancelar. Onde vivemos, por exemplo, não aceitam o cancelamento no mês de dezembro, período considerado mais difícil de alugar. Temos amigos que, por sua vez, só podem terminar o contrato em três meses específicos do ano e, considerando mais os três meses de aviso prévio, imaginem o planejamento (ou gasto) que deverão ter quando decidirem mudar! Assim, é importante informar-se e levar tudo isto em consideração.

Os locadores normalmente esperam que os locatários façam um seguro domiciliar de responsabilidade civil, para cobrir eventuais danos causados por incêndio, inundação, etc. Em certos Cantões, a contratação deste seguro é obrigatória. Já nós, fomos obrigados a contratar pelo fato de termos uma cadelinha. Apesar de sabermos que ela não causaria danos, a proprietária tinha receio pelo apartamento ser novo.

Chave em mãos

Após assinado o contrato, quando as chaves nos foram entregues, estavam presentes a proprietária e a nossa assessora. Juntos, verificamos cômodo por cômodo para ver se estava tudo ok, e eventuais problemas – riscos no piso, manchas na pintura, lâmpada que não funcionasse, etc. – eram anotados. Também recebemos um formulário para anotar os problemas que não tinham sido encontrados naquela ocasião e percebêssemos depois, com o prazo de um mês para enviarmos à imobiliária, para evitar futuras cobranças indevidas, pois quando o contrato termina, o apartamento deve ser entregue limpo e sem danos provocados por nós.

Ressalto aqui a importância de, além do formulário, enviar por e-mail fotos ou vídeos dos problemas, de modo que fique tudo claramente registrado. Da mesma forma que eventuais problemas estruturais (rachaduras, infiltrações, etc.) que surgirem com o tempo, também devem ser referidos por e-mail ou carta registrada.

Ademais, recebemos um fichário (organização suíça!) com todos os manuais dos eletrodomésticos existentes – fornos convencional e a vapor, cooktop e exaustor, geladeira, freezer, máquina de lavar louças, máquinas de lavar e secar roupas.

Pronto, a partir daí vem a parte que mais gosto… mobiliar e decorar. Mas isso eu conto uma próxima vez!

Related posts

O que a Suíça mudou na minha vida

Mel Barbieri

O Pontual transporte Suíço

Janaína Abreu

Regras para comprar imóveis na Polônia

Raisa Rechter

2 comentários

Alessandra Agosto 1, 2017 at 6:09 am

Mel, muito legal compartilhar sobre esse tema. Quando falo q aqui nós éramos escolhidos pelos locatários, muita gente não acredita. Tenho colegas aqui que se aplicaram e mesmo com todo suporte da empresa por traz, o dono do imóvel negou alugar para as pessoas porque a casa tinha três quartos e eles eram um casal. E q tinha uma família que também tinha se aplicado e deram preferência para eles. E muito diferente do nosso sistema no Brasil. Aqui no Cantão de Vaud os seguros sao obrigatórios. Adorei! Vou compartilhar beijos

Resposta
Mel Barbieri Agosto 3, 2017 at 7:53 pm

Oi, Alê!
Realmente é bem diferente mesmo do sistema no Brasil. Por um lado, os locatários têm maior respaldo, por outro, os locadores encontram mais dificuldade, né?!
Obrigada pelo comentário e por compartilhar.
Beijos

Resposta

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação