BrasileirasPeloMundo.com
Empregos Pelo Mundo Itália

Como encontrar emprego na Itália

Como encontrar emprego na Itália

Como encontrar emprego na Itália.

Quando mudamos de país, uma das principais preocupações é sobre como se manter financeiramente nesta nova fase. Hoje vou contar a vocês minhas experiências em Roma, e dividir alguns relatos de amigos brasileiros.

Já começo dizendo que não é difícil. Mas, assim como em qualquer grande metrópole, novas necessidades surgem todos os dias, e com elas novas oportunidades de trabalho. A cidade de Roma é turística o ano todo, sempre é necessário mão de obra para serviços como: bares, restaurantes, hotéis, atendimento ao cliente, tradutores e tudo que envolve o ramo de turismo.

Ao chegar em outro país é necessário tempo para as coisas começarem a entrar no ritmo, mas com um pouco de paciência e persistência, logo você estará adaptado e empregado.

Leia também: Os seis primeiros meses de adaptação

Antes de começarmos, devemos falar sobre um ponto importantíssimo: os documentos. Para ter um trabalho registrado, você precisa estar em dia com permesso di soggiorno, tessera sanitaria, e ter uma conta em banco. Sem essa documentação básica, você não será aceito em nenhuma empresa ou trabalho legal, e é isso que queremos, não é mesmo?!

Trabalhos ilegais podem trazer alguns problemas e não te darão segurança, nem suporte em caso de doença, gravidez, desemprego, entre outros. Geralmente os trabalhos não registrados são de faxina, ou cuidadora de idosos e crianças, mão de obra braçal, ou serviços de entrega de panfletos e jornais. Nunca trabalhei ilegalmente, mas já ouvi relatos de conhecidos (de diversas nacionalidades) sobre condições de trabalho não tão boas, como por exemplo: exploração, falta de respeito, preconceito, instabilidade de horários, problemas com pagamento, entre outros. Vale lembrar que nem todos os trabalhos são assim, mas essa questão é real, e nós migrantes estamos sujeitos a passar por isso.

Normalmente o valor pago por esses serviços são, em média, de 7 a 8 euros por hora, e são pagos ou no final do dia, ou a cada semana trabalhada, lembrando que nesse tipo de emprego você também tem que pagar seu transporte e raramente incluem hora de pausa para o almoço. Eu não aconselho chegar em outro país e buscar essa fonte de renda, o ideal é que você venha preparado financeiramente para passar os primeiros meses, acertar seus documentos, adaptar-se, e depois entrar no mercado de trabalho.

Outro fator essencial para encontrar emprego na Itália é: falar italiano! Se você fala inglês, francês, ou qualquer outra língua, ótimo, isso te ajudará a ter uma melhor colocação no mercado, porém, o italiano é fundamental para o dia a dia. Se puder, estude antes de vir, ou procure escolas de italiano gratuitas para migrantes. Sim, elas existem!

Então, prepare-se e esteja seguro para o momento em que a oportunidade vier. Sem falar a língua, fica quase impossível fazer contatos, telefonemas ou agendar entrevistas. Algumas empresas podem pedir o certificado da língua B1 ou B2 (níveis avançados), mas, no geral, com o italiano intermediário você conseguirá trabalhar. Esse certificado é emitido pelo governo, mediante ao pagamento de uma taxa de aproximadamente 50 euros, ou pelas escolas caso você seja um aluno matriculado e frequente.

Leia também: Curso de italiano gratuito em Roma

Outro ponto importante é: se você tem faculdade no Brasil, cursos técnicos, diplomas ou outros comprovantes de estudo, traduza, juramente e apostile todos eles (nem sempre é exigido, mas é possível). Documentos em português não têm a mesma validade que os traduzidos, e se seu curso não for reconhecido na Itália, verifique as possibilidades perante à lei de torná-lo válido.

Dito isso, vamos então imaginar que você chegou ao país, já fala italiano e tem toda a documentação feita. Os meios mais comuns de encontrar emprego na Itália são:

  • Indicação: Quando você chegar, não terá uma rede de amigos como tinha no Brasil, mas procure ”enturmar-se”. Faça cursos, vá à escola, passeie em um parque, cafés, shoppings e faça amizades. Com o tempo eles podem te ajudar a conseguir emprego, e com a indicação de alguém poderá facilitar a sua contratação. Busque grupos no WhatsApp, Facebook e outros. Eu tenho certeza que, assim como me ajudaram, e muito, podem ajudar você também.
  • Entregar currículo nas empresas e estabelecimentos: Essa é a forma clássica e quase infalível de se arrumar emprego em outro país. Imprima vários currículos, tenha segurança no idioma e vá aos lugares que você tem interesse e converse com o responsável local. Mesmo que não haja placas dizendo que há vagas, vá. Mostre que tem interesse no emprego e já é qualificado para tal. Por mais que não tenha resultado imediato, em breve alguém pode te ligar e te convidar para um teste.
  • Jornais de emprego: Esse meio eu não usei, mas tive vários conhecidos que se deram bem com as vagas dos ”classificados”. Os jornais são vendidos nas bancas por aproximadamente 2 euros, e são repletos de anúncios de todos os tipos, até mesmo para as faxinas não registradas, mas é uma ótima opção para quem já chega falando o idioma e ainda não tem muitos contatos pessoais.

Minha experiência com a procura não foi ruim, eu optei por deixar meu currículo (traduzido) nos locais que eu tinha interesse, e em menos de um mês entraram em contato comigo para uma entrevista e um dia de experiência – no final do dia já estava contratada. Mas confesso que antes disso, fiquei 10 meses em casa até acertar todo o meu processo de documentos. Quando eu digo que é fácil, é para não te desanimar, porque não é impossível . Às vezes, imaginamos somente as piores situações, e criamos monstros e barreiras na nossa mente que só dificultam o nosso processo. Ao mudar de país, você deve sempre estar ciente sobre os novos desafios, mas, ainda assim, com todas as mudanças valerá a pena.

Boa sorte !

Related posts

Ambiente de trabalho em Madri

Denise Neves

Vida de uma universitária na Itália

Daisy Salles

Fim de semana em Cinque Terre na Itália

Nathália Braga Bannister

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação