BrasileirasPeloMundo.com
Curiosidades Pelo Mundo Itália

Dez fatos sobre Roma

Dez fatos sobre Roma, a cidade eterna!

Todo lugar no mundo tem sua beleza particular, praias, montanhas, ou belas construções, e no caso de Roma, é como viver em um museu a céu aberto. Se você gosta de história, antiquários e grandes monumentos, certamente este é o lugar ideal para você.

Mas hoje vamos falar sobre o que os turistas não veem, sobre os detalhes que são diferentes do Brasil, no dia a dia. Esses pontos são baseados nas minhas experiências e espero poder passar a realidade, sendo ela boa ou ruim, dependendo de cada ponto de vista.

1 – Clima extremamente quente no verão e extremamente frio no inverno

Temos basicamente os meses de abril e maio com a temperatura agradável de primavera, e outubro e novembro com o outono. Se vier de mudança, não deixe de verificar a temperatura da época que você chegará, isso é essencial para a organização das malas.

2 – Processos de documentação são lentos

O número de pedidos de permesso di soggiorno (autorização de residência) e cidadanias são cada dia maiores, e as datas de agendamentos variam em aproximadamente três meses, por processo. Exemplo: Não é possível fazer a tessera sanitaria (carteira de saúde) sem identidade, e não é possível fazer a identidade sem o permesso. O agendamento do meu permesso foi para três meses depois e, após ir ao Departamento de Imigração, demorou quase dois meses para o documento chegar à minha casa. Então, é necessário, além de ter muita paciência, vir preparado financeiramente até estar regularizado para trabalhar.

Leia também: Quais são os principais documentos italianos?

3 – Preços variam muito de lugar para lugar

Roma é uma cidade turística e, logo, tem suas áreas com mais consumo e comércio. Os preços das coisas, em geral, na Itália são muito bons, mas você precisa sair da zona turística para economizar e comprar bem.
No centro você paga: 5 € em um pedaço de pizza, 1 € em 1 litro de água,100 € em um perfume,50 € em um almoço para dois. Nas áreas menos turísticas: 2 € a pizza, 0,20 centavos o litro de água, 60 € no “shopping” mais comum e escondido, e 25 € no almoço para dois. Assim, planeje bem a sua viagem e separe dia de passeio de dia de compras.

4 – A beleza de ouvir tantos idiomas diferentes e o contraste entre os turistas e os executivos

Nas zonas turísticas você escuta inglês, italiano, francês, espanhol, alemão e por aí vai. É incrível a quantidade de turista todos os dias, mas se afastando um pouco do centro você quase não vê os flashes das câmeras fotográficas e encontra os “engravatados” com pastas e celulares na mão, bem rotina diária do trabalhador.

5 – O horário de pico também é caótico e os metrôs/trens não são novos

Existem linhas de trem mais novas que te levam ao aeroporto e para as outras regiões da Itália, além de outros países, mas os transportes públicos do dia a dia não são novos, também são lotados e algumas vezes lentos.

6 – Saúde pública de qualidade

Todos na Itália têm gratuidade nos hospitais, prontos socorros e para a utilização de ambulância. Mesmo você não tendo seguro saúde ou tessera sanitaria não ficará desamparado no caso de uma emergência.

Telefone de primeiros socorros: 113 ou 118

Leia também: Sistema de saúde na Itália

7 – Segurança e melhor qualidade de vida

Desde que cheguei na Itália, o que mais me chamou a atenção foi a limpeza e a segurança. Passeando à noite pela cidade não nos sentimos ameaçados, as crianças brincam fora de casa até tarde, e os pais priorizam muito o tempo livre com as crianças. Os parques são cheios, as pessoas não são sedentárias, comem bem, porém os italianos fumam muito.

8 – Aluguel de casas

Roma por ser uma cidade linda e turística tem aluguéis bem caros no centro, porém, nas áreas mais afastadas o preço é justo. Eu moro a 30 quilômetros do centro e meu aluguel é 300 euros em um estúdio mobiliado e com quintal. Casas com um ou dois quartos variam de 400 a 500 euros, mas no centro você pode pagar até 1.000 euros por um quarto em uma casa. Geralmente, as imobiliárias pedem três ou quatro meses de adiantamento, o ideal é fazer um contrato direto com o proprietário e negociar os pagamentos.

9 – Emprego

Posso dizer por experiência própria que não é muito difícil arrumar trabalho. Para ser registrado você deve estar com os documentos em dia, e saber falar italiano ajuda muito. Se você fala mais de um ou dois idiomas a oferta já fica mais fácil. São muitas lojas, agências, comércio, turismo, etc. – emprego sempre tem. Existem vários jornais com vagas e sites de emprego. Prepare-se com o idioma, se tiver algum diploma no Brasil, faça a tradução juramentada e venha aberto à novas propostas e desafios. Com um pouco de paciência e qualificação você não ficará desempregado.

10 – A valorização do seu dinheiro

O mais incrível de morar na Europa é o poder de compra em relação ao Brasil. Uma vez que você ganha em euro e gasta em euro, não precisa se preocupar com a conversão. Vou deixar alguns valores de produtos e vocês comparam com os preços no Brasil:

  • Fogão / geladeira / máquina de lavar: média 200 a 300 euros;
  • TV Smart: média 200 euros;
  • Produtos MAC: média 10 euros;
  • Tênis Nike / Adidas: média 80 euros;
  • Sofá cama: média 100 euros;
  • Celular Samsung Galaxy S10 + 128 GB: média 900 euros;
  • Carro usado: média 1.500 euros.

E aí, gostou das notícias? Você moraria em Roma?

Lembre-se de que não existe lugar melhor que o outro, o importante é fazer da sua nova casa um lar e aproveitar as oportunidades de mudança que a vida nos dá.

Related posts

Grasse – A Cidade do Perfume

Stephanie Caires

A Tradicional Medicina Chinesa

Christine Marote

Dia de Ação de Graças nos Estados Unidos

Raiane Rosenthal

2 comentários

Juliana Outubro 17, 2019 at 3:55 pm

Morar no entorno de Roma realmente sai mais barato, mas como é o preço do transporte público regional? Como ir trabalhar todo dia morando em outra cidade?

Resposta
Marcelle Veres Outubro 19, 2019 at 8:45 am

Oi Juliana.A empresa de ônibus que faz o transporte intermunicipal,chama COTRAL,ela cobra por km percorrido.No site você pode ver o percurso,o tempo e o valor da sua ”viagem”. Eu pago 2,20 euros por 27km. O problema maior de depender desse ônibus é que ele tem horário certo para passar,ele não atrasa,dificilmente quebra ou não vem. Dependo totalmente dele para tudo,porem nunca tive problema, é só ficar de olho no App pra saber onde ele esta e não perder. Vou com ele até a estação de trem , e la compro um bilhete de 1,50 euros valido por 100 min para trens,metros e ônibus (dentro de Roma). Mas existe também a opção de fazer o bilhete único,para quem vai diariamente sai muito mais em conta .

Em dezembro sai um texto explicando todo os detalhes sobre o transporte publico, mas qualquer dúvida me escreva.

Resposta

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação