BrasileirasPeloMundo.com
Malásia Transporte de animais pelo mundo

Como levar pets para a Malásia

Como levar pets para a Malásia.

No início de 2017, meu marido chega um belo dia em casa, com uma grande novidade: Estamos nos mudando para Kuala Lumpur, na Malásia!

Na hora bateu aquele friozinho na barriga, mas depois que a ficha caiu amei a ideia de poder ter uma experiência do outro lado do mundo.

Comecei então a buscar informações sobre o país que seria a nossa nova casa, eu já tinha visitado Kuala Lumpur uma vez, durante uma viagem que fizemos pelo sudeste asiático e a impressão que tive da cidade era de ser muito parecida com São Paulo. Mas devo admitir que depois que comecei a buscar mais a fundo informações de KL (maneira carinhosa
de se referir a Kuala Lumpur), sobre os costumes, religião, qualidade de vida, enfim tudo que pesquisamos antes de nos mudar para um lugar desconhecido, uma coisa começou a me tirar o sono: como iria fazer para levar o Billy, nosso filhotinho de West  para a Malásia? Um pais que pelas minhas pesquisas pude perceber que não era muito fã de cachorros.

Deixar o Billy no Brasil não era uma opção, com isso começamos a nossa maratona para
conseguir trazer o Billy!

A primeira coisa que fizemos foi entrar em contato com o Ministério de Agricultura e Pecuária do Brasil ( VIGIAGRO) , o órgão do governo responsável pela exportação e importação de animais do Brasil, na Malásia para você conseguir trazer o seu animalzinho, você precisa fazer um processo de exportação formal.

O ponto mais importante e o tempo, e um processo longo, dura na faixa de uns 2 meses, até que você consiga todos os documentos, e tenha tudo certinho para poder embarcar com a sua mascote.

O nosso primeiro problema começou no Brasil, o nosso pais ele não possui nenhum acordo com a Malásia para a exportação de animais, e eles nunca tinham feito nenhuma exportação para a Ásia, ou seja, ninguém queria fazer. Depois de muitos e-mails trocados, conseguimos que o órgão em São Paulo autorizasse e o pessoal de Belo Horizonte a emitir os documentos tomando por base os modelos para a Europa. O pessoal da Malásia aceitou os documentos e podemos dar continuidade no processo.

Leia também: onde morar em Kuala Lumpur

Depois de todos os tramites no Brasil serem realizados, tivemos que contratar uma empresa em Kuala Lumpur para poder realizar a importação do animalzinho e fazer a reserva dele na quarentena. Como o meu marido teve que vir fazer a integração antes de nos mudarmos, demos muita sorte e o pessoal da própria empresa que ele trabalha indicou para a gente uma agencia de confiança a Petzania para fazer os tramites.

Depois de todos os documentos prontos, veio a pior parte, quando fomos comprar as passagens fomos informados que o animal não poderia ir na cabine, mesmo ele sendo de porte pequeno. Nessa hora senti aquela dor no coração, a companhia informou que o Billy viria no bagageiro e que não íamos ter acesso a ele até que chegássemos em Kuala Lumpur, ou seja, 30 horas sem velo, e sem saber como ele estaria.

Deu tudo certo no voo, e o Billy chegou bem em Kuala Lumpur. Assim que desembarcamos no aeroporto a agencia responsável pela importação do Billy, já pegou todos os nossos
documentos, e deu entrada com ele no País. Infelizmente só vimos o Billy rapidamente na
área de desembarque, pois logo depois da entrada dele no pais ele já foi levado direto para quarentena, que por sorte apesar de chamar quarentena, ele só precisou passar 12 dias lá.

Durante o tempo do Billy na quarentena foi o momento que aproveitei para sair atrás de apartamento, o nosso segundo problema. A maioria dos apartamentos em Kuala Lumpur não são Petfriendly, principalmente se você quer morar no centro, como era o nosso caso.

Depois de muito procurar, conseguimos por sorte achar um apartamento do jeito que queríamos e que aceitasse animal. Mas devo admitir que não foi uma tarefa nada fácil.

Desde o dia em que tinha chegado em Kuala Lumpur, sempre busquei reparar se via algum cachorro na rua, e gente e uma coisa inexplicável, mas você não vê nenhum cachorro na rua, em nenhuma hora do dia! Tendo percebido isso, e sabendo que o pessoal não era muito fã de cachorro, fiquei com medo de sair com o Billy na rua, e ele acabou se tornando um cachorrinho de apartamento. Ele só saia nos finais de semana, onde levávamos ele no Dessa Park City, um dos poucos parques petfriendly de Kuala Lumpur.

Por sorte a vida pacata de apartamento do Billy mudou durante um final de semana que tivemos que viajar, e deixamos ele com o nosso vizinho que é apaixonado com cachorro. Ele ficou com do do Billy de ele não poder ir na rua, e decidiu arriscar saindo com ele para passear no quarteirão do prédio. Quando voltamos, ele nos disse que foi super tranquilo, então criei coragem e comecei a sair com ele todos os dias de manhã e de noite, e tenho que admitir, as reações das pessoas são muito engraçadas, umas amam, querem tirar foto, fazer carinho…. Outras odeiam, correm, atravessam para o outro lado da rua.

Leia também:  dez motivos para morar na Malásia!

A partir do momento que temos um animalzinho ele se torna parte da nossa família, não podemos simplesmente larga-lo.  Acho que o mais importante nessa situação e conhecer bem como e a cultura do país em relação aos animais, e respeita-la, a partir do momento que temos o respeito, vamos conseguir nos adaptar e fazer dar certo.

O Billy, hoje, depois de 5 meses morando aqui já está super feliz e adaptado, inclusive já tem até fãs na rua aqui de casa, afinal ele e o único cachorrinho que passeia no centro de Kuala Lumpur!

Related posts

Trabalho voluntário em Kuala Lumpur

Vanessa Taboada

Custo de vida em Kuala Lumpur

Vanessa Taboada

Meu primeiro ano em Kuala Lumpur

Vanessa Taboada

6 comentários

Flávia Compassi Novembro 3, 2017 at 3:47 am

Que lindo a história e o by Vanessa Taboada,???
Genteee o Billy já tá mais viajado que eu!!! tenho que correr atrás disso. Um dia chego a te visitar rsrs
Boa sorte
Bjs

Resposta
Bruna Julho 12, 2018 at 5:30 pm

Oi, Vanessa, tudo bem? Estou passando pela mesma situação que você. queria saber se você poderia me passar dicas de como fez o processo aqui no Brasil. Eu e meu marido também estamos de mudança para a Malásia e temos a Flora, nossa cachorrinha que vai com a gente! Qual cia aérea você viajou? Tenho um medo enorme dela ir no bagageiro. E se eu puder abusar da sua boa vontade em qual bairro de KL vocês moram? Também estamos com dificuldades de achar um lugar pet friendly. Agradeço sua ajuda desde já. Um beijo, Bruna.

Resposta
Vanessa Taboada Julho 13, 2018 at 2:53 am

Ola Bruna,

Te enviei um e-mail explicando as suas dúvidas viu?

Beijo,
Vanessa Taboada

Resposta
Jessica imura Agosto 2, 2018 at 9:57 pm

Vanessa, tudo bem?
Estou com algumas duvidas sobre este processo de viagem, poderia me ajudar com a sua experiência?
Gostaria de ter seu contato para trocarmos algumas informações.

Obrigada, beijos!

Resposta
Vanessa Taboada Agosto 3, 2018 at 9:55 am

Ola, tudo e você?
Claro, posso sim.
Me manda um email que fica mais facil: [email protected]

Beijos,

Resposta
Cristiane Guimarães Novembro 16, 2018 at 2:17 pm

Olá Vanessa! Possivelmente vou ter q me mudar para KL, te agradeceria muito se pudesse me passar todos os detalhes para a viagem (cia aérea, custos, o condomínio que você mora, valor do aluguel e do condomínio, etc etc) , sendo que eu tenho dois pets (dois Spitz Alemães), tb não queria despachar eles como carga viva, morro de medo, tantas histórias horríveis que escutamos por aí né 🙁
Desde de já muito muito obrigada
[email protected]
Bjuxxx
Cristiane

Resposta

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação