BrasileirasPeloMundo.com
Nova Zelândia

Como matar a saudades do Brasil sem sair da Nova Zelândia

Saudades do Brasil na Nova Zelandia BPM Gabriela Nunes

Mudar de país não é uma tarefa fácil, a gente perde as nossas referências, a nossa própria identidade, fica longe das pessoas que a gente ama, sente uma saudades que nunca passa, por mais que a gente tente acabar com ela.

Não importa o quanto nos esforcemos para nos integrar e adaptar à nova cultura, ao novo país, por mais integrados que estejamos sempre sentimos uma saudades do Brasil que não tem explicação. Pode ser dos cheiros, das cores, dos lugares, das pessoas, das memórias, dos sabores, da cultura tão diversa, dos sons.

Quando bate a saudades, nem sempre dá para a gente pegar o primeiro vôo para o Brasil, já que os valores são bem salgadinhos. Então nos resta tentar encontrar um pouquinho do Brasil na Nova Zelândia.

Leia também: A Nova Zelândia é um país receptivo ao imigrante?

Cultura Brasileira

Com uma cultura tão diversa, unindo desde a cultura indígena, dos povos europeus e seus imigrantes, dos povos asiáticos, a influência dos nossos vizinhos latino-americanos, a herança cultural africana e tantas outras, é difícil encontrar grupos que representem todo este espectro, mas ao menos temos alguns grupos culturais que tornam nossos corações e mentes mais felizes.

Existem grupos de samba e até passistas na Nova Zelândia, e é possível assistir às apresentações em diversos shows que fazem pelo país (em eventos e festas, além de casas de shows). Em Auckland, vale a pena acompanhar o Copacabana Beat, o Wellington Batucada, as Musas Samba Passion e o Samba dos Amigos com suas apresentações de samba e pagode.

Para quem morre de saudades de carnaval do Brasil há uma ótima notícia: acaba de ser fundada a Escola de Samba Unidos de Aotearoa, em Aucklanda, que já conta com samba-enredo, passistas e até uma bateria completa.

Todo ano, em Janeiro, há o Brazilian Day Festival, que recebe milhares de pessoas no centro de Auckland para promover o Brasil e sua cultura e culinária na Nova Zelândia, com apresentações de dança, samba, capoeira, forró, e algumas barraquinhas vendendo comidas típicas e produtos brasileiros. É o melhor jeito de matar saudades do Brasil sem sair do país.

Há alguns grupos de Capoeira espalhados pela Nova Zelândia, ainda que seja uma é uma luta típica brasileira, criada pelos escravos africanos e até hoje uma das mais ricas representações culturais que temos como herança. Perfeito para manter os laços, as raízes e matar a saudades do Brasil. Entre estes grupos estão Au Capoeira e Capoeira Mandinga Aotearoa, mas certamente se perguntar nas universidades e grupos de brasileiros no Facebook, encontrará outros grupos.

Para quem tem filhos, há grupos de atividades culturais para o ensino da língua e da cultura brasileira através de música, brincadeiras e outras atividades, como o Brasilieirinho (que tem também aulas de capoeiras para as crianças) e o Curuminz. Algumas universidades (como a Massey University) também ensinam a língua portuguesa e possuem matérias voltadas para estudos latinos.

O Setor Cultural da Embaixada Brasileira em Wellington também promove diversos eventos como encontros, sessões de cinema e outros projetos culturais para promover o país.

Nos esportes, apesar do rugbi ser o esporte nacional, em todos os bairros é possível encontrar quadras e clubes de futebol para treinar e jogar, participando de campeonatos regionais e até inter-clubes, para todas as idades.

Publicações e Conteúdo

Aqui no BPM temos mais de 90 artigos sobre a Nova Zelândia, todos eles escritos em português, com assuntos diversos e abrangentes, desde informações sobre vistos e dicas para morar fora, até estudos, moradia, saúde, turismo, maternidade, estilo de vida e muito mais. Por mais que o inglês esteja tinindo, sempre é gostoso ler em português.

Há também uma revista digital escrita por brasileiros e distribuída gratuitamente, a MBA – Mundo Brasileiro Aotearoa, também com assuntos diversos voltados aos brasileiros que moram no país.

Há ainda uma estação de rádio, a Rádio Vox Brasil, dedicada à música sertaneja para quem quiser matar a saudades do Brasil. Se preferir, basta baixar o app TuneIn e procurar pelas estações de rádio preferidas da sua cidade. Com sorte, você pode acompanhar a narração de algumas partidas de futebol.

Em se tratando de televisão, a Rede Globo tem um aplicativo, o Globo Play, que permite assistir aos programas jornalísticos gratuitamente, ou ainda acessar o acervo de novelas, séries, esportes e outros programas na versão paga no seu celular (ou na sua TV caso tenha algum aparelho como uma smart TV ou Google Chrome).

Eu ainda não encontrei mas, em teoria – segundo uma bibliotecária me explicou quando fiz minha carteirinha – algumas bibliotecas mantém acervos de livros em outras línguas (por exemplo em mandarin), portanto vale a pena questionar quando visitar a biblioteca pública do seu bairro se possuem livros em língua portuguesa. Caso não haja, uma boa ideia é trocar ou emprestar livros em grupos de brasileiros da sua cidade.

Leia Também: Tudo o que você precisa saber para morar na Nova Zelândia

Comidas

No texto “Onde encontrar ingredientes e comida brasileira na Nova Zelândia” para o BPM, eu fiz um apanhado geral de onde encontrar alguns dos principais ingredientes usados na culinária brasileira, incluindo: coxinha, pastel, brigadeiro, açaí, feijão carioca, feijão preto, feijoada, costela de porco defumada, tapioca, mandioca, farinhas e por aí vai.

Se preferir ir até um restaurante ou café, algumas possibilidades são:

  • Centre Court Café – um simpatico café dentro do complexo de quadras de tênis de Albany, em Auckland, vendem deliciosas coxinhas, pastéis, pratos com arroz e feijão e até moquecas (além de brigadeiro e açaí na tigela);
  • Durello – famoso pelas coxinhas e pães de queijo vendidos nos supermercados do país;
  • Wildfire – Churrascaria brasileira com dois endereços, um em Auckland e outro em Wellington, servindo cortes especiais de qualidade, além de entradas e acompanhamentos;
  • Bite Brazilian Eatery – Restaurante na Queen Street em Auckland, no estilo “PF”, serve pratos típicos brasileiros como arroz, feijão farofa e uma carne (picanha, linguiça, bife à parmegiana etc.), também tem opções vegetarianas.

Com tantos ingredientes e mais alguns restaurantes (os que listei acima ficam em Auckland), dá para matar a saudades do Brasil o ano todo.

Compras

As famosas e internacionais sandálias legítimas Havaianas estão por toda a parte e foram muito bem adotadas (e adoradas) por aqui. É fácil encontrá-las por aí, legítimas, em diversos modelos e com a bandeirinha do Brasil.

Claro que as ideias aqui compartilhadas são somente um paleativo para a saudades que a gente sente do Brasil e nunca vão poder substituir a vivência e o convívio que deixamos para trás. De qualquer forma, é bom poder guardar um pouco das nossas origens e manter a nossa cultura viva, mesmo estando tão distantes.

Related posts

Mês de maio e o dia das mães na Nova Zelândia

Rosana Melo

O que aprendi morando na Nova Zelândia

Natália Souza

Oportunidades na Nova Zelândia

Rosana Melo

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação