BrasileirasPeloMundo.com
Empregos Pelo Mundo Holanda

Como procurar emprego na Holanda

Como procurar emprego na Holanda?

Conseguir um emprego não é uma das tarefas mais fáceis. No exterior isso pode ser ainda mais complicado. Por isto neste post, vou dar dicas para quem está procurando emprego na Holanda ou em outros países.

Aqui na Holanda estamos em um bom momento econômico e as oportunidades não param de aparecer. Pensei nesse tema para o final do ano porque é quando surgem várias oportunidades no comércio, em logística e afins, ótimos empregos para quem está começando uma carreira em um novo país.

Minha experiência foi procurar emprego já morando aqui, com autorização para trabalhar. Mas acho que no geral as dicas podem também ser aproveitadas para quem pensa em arrumar um emprego para vir com visto de trabalho – para mais informações sobre esse tipo de visto recomendo checar o site do Consulado Holandês.

Para aproveitar esse bom momento e conseguir o tão sonhado emprego é importante se adequar à esse mercado de trabalho e claro, saber onde e o que procurar.

Leia também: como abrir conta bancária na Holanda

Planejamento

Eu acredito que o primeiro passo para tudo na vida é analisar o que você quer, o que você precisa e quais são as suas reais opções. E isso varia muito. Precisa de um emprego pra ontem ou pode esperar? Quer ficar na sua área ou mudar de ramo? É possível trabalhar na sua área no exterior? Precisa talvez estudar o idioma ou adquirir outra habilidade? Tudo deve ser considerado. Com essas informações é possível traçar um plano.

No meu caso eu precisava de um emprego urgente, não somente pelo dinheiro, mas para a minha saúde mental. Sou daquelas pessoas que só é feliz quando está ocupada. Eu ainda não falo holandês, e a minha profissão não era uma opção por aqui. Estudar no momento não é possível. Então eu procurei qualquer emprego para começar imediatamente e encontrei. E tem funcionado bem, estou em meu terceiro emprego e só tem melhorado.

Vale lembrar que todas as opções são válidas, o importante é decidir conscientemente para não se sentir frustrado depois.

Leia também: Tudo que você precisa saber para morar na Holanda

Currículo e Carta de Motivação

Plano feito? Então medidas práticas precisam ser tomadas. Primeiro, traduzir com cuidado seu currículo, ajustando as experiências e o perfil de acordo com a vaga solicitada. Eu tenho o meu currículo em várias versões mas somente em inglês porque busco vagas em empresas internacionais e que pedem apenas esse idioma. Mas dependendo do que se procura é necessário traduzir também para a língua local.

Além disso recomendo pedir ajuda para um nativo para uma revisão rápida do currículo. Existem detalhes e costumes que somente os locais sabem e podem perceber. Se possível leve seu currículo em uma agência de empregos, muitos te ajudam nessa tarefa de revisão e dão conselhos interessantes, afinal eles ganham com você conseguindo um emprego.

Ah! Uma coisa que sempre pedem aqui é a carta de motivação. Essa sempre precisa sempre ser personalizada de acordo com a vaga desejada, mas eu acho bom ter uma de base pronta que sempre possa ser adaptada.

Procurar o Emprego

O próximo passo é começar a procurar. Aqui na Holanda quase tudo se acha online, incluindo empregos. Então se cadastre em todos os sites de emprego que você consiga achar. Para achar os sites use o santo Google, procurando agência de emprego na língua local (em holandês é uitzendbureau) ou simplesmente termos como “emprego em…” (em inglês e no idioma local) com o lugar onde você quer trabalhar e o tipo de vaga desejada. Muitos desses sites também permitem salvar buscas e mandam os resultados por e-mail no tempo indicado (diariamente, semanalmente) o que facilita muito a tarefa e evita que você não veja uma vaga interessante.

Leia também: sistema de saúde na Holanda

Eu diria que o site mais importante seria o Linkedin. Aqui é muito utilizado então traduza o seu perfil pelo menos para o inglês, atualize suas experiências e informações,  e claro adicione seus contatos. O próprio site também tem ferramenta de busca de vagas, que também podem ser salvas e alarmes para te notificar quando uma vaga nos parâmetros desejados aparecer. Existem também vários grupos locais e temáticos que podem ajudar nessa busca e trazer mais contatos na área desejada.

Outra fonte valiosa é o Facebook. Grupos de expats, de brasileiros, além de grupos locais costumam ter vagas anunciadas. Vale a pena ficar de olho. Também é importante falar para as pessoas o que você procura, pode acontecer de alguém conhecido ver uma vaga interessante por aí.

Agora uma dica pessoal: vá pessoalmente nas agências. Sim, eles vão te dizer que é tudo online, mas você pode falar que já se cadastrou e queria conversar com alguém. Na maioria das vezes não vai ter muito resultado, mas foi exatamente assim que achei o meu primeiro emprego. Vale a pena sim arriscar, afinal o investimento é tempo e sola de sapato. E você só precisa achar uma pessoa que diga sim, que esteja disposta a ajudar, e quem sabe, que tem a oportunidade que você procura.

A entrevista

Conseguiu uma entrevista? Hora de pesquisar. Fale com nativos, cheque dicas na internet, veja como é a cultura local. Uma primeira impressão demora muito para ser esquecida, então evitar gafes tem que ser uma preocupação. Sempre acho válido pesquisar a empresa em si, como ela se apresenta, o grau de formalidade e a cultura da companhia. Essa informações são valiosas porque é na entrevista que se tem a chance de impressionar.

Sei que não estou inventando a roda aqui, mas acho que toda informação nessa hora é valiosa. Acredito que é muito importante mostrar motivação e flexibilidade nesse primeiro momento profissional no exterior. Porque normalmente não é fácil, afinal você vem de um lugar geralmente desconhecido para os recrutadores, sem referências locais e isso pode pesar contra. Se estiver muito complicado pode ser uma ideia procurar um voluntariado primeiro. Minha primeira experiência foi assim, de recepcionista em um centro para expats. E foi com essa referência que o meu primeiro emprego aconteceu.

Tente usar tudo que tem disponível ao seu favor. O tempo livre pode ser investido em conhecimento, em fazer contatos, em ir atrás dos seus objetivos. As experiências podem ser encaradas de forma mais ampla. Talvez você não vá trabalhar exatamente com o que trabalhava no Brasil mas pode usar suas experiências por exemplo em lidar com público, resolver problemas, trabalhar sobre pressão ou outras em várias profissões diferentes. Pense além do óbvio. Estar em um país diferente e começando do zero pode ser encarado como uma motivação extra – você não só quer o emprego, você precisa dele para recomeçar.

O importante é manter a motivação e ter os pés no chão, traçando planos e partindo para a ação.  Seu primeiro emprego dificilmente será o dos sonhos, mas pode ser o começo de uma nova vida a ser construída. E com certeza você só tem a ganhar em conhecimento e experiência.

Quer saber mais sobre trabalhar na Holanda? A Giovanna Adam deu dicas fantásticas que você pode conferir aqui. Boa sorte!

Related posts

Emprego no Uruguai

Adriana Molha

Fiquei desempregada na Alemanha. E agora?

Patrícia Souza

Refeições Cotidianas na Holanda

Cintia Beatrice

4 comentários

Marcela Junho 4, 2018 at 12:07 pm

Oi, Fernanda, parabéns pelo conteúdo. Que coincidência, eu também saí de São José para morar na Holanda! Estou em Den Haag desde janeiro desse ano. Atualmente trabalho em um restaurante, mas sou graduada em Comunicação Social. Estou afim de ir pessoalmente em alguma agência de emprego pra achar outra coisa, qual agência vc visitou? Ou tem alguma outra agência que vc recomende?
Een kusje en dank je wel! =)
Marcela

Resposta
Fernanda Campestrini Junho 5, 2018 at 5:12 pm

Olá Marcela! Eu fui em várias, e as mais conhecidas por aqui seriam Randstad, Tempo Team (onde achei meu primeiro emprego) e ManPower. Mas tem várias, eu recomendo ir em todas possíveis. Tenho amigas brasileiras aí em Den Haag, se quiser me adiciona no Facebook que batemos um papo. Abraços!

Resposta
Elton Costa Dezembro 26, 2018 at 10:22 pm

Oi, Fernanda! Além das informações valiosíssimas, eu queria agradecer muito pela forma que você apresentou tudo… Triplicou minha motivação. Confesso que estou cada vez mais desanimado, pois quanto mais pesquiso, mais vejo que é bem difícil, pelo menos para o prazo que eu tenho e para a grana que vou conseguir salvar até lá. Meu caso é aquele: Conheci alguém que quero do lado para o resto da vida. A ficha demorou para cair, mas vi que é verdade e estou correndo atrás pra gente ficar juntos. Até a passagem o moço já se prontificou em comprar (Pra que eu pague depois que tudo se resolver na Holanda. Ah, a cidade é Amsterdam). Assim como a Marcela acima, eu só da Comunicação, mas atiro para todo lado, Design Grafico, Fotografia, Ilustração… Falo 4 línguas. Você acha que isso acaba sendo bom ou ruim, afinal eles podem olhar meu cv e dizer: Ele não sabe o quer. ?
Mais uma vez, obrigadissimo pelo up que você me deu!

Resposta
Fernanda Campestrini Janeiro 1, 2019 at 10:27 am

Oi Elton! Ah fico feliz em poder ajudar um pouquinho. Sei bem como é mudar de vida por amor, mas te falo que vale muito a pena! E você tem tudo a favor: Amsterdam é ainda mais fácil de arrumar trabalho, falando mais idiomas ajuda muito e a sua área é bem abrangente. E fica tranquilo, aqui eles são bem flexíveis com currículos e afins, na minha experiência mais que no Brasil. É muito comum se trabalhar em um área completamente diferente da formação. Foca sempre na carta de motivação, achando links entre a sua formação e experiência com a vaga desejada. Sempre faça uma carta personalizada e original e com certeza vai dar certo. E esse é um momento muito bom no mercado de trabalho. Espero que logo mais você me conte notícias boas! Feliz 2019 e muita sorte pra você!

Resposta

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação