BrasileirasPeloMundo.com
Inglaterra Vistos & Cidadanias Pelo Mundo

Como trocar o visto de estudante para de trabalho na Inglaterra

Como trocar o visto de estudante, Tier 4, para o de trabalho, Tier 2, na Inglaterra

É tetra! Foi a mensagem que mandei para meus amigos mais próximos quando saiu a aprovação do meu visto de trabalho. Ufa! Podia finalmente respirar aliviada, pelo menos pelos próximos três anos. O processo parece muito tranquilo para quem acompanha de longe, mas só quem esteve comigo de perto, nas preocupações e frustrações diárias da aplicação de um novo visto, sabe que não foi fácil.

Vim para a Inglaterra com visto de estudante de mestrado. O curso dura um ano, e eles geralmente dão mais quatro meses, nos quais você tem direito a trabalhar legalmente por período integral. Durante o curso, você pode trabalhar apenas 20 horas semanais. E foi essa a minha estratégia, de usar esses meses adicionais para conseguir qualquer tipo de experiência na área e me dar alguma vantagem na hora de conseguir um emprego permanente com visto.

Eu estudei animação 3D, e infelizmente é muito comum nessa área as empresas lhe contratarem por projetos, ou seja, por alguns meses, pois eles não querem se comprometer com pagamentos de funcionários caso nenhum outro projeto apareça na sequência. Isso dificulta muito as chances de nós, brasileiros, conseguirmos um emprego com contrato permanente ou de pelo menos alguns anos, justificando o investimento que a empresa faz em você por conta dos gastos de um visto.

Mesmo porque no meu curso a maioria era europeia. E até que o Brexit aconteça, eles têm acesso livre e fácil para trabalhar no Reino Unido, o que acaba sendo uma alternativa simples de mão de obra para essas empresas.

Leia também: Tudo que você precisa aprender para morar na Inglaterra

Eu comecei a enviar currículo e meu portfólio antes mesmo do meu curso terminar, e acredito que isso tenha sido um diferencial, pois quando as aulas acabaram, eu já tinha levado vários nãos, feito algumas entrevistas, enquanto meus colegas estavam ainda começando todo esse processo.

Levar um não por não ser bom suficiente pra vaga, ou por não ter tido química com a companhia no dia da entrevista, dói e é sempre chato, mas ouvir que você só não foi selecionada por ter a necessidade de um visto é terrível. A sensação de incapacidade é gigante. Não havia nada que eu podia fazer, a não ser me casar com um britânico (como ouvi de um recrutador uma vez). Prepare-se, pois esse tipo de brincadeira é super recorrente.

Por ironia do destino, uma das empresas que me mandou um email com a negativa,  acabou sendo adquirida por uma grande empresa americana e poderia então passar a fornecer vistos. Sendo assim fiz duas entrevistas, por Skype mesmo, e fui contratada.

Leia também: Dicas para procurar emprego em Cambridge

Trabalhei cerca de três meses sob o meu visto de estudante, e foi apenas no último mês de vigência que demos entrada na “papelada”. Desde que você submeta a solicitação do processo de visto antes do vencimento do seu visto atual, você pode continuar no país normalmente até obter seu resultado.

O processo de aplicação do visto durou no total um mês, entre preencher formulários, mandar documentos e receber o retorno. Mas isto porque eles pagaram pela taxa de urgência. O processo normal levaria até quatro meses. Tudo é feito online, e o único momento presencial para tirar foto e coletar as digitais é em um Post Office, o que seria nossos Correios. Bem prático. Os custos são altos e podem ser encontrados no site oficial do governo. No meu caso, a empresa custeou todo o processo, inclusive os honorários com os advogados que intermediaram tudo, mas esse valor está atrelado a minha permanência com eles por pelo menos dois anos. Se não, preciso pagar de volta o investimento no momento da minha rescisão.

Apesar de tudo ter dado certo para mim, nenhum dos meus amigos estudantes, que não eram europeus e precisavam de visto, conseguiram ficar no Reino Unido. Uma até conseguiu emprego de uma empresa inglesa, mas que está abrindo sede no Canadá e acabou se mudando pra lá. Além disso, conheço dois casos de pessoas que já trabalhavam aqui na Inglaterra e quando solicitaram o pedido de renovação do visto, para mesma empresa, foram recusados e tiveram que voltar para os seus países.

A maior incerteza de todas no momento é o Brexit, que poderá afetar também os europeus. Talvez na publicação desse texto, já tenhamos uma conclusão sobre esse assunto. Deixe seu comentário, se tiver dúvidas sobre vistos de trabalho e estudante, que posso tentar ajudar!

Related posts

Cheguei no Brasil, será que vou sobreviver?

Johana Quintana

Como é o transporte público em Londres

Natália Rodrigues

ETIAS – A nova autorização para entrar na Europa

Mel Barbieri

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação