Como viajar barato em qualquer lugar do mundo

5
368
Foto: Arquivo pessoal
Advertisement

Como viajar barato em qualquer lugar do mundo.

A grande questão a respeito de viagens não é a saudade da família, do cachorro, da sua cama. Não é o medo de conhecer um lugar novo, de dar algo errado ou de não gostar. Percebo que questões financeiras são responsáveis por segurar muita gente e este post é, justamente, para mostrar que a incrível experiência de viajar pode sair menos cara do que as pessoas imaginam.

Para isso, só precisamos nos livrar de alguns hábitos, fazer ajustes e experimentar o que uma viagem realmente pode oferecer: o autoconhecimento, a descoberta do novo e a deliciosa aventura.

De grão em grão a galinha enche o papo – Souvenirs

Estou há um ano viajando e uma das primeiras coisas que aboli para enxugar o orçamento foi a compra de souvenirs. Além de ser um objeto que, em geral, não tem qualidade muito boa, pode parecer inofensivamente barato; mas, na realidade, vai pesando pouco a pouco no seu orçamento.

Por experiência própria, sei da dificuldade de abandonar esse hábito de comprar “só uma coisinha aqui ou ali”; mas, essa dificuldade passa rápido e você começa a perceber que o pouco que economizou aqui ou ali garantiu um jantar legal, um dia a mais em sua praia favorita ou um passeio inesquecível.

Caso a vontade de comprar uma lembrancinha seja muito grande, pesquise bastante! Na maioria dos lugares os souvenirs são similares e podem ter preços bem diferentes. O que acontece é que quando chegamos em um lugar especial, ficamos maravilhadas pelos itens diferentes e queremos comprar tudo! Então, contenha essa excitação momentânea e só compre algo depois de refletir e pesquisar bastante.

Brechó gratuito

Essa dica serve mais para os viajantes de longos períodos; mas claro que qualquer pessoa pode aproveitar o que chamo de brechó gratuito.

Esse brechó dos sonhos funciona da seguinte forma: hostels são conhecidos pelo grande fluxo de pessoas que, em sua maioria, tem o orçamento reduzido, que estão viajando a um bom tempo e que tem um certo nível de desapego.

Por conta disso, vários hostels têm uma área com coisas que os antigos hóspedes não querem mais. A maior parte é roupa, mas já encontrei de tudo: protetor solar, hidratante, bolsa. Enfim, a lista é infinita. A maioria dos itens é útil para quem está viajando e isso vai garantir uma boa economia na viagem!

Obs: atualmente, a maioria das minhas roupas vem de brechós gratuitos e as que eu não queria mais, deixei pelo caminho, também. Ou seja, uma boa forma de não ficar repetindo looks nas fotos e trabalhar o desapego.

Leia também: 10 razões para você viajar pelo mundo

Voluntariado

Trabalhar como voluntário é sempre uma experiência enriquecedora, além de ser uma forma de economizar muito durante a viagem; já que, na maioria das vezes, você garante hospedagem e alimentação em troca de poucas horas de trabalho.

Além disso, fazendo um trabalho voluntário, existe a possibilidade de conseguir uma graninha – veja esse post, e até mesmo transformá-lo em trabalho remunerado, veja esse post. 

Transporte público

A opção por transportes públicos é, quase sempre, a melhor. Com a única exceção, caso você esteja em 4 pessoas, talvez um táxi saia mais barato, dependendo da distância. Além disso, é sempre bom pesquisar se a cidade que você está visitando tem algum transporte gratuito: bicicletas compartilhadas, ônibus de linha ou até mesmo ônibus turístico. Para isso, não deixe de entrar no site oficial de turismo da cidade.

Autonomia na locomoção

Faça uma carteira internacional para dirigir no exterior (principalmente se você tem carteira A) – isso pode baratear muito o deslocamento: alugar uma motocicleta que, além da liberdade, garante muita economia nos países asiáticos.

Compartilhando táxi

Se você está chegando de avião em uma cidade pequena, vale a pena perguntar o destino dos outros passageiros. Às vezes, você consegue diminuir em 50% o gasto com o táxi e, de quebra, tem a possibilidade de fazer uma amizade inusitada.

O mesmo pode ser feito em hostels: deixe um recado com os funcionários sobre o horário em que irá ao aeroporto e, quem sabe, consiga uma companhia.

Enquanto todo mundo está indo, você está voltando

Lembro que eu estava na faculdade quando tive o primeiro gostinho de pegar o          contra fluxo de um feriado. A partir daquele momento, fujo sempre das altas temporadas.

Percebi que isso ajuda não apenas a aproveitar mais o lugar como a gastar menos!

Os hotéis são mais baratos, a comida fica mais barata e tudo isso com a tranquilidade da baixa temporada de turismo.

Você pode argumentar que a alta temporada existe porque é o melhor clima; mas, terei que discordar: na transição de alta para baixa ou baixa para alta temporada é possível, sim, aproveitar o clima bom.

Consumo local x Consumo turístico

Todas as atividades turísticas têm preços inflados e isso vale para qualquer área do turismo. Às vezes podemos escapar, às vezes não. E uma das formas de escapar é na alimentação e, de quebra, nos inserir completamente no consumo local, consumindo o que os nativos comem no seu dia a dia. Por exemplo, não queira um café da manhã americano num país asiático; aproveite para experimentar um arroz frito. Para isso, saia um pouco da rota turística, pergunte a um morador local, pesquise um pouco na Internet e aproveite a imersão cultural através da comida e economize bastante. Essa dica também vale para supermercados, produtos de higiene e bares.

Saiba escolher o tipo de hospedagem

Se estiver com mais de uma pessoa, prefira alugar quartos em hotéis ou até mesmo Airbnb. Claro que uma pesquisa de preço é necessária; mas é muito comum um quarto de hotel sair mais barato do que duas camas de hostel. Caso escolha Airbnb, dê preferência aos lugares com cozinha. Fazer seu próprio café da manhã garantirá grande economia ao longo da viagem.

Outra opção é buscar hospedagens gratuitas em plataformas como Couchsurfing. Já me hospedei em lugares incríveis, conheci muita gente legal e tive experiências que só estando em contato com um morador local poderia me proporcionar.

Menos é mais

Leve pouca bagagem. Quanto menos peso tiver, menos irá gastar com bagagens em passagem low cost (baixo custo). Além disso, vai economizar muito esforço, também!

Foto: Arquivo pessoal – Uma mala pequena, num meio de locomoção barato. É assim que nos mantemos viajando, na simplicidade.

Essas são algumas dicas que eu pratico no meu dia a dia viajando. Se você tem alguma outra dica, comente aqui! E se este post ajudou ou inspirou para as suas próximas viagens, deixe, também, o seu comentário. É sempre bom ter um retorno das leitoras e leitores.

5 Comentários

  1. Ahhhh que massa! Também sou apaixonada por culturas e é um combustível para conhecimento e experiência. Ainda não posso sair por aí viajando rs, mas eu fico lendo, pesquisando e sonhando. Breve se torna realidade…. Beijo e boa viagem Ísis!

  2. Ótimas dicas! Algumas já pratico e outras são novas para mim. Também costumo não fazer todas as refeições fora, cozinhar é uma boa forma de economizar. Encontrar pessoas para compartilhar refeições nos hotels é bom também e com isso pode-se experimentar pratos típicos de outros lugares. 🙂

Deixe um comentário

Por favor inclua o seu comentário
Por favor escreve o seu nome aqui

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.