BrasileirasPeloMundo.com
Índia

Compras de supermercado em Délhi

Olho no espelho e a imagem que vejo é a do último botão da farda camuflada sendo fechado. Aperto o cinto, traço dois riscos no rosto à moda dos índios apaches dos filmes da infância: preparo-me para a guerra. Coloco o batom sobre a pia e, quando olho novamente, vejo em meu reflexo apenas a dona de casa, apaixonada pela cozinha, pronta para sair às compras e ir no supermercado em Délhi. Mas o delírio não era de todo falso. A batalha está prestes a começar.

Vou ao mercado mais próximo, que nos últimos meses apelidei carinhosamente de “loja de inconveniências” e “mercadinho odioso”. Chego pronta para o ataque e agarro uma cestinha, driblando o exército inimigo de atendentes com seu grito de guerra: “Posso ajudar, madame?”

Ignoro. Embrenhada na selva claustrofóbica de produtos empilhados do chão ao teto, sem uma ordem aparente, seguro minha lista de compras como quem se agarra à própria vida! Iogurte e queijo – bem em frente aos meus olhos – fazem com que eu me sinta vitoriosa. Mas o inimigo se mantém em meu encalço, aguarda o momento exato para o ataque.

Arroz, lentilhas e uma lata de molho de tomates… Avanço confiante com minhas compras.
Farinha… Farinha? Onde está a farinha? O inimigo percebe a minha hesitação: “Sim, madame?”

Desesperada, corro os olhos pela prateleira em um último ato de bravura. Desisto. Pergunto pela farinha. Com agilidade e rapidez, ele escala produtos. Traz para baixo um pacote que deposita em minha cesta de compras, aproveitando para tirá-la de minhas mãos.

Derrotada, vou ditando o resto da lista para ele.

Pago pelas compras e dou ao valente guerreiro uma bela gorjeta – o reconhecimento de que sim, ele pode mais do que eu.

Em Délhi, as coisas são assim. Supermercados como conhecemos há apenas em Gurgaon, uma cidade próxima, mas de difícil acesso por causa do trânsito. Os pequenos empórios se espalham pelos bairros e quase sempre não é possível encontrar todos os produtos no mesmo lugar.

Listo aqui, então, as melhores opções para compras de mercado na capital indiana.

INA Market – na Aurobindo Marg.

Um mercado com várias lojas, é para mim a escolha mais conveniente. Mas, para muitos estrangeiros, nem chega a ser uma opção. O INA, dependendo do horário, pode ser bem desagradável, com muita gente e um cheiro repulsivo.

Nos fundos, abriga açougues e peixarias – carneiros e bodes são abatidos in loco. O frango se compra ainda vivo – eles matam, depenam e limpam na hora. O sangue desses animais escorre por uma vala que atravessa todo o mercado. Quando chega à tarde, o cheiro é insuportável, somando-se ao calor e à multidão de pessoas. Mas por volta das dez da manhã, as lojas ainda estão abrindo, a temperatura é agradável, quase não há clientes e os comerciantes estão tranquilos, começando o dia.

É aqui onde compro meus temperos indianos, em uma das muitas lojas de especiarias e grãos. Em uma outra, compro enlatados e alimentos industrializados, muitos dos quais importados. Meu verdureiro também fica no INA, e há sempre uma caixa de tomates fresquinhos esperando por mim embaixo de uma das prateleiras.

Foodhall – shopping DFL Promenade, Vasant Kunj.

É o que mais se aproxima do mercado brasileiro. Apesar de pequeno, é possível até mesmo usar um carrinho na hora das compras. Você pode explorar os produtos e pegar o que quiser, como acontece no Brasil. No entanto, é um empório gourmet e os preços são bem altos – inviável para o dia-a-dia. Grande parte dos produtos é importada, inclusive alimentos frescos como legumes e frutas. É a melhor opção para um jantar especial, com um cardápio ocidental. O açougue nunca me inspirou confiança, a refrigeração de carnes e ovos não parece adequada.

Big Bazar – New Friends Colony.

Um mercado maior, onde quase é possível comprar tudo em um mesmo lugar. O trânsito, porém, torna complicado o acesso.

The Altitude Store – Meharchand Market, Lodhi Colony.

Especializada em produtos orgânicos, é ótima para nozes, frutas secas e carnes congeladas. Conta com uma segunda loja ao lado, onde pode-se também comprar pães e queijos. Um destaque é o queijo de iaque – uma espécie de búfalo típico dos Himalaias.

Devan’s – Khanna Market, Lodhi Colony.

Loja de café com uma grande variedade de grãos que são vendidos inteiros ou moídos na hora. Nosso favorito é o café orgânico do sul da Índia.

Fabindia – vários endereços, entre os quais Khan Market.

Famosa por vender roupas, objetos e móveis para casa, a loja também possui uma pequena seção de produtos orgânicos com temperos secos ocidentais, como orégano, tomilho, sálvia e manjericão.

Boas opções online também fazem parte da realidade de Délhi. Os mercadinhos estão evoluindo para sites de compras antes mesmo de se transformarem em supermercados. Muitos estrangeiros preferem essa opção.

Big Basket – popular entre a comunidade de expatriados, possui uma variedade enorme de produtos. Mas a distribuição é terceirizada e dividida em setores, sendo a entrega feita em etapas, levando até três dias para ser finalizada. Os horários incertos também deixam a desejar, com produtos danificados por ficarem fora da geladeira. Ainda assim, há quem prefira isso a enfrentar um mercado local.

Amazon Índia – mais confiável e organizada em seu sistema de entregas, leva as compras até você no dia seguinte por meio de seu supermercado virtual, o Amazon Pantry. Contudo, a variedade de produtos não é muito grande.

Rawleaf – para saladas prontas e pacotes de verduras frescas. Elimina o trabalho de lavar e higienizar todas as folhas, e os produtos são orgânicos. Higiene e entrega exemplares.

O importante na hora de comprar é verificar sempre a data de validade dos produtos e se há sinais de bolor. Além disso, a fidelidade do cliente é garantia de sossego e liberdade na hora das compras…

O senhor Shenker levanta-se ao me ver entrar em sua loja no mercado de Jor Bagh – é aqui onde faço minhas compras emergenciais, desde que o mercadinho odioso fechou as portas. Antes que eu diga a que vim, ele e seu ajudante observam enquanto exploro calmamente as prateleiras. Pronta, passo a minha lista ao atendente e vou até o balcão conversar com o senhor Shenker – apaixonado por jazz e grande conhecedor do assunto, ele tem sempre algo a me ensinar. Em Délhi, as coisas são assim.

Related posts

Recebendo visitas na Índia

Rachel Tardin

A relação dos indianos com os animais

Nione Cristina Claudino

Higiene e alimentação na Índia

Rachel Tardin

2 comentários

Wania Novembro 28, 2017 at 4:25 am

Olá, estou indo morar com minha família em Délhi em dezembro estou muito apreensiva, pois se tem muito pouca informação de como é viver com a família na Índia. Vc pode me dar umas dicas como alugar casa, comprar carro, estudar, etc ?
Desde já agradeço muito.

Resposta
Nione Cristina Claudino Dezembro 4, 2017 at 4:33 am

Olá, Vânia!

Primeiro peço desculpas pela demora em responder a sua mensagem.
Nosso tempo em Délhi chegou ao fim e, com os preparativos para a mudança, tenho entrado pouco aqui.
Como o trabalho do meu marido nos ajudou a resolver essas questões práticas na nossa chegada, alugar casa e tudo mais, não tenho informações a este respeito.
Também não temos filhos, o que faz com que eu não saiba os pormenores sobre escolas. O que sei é que as ofertas são muitas e o nível do ensino alto, principalmente nas escolas internacionais.
Algo que pode ser útil a você é o grupo Delhi Dish no Facebook. Composto em sua grande maioria por expatriados, já resolvi muitas das minha dúvidas lá e recebi ajuda e orientações muito válidas.
Espero que ajude. E que sua experiência em Délhi seja boa e enriquecedora.

Grande abraço!

Resposta

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação