Copa das Confederações na Rússia

O que esperar da Copa do Mundo 2018

2
459
Arena Otkrytie (ou Estádio Spartak) - um dos estádios de Moscou para as duas Copas
Advertisement

Em junho e julho deste ano aconteceu a Copa das Confederações na Rússia. O campeonato é uma forma de “teste” para a Copa do Mundo e acontece em algumas cidades-sede do evento, exatamente um ano antes.

Eu fui com amigos e minha mãe a todos os jogos da Copa das Confederações em Moscou, que foram quatro no total. Os outros jogos aconteceram em São Petersburgo, Kazan e Sochi.

Vou contar, nesse post, como foi a organização do evento, nossa experiência e o que podemos esperar da Copa do Mundo no ano que vem.

Compra de ingressos: meus amigos e eu conseguimos comprar os ingressos na pré-venda para quem tem cartão com a bandeira Visa e é residente na Rússia. Foi muito fácil comprar, já que não foi sorteio. Compramos o pacote de jogos de Moscou (vale lembrar que os jogos aconteceram em apenas um estádio em Moscou, na Copa do mundo serão dois estádios). Para a Copa do Mundo já sabemos que haverá a mesma pré-venda, mas dessa vez será com sorteio. Haverá a opção de pacotes de ingressos por sede (no caso de Moscou por estádio), para acompanhar uma seleção e também ingressos avulsos. É possível comprar ingressos especiais para pessoas com mobilidade comprometida e cadeirantes. Os estádios possuem espaços especiais para essas pessoas e seus acompanhantes. A compra de ingresso para pessoas com problema de mobilidade inclui o ingresso do acompanhante. Depois da pré-venda, acontece a venda geral de ingressos, com sorteio.

Fan ID: o governo russo instituiu um documento de identidade para quem for assistir aos jogos das duas Copas, chamado Fan ID. Após a compra dos ingressos, é preciso se cadastrar no site da FIFA com todas as informações de documentação e foto e, depois, coletar o seu documento, que é um tipo de crachá. Há postos de coleta na cidade e também nos estádios. O documento é imprescindível para a entrada do torcedor no estádio. Também ajuda no momento de entrada na Rússia, já que a lei da Copa suspende a necessidade de visto para turistas que venham assistir aos jogos. A Fan ID acaba por funcionar como documento de identidade do torcedor e ajuda o governo a controlar quais as pessoas que comparecem aos jogos, o que ajuda a manter a organização e segurança nos estádios.

Estádio: o estádio que conhecemos foi o Otkrytie Arena, ou estádio do time Spartak. A estrutura está muito boa, o estádio muito bonito e confortável. Já ouvi de uma amiga que trabalha na organização da Copa que o segundo estádio de Moscou, o Luzhniki, está ainda mais bonito.

Moscou terá dois estádios na Copa do Mundo. Na Copa das Confederações apenas um foi usado: o Arena Otkrytie.

Segurança: os russos se preocupam muito com segurança em grandes eventos. Além disso, a FIFA tem padrões de segurança nos estádios. Era possível começar a encontrar carros da polícia e seguranças a quilômetros de distância do estádio. Todos mantendo a segurança e dando indicações aos torcedores. Além da segurança reforçada em todo o perímetro do estádio, também há a checagem de todos os torcedores em detectores de metal e máquinas de raio-x para bolsas. Mochilas, bolsas grandes e sombrinhas deveriam ser deixadas em um local apropriado fora do estádio, antes dos detectores de metal. Além disso, os torcedores devem estar o tempo todo com seus Fan Ids, para facilitar a identificação.

Leia também:  Rússia – Custo de vida parte 1 e parte 2

Grandes eventos na Rússia costumam ser muito organizados e acontecem sem bagunça, empurra-empurra e confusão. Não foi diferente na Copa das Confederações e tudo correu com tranquilidade.

Acessibilidade: esse é o tema mais importante para mim, pois minha mãe tem um problema sério nos joelhos e não consegue andar muito ou subir muitas escadas. Eu não sabia da possibilidade que já citei acima de comprar ingressos de pessoa com mobilidade reduzida, portanto comprei nossos ingressos normais. Mas, ao chegarmos no estádio, tivemos todos os auxílios necessários para que mamãe assistisse aos jogos com conforto. Munida de credencial de estacionamento, pude ir de carro e estacionar dentro do estádio, na área reservada a deficientes. Ao sairmos do carro, na área especial, já tínhamos voluntários à nossa disposição para ajudar no acesso ao estádio. O caminho até o estádio não era ruim, mas poderia ser bem melhor. Nos primeiros jogos era preciso dar uma volta para encontrar uma rampa para a cadeira de rodas e um pedaço do caminho era de grama, o que nos fazia dar outra volta. Com o tempo, foram instaladas outras rampas no caminho, claramente um sinal de melhora com a experiência.

Em todos os jogos eu peguei emprestada cadeira de rodas para a mamãe, apenas assinando um documento e dando meu número da Fan ID. Com a cadeira de rodas, mamãe passava em área reservada da segurança e eu também. Depois do raio-X, tínhamos carrinhos de golfe com rampas preparados para nos levarem ao nosso portão. Uma vez no portão, havia também entrada especial para cadeirantes e elevador específico. Eles não deixam o elevador funcionando para todos, porque acredito que mais de 30 mil pessoas usando um elevador pode dar algum problema e deixar quem realmente precisa sem recursos.

Se a pessoa tem ingresso de mobilidade reduzida, ela apenas pega o elevador até o primeiro andar e já está próxima da área reservada para esse tipo de ingresso. Ali há espaço para a cadeira de rodas e assento ao lado, para o acompanhante. A área permanece o tempo todo fechada e com seguranças e os “espertinhos” que tentam assistir dali (afinal, a vista é livre e muito boa) não podem ultrapassar a segurança. A área fica vazia e muito confortável. Além disso, é perto dos bares e banheiros.

Leia também: 10 curiosidades sobre a Rússia

Comida e bebida no estádio: as opções de comidas e bebidas não eram das mais variadas, mas atendiam bem à demanda. Eram vendidas as comidas básicas de estádio, como cachorro-quente, batata frita, sanduíche natural e uma torta tipicamente russa. Para beber, havia todo tipo de bebida sem álcool e cerveja. A venda de álcool em estádios aqui é proibida, mas essa regra não vale na Copa.

Helen e eu com nossas bebidas e Fan IDs no Estádio Spartak

Banheiros: os banheiros públicos na Rússia costumam ser limpos e com boa manutenção. Há banheiros para deficientes em todo o estádio. O que me incomodou sobre os banheiros foi o fato de só haver banheiros masculinos para deficientes com portas voltadas para a área dos cadeirantes. O acesso aos banheiros femininos só é possível saindo da área especial. Apesar de ser bem ao lado da área, é um pequeno inconveniente.

Voluntários: a Copa estava cheia de voluntários em todas as partes do estádio e fora dele. Percebemos a melhora no trabalho deles com o passar dos jogos. No primeiro dia, eu acredito que estavam todos ainda tentando entender como realmente funcionava tudo, então alguns pareciam bem confusos. Mas percebemos que foi melhorando à medida que os jogos aconteciam. O que não faltou, apesar disso, foi disposição e bom humor de todos. Apesar da falta de experiência no começo, todos eram muito educados e prontos a ajudar no que precisássemos. Não era necessário nem que pedíssemos nada, ao avistarem pessoas com uma senhora de cadeira de rodas eles já vinham ao nosso encontro ajudar, indicar o caminho ou apenas dar um “high-five” com mamãe. Eles criaram um clima confortável e de muita festa, o que fez toda a diferença.

Idioma: apesar do recrutamento de voluntários poliglotas, os problemas com idioma também contaram um pouco. Vários voluntários não eram fluentes em inglês, o que pode ter dado algum trabalho aos torcedores estrangeiros que não falam russo. De qualquer forma, como eu já citei várias vezes nos meus posts, não falta boa vontade em ajudar nos russos, mesmo sem falar direito uma língua que você entenda.

No geral, nossa experiência na Copa das Confederação foi muito boa. O estádio estava sempre em festa, todo mundo com uma energia muito boa. A festa foi ótima e acredito que ano que vem será ainda melhor.

2 Comentários

  1. Ola Renata,

    Sigo bastante suas postagens e como vou a Russia agora em 2018 me surgiu uma duvida em relação ao FAN ID.

    – Na hora da entrada ao estadio, eles conferem o nome que consta no fan id com o nome que está no ingresso ou não?

    • Oi, Guilherme!
      Então, na Copa das Confederações eu não vi eles checando muito os nomes não… Eles têm um aparelho que lê o código de barras do FAN ID e eles olham rapidamente o ingresso na segurança na entrada. Depois, no portão de entrada para o estádio propriamente dito eles fazem a leitura do código do ingresso. Acho que não dá tempo de checar documento por documento não. Espero que os herdeiros de ingressos de outras pessoas não tenham problemas na Copa!
      Abraços!

Deixe um comentário

Por favor inclua o seu comentário
Por favor escreve o seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.