BrasileirasPeloMundo.com
Costa Rica

Coronavírus na Costa Rica

Coronavírus na Costa Rica.

A Costa Rica é um pequeno país situado na América Central, com praias paradisíacas e um turismo exuberante.

Apesar de a capital do país sediar várias empresas internacionais e ter seu próprio comércio, a maior parte do país depende do turismo para tocar suas vidas, principalmente na região de Guanacaste, onde está a maior parte das praias e locais incríveis.

Como a Costa Rica está enfrentando essa crise?

Alinhado às políticas indicativas da Organização Mundial da Saúde – OMS, o primeiro comunicado presidencial sobre a situação do coronavírus foi no dia 5 de março, quando apareceram os primeiros casos suspeitos do COVID-19.

Depois desse caso, cada dia tínhamos uma nova atualização sobre a disseminação do vírus, mas a vida seguia normal, todos trabalhando e sem dar muita atenção ao ocorrido, principalmente na região de Guanacaste, onde estávamos na alta temporada do turismo e com as cidades cheias 24 horas por dia.

O governo lançou várias campanhas de conscientização sobre o novo vírus e no dia 8 de março foi emitido um alerta amarelo sobre a situação, com 9 casos confirmados e 34 suspeitos. Grande preocupação tomou conta do sistema de saúde, assim como a possibilidade de um colapso acontecer.

A partir do dia 9 de março o governo começou a emitir decretos, o primeiro deles foi cancelar os eventos de aglomeração de pessoas e instituir o home office para os servidores públicos.

Após alguns dias, mais um novo decreto, com o fechamento das escolas, redução de aglomeração em lugares públicos, os restaurantes teriam que funcionar utilizando somente 50% da sua capacidade e o cancelamento de viagens ao exterior para os funcionários do setor público e privado.

Apesar de contabilizar 23 pessoas confirmadas até então, já começávamos a sentir que a situação não iria melhorar nos próximos dias, a população da capital já estava um pouco com medo e as pessoas começaram a comprar loucamente álcool em gel.

Já se passaram duas semanas que o país está parado, a população em sua maioria cumprindo o determinado pelo governo. As fronteiras do país estão fechadas para receber estrangeiros, a região de Guanacaste vazia de turistas, hotéis, restaurantes e escolas de surf fechadas.

Foto: Arquivo pessoal

As associações de turismo anunciaram que ocorreram 8.000 cancelamentos em diárias de hotéis, 22 convenções canceladas e 90% de cancelamento em viagens advindas da Europa e Oriente.

O governo tem aprovado uma série de medidas econômicas e restrições à população para minimizar o impacto da paralisação mundial na Costa Rica:

  • redução de taxas de juros
  • suspensão de cortes de energia e água
  • facilitação de parcelamento das contas de água e luz
  • suspensão do imposto IVA por três meses (imposto de valor agregado que recai sobre todos os serviços – aluguel, gás, comida, gasolina, etc.)
  • os bancos realinharam as cobranças de linhas de crédito que ficam suspensas pelos próximos meses
  • algumas regiões do país aprovaram a Lei Seca, proibição de venda de bebida alcoólica em qualquer lugar, inclusive supermercados
  • restrição veicular, a partir das 20h até as 5h da manhã é proibido circular de carro, salvo as exceções em lei
  • implementação de linhas telefônicas para atender a população para sanar dúvidas sobre os sintomas do vírus
  • proibição de visitas aos presídios pelas próximas semanas
  • fechamento e vigilância constante das praias
  • os supermercados adotaram horários especiais para atender somente ao grupo risco e delimitou a quantidade de itens que cada pessoa pode comprar, dentre outras medidas.

Recentemente, foi aprovado o “Plan Proteger”, com objetivo de proteger e ajudar as pessoas afetadas com as demissões, ajudar as empresas que paralisaram seus serviços, ajudar o Sistema de Seguro Nacional Costa-riquenho, dentre outras necessidades. Nesse plano foi aprovado uma verba de 1,3 bilhões de colones para ajudar o país a enfrentar este momento.

No dia 19 de março a ONU reconheceu e emitiu um comunicado elogiando as medidas adotadas pela Costa Rica, frente ao COVID-19:

El mensaje fue enviado por la Coordinadora Residente de la ONU en Costa Rica, Alice Shackelford, y en él la jerarca aseguró que: Queremos reconocer la manera excepcional e innovadora en la cual Costa Rica se está poniendo en la respuesta a la COVID-19, bajo el liderazgo del presidente de la República, del Ministro de Salud, del Centro Operacional de Emergencia y de todas las instituciones, se está verdaderamente desarrollando una respuesta interinstitucional y articular que ese ejemplar en este sentido”.

Todos os dias o Presidente da República faz uma conferência em rede nacional para falar com os cidadãos como está a disseminação do vírus no país, quais medidas serão adotadas e quais avanços aconteceram. Eu, particularmente, sinto que isso traz uma sensação de segurança e proteção aos cidadãos.

Até o momento todas as atividades estão suspensas e as fronteiras do país estão fechadas até o dia 12 de abril.

A atualização do Ministério da Saúde para o dia 30 de março: 330 casos confirmados, 2 falecidos, 4 recuperados.

Observação: todas informações foram retiradas dos sites oficiais do governo da Costa Rica e jornais.

Casa Presidencial; Ministerio de Salud, Instituto Costaricense de Turismo, La Nación, La Republica, El Financiero, Cámara Nacional de Turismo.

Related posts

Tempo para dizer até logo

Jesuela Macedo

Custo de vida na Costa Rica

Cássia Souza

Morar na Costa Rica é como viver de férias

Franciane Reis

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação