BrasileirasPeloMundo.com
Curiosidades Pelo Mundo EUA Texas

Costumes brasileiros estranhos para os americanos

Costumes brasileiros estranhos para os americanos.

Uma vez fui ao México e no aeroporto de Cancun uma mulher me mediu dos pés a cabeça e disse em voz alta “Nossa, essa é brasileira!”. Quem nunca se pegou observando um desconhecido e imediatamente deduziu sua nacionalidade baseando-se na aparência?! Acredito que a maioria de nós já fez isso. Podemos identificar os conterrâneos e estrangeiros pelos trejeitos, hábitos, aparência e nem sempre pelo idioma.

No ano passado escrevi dois textos sobre costumes americanos estranhos para os brasileiros. Desta vez, perguntei aos meus amigos no Facebook sobre certos hábitos brasileiros que seus amigos ou familiares não-brasileiros não podem entender nem gostar.

Algumas diferenças de costumes podem ser verdadeiros choques culturais. Para que você saiba diferenciar algo pessoal do cultural coletivo e evitar “incidentes”, aqui vão algumas dessas diferenças culturais:

1- Espaço Individual

O espaço pessoal é muito importante para os americanos, seja fisico ou emocional. Há uma boa distância entre as pessoas em lugares públicos. Isso também afeta o plano emocional. Se alguém está num período de luto, a tendência é deixar esta pessoa a sós para digerir este momento. Enquanto isso, no Brasil, na fila do supermercado, do cinema, no aeroporto, estamos sempre mais pertinho um do outro. Além disso, damos beijinhos no rosto, abraços, fazemos piadinhas para quebrar o gelo. Tudo isso acontece com muita naturalidade entre nós latinos, mas o mesmo não acontece entre nossos amigos americanos. Beijinhos no rosto e falar com proximidade física pode até ser ofensivo.

Leia também: Nos Estados Unidos seja superficial

2- Despedida longa

Beijinhos, abraços, votos de boa viagem, combinar outros encontros, falar rapidinho de um assunto que não teve tempo de ser debatido, falar tchau várias… Sem contar os abraços para encerrar emails, mesmo os profissionais. Enfim, para nós não é simplesmente dizer tchau e sim cumprir com um ritual, e isso o americano não entende. Os americanos gostam de visitas mais objetivas, de uns 40 ou 45 minutos, e já isso basta.

3- Escovar os dentes

Esse hábito é um item clássico que é executado de uma forma bem diferente nas duas culturas. Escovar o dente em público não é motivo de vexame entre nós, mas pode ser para a maioria dos cidadãos nascidos na terrinha do tio Sam. Aqui quando vamos ao dentista para fazer limpeza quem faz essa faxina não é o dentista, mas sim um técnico. Numa dessas visitas eu expliquei à técnica que escovava os dentes após as refeições – chovendo um pouco no molhado – e ela concorda que esse é o melhor meio de evitar deterioração dental. Okay, isso já sabemos! De acordo com ela, historicamente os pacientes americanos também recebiam a mesma recomendação mas “tempo é dinheiro” e a escovação sempre caia em terceiro plano. Agora sugerem que os pacientes escovem os dentes somente duas vezes por dia, antes de dormir e quando acordar.

4- O brigadeiro

Pode ser que muitas pessoas discordem a respeito deste item mas já ouvi muitos americanos e outros gringos dizer, educadamente, que o brigadeiro é muito doce.

5- Os banhos

Higiene pessoal é um assunto sério e seguido rigorosamente por nós, brasileiros. Nada como aquele banho gostoso depois de um dia super cheio! Os nossos banhos diários, às vezes mais de um por dia, causam estranheza nos gringos.

6- Não usar o sobrenome

Isso sempre causa uma certa confusão. Não é comum sabermos o sobrenome. Quando estou interpretando e alguém fala de uma terceira pessoa geralmente indica o nome e apelido mas raramente sabe o sobrenome.
Formalmente, o americano usa Mr., Mrs. ou Ms. como forma de tratamento. Muitos ainda se apresentam através de nome e sobrenome. No entanto, nós não temos o hábito de nos apresentar da mesma forma.

7- Comer pizza com garfo e faca

Esse é outro item clássico e cheguei a mencionar em outro texto. Os americanos pegam os seus sanduíches e pizzas com as mãos nuas, sem guardanapo e não usam os talheres.

8- Farofa

Essa é uma paixão brasileira mal interpretada pelos não-brasileiros. Uma vez fui com dois amigos, uma americana e um panamenho, a uma churrascaria e eles queriam ver como eu montaria meu prato. Adicionei a farofa e eles me imitaram. Logo eles comentaram: “É crocante mas não tem gosto de nada”. Posteriormente ouvi outros comentários similares de gringos falando como era sem graça a nosso boa e gostosa farofa.

9- Panetone

Esta herança italiana já faz parte de nossa tradição natalina. Segundo o meu esposo, esse panetonismo é um algo incrível porque para ele é “acquired taste”, ou seja, um gosto a ser desenvolvido. Acho que para nós evoca um momento especial e muitas lembranças, especialmente quando moramos fora do Brasil.

Leia também: Visto para morar nos EUA

10- Papel no cesto de lixo

Pois é, essa história pode ir longe, afinal depende de papeis biodegradáveis.

Entre outras coisas que meus amigos mencionaram no Facebook, há coisas pessoais como: catchup ou maionese na pizza, coração de frango no churrasco, uvas passas no cachorro quente. Um amigo americano disse que não entende porque colocamos purê de batata no cachorro quente e palmito na pizza. Segundo ele, isso é um horror.

Devemos entender que americanos têm uma natureza pragmática e reservada. É importante reconhecer esses hábitos como seus traços culturais e dessa forma não tomarmos nada como algo pessoal.

No próximo texto irei falar sobre as coisas que os americanos mais gostam dos hábitos brasileiros.

Related posts

Selvbetjening e a cultura do faça você mesmo na Dinamarca

Cristiane Leme

A dificuldade de manter amigos no Brasil e fazer novas amizades no exterior

Liliane Oliveira

O mistério de Michigan

Jenny Rosén

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação