BrasileirasPeloMundo.com
Curiosidades Pelo Mundo Suíça

Curiosidades da Suíça

O preconceito era uma das coisas que me preocupava quando resolvi viver fora do Brasil. Muitos posts descreviam problemas sofridos por sul-americanos que viviam no exterior, mas por outro lado, não queria ser influenciada por experiências vividas por outras pessoas.

A definição simplificada de preconceito é “juízo pré-concebido, qualquer opinião ou sentimento concebido sem exame crítico”, então não seria também um juízo pré-concebido ir viver em um outro país com a preocupação de sofrer preconceitos?

Chegando na Suíça percebi que aquela que julgava era eu; julgava os costumes, o modo de vestir, o sistema de saúde, a alimentação, enfim… eu tinha acabado de chegar e já encontrava tantos defeitos em coisas que conhecia superficialmente.

Esse post relata curiosidades e estranhezas do povo helvético, que, na verdade, é mais uma oportunidade para apreciar a diversidade cultural de uma nação.

A minha dica para os muitos brasileiros que querem se aventurar em um outro país é:

Abram a mente para o novo!

Patinete

Todos os dias as crianças usam patinete para ir à escola, parques, shopping, etc; mas eu pensei que fosse uma brincadeira, quando vi meu chefe de quase 60 anos chegando ao trabalho “pilotando” um patinete, comecei a rir.

Quando descobri que não era uma brincadeira, e sim, um meio de transporte muito utilizado, inclusive por profissionais liberais, por ser ecologicamente correto, leve, resistente, econômico, dobrável, não ocupa espaço e pode viajar com você no metrô sem custo. Não é perfeito?

patinete
Crianças e adultos usando patinete pelas praças suíças.

Pedir carona

O “autostop” é muito comum, fácil e seguro, especialmente nas regiões montanhosas e nas pequenas cidadezinhas, porém, é proibido pedir carona nas autoestradas. Existe um projeto, em fase de experiência, chamado “autostop hi-tech” via SMS.

Ainda não chegou aqui em Tessino, não tenho informações exatas de como funciona ou se funciona.

Assoar o nariz em restaurante

Para nós é uma grande falta de educação, mas em quase toda Europa é normal. A minha primeira experiência foi em um jantar com amigos suíços, em um restaurante tradicional. Acho que a metade dos clientes do restaurante estava gripada; me senti em uma sinfonia de cornetas.

Mas, depois de tantos anos vivendo em um país estrangeiro, sem perceber, adquirimos hábitos que um dia nos causaram estranheza; e o que era inconcebível se transforma em normalidade.

Abrigos nucleares

A Suíça é o único país no mundo com abrigos nucleares ou “bunkers”, capazes de acomodar toda sua população.

A Lei Federal Suíça sobre Proteção Civil, diz que em todo novo edifício, construído a partir dos anos 60, deve haver abrigo nuclear. No ano de 2006 existiam 300 mil abrigos em casas, edifícios residências e hospitais; e outros 5 mil públicos, num total de 8,6 milhões de postos para uma população de 8,3 milhões ou seja mais de 100% de cobertura.

Existem cidades subterrâneas projetadas para receber milhares de pessoas e muito bem estruturadas, podendo ser autossuficientes por longos períodos, sob ponto de vista alimentar, energético e hídrico.

bunker
Bunker do prédio onde eu moro. Porta blindada a prova de bombas; informação sobre o tempo de troca de ar; máquina que produz ar puro.

Pedágio

Na Suíça não existe pedágio, porém cada veículo, que circula pelas estradas nacionais, deve ter o selo-pedágio colado no para-brisa. Não importa se o motorista utiliza somente uma vez ou diariamente as rodovias, a tarifa é sempre a mesma ou seja, 40 francos suíços e dura 12 meses (de janeiro a dezembro). Aliás, desde 1995 o valor é o mesmo, impressionante!

Beber água da torneira

A água que sai da torneira é de ótima qualidade, não tem gosto de cloro, é sempre fresquinha independente de quantos graus faça fora, parece que a água brota diretamente da montanha, por isso não existe motivo para não consumi-la. Uma pesquisa suíça afirma que beber água da torneira é até 1000 vezes mais ecológico, comparando com a água engarrafada.

Seja usada no banheiro público, no lava jato ou na agricultura; é sempre água da melhor qualidade.

agua

Reciclagem de lixo

Aqui funciona assim, cada cidadão faz a separação do lixo para reciclagem, que serão depositados em pontos de coleta gratuita de papel, latas, plásticos, vidros, baterias, resíduos orgânicos, vestidos e móveis usados. O resto é colocado em um saco azul, feito especialmente para receber o lixo não reciclado, cada saco de 60 litros custa 3 francos. É uma ideia simples e genial, estimula o cidadão a produzir pouco lixo visando proteger o meio ambiente.

A Suíça se orgulha de ser um dos países líderes mundiais em reciclagem; mais da metade do lixo doméstico e industrial produzido no país é reaproveitado.

É o país mais armado da Europa

“Escola de Recruta, cursos de repetição, fass 90, tiro obrigatório”, são todos termos suíços para descrever o Exército Helvético de milícia. Aqui o serviço militar é obrigatório para todo cidadão suíço do sexo masculino. Dos 20 aos 40 anos todo miliciano é convocado para cursos de treinamento/atualização que duram de 3 a 4 semanas, sem ser penalizado profissionalmente, visto que durante esse período o salário é restituído pelo exército.

A coisa intrigante é que, terminada a Escola de Recruta, os soldados suíços voltam para a casa com fuzil e munição, permanecendo com eles por todo período no qual são reservistas, ou seja, até 40 anos ou mais.

Existe uma frase que diz: “A Suíça não tem um exército; os suíços são o exército”.

Segundo a GunPolicy, da Universidade de Sidney, existem 3,7 milhões de armas para uma população de pouco mais de 8 milhões, portanto existe uma arma para 2,4 habitantes.

Então como se explica o fato que a Suíça tem uma das taxas de criminalidade mais baixas da Europa e do mundo? Talvez porque a melhor maneira de reduzir o mau uso das armas, é promover o seu uso com responsabilidade.

Placa de identificação de veículos

A Suíça, além de ser linda, segura e ecologicamente correta, é capaz de encontrar soluções que facilitam a vida do cidadão; são mestres em descomplicar.

A prova disso é o sistema de identificação de veículos que é associada ao proprietário e não ao veículo. Isso significa que o cidadão compra a placa do carro e usa a mesma por toda a vida.  Um proprietário pode trocar de carro todo ano, mas a placa de identificação será sempre a mesma.

Uma outra particularidade é o registro de vários veículos sob o mesmo número de placa, porém pode circular somente com um veículo por vez. Na Suíça esse particular é muito útil, visto que é comum ter um carro para o inverno, outro para o verão e ainda um outro para subir a montanha.

Existem tantas curiosidades sobre a Suíça, algumas já citadas como tirar os sapatos antes de entrar em casa; jogar papel higiênico diretamente no vaso sanitário ao invés de jogar no cestinho de lixo; jamais fazer uma visita sem avisar… ou ainda só iniciar a comer depois que todos estejam sentados à mesa.

Viver em um outro país é isso… é adaptação, é um contínuo aprender, é surpreender-se, é liberação e um eterno exercício de aceitação e abertura mental.

Related posts

Dez Curiosidades Típicas do Texas

Monica Bateman

Autobahn: fatos sobre a estrada alemã

Karina Finke

Licença maternidade pelo mundo

Ann Moeller

13 comentários

Cintia Julho 5, 2016 at 7:31 pm

É amiga, quase tudo que você citou, eu lembro de vc ter me dito qdo estive contigo aí na Suíça! Boas recordações! bjo Ótimo artigo!

Resposta
Selma Poncini Julho 5, 2016 at 8:51 pm

Amiga, a Suíça e eu estamos te esperando de braços apertos, você sabe. Grande beijo!

Resposta
lucinete Julho 5, 2016 at 8:31 pm

Adorei a informação. Muito bom saber novos conhecimentos.

Resposta
Selma Poncini Julho 5, 2016 at 9:17 pm

Oi Lucinete, fico feliz em saber que de qualquer forme consigo ser útil dividindo a minha experiência. Um abraço.

Resposta
Daniela Caixeta Julho 5, 2016 at 9:04 pm

Ótimo artigo Selma, Boa oportunidade para dividir conosco está rica experiência.Parabens

Resposta
Selma Poncini Julho 5, 2016 at 9:27 pm

Oi Daniela, obrigada pelo comentário. É uma satisfação contar um pouco do povo suíço e de como é a vida desses lados, tentando ser o mais leal possível. Manda beijo pra sua mãe.

Resposta
Priscilla Julho 6, 2016 at 3:30 pm

Adorei, Selma! Obrigada por compartilhar essas curiosidades com todos!
Agora uma curiosidade minha: você foi já empregada ou foi arriscar? Gostaria de saber como funciona a admissão empregatícia de imigrantes na Suíça. Mais uma vez, obrigada! =)

Resposta
Selma Poncini Julho 6, 2016 at 4:07 pm

Oi Priscilla, obrigada a você pelo comentário. Bom, eu já estava na Itália e através de uma amiga, consegui trabalho na Suíça. Visto que eu tenho também o passaporte italiano, isso facilitou um pouco a entrada na Suíça.
Pessoas com passaporte europeu tem uma certa facilidade. Os brasileiros que eu conheço por aqui são:
# casados com suíços
# profissionais altamente qualificados, que falam várias línguas
# estudantes universitários
# prostitutas
# e algumas pessoas como eu que tiveram a sorte de entrar na Suíça por mérito de uma amiga que já morava aqui.
Espero ter te ajudado, um abraço

Resposta
Marcela Agosto 3, 2016 at 10:02 am

Muito bom ler suas informações sobre a Suiça o pais é realmente lindo, eu estou tento muitas dificuldades, com os abtos ex: asoar o nariz no jantar. Eles serem reservados, isso me incomada, eu sou simpatica falo e eles estão sempre de cara fechada, cara feia pra ser clara rs eu acho uma baita falta de edução deles. Porem estou fazendo um pré julgamento, essa é a cultura deles. Só não consigo entender rs me parece q eles não gostam de latinos. Estou com meu namorado a alguns meses estou aqui pela 3 vez. Fomos a uma festa e uma mulher suiça ficou olhando para ele e eu perguntei oq foi? Ele super sem graça e tals tivemos uma grande discursão e ele está bem triste comigo. Vc pode me ajudar com alguma experiencia que tenha conhecimento? Eu falei pra ele não sou Suiça e minha cultura é muito diferente. Acho que ele ficou meio assustado. Estou com medo dele terminar comigo. Pode me ajudar com alguma dica?

Resposta
Selma Poncini Agosto 3, 2016 at 6:26 pm

Primeiramente obrigada pelo seu comentário e por seguir o BPM. Eu acho muito importante, como disse no post, para quem vive ou pretende viver em um outro país, aceitar os costumes daquela nação. Visto que o estrangeiro sou eu, então sou eu que devo me adaptar e respeitar a cultura, usanças e estranhezas desse povo. Quando deixamos claro ao suíço esse respeito, ele se mostra muito gentil e educado. Nunca tive problemas como esses que você descreveu, sinto muito não poder te ajudar nesse sentido. O fato de sermos culturalmente diversos, contribui para o nosso crescimento e a nossa abertura mental. Pense nisso! Um abraço.

Resposta
Andréa Berchtold Agosto 24, 2016 at 11:28 am

Selma, apesar de algumas pequenas diferenças, pois moro em Zurique, no geral é tudo praticamente igual ao que se faz por aqui (a cor do saco de lixo muda e não compramos por unidade, por exemplo). Sou brasileira casada com um Suíço e estou em Zurique há 1 ano e 10 meses, mas confesso que ainda encontro dificuldades em me adaptar principalmente ao clima e alimentação. Lidar com um jeito tão diferente de viver e se comportar pode ser uma barreira difícil de transpor para algumas pessoas, sou super comunicativa e falante, e os Suíços são no geral mais introspectivos, discretos. Mas fiz com o coração a escolha de viver aqui ao lado do homem que amo e, como você bem disse, quando nos mudamos para um outro país precisamos nos adaptar aos costumes deles. Ao invés de querer “abrasileirar” a Suíça, acho que preciso me “Suiçar” rsrs…

Resposta
Selma Poncini Agosto 24, 2016 at 1:02 pm

Oi Andréa, primeiro te agradeço por acompanhar o blog. Então, não se preocupe em ser extrovertida, eles admiram essa nossa qualidade. Continue com o jeito brasileiro de ser; ao mesmo tempo respeitando os costumes suíços. Essa mistura dá um bom tempero, um abraço.

Resposta
Cati Setembro 13, 2016 at 1:57 pm

Oi Selma,achei seu blog por acaso e achei mto legal…Eu moro em Lugano um pouco mais de 2 anos e tive essa mesma sensaçao que vc teve… O choque cultural realmente è grande, mas estou me adaptando bem. e cada vez que assisto o jornal do Brasil pela globo internacional, eu tenho conciencia q escolhi o paîs certo para viver. Seu blog me ajudou a esclarecer algumas coisas q eu tinha dificuldade de entender como funcionava, achei mto bacana.
Parabèens pelo blog!!
Abraço

Resposta

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação