BrasileirasPeloMundo.com
Camboja Custo de Vida Pelo Mundo

Custo de vida no Camboja

Venho recebendo muitas perguntas sobre como é morar no Camboja.  Custo de vida no Camboja , visto e trabalho são os principais temas. Então, nada mais justo do que dedicar um artigo para esclarecer todos esses assuntos.

Entrando no país: pode ser via terrestre ou aérea. Independentemente, brasileiros precisam pagar por um mês de visto.

Visto: você pode solicitar tanto o visto de turismo como o E-Visa, conhecido como “business visa“. Sem dúvidas, o país não está muito preocupado com a sua nacionalidade e quanto tempo você vai ficar aqui. O visto de turismo está em torno de 30 dólares, enquanto o E-Visa custa 35 dólares. Ambos são válidos por um mês. Mas por que o E-Visa é mais caro? Simples: o de turista não é renovável, então se você tem planos de ficar mais que 30 dias, pegue o E-Visa e, depois de um mês,  você poderá renová-lo por mais 3, 6 ou 12 meses sem ter a necessidade de sair e entrar no país novamente. Eu, teoricamente, teria que ter pego o E-Visa, mas fiz uma má escolha e peguei o de turismo. Ou seja, um pouco antes de o meu visto vencer, tive que fazer um bate e volta pra Bangkok, na Tailândia, e, ao entrar novamente no Camboja, solicitei o E-Visa.

Observação: o visto de 3 meses não te dá múltiplas entradas, ou seja, se você sair do país nesse meio tempo, terá que solicitar novamente. Eu sempre renovo a cada 6 meses (custa 160 dólares), assim tenho a liberdade de viajar para outros países, caso surja uma oportunidade. Mas não se esqueça, quanto mais tempo for ficar, mais caro o custo do visto.

Leia também: dez motivos para morar no Camboja

Atenção: o E-Visa não te dá permissão para trabalhar. Esse assunto ainda é confuso e muitos expatriados ficam na dúvida se devem solicitar o Work Permit, ou WP (permissão de trabalho) ou não. Eu mesma passei por essa situação e sempre trabalhei sem o WP. É aquela conversa de telefone sem fio, cada um fala uma coisa. Até mesmo o governo não é claro, mesmo porque eles mudam as regras com certa frequência.  Uns dizem que a empresa deve arcar com esse visto e com a papelada, em contrapartida, a empresa diz que essa é uma responsabilidade do empregado. Resumindo, ninguém quer arcar com o gasto e com os trâmites. Os valores também são instáveis. O valor correto era, até então,  de 100 dólares e  válido por um ano. Mas explico: não por um ano contando o mês que você solicitou, então, por exemplo, se você obtém o WP em novembro, ele valerá somente até dezembro. A validade é de um ano considerando janeiro a dezembro. Se você solicitar via agência, eles cobrarão uma taxa. A última notícia sobre esse assuntou deixou todos mais confusos e perplexos: em um futuro próximo, será possível solicitar o visto online e custará 30 dólares! Enfim, vamos acompanhar. Nesse meu novo trabalho, a empresa irá arcar não somente com o meu WP, como o E-Visa também.

Trabalho: aqui em Siem Reap há muitas oportunidades. Professor de inglês ganha bem, mas porque não somos nativos, se tiver um certificado ajuda. Bares e restaurantes sempre precisam de funcionários. Hotéis, albergues, resorts, enfim, tudo que está ligado ao turismo necessita de pessoas que realmente falem inglês. Em um ano de Camboja, já passei por diversos tipos de trabalho: Pub Crawl (reunir mochileiros e levá-los para diversos bares em uma unica noite), hotéis, hostess e DJ, ONG’s e ate modelo virei! Agora, estou em uma agência de marketing.

Salário: mais uma vez, depende e varia com o que você vai trabalhar. Por ser expatriado, você irá ganhar mais. O salário aqui funciona de acordo com suas experiências e habilidades, mas não se empolgue muito, pois há um teto. Você pode ter dois trabalhos de meio período e fazer o mesmo salário de um trabalho em tempo integral. Mais uma vez, vai depender de onde irá trabalhar. No final das contas, ganha-se menos, comparado com o Brasil, mas o custo de vida é mais barato. Ou seja, é meio que proporcional. Com o meu salário, consigo pagar minhas contas, ter meus mimos e salvar uma quantia por mês.

Plano de saúde:  tenho um texto que aborda especificamente este assunto no BPM. Todas as informações sobre valores e como funciona estão nesse artigo.  Não se esqueça que o Camboja é um dos países mais pobres do sudeste asiático e, sinceramente, não acho que vale a pena colocar a saúde em risco.

Moradia: vai do que você quer e onde está disposto a ficar. Já vi lugares de 80 a 600 dólares por mês. O meu custa 150 (com eletricidade chega a 170, depende do quanto de ar condicionado você usa). É bem ajeitadinho e bem localizado, foi um achado. Tenho até uma varandinha. O que posso afirmar é que Siem Reap tem um custo de vida mais barato quando comparado a Phnom Penh. Na capital, você não acha um apartamento por menos de 350 dólares mensais, considerando que você irá dividi-lo. Pontos fortes do meu cafofo: localização e custo. Pontos fracos: a cozinha poderia ser maior (mas estamos falando de um estúdio, quarto/sala) e a pressão do chuveiro poderia ser mais forte.

Alimentação: tem outro texto meu aqui no BPM  sobre alimentação no Camboja. Você vai achar refeição de 1 a 30 dólares. Mais uma vez, vai de acordo com o seu orçamento. Estava gastando 10 dólares por dia quando morava em um albergue. Mas como agora já tenho meu cantinho, faço mercado e claro, fica mais barato!

Transporte: se você usar apenas uma bicicleta não terá custos, a não ser pela compra da bike, que custa em média 30 dólares. Uma scooter, ou lambreta,  custa entre 500 a 600 dólares. Eu tenho uma bicicleta, mas já tive scooter também (do hotel que eu trabalhava). Meu gasto com gasolina era super barato, não passava de 5 dólares por mês. E tem também os tuk-tuks, taxistas locais que geralmente cobram de 2 a 5 dólares, conforme a distância.

Extras: adoro esporte. Eu pago 50 dólares por mês para usar a academia, a sauna e a piscina de um hotel cinco estrelas. Tenho armário para guardar minhas coisas, recebo toalha e posso usar o chuveiro (lembra que o de casa não é bom, então eu valorizo muito o do hotel, risos). Acho ótimo o custo benefício. Também faço ioga uma vez por semana. Cinco aulas saem 25 dólares. Teve uma época que  jogava futebol uma vez por semana. Custava 1 dólar, já que dividíamos entre o time!

Se animou para atravessar o mundo e viver dez horas a frente no tempo? Vida de expatriado tem seu lado bom e ruim. Eu, particularmente, me adaptei bem ao Camboja, mas sei que não é fácil e que isso é uma verdade para poucos. Ainda com alguma dúvida? Será um prazer ajudar!

Related posts

Trabalho, remuneração e benefícios no Camboja

Roberta Jorge

Custo de vida em Lima 2019

Bruna Figueiredo

Custo de Supermercado na Grécia

Marina Lemgruber

10 comentários

Patricia Alves Novembro 23, 2016 at 5:04 pm

Roberta, muito legal e informativo. To morando na Holanda (e comecei a colaborar daqui pro site) mas to com muita vontade de ir pro sudeste asiático passar um tempo. E ando lendo tudo a respeito. Podemos conversar a respeito da vida aí? Também sou da area de comunicação, mas queria passar um tempo em algum templo budista, ensinar ingles, algo assim. Bjo

Resposta
Roberta Jorge Novembro 24, 2016 at 1:46 am

Oi Patricia! Que bom que você gostou do texto, fico feliz! Podemos conversar sim, me add no Face e te passo mais informações 😉

Resposta
Felipe Meyer Novembro 30, 2016 at 5:39 pm

EXCELENTE MATÉRIA!! Conteúdo de quem tem a experiência no local é sempre bem vindo! Vou compartilhar.

Resposta
Roberta Jorge Dezembro 1, 2016 at 3:36 am

Oi Felipe! Fico grata pelo seu retorno positivo 😉
Mes que vem tem mais!

Resposta
Ricardo Corrêa Abril 28, 2017 at 2:20 am

Olá Roberta, muito bom tudo o que vc colocou, a tempo venho lendo sobre o leste desse continente principalmente o Camboja, parabéns pra vc que é realmente uma guerreira, eu sou louco para ir morar no Camboja, mas ja tenho 50 anos, talvez seja muito complicado, um abraço!

Resposta
Roberta Jorge Abril 29, 2017 at 8:52 am

Oi Ricardo!
Obrigada pelo retorno 😉
Sei que soa cliche, mas nunca é tarde para realizarmos sonhos!

Resposta
Gabriela Julho 23, 2017 at 2:53 pm

Oi, Roberta! Pensando seriamente em postular para uma vaga aí. Mas, tenho filho pequeno. As dúvidas aumentam. Podemos falar privadamente?

Resposta
Roberta Jorge Julho 24, 2017 at 1:16 am

Ola Gabriela!!

Sim, podemos conversar melhor…. qual o seu email?

Beijos

Resposta
Marcelo da Silva Maio 13, 2018 at 2:23 am

Bom dia

Gostaria de pegar algumas dicas sobre o camboja mais principalmente a uma moça que conheci do Camboja. poderia me dar algum contato? pode ser por e-mail também. Parabéns pela excelente matéria.

Resposta
Liliane Oliveira Maio 13, 2018 at 4:47 pm

Olá Marcelo,
A Roberta Jorge parou de colaborar conosco e, infelizmente, não temos outra colunista morando no país.
Obrigada,
Edição BPM

Resposta

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação